História The Life - Capítulo 82


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Cara Delevingne, Demi Lovato, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Cally, Camila, Camren, Camren G!p, Lauren, Lauren G!p, Norminah, Semi, Vercy
Visualizações 434
Palavras 1.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Intersexualidade (G!P), Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OIE!
Depois de um século resolvi aparece 😀

Capítulo 82 - Capítulo 11


Pov Lívia

Mamãe só deixou eu ir para a casa da Laura depois do jantar. Assim que cheguei lá Camila avisou que Laura estava no quarto e me pediu para levar lanche para ela, ja que ela não quis jantar.

Livia: Toc toc! - falei abrindo a porta e Laura esta sentada na cama.

Laura: Você demorou, pensei que tinha desistido de vim. - falou olhando para mim.

Livia: Você conhece a Dona Demi, ela só me deixou sai de casa depois do jantar. - expliquei - Por falar em jantar, fiquei sabendo que a senhorita não jantou e trouxe um lanchinho para você.

Laura: Eu não quero come.

Livia: Come só um pouquinho, por favor. - falei partindo um pedaço do sanduíche e entreguei para ela - Come apenas esse pedaço e beba o suco.

Mesmo contra a vontade ela comeu metade do sanduíche e bebeu metade do suco.

Laura: Eu vou escova os dentes. - avisou se levantando.

Aproveitei que ela foi no banheiro e levei a bandeja para a cozinha.

Camila: Conseguiu fazer ela comer? - perguntou preocupada.

Livia: Um pouquinho. - falei e ela suspirou aliviada. - Eu vou volta para o quarto, boa noite. - falei e subi novamente.

Assim que entrei no quarto Laura deitada na cama.

Laura: Deita aqui comigo? - assenti e me deitei ao lado dela.

Ela deitou a cabeça no meu peito e comecei a fazer cafune nela.

Laura: Se você continua, eu vou dormi. - falou baixo.

Livia: Pode dormi!

Laura: Eu não quero dormi, eu não quero sonha com o Rodrigo novamente. - a voz dela começou a ficar falha. - Eu não quero ele me tocando...

Livia: Ei! - digo cortando ela e fazendo ela olha para mim - Ele não vai nunca mais tocar em você, ele esta preso, será julgado e condenado pelo que ele fez.

Laura: Por que ele fez isso comigo, Liv? Eu gostava dele de verdade. - ela não precisava fala isso.

Livia: Ele é um babaca, você merece alguém que goste de você de verdade.

Laura: E se eu não encontrar alguém que goste de mim de verdade?

Livia: É impossível não gosta de você, você é uma das pessoas mais incríveis que eu conheço, você sempre pensa nós outros antes de pensa em si mesma, você é divertida,  engraçada, canta maravilhosamente bem e o mais importante de todos você é linda.

Laura: Para Liv! - falou escondendo o rosto no meu pescoço.

Livia: Só estou falando a verdade. - ela sorriu. - Lembra aquela vez que eu, você, Lua, Noah e Angel fomos no MCDonald's e nós quase fomos parar na delegacia por causa de você e Lua? - ela gargalhou.

Laura: A culpa não foi nossa, nós apenas queriamos comprar alguns lanches para os moradores de rua, que estavam do outro lado da rua, e aquele menino não queria aceita nosso pedido. - se referiu ao atendente que se recusou a aceita o pedido de 30 lanches para os moradores de rua. - Mas quem queria bate nele era a Lua.

Ficamos conversando por horas e eu adorei isso, pois consegui fazer ela esquecer um pouco daquele babaca filho da puta. Não faço a menor ideia da hora que dormimos.

Pov Carly

Cheguei na delegacia por volta das 06:30 da manhã, pois o dia hoje será cheio.

Carly: Bom dia, Bryan! - falei entregando um café para ele.

Bryan: Bom dia, Carly!

Carly: Alguma novidade? - perguntei assim que entramos na minha sala.

Bryan: Eu acho que Rodrigo, pode ter abusado de outra menina. - falou abrindo o notebook dele e digitou alguma coisa - Estava olhando as mensagens e as fotos dele e encontrei estas fotos em uma pasta privada. - Nas fotos uma garota esta com o rosto sangrando, roupa rasgada e varias outras fotos igual a da Laura.

Carly: Precisámos localizar esta garota.

Bryan: Eu já tentei, mas esta difícil já que não temos nenhum nome e nem uma denuncia sobre o caso.

Carly: Também não vai adianta nada perguntar para o Rodrigo, pois ele não vai abrir a boca. - falei observando a foto da menina - Eu vou enviar as provas que temos para juiza que vai cuidar do caso do Rodrigo e vê se conseguimos que o julgamento dele seje o mais rápido possível.

Junto com Bryan montamos todas as provas que temos contra Rodrigo e depois enviei para a juiza.

Por volta das 7:30 da manhã Rebecca chegou na delegacia e Bryan foi para casa, já que seu plantão tinha acabado. Assim que terminei de explica para ela sobre as novas fotos que Bryan encontrou, o advogado de Charles apareceu.

Advogado: Vim busca meu cliente. - falou entregando a carta de soltura, pedi para um dos meus agentes e buscar ele.

Charles: Cadê meu filho?

Advogado: Sinto muito senhor, mas o juiz negou o pedido de soltura dele.

Charles: Mais você é um incompetente, te pago uma fortuna e você não presta nem para fazer seu trabalho direito. - por isso que odeio esse bilionários -  Vamos embora logo dessa espiunca. - falou saindo junto com o advogado.

Carly: Ainda bem que ele foi embora, eu não aguento mais olhar para a cara desse senhor. - falei me jogando na minha cadeira e Rebecca acabou rindo.

Pov Filipe

Filipe: Seu pai já foi, daqui a pouco eu vou e você ficará aqui mofando. - falei olhando para Rodrigo que esta na cela a minha frente.

Rodrigo: Eu juro que quando eu sai daqui, eu vou acaba com a sua vida, filho da puta.

Filipe: Quem disse que você vai sai daqui? - perguntei rindo - Você é uma pessoa egoista, que só pensa em se dar bem as custas dos outros. Por isso esta aqui agora. - me levantei e encostei na grade - Você não pensou nas consequências ao estrupa uma garota rica, filha de famosas, neta do homem mais fico de Miami?

Rodrigo: ISSO É CULPA SUA?

Filipe: Minha? Eu não me lembro de ter colocado uma arma na sua cabeça e te obrigado a estrupa ela.

Rodrigo: Sim, isso tudo aqui é sua culpa, estamos aqui por sua culpa. Porque se você não tivesse me desafiado, eu nunca teria chegado perto daquela garota idiota.

Delegada: Posso sabe o que esta acontecendo aqui?

Filipe/Rodrigo: Nada, estamos apenas conversando. - falamos juntas e obvio que ela não acredito.

Delegada: Você esta livre! - falou abrindo minha cela.

Filipe: Te vejo no dia do seu julgamento, Rodrigo. - falei me aproximando da cela dele e sai acompanhado da delegada.

Advogado: Seus pais mandaram entregar isso. - falou me entregando uma merreca.

Filipe: O que é isso?

Advogado: Dinheiro para volta para a casa.

Filipe: Mais esse dinheiro não dá para paga nada.

Advogado: Dá para pagar o metro. - olhei indignado para ele - Agora eu preciso ir. - ele saiu e me deixou ali.

Isso só pode ser alguma brincadeira!

Sai da delegacia e fui para a estação de metro.

Filipe: Como essa merda funciona?

Quase uma hora depois, finalmente cheguei em casa e encontrei meus pais e todos os empregados na sala.

Mãe do Filipe: Que bom que chegou!

Filipe: Agora não mãe, você já me fizeram dormir naquela cela e agora tive que andar de metro. Preciso de um banho e cama.

Pai do Filipe: Nada disso Filipe! - falou sério - Antes vamos ter uma conversa, séria.

Filipe: Deixa eu tomar ao menos um banho pai.

Pai do Filipe: Senta aqui e fica quieto. - falou apontando para o sofá e eu me sentei - A partir de hoje as coisas por aqui vão mudar. Já que você adora esbanjar dinheiro, você começará trabalhar amanhã em uma lanchonete no shopping...

Filipe: Eu não vou trabalhar!

Pai do Filipe: Se você não quiser trabalhar o problema é seu, mas fique ciente que todos seus cartões estão bloqueados, você não tem mais acesso a sua conta do banco, você não tem mais carro, nem motorista particular, nem empregados e sua matricula foi mudada para uma escola pública, então acorda cedo que o ónibus passa enfrente a entrada do condomínio as 7:00 da manhã.

Filipe: VOCÊS NÃO PODEM FAZER ISSO!

Pai do Filipe: Não podemos? - ele pegou meu celular, jogou no chão e pisou em cima. - Se você quiser ter um celular vai ter que trabalhar para compra.

Eu não acredito que ele fez isso!

Mãe do Filipe: E não esqueça que você tem serviço comunitário para fazer. - falou e saiu com meu pai.

ISSO NÃO VAI FICA ASSIM!

Peguei os vasos caros que os dois mais gostam e fiz questão de quebrar um por um.

   

  

  

   



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...