1. Spirit Fanfics >
  2. The light in the darkness >
  3. Venenosa.

História The light in the darkness - Capítulo 29


Escrita por:


Notas do Autor


Aqui mais um capitulo prontinho, espero que gostem.

Capítulo 29 - Venenosa.


Fanfic / Fanfiction The light in the darkness - Capítulo 29 - Venenosa.

Sentiu o corpo ceder ao chão, ficando de joelhos enquanto respirava ofegante. Sua visão era a mais comprometida, conseguia ver apenas borrões e já havia perdido a capacidade de distinguir uma coisa da outra. Sua cabeça latejava como nunca, fora os vários pontos doloridos por seu corpo.

A inicio seu treinamento lhe parecera simples, precisava parar projeteis lançados nela por um protótipo de arma não letal, produzido na própria escola, que estava há 15 metros de distância, o que não imaginava era que a munição seria de bala de borracha, e que não seria apenas um protótipo, e sim seis, todos programados para dispararem continuamente até o fim das munições e então era recarregada. Mas parar algo lançado com uma enorme velocidade e potência não era nada fácil. 

Já deveria estar treinando por mais de três horas, assim como seus colegas. Tiger, além de treinar Midoriya e outros alunos da B, mantinha o olho nela e era responsável por recarregar as armas.

Sentia uma dor de cabeça terrível, mas o olhar rigoroso estava a todo momento a cima de si e sabia que caso parasse as coisas só iriam piorar, então se concentrava o máximo possível, mas a unica coisa que conseguia era para no máximo duas. 

Pelo visto haveria muito a se treinar.

♣♠♣♠

O vento frio do crepúsculo bateu contra o rosto pálido da mulher. A floresta densa lhe oferecia vantagem, a possibilitando esconder a presença por entre as sombras, tão silenciosa e ligeira quanto um gato. Não demorou a chegar em seu destino onde encontraria seu parceiros... Temporários.

A garota com uniforme de colegial a encarava com um sorriso de orelha a orelha segurando uma faca próxima do rosto. Desviou o olhar para o homem cheio de cicatrizes, escorado em uma árvore a observando de cima a baixo com os braços cruzados.

- Então. - Ele disse com sua voz grave, ainda a analisando. - Você é a tal parceira misteriosa.

- Ao que parece. - Respondeu seca.

- Kawaii. - Deu um gritinho. - Tá vendo, ela tem estilo! - Toga Himiko começou a rodear animada a mulher. - Senpai, prazer em conhece-la. - Sua admiração não era para menos. Ela possuía uma pele clara como leite, cabelos prateados e olhos intimidantes acinzentados, tudo em contraste com as roupas negras que ela vestia.

A mulher  semicerrou os olhos incrédula, realmente a haviam mandado trabalhar com uma criança? Bufou pelas narinas em sinal de desgosto, passando reto por Toga, que pareceu não se importar com a atitude.

- Só chegamos nós três? - Questionou observando o acampamento do alto da montanha. 

- Sim. - Dabi se pôs ao lado dela. - Os outros devem chegar logo. Até lá vamos observar.

♣♠♣♠

Respirava com dificuldade usando uma árvore de apoio, basicamente, nada havia mudado desde o dia anterior, era o mesmo treinamento e o mesmo resultado.

- Aqui. - Mandalay estendeu uma garrafa de água.

- Obrigada. - Bebeu um longo gole do liquido gelado, sentindo uma pequena parte de sua força se restaurar.

- Eraser me disse que você tem outra individualidade, mas não a domina bem como a telecinese. 

Wendy passou a mão na testa limpando o suor. 

- Sim, bem, dependendo do tamanho o tempo é diferente. Isso suga a minha energia como se eu tivesse passado horas treinando.

- Qual o maior animal que você consegue fazer?

- Um pássaro, mas não consigo mante-lo nem por um minuto inteiro e ele apenas serve para ser visto, diferente se eu fizer um inseto pequeno ou uma aranha, neste caso consigo ver e ouvir a mesma coisa que elas, mas só consigo as manter por dois minutos.

- Muito bem, faça o pássaro e mostre-me por quanto tempo consegue mante-lo em sua condição atual.

A loira respirou fundo, juntando todas as forças que tinha com a total concentração possível conseguindo fazer um pequeno pássaro surgir na palma de sua mão.

Mandalay o observou, o animal não parecia ter mais de 9 cm.

Sua respiração estava ofegante, a dor na cabeça era tanta que sentia como se uma bomba estivesse explodindo lá dentro, isso sem mencionar a visão já seriamente comprometida. Suas pernas cederam fazendo-a cair sentada no chão, nesse momento sua ilusão também se desfez.

- Dezessete segundos. - Disse Mandalay pensativa. - O ideal seria você continuar treinando essa habilidade continuamente, mas a sua visão ficar comprometida rapidamente é um problema. - Colocou uma mão no queixo, ponderando o que poderia fazer foi então que algo veio a sua mente. - Sim, isso pode funcionar.

- O quê? 

- Como uma solução temporária, você poderia usar óculos com umas lentes especiais que adaptariam o grau a necessidade. Seria útil por exemplo durante as aulas, vai possibilitar que você treine no dia a dia sem prejudicar suas obrigações.

- Mas como posso conseguir isso?

- Vou falar com o Eraser, não são lentes fáceis de fabricar, mas acho que podemos conseguir uma. 

- Obrigada, Mandalay. - Se levantou com dificuldade por conta das pernas trêmulas e fez um breve reverencia.

- Ora, não foi nada. Agora descanse por mais dois minutos e depois volte a treinar. - Acenou se afastando. - Ah. - virou-se ao se lembrar. - Hoje a noite vai ter um teste de coragem, seria interessante você usar a ilusão lá. 

♠️♣️♠️♣️

- Mitarashi-San, traga-os pra cá. - Pediu Ojiro, Wendy colocou a caixa com legumes em cima de uma das mesas. - Obrigado.

- Não foi nada. - Sorriu se afastando. Sua visão já estava melhor, não ainda em 100% mas o suficiente para ela andar com segurança e conseguir distinguir um objeto do outro. Como no dia anterior estavam preparando a refeição, já que de acordo com as heroínas o combinado seria alimenta-los somente no primeiro dia. - Meninas, precisam de ajuda? - Se aproximou de Yaoyorozu e Jiro, que estavam finalizando com os legumes. 

- Oh, Wendy. - Disse Jiro. - Na verdade, já estamos terminando aqui.

- Você poderia encher essa panela de água, por favor? - Yaoyorozu apontou para a panela na mesa ao lado. - Precisamos já colocar a água para ferver.

- Tudo bem. - Se dirigiu até as torneiras enchendo a panela e então a levou para o local onde seria aceso o fogo. 

- Mitarashi-San, como vai? - Perguntou Midoriya educadamente arrumando a lenha, enquanto ao seu lado Todoroki acendia as já prontas. 

- Bem cansada, assim como vocês eu suponho. Já pude ver pessoalmente como Tiger não facilita nem um pouco. - Massageou um dos braços que ainda estava levemente dolorido fazendo uma fraca careta de dor.

- Nem me fale. - O esverdeado soltou um longo suspiro voltando ao trabalho.

- Já consegue enxergar. - Todoroki se levantou e se aproximou. Não era difícil perceber alguns hematomas roxos em sua perna já que ela usava short, e constatou que seus braços também deveriam ter, porém estes estavam cobertos por um moletom verde escuro.

- Mais ou menos. - Havia percebido o olhar dele. - Não se preocupe, isso não é nada até amanhã já estarão bem melhores. - Explicou calma. - E com você, como está indo?

- Bem intenso, ficar alternando entre um e outro por horas seguidas é bem exaustivo e ainda tendo que manter a temperatura da água. - Olhou para os lados tendo a certeza de que ninguém estava prestando atenção neles. - Hoje a noite..

- Sim. - O interrompeu. - No mesmo lugar. Você deve se considerar bem importante, afinal, estou perdendo horas do meu precioso sono. - Disse em tom brincalhão.

- Posso dizer o mesmo. - Sorriu levemente, olhando fundos nos olhos verdes dela. - Mas algo me diz, que se você não fosse para lá a ultima coisa que faria era dormir, e sim jogar. - Bateu com o dedo indicador na testa dela.

- Não nego e nem confirmo. - Riu. - Você tem que jogar um dia comigo, podemos fazer uma competição, quem ganhar escolhe o que quer, que tal? 

- Tudo bem. 

Se separaram cada um retomando suas tarefas. Não demorou muito até o jantar ficar pronto, todos jantaram e se prepararam para o tão esperado teste de coragem.

 

- Teste de coragem!!! - Gritaram animados.

- Antes, me dói dizer isso, mas o grupo de aulas extras vai ter aula comigo. - Aizawa se aproximou, sob os protestos dos cinco alunos e logo saiu os arrastando com sua faixa para a sala de aula.

A loira apenas os observava com um pouco de pena, eles eram os mais empolgados.

- Vamos decidir os parceiros na sorte. - Pixie bob entregou para cada um papeis aleatórios, o que tivesse o numero igual seria sua dupla. Bom, não podia dizer que estava infeliz com sua dupla, Midoriya era dedicado e ela admirava isso e querendo ou não, teria que começar a se acostumar a não fazer as coisas sozinha, dependendo da situação um parceiro era um ponto crucial.

- Que bom, Mitarashi-san vai estar comigo. - Disse aliviado a fazendo rir.

- Ora, pra que tudo isso?

- Para ser bem sincero estava com medo de cair com o Kaa-chan. - Apontou para o loiro que esbravejava com Ojiro querendo trocar de dupla com ele.

- Entendo bem. Hey, vamos ficar ali esperando a nossa vez?

- Claro. 

13 minutos depois...

A quinta dupla já havia saído a algum tempo. Ficou conversando amenidades ali com os outros alunos. Foi então que sentiu o cheiro de queimado entrando por suas narinas. Notou que não foi a unica a perceber.

- Aquilo é. - Percebeu a fumaça negra vindo da floresta. Sentiu que algo não estava certo e ficou atenta.

- Pixie bob. - Se virou e viu a heroína caída aos pés de dois homens. Os pucos alunos que ainda estavam ali recuaram. Midoriya tentou se aproximar da heroína azul porem foi parado por Tiger e Mandalay. 

Isso era preocupante, teoricamente ali era para ser uma área secreta. Mas era hora de se questionar como eles chegaram ali. Pode sentir a tensão crescendo, Tiger falava ferozmente com os vilões, enraivecido por Pixie Bob estar machucada. Deduziu que eles já estavam os vigiando a algum tempo, para conhecerem a área e terem certeza de como tudo seria executado.

- Vão pessoal. - Mandalay disse se posicionando. - Ouçam: não lutem, o representante fica no comando!

- Entendido. - Lida tomou a liderança correndo e sendo seguido pelos demais.

- Mandalay, eu sei onde ele está. - Midoriya então correu na direção contraria. Apesar de não saber o que ele iria fazer achou melhor segui-lo. De inicio o plano era não deixar o amigo sozinho, porém no meio do caminho ela percebeu algo. 

Um pequeno ramo de Ageratina foi colocado cuidadosamente no chão, onde pudesse ficar a vista, se aproximou evitando pegar na planta, já que esta era conhecida por ser venenosa. Percebeu que não havia apenas um ramo ali, eram vários formando uma trilha. Respirou fundo, já conhecia essa marca registrada e não era impossível que ela estivesse ali. Seguiu a trilha, logo chegando em uma área onde haviam vários tocos de árvores, eles estavam acinzentados e meio apodrecidos, como se algo tóxico houvesse passado por ali. 

Droga - Se amaldiçoou mentalmente por não estar com a faca que havia ganho. Seria bem útil nesta ocasião. Se virou ouvindo o barulho das folhas balançando atrás de si. Ela estava brincando. - Ah. - Arfou se virando rapidamente, vendo as marcas de garras em um tronco. - Vamos lá, saí logo daí. 

- Ora, você cresceu bastante Amaya, ou eu deveria dizer Wendy. - Uma risada pode ser ouvida. A loira tentou localizar de onde vinha a voz, mas era em vão. - Senti tantas saudades das nossas brincadeiras, então resolvi vim aqui. - A mulher então surgiu do meio das arvores. 

Wendy a observou bem, ela não havia mudado nada.

- Ageratina. - A voz saiu raivosa. - Continua sendo uma cachorrinha do meu pai?

O comentário causou raiva e desgosto na mulher, que a encarava com um olhar mortal.

-  O que foi, não gostou de ouvir a verdade?

- Continua com a mesma língua malcriada de sempre, vamos ver se você continua com essa marra toda depois de matarmos os seus amiguinhos um a um. Ah e claro, dando uma atenção especial ao seu namoradinho. - Provocou.

Wendy semicerrou os olhos, suas cartas já flutuavam ao redor dela para o caso de precisar de defender. Seus olhos eram atentos em cada movimento que a vilã fazia, ela era rápida e sua defesa era invejável. Sem dúvidas, ela séria bem complicada de se lidar. Sua unica opção era lutar, e lutar com a intenção de matar ou não teria chance alguma.


Notas Finais


E então, o que acharam?
espero que tenham gostado S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...