História The Liars - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Pretty Little Liars
Personagens Alison DiLaurentis, Courtney DiLaurentis
Tags Alison, Courtney, Dilaurentis, Drama, Mistério, Pll, Pretty Little Liars, Romance
Visualizações 10
Palavras 1.229
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Encomendas podem ser perigosas


 

Acho que encontrei as garotas que eu procurava. 

Elas não são populares, mas também não são completas perdedoras. Com um pouquinho de mágica, tenho certeza que se tornarão garotas incríveis. 

Tá legal, não é como se eu fosse uma Cher ou algo do tipo. A minha intenção não é fazer caridade. Eu gosto da amizade de Elisa e Annie, mas elas não são garotas que fariam tudo o que eu pedisse. Eu quero amigas para poder controlar, fazer mudanças quando achar necessário e ter a certeza de que elas sempre estarão comigo, me ajudando com o que eu precisar.

É como ter uma amizade perfeita. Onde eu sempre serei o centro das atenções. 

Agora eu estou em casa, decidindo qual roupa irei usar no shopping. Já dei um jeito de convidar todas elas, mas nenhuma obviamente sabe o que eu pretendo fazer.

E elas vão querer, é claro. Ninguém recusaria a minha amizade.

Tá legal, é claro que eu também posso estar entediada. Mas não é como se fosse uma mudança definitiva... se não der certo, posso abandoná-las a qualquer momento. Eu posso fazer o que eu quiser.

E talvez realmente seja divertido. Elas serão como bonecas... cada uma diferente da outra, mas todas absolutamente minhas.

Alison fechou o diário imediatamente ao ouvir alguém bater na porta. 

Ela estava sentada em sua cama, escrevendo a primeira página de seu novo caderno pessoal. Já que ela iria fazer mudanças em seus círculos sociais, também precisaria começar em um diário diferente.

— Pode entrar! — Alison gritou, conforme passava os dedos pelos fios louros de seu cabelo.

Jason DiLaurentis, seu irmão mais velho, escancarou a porta e jogou uma pequena caixa em cima da cama dela.

— Chegou hoje — ele disse de forma entediada, colocando as mãos no bolso da calça. — Aí diz que é pra você.

Alison olhou de maneira estranha para o objeto. Era uma pequena caixa de papelão, escrito Para Alison DiLaurentis no centro em letras cursivas.

O engraçado era que a letra parecia muito com a dela. 

— Você sabe quem mandou? — perguntou Ali, pegando a caixa nas mãos de forma hesitante. 

— Acha que eu sou adivinha? — resmungou Jason, bufando. — Eu apenas vi a caixa lá fora. Estava dentro do correio.

Alison ficou um tempo olhando para a encomenda em suas mãos, virando-a de um lado para o outro em busca de pistas. 

Quando ela viu seu irmão parado ali ainda, a encarando, Alison franziu a testa.

— Está esperando o quê? Pode vazar.

Jason estreitou os olhos para ela, meio desconfiado, para logo em seguida se virar e fechar a porta com força atrás dele. Alison esperou um tempo, ouvindo os passos dele se afastarem pelo corredor, para depois voltar sua atenção para a caixa novamente.

Ela começou a retirar as pequenas fitas adesivas que estavam coladas na abertura, tomando cuidado para não estragar suas unhas perfeitas. A caixa não era pesada, mas também não parecia estar vazia. 

Depois do que pareceu uma eternidade ela conseguiu abrir. Alison esperou encontrar alguma coisa interessante lá dentro, mas tudo que tinha no interior da caixa era um livro. 

Ali tirou-o lentamente de dentro, observando a capa. Ela franziu a testa. Era apenas um livro bobo de filosofia, com a capa amassada e as pontas dobradas. Parecia aqueles livros de lugares públicos, que costumavam passar pela mão de várias pessoas.

Ela estava prestes a largá-lo de volta na caixa quando observou um pequeno papel dobrado saindo um pouco para fora. Alison o puxou lentamente de dentro, vendo que era um bilhete. A letra parecia exatamente a mesma do endereço da capa, com uma caligrafia redonda e parecida com a dela.

Olá… imagino que você seja Alison DiLaurentis.” Dizia o bilhete. “Eu descobri uma coisa muito interessante sobre a sua família… quer saber o que é? Siga o endereço abaixo e venha até mim.”

Alison leu e releu o bilhete várias vezes, sem entender. O endereço era de Connecticut, uma cidade localizada perto de Rosewood. Mas ela não pretendia seguir aquela pista cega de jeito nenhum. 

E qual era a do livro? Tinha sido apenas um meio que a pessoa encontrou para enviar aquele bilhetinho? Aquilo era estranho. 

Suspirando, Alison amassou o bilhete e esticou o braço para pegar sua pequena caixinha de música dourada, que estava em cima da cômoda. Ela a abriu e enfiou o bilhete amassado lá dentro, fechando-a novamente.

Ali olhou para a caixa. Com toda certeza ela iria jogá-la fora, junto com aquele livro bizarro. 

Além disso, o tempo estava passando… e ela precisava estar incrível para o encontro no shopping. 

Mais uma batida soou na porta do quarto. Dessa vez era mais fraca, lenta. 

— Ali? — ela ouviu sua mãe dizer, colocando a cabeça para dentro do quarto. 

— Olá — respondeu Ali, sorrindo, conforme deixava sua caixa de música repousar sobre seu colo. — Estou aqui. 

Jessica DiLaurentis terminou de abrir a porta e caminhou para dentro do quarto, olhando para os lados. Seu cabelo claro estava preso para trás, e seus olhos azuis pareciam transmitir certo nervoso.

— O que foi? — perguntou Alison, vendo a forma como uma ruga de preocupação parecia surgir na testa de sua mãe. — Está tudo bem?

— Sim, está — respondeu ela de forma distante, olhando para algo além da janela do quarto. — Queria apenas ver como você estava. 

Ali resolveu colocar o livro velho de Filosofia dentro da caixa novamente, pretendendo jogá-lo no lixo assim que possível. Ela notou quando sua mãe desviou o olhar da janela e olhou para ela novamente. 

— Você… você não recebeu nada hoje, recebeu? — indagou ela, esfregando uma mão na outra com ansiedade. 

Alison subiu o olhar imediatamente para a mãe, dando-se conta de que ela havia recebido. 

— Por quê? O que importa se eu tiver recebido? 

Ela cruzou os braços na frente do corpo, se mexendo um pouco em cima da cama. Alison abriu um sorriso astuto e levantou as sobrancelhas, claramente querendo algo em troca pela resposta. 

— Alison, responda a pergunta! — Jessica exclamou, dando um passo nervoso para frente. 

— Tá bom, não precisa ficar estressada — Ali revirou os olhos, examinando o esmaltes de suas unhas. — Eu recebi, sim. Mas não entendi absolutamente nada da encomenda.

— Recebeu?! — exclamou ela, arregalando um pouco os olhos. — O que era? Onde está? 

Alison estreitou os olhos, estranhando a atitude aflita de sua mãe. Se essa encomenda estava causando toda essa agonia, provavelmente era algo importante… 

E ela não iria perder a oportunidade de usar isso a seu favor. 

— Eu já joguei fora — Ali se apressou em dizer, chamando a atenção dela. — Era apenas um livro bobo e velho. Não entendi nada mesmo.

Sua mãe respirou fundo, arrumando a postura. De uma hora para a outra ela parecia ter voltado a estar calma, como se nada tivesse acontecido. 

— Ótimo — concluiu ela, abrindo um sorriso curto. — Se voltar a receber alguma coisa, quero que me avise imediatamente. 

— Por quê? — repetiu Alison, insistindo no assunto. — O que é importante assim pra te deixar tão nervosa?

— Nada, Alison. Eu apenas estava curiosa. 

Sua mãe passou um tempo organizando umas coisas indiferentes que estavam desorganizadas pelo quarto, e Alison escondeu lentamente a caixa atrás dela durante aquele curto período de tempo. 

Quando ela finalmente cansou e se retirou, Alison pegou novamente a caixinha de música nas mãos. Ela abriu a tampa e examinou o bilhete amassado. 

E de repente Ali parecia bem interessada em ir atrás daquela pessoa. 


Notas Finais


Parece que Jessica DiLaurentis esconde alguma coisa, hein? Hahaha. Mas acho que nós já sabemos o que é...

E aí, o que será que Alison vai fazer?

Se gostou, dê favorito para me ajudar :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...