História The Letter - Beauany - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Boa tarde?


Chego em casa e vou direto para o banheiro tomar um banho, tiro a roupa, amarro meu cabelo com o elástico que estava em meu pulso e entro no chuveiro que sai uma água morna conforme eu ajustei. Já estamos na primavera mas quando faz menos de 25º graus, já é um bom motivo para o carioca sentir frio. Começo a cantarolar uma música e quando me dou conta, já estou dançando de um lado para o outro dentro do box.

— ANY GABRIELLY! — Tomo um susto quando minha mãe me grita batendo na porta
do banheiro. Desligo o chuveiro. — Eu te gritei várias vezes!

E eu obviamente não escutei. Penso em responder mas eu ganho muito mais se eu ficar calada.

— Eu estou indo pegar o Davi na escola e depois vou levar ele no Studio*. — Ela continua.

— Achei que o professor dele tinha se demitido. — Falo alto diante do eco do box.

— A diretora me ligou hoje e disse que contrataram um novo. Então não esquece de ir buscar ele às quatro.

— Por que eu tenho que ir buscar ele? Você tá de folga hoje!

— É simples: Porque eu quero, porque eu vou no shopping e porque você está de castigo. — Bufo e ligo o chuveiro de novo para voltar ao meu banho. — Às quatro, Any! — Ela grita por último.

Quando saio do chuveiro, ela já não está mais em casa. Com a toalha ainda enrolada no meu corpo, vou até a sala e ligo a televisão, colocando uma música no último volume pelo YouTube. E os vizinhos que lutem.

Pego um short jeans e uma blusa de alcinha no meu armário, jogando tudo em cima da cama para conseguir enrolar a toalha no cabelo. Termino de me arrumar e vou para a cozinha fazer alguma coisa para almoçar.

Com o prato de comida ainda na minha mão, pego o controle da televisão e coloco na Netflix. Escolher o que vou assistir é fácil, já que prometi a Joalin que eu começaria "Dark", essa série é tão complicada que já é a segunda vez que tenho que voltar uns 10 segundos para tentar entender o que aconteceu.

Minha coluna começa a doer e é quando percebo o jeito que estou sentada no sofá: toda torta. Parabéns Any, aumentando o percentual de futuros idosos com problemas na coluna. Olho para a televisão e estranho quando vejo o "Tem alguém assistindo?" da Netflix. Não lembro de ter visto tantos episódios, e... na verdade eu não lembro de nada... MERDA, eu dormi!

Olho para o relógio na parede e demoro um pouco para conseguir ver a hora. Droga de relógio de ponteiro! A ponteira menor está no quatro e a maior quase no trê... JÁ SÃO QUATRO E QUINZE!

Levanto tão rápido que o prato ainda do almoço que acabo de lembrar que está no meu colo quase cai no chão. Procuro o pé esquerdo do meu chinelo debaixo do sofá e assim que acho, pego minha chave em cima da mesa e saio literalmente correndo de casa.

O Studio 21 é uma academia de artes argentina que inaugurou aqui no Rio de Janeiro no meado do ano passado e Davi tem aulas de dança lá desde então, mas seu professor se demitiu mês passado, o que eu não julgo, já que eu conheço algumas crianças da turma dele e sei que são umas pestinhas.

A academia não fica tão longe da minha casa, portanto com a minha corridinha desesperada chego em um pouco mais de cinco minutos, e, se eu não estou enganada, a sala do Davi é a segunda do corredor à direita, então sem nem pensar abro a porta, me arrependendo no segundo seguinte.

— Any?! — Uma garota loira muito familiar me chama a atenção quando dou de cara com uma sala de cheia de adolescentes, provavelmente da minha idade, e um professor bravo porque eu acabo de atrapalhar sua aula.

— Ah... Desculpa. — Digo toda sem graça fechando a porta na minha frente.

Parabéns Any Gabrielly! Seria cômico se não fosse trágico.

— Any... Espera! — Me viro para ver o dono da voz me gritando. A menina que me chamou na sala e que eu ainda não lembrei quem é.

— Ah, oi... ãhnn...

— Sofya. — Ela ri e eu aceno sem graça por realmente não saber quem ela é. — Acho que você não me conhece mas eu sou da sala do seu namorado e, bom, todo mundo te conhece naquela escola então...

Alguém esbarra em mim e é quando percebo que estamos paradas no meio do caminho. Ela também parece se dar conta e andamos até um canto perto de um bebedouro.

— Mas enfim... Está estudando aqui no Studio?

— Na verdade não, eu estou procurando a sala do meu irmão e, pelo visto eu estou perdida.

— Quem é o professor dele?

— Eu queria muito saber... — Digo e ela ri, provavelmente de nervoso.

— Olha eu... — Sofya olha para trás e depois para mim. — Desculpa, eu queria muito te ajudar mas eu preciso mesmo voltar para a sala se não meu professor me mata. — Ela vai se distanciando enquanto fala. — Mas tenta ir na sala dos professores, eles têm uma lista com os alunos.

— Obrigada, mas... — Não consigo terminar de falar, ela sai correndo pelo corredor. — ... Mas onde fica a sala dos professores? — Falo sozinha olhando ao redor tentando achar uma solução.

Começo a suar frio e o desespero toma conta de mim. Calma Any, calma... Respira fundo... um... dois... três... Uma criança de nove anos não pode simplesmente ter sumido ou ter ido embora, ele tem que estar em algum lugar daqui! Se eu tiver que procurar ele por todo canto, então assim será. Vou de corredor em corredor e dessa vez, olho pelo vidro da janela antes de sair abrindo a porta.

Já é a terceira sala e nada. Estou quase chorando porém noto a última porta do corredor aberta, e umas vozes vindo da mesma. Ufa! Respiro aliviada quando vejo Davi sentado no chão com o...

— JOSH? — Os dois tomam um susto no momento em que grito. O desespero vai embora na mesma hora para dar espaço à confusão.

— Any! — Davi corre até mim e me abraça quando abaixo para ficar do seu tamanho. Ele se afasta um pouco e percebo seu rosto vermelho e meio inchado.

— Você estava chorando? — Pergunto e ele tenta disfarçar passando a mão em volta do olho.

— Não, eu... Por que demorou tanto? — Ele muda de assunto cruzando os braços fazendo beicinho.

— Me desculpa, é que eu... — Me distraio quando vejo ao fundo Josh levantar do chão e me encarar com um sorriso de lado. — Err... Davi, pode me esperar lá na frente rapidinho? Eu já estou indo.

— Mas Any... — Eu o encaro e ele se da por vencido só com o meu olhar. Agradeço minha mãe mentalmente pela ótima dádiva de persuasão. — Tá... — Ele bufa e antes de sair pelo corredor, corre para abraçar o Josh, falando algo que eu não consegui entender.

— Sabe... — Josh se aproxima. — Se quiser me seguir por todos os cantos dessa cidade é só falar que a gente marca um encontro... — O convencido da um sorriso sacana me fazendo revirar os olhos.

— Então deixa eu adivinhar... Você é o novo professor do Davi e minha mãe sabia né?Foi por isso que ela me mandou aqui... — Concluo em voz alta rindo da ironia do destino.

— Mães sempre sabem o que é melhor para os seus filhos. — Ele faz uma pausa. — Com algumas excessões, é claro!

— E é exatamente por isso que ela está me jogando para cima de você: porque ela não te conhece. — Digo e ele muda seu humor totalmente.

JOSH POV

E quem realmente me conhece???

A conversa pelo caminho do deboche e sarcasmo estava muito boa e é assim que vai continuar. Decido.

— Sua mãe te jogando para cima de mim? — Rio e me faço de sonso, porque na verdade eu sei que ela está mesmo. — Mas de qualquer jeito, achei que vocês tivessem voltado...

Meu dia começou incrivelmente bem quando eu descobri que estava justamente na sala do Antonio e da Sabina, e ele, com os amigos, fez questão de falar bem alto durante a aula que voltou com a Any. Mas o que mais me choca é o fato dela aceitar isso, depois daquele discurso do dia da festa, apesar de estar bêbada, eu realmente achei que ela estava disposta a dar um fim nessa história.

— Não me olha com essa cara! — Levanto as mãos em um ato de rendição mesmo não sabendo a "cara" que eu estou fazendo. — Todos merecem uma segunda chance.

— E você só está pedindo mais uma chance para aumentar esse par de chifres. — O sarcasmo me possui quando aponto para a sua cabeça. Ela fecha a cara e cruza os braços.

— E quem é vc pra falar de garotos idiotas? Eu sei o que vc fez com o Noah e... — Reviro os olhos quando ela volta nesse assunto idiota.

— No passado, Any... no passado! — Interrompo-a. — Então por favor não me compare com o seu namoradinho de merda que te traiu no MÊS passado e acha que porque me deu soco é melhor do que eu.

— Pera, pera... Ele te deu um soco?? — Any descruza os braços e desencosta da parede.

— Olha, eu não sou um especialista em relacionamentos mas eu sei que as pessoas deveriam contar tudo umas pras outras...

— Boa tarde, Josh. — Ela fala plena porém consigo sentir a raiva em seus olhos.

— Você não pode negar a verdade que está bem na frente dos seus olhos. — Termino de dizer e até eu me espanto com o digo. Seria eu o novo Sócrates?

— Boa tarde, Josh. — Ela repete e agora da as costas saindo pelo corredor.

 

 


Notas Finais


Oi oii 💞 E pra quem pegou a referência: Sim, o Studio 21 é de Violetta hehehe. Ao longo da fanfic vocês vão ver outras menções de várias séries que eu gosto então já se acostumem khkkk

Até o próximo capítulo, xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...