História The Leviathan - Capítulo 68


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Apocalipse, Céu, Furry, Heróis, Inferno, Leviatã, Monstros, Morte, Sobrenatural
Visualizações 16
Palavras 1.937
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 68 - Sem fingir


    Frost e Encantor estavam sentados no camarote superior de um tipo de coliseu da associação dos heróis.

    Frost e Encantor tinham uma visão privilegiada do alto.

Frost: - Então . . . qual é a estratégia dele mesmo?

Encantor: - Apanhar! A estratégia dele é apanhar.

    Os dois olhavam para a arena interna do coliseu, onde Mark e Stinger lutavam.

Frost: - Mas . . . ele não vai acabar se machucando?

Encantor: - Não, de alguma forma, o Mark consegue anular todos os ataques do inimigo! Não é magia, é apenas . . . poder! É bem impressionante, na verdade!

    Frost se lembrou que Mark podia criar uma carapaça onde bem entendesse no seu corpo.

Frost: - Na verdade . . . não! Eu acho que eu sei como ele está fazendo isso.

    De repente, uma sirene tocou, e a luta foi interrompida. Eles escutaram o juiz falando pelos auto-falantes.

Juiz: - Mark, devido a uma reavaliação das suas últimas missões . . .

    Mark arregalou os olhos, achando que eles se referiam ao acontecimento na boate.

Juiz: - Nós chegamos a conclusão que, se você não lutar de verdade, você será desqualificado da luta.

Mark: - O que? Como assim?

Juiz: - Foi avaliado que você tem a capacidade de derrotar . . . na verdade, de destroçar inimigos que dariam problemas para os chefes da classe S, e até para os de classe U.

Mark: - E daí?

Juiz: - Está evidente que você está brincando com o herói denominado de “Stinger”. E essa luta é para ver se você é realmente mais forte e capaz do que Stinger, mas devido aos dados coletados, nós sabemos que você não está se esforçando, ou dando a devida importância a essa luta.

Mark: - Vocês querem que eu lute?

Juiz: - Sim.

Mark: - Então eu não me responsabilizo por nada que vai acontecer com ele.

    Mark encarou Stinger durante alguns momentos.

    Stinger era um homem que vestia uma roupa colada de um material que parecia plástico. Seu rosto era completamente coberto por faixas roxas, e em suas mãos uma lança com um ferrão curvo enorme na ponta.

    Stinger era famoso por acabar com múltiplos monstros,maiores que ele, ao mesmo tempo. Mas aquilo não fazia diferença nenhuma para Mark.

    De repente, Mark se moveu para trás de Stinger numa velocidade desumana. Antes que Stinger pudesse entender o que estava acontecendo, Mark desferiu um tapa que mandou Stinger voando pela arena.

    Stinger colidiu contra o vidro de proteção do camarote onde Frost e Encantor estavam.

    Mark calculou onde Stinger iria cair assim que ele descolasse do vidro, e ergueu seu punho metálico.

    Frost se aproximou do vidro completamente rachado, e com Stinger colado do outro lado.

    Frost deu um cutucão no vidro, e Stinger descolou do vidro, caindo em direção ao chão.

    Antes que stinger chegasse ao chão, o pulso metálico de Mark explodiu, lançando seu punho como um míssil, que atingiu Stinger em cheio, o jogando contra a parede.

    De repente, a mão metálica de Mark se transformou num tipo de areia, que voltou voando para seu braço.

    Em questão de segundos, a areia metálica se transformou de volta na mão de Mark, mas agora, estava acoplada de volta em seu pulso.

Mark: - A conta hospitalar fica com vocês da associação.

    Mark se virou e começou a ir em direção a saída, enquanto o pequeno público o aplaudia.

Frost: - Porque todos estão aplaudindo? Mark acabou com a raça daquele herói! Isso não é algo para se aplaudir.

Encantor: - A associação de heróis recebe dinheiro do governo através de impostos. Mas, para termos a aprovação do público, os heróis tem que transformar seu trabalho num show, com lutas empolgantes para o público enquanto ele os salva.

Frost: - Então . . . vocês basicamente transformaram a profissão de herói . . . num show de TV? Onde os pais e as crianças riem e se divertirem com o sacrifício de dedicação de vocês?

Encantor: - Exatamente!

Frost: - Mas . . . porque isso?

Encantor: - Muitos super heróis não tem uma habilidade ou um passado que é admitido pelos anjos.

Frost: - Como o Juggernog?

    Encantor sorriu.

Encantor: - Exatamente. O Juggernog usa aquela roupa para que ninguém o reconheça, para que ninguém o julgue pelos seus crimes. Quer dizer, se você ignorar o que aconteceu com ele!

Frost: - E o que aconteceu com ele?

Encantor: - Ele foi vendido pela própria família para um cientista louco que o trancou numa jaula por anos. O Juggernog perdeu tudo lá. Ele perdeu amigos, sua sanidade, seu nome, e até sua vida.

Frost: - O QUE? Quer dizer que ele . . . é um amaldiçoado?

Encantor: - Sim. Quer dizer, ele é e não é.

    Frost ficou confuso.

Encantor: - O cientista que o prendeu, o torturou durante meses, ele refez o corpo do Juggernog várias vezes, até que ele não aguentou mais a dor eo sofrimento.

Frost: - O que aconteceu?

Encantor: - Seu corpo entrou em colapso, e Juggernog apenas se deixou morrer.

Frost: - Mas o cientista não permitiu que isso acontecesse, não é?

Encantor: - Não. De alguma maneira, o cientista conseguiu um objeto que lhe permitia abrir os portões do inferno. E com esse objeto, ele trouxe a alma de Juggernog de volta dos mortos.

    Frost estava apavorado com aquilo tudo.

Encantor: - Quando ele voltou, ele estava forte demais para o cientista o conter.

Frost: - Então ele fugiu?

Encantor: - Sim, mas os anjos foram atrás dele. Eles achavam que ele era algum tipo de animal, quando, na verdade, ele apenas estava descobrindo os limites do seu poder.

Frost: - O que ele fez quando os anjos o encontraram?

Encantor: - Nada! Ele nem mesmo chegou a tocar em um deles!

Frost: - Então . . . ele é um fugitivo dos anjos?

Encantor: - Não!

Frost: - Então . . . o que aconteceu?

Encantor: - Os anjos mandaram o próprio King o capturar, mas King perdeu a luta. Alguns dias depois, um batalhão de mais de 300 anjos foram até onde Juggernog estava se escondendo.

    Encantor se manteve em silêncio durante um segundo.

Encantor: - Foi um massacre. Os anjos foram dilacerados antes de chegarem perto do Juggernog.

Frost: - Isso quer dizer que . . .

Encantor: - Juggernog nunca feriu um anjo!

Frost: - Quem acabou com os anjos?

Encantor: - Adivinhe! Seu amigo de olho vermelho, mais uma bola de bilhar e outra mulher com uma foice acabaram com eles em minutos. Infelizmente nunca conseguimos achar essa mulher e a bola de bilhar, nem mesmo com minha mágica! E Mark se recusa a dizer onde eles estão.

    Frost engoliu em seco.

    Eles ficaram em silêncio durante alguns minutos, enquanto observavam os médicos levarem Stinger para o hospital mais próximo.

Frost: - Bem . . . acho melhor irmos embora. A luta parece ter acabado!

Encantor: - É verdade!

    Encantor estalou os dedos, e o chão se tornou líquido, engolindo os dois.

    Momentos depois, o chão cuspiu Frost de volta para a superfície, mas agora ele estava na frente do coliseu.

    Frost tossiu repetidamente. Por mais breve que aquilo tenha sido, a sensação de afogamento o tinha dominado rapidamente.

Encantor: - Me desculpe, eu vivo esquecendo de avisar os novatos sobre meu método de transporte subterrâneo!

    Frost respirou fundo.

Frost: - NUNCA mais faça isso! Eu . . . eu tenho problemas com isso.

Encantor: - Com o que? Afundar?

Frost: - Sim.

Encantor: - Você . . . você tem problemas com água?

Frost: - Sim! Porque?

Encantor: - Você tem noção do quão irônico é isso?

Frost: - Não.

Encantor: - Você poderia congelar a água ao seu redor, ou fazer boias de gelo no seu peito para poder flutuar. Ou até criar um iceberg inteiro!

Frost: - Me desculpe se eu não consigo pensar direito enquanto eu afundo e me afogo ao mesmo tempo!

Mark: - Encantor . . .

    Nenhum dos dois tinha visto Mark chegar.

Mark: - Eu me esqueci de te falar sobre esse problema que o Frost tem! Ele não é muito fã de ficar sem respirar, ele é meio viciado nisso!

Encantor: - Ok, me desculpem, da próxima eu uso um portal.

Mark: - Pior ainda!

    Encantor bufou, descontente.

Mark: - Tem alguém chegando.

Frost: - Quem?

    De repente, Slash apareceu no meio deles.

Slash: - Ei, Mark, tudo certo no combate?

Mark: - Mais ou menos!

Frost: - C-como ele . . . como ele apareceu aqui?

Slash: - Hiper velocidade!

Frost: - Esse é seu poder?

    Slash apenas piscou para Frost.

Mark: - Terremoto!

    Juggernog caiu atrás de Mark, fazendo o chão tremer.

    Frost se desequilibrou e quase caiu no chão.

Slash: - Ei, Jug, você REALMENTE precisa fazer essa bagunça quando você pousa? Se continuar assim, vão proibir de você dar seus super saltos pela cidade!

Juggernog: - Não enche!

    Juggernog andou até o lado de Slash.

Juggernog: - Então, como foi a luta?

Slash: - O Mark teve algum problema!

Juggernog: - O que? O que houve?

Mark: - Os juízes avaliaram meus resultados de missões anteriores.

Juggernog/Slash: - E?

Mark: - Não vou mais poder fazer meu teatro na hora de lutar. Eles me descobriram!

Slash: - Que pena. Parece que você não vai conseguir passar por todas as classes como você queria!

Juggernog: - E o que aconteceu com o Stinger?

Mark: - Tentei pegar mais leve com ele, mas eu acabei mandando ele direto pro hospital.

Encantor: - Você exagerou um pouco, na verdade! Você deu 2 golpes nele, mas você mal precisava de 1 para ganhar.

Juggernog: - Coitado do Stinger.

Slash: - Mark, você precisa controlar seu temperamento! É sério!

    Mark deu de ombros.

Mark: - Foi sem querer!

    Slash revirou os olhos.

Mark: - Hum, quase esqueci de perguntar para vocês sobre as passagens! Vocês conseguiram?

Slash: - Sim! Minha mulher pirou quando soube que iríamos ao japão.

Juggernog: - A minha namorada deve estar espalhando a notícia para as amigas dela até agora.

    Frost encarou Slash e Juggernog. Os dois notaram os olhos de Frost.

Slash: - O que foi?

Frost: - É difícil acreditar que vocês dois estão em um relacionamento sério! Sem ofensas, mas . . . pelo seu tipo de trabalho . . . é difícil aceitar isso!

Slash: - Não nos ofendemos com isso! Já fizeram perguntas piores!

Mark: - Você vai entender o “como” assim que ver as duas!

    Frost olhou para Encantor.

Encantor: - Eu sei o que você vai perguntar. E a resposta é “não”! Os homens não possuem uma mente aberta para as maravilhas da magia antiga.

    Mark sorriu.

Mark: - Agora que eu me dei conta de uma coisa! Eu me dei conta do quão irônico é isso!

Frost: - Como assim?

Mark: - Você mesmo tem um namorado! E quer dizer que “está confuso” sobre esses dois estarem em um relacionamento!

    Frost ficou sem resposta.

Mark: - Falando nisso, onde que o esquentadinho do Jack está?

Frost: - Japão.

    Mark encarou Frost durante alguns segundos.

Mark: - Então é por isso que você está vindo conosco?

Frost: - Também!

Slash: - Ei, Mark, o namorado do seu amigo aqui, ele é legal?

Mark: - É sim, mas ele é meio “pavio curto”! Mas,Frost, porque o Jack está no Japão, e não está junto com você?

    Frost limpou a garganta.

Frost: - O trabalho nos separou!

    Mark sorriu. Aquela frase apenas confirmou um pouco mais o porque Mark achava a academia de heróis injusta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...