História The Limit of Death - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Comedia, Terror, Violencia
Visualizações 1
Palavras 565
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Heya!
Sei que faz um tempo que não escrevo, mas, aqui estou eu depois de muito tempo sem dar notícias, escrevendo mais um capítulo horrívelmente mal feito para você ler e odiar.
Bem, é isso...
Fiquem com o capítulo.
Boa leitura~

Capítulo 5 - Capítulo V


Terça Feira, 29/02/20xx

Distrito de Akahamura, Área Litorânea.

Hospital Psíquiatrico 

P.O.V. Alan 

- Senhor Alan? Você esta escutando?

Levanto a cabeça um pouco, apenas o suficiente para conseguir olhar nos olhos daquele brutamontes que estava me perguntando diversas coisas sem sentido (pelo menos para mim) há mais de uma hora, aquilo era ridículo, não deveria nem estar aqui em primeiro lugar.

- Sim, vossa majestade, eu estou.

- Ótimo, continuando, seu comportamento foi inaceitável, creio que teremos que tomar algumas providências perante isso.

- Mas eu sou uma pessoa tão adorável, não faria mal a uma mosca - Ri de deboche da expressão feita por ele.

- Seu colega de cela foi encontrado morto com uma colher enfiada na cavidade ocular, quatro outros pacientes foram achados com as gargantas corroídas por ácido sulfúrico, e sete funcionários estavam mortos com os pescoços quebrados próximo a sua cela que estava aberta sem autorização.... O quão adorável você consegue ser?

- Não sei, quer descobrir?- fiz uma cara maliciosa enquanto o fitava.

Me encarando de volta, soltou todos os papéis que estava segurando sobre a mesa, tirou os óculos e voltou a falar:

- É a terceira vez esse mês que recebo relatórios sobre seu comportamento, como sou seu psíquiatra, devo informa-lo sobre as punições que irá receber.

- Hmmm, deixa eu adivinhar.... Tratamento de choque? Ha, não, não estou mais no parquinho para brincar disso.... Talvez outro método de tortura para utilizar em seus "pacientes" ou melhor, em suas cobaias....

- O tratamento que você recebe é oque merece. - Diz ele, com seu rosto carrancudo.

- Então, julgando assim.... Todos aqui deveriam ser mortos, incluindo você.

- Isto é uma ameaça?

- Com toda certeza, eu adoraria ver você sofrer, do mesmo modo que faz as centenas de pessoas que estão presas nesse inferno. Você diz que já tratou milhares de doentes mentais, psicopatas, sociopatas, que sabe como nós pensamos, sabe o porquê de nós fazermos isso..... Mas no fim, você não tem ideia do que se passa em nossas cabeças, não sabe oque já passamos, oque já fizemos..... É apenas mais um tentando entender aquilo que não consegue, e falhando miseravelmente.

-....... Levem-no daqui - Ele se dirige a quatro funcionários que também estavam presentes na sala ouvindo tudo, logo após se levanta e se vira para a enorme janela atrás de si dizendo - Tranquem-no na cela, sem comida ou água por 5 dias, isolamento social por um mês, nenhum funcionário deve se aproximar da cela dele sem a minha autorização, fiquem de guarda, qualquer comportamento suspeito, violento ou abusivo, estão autorizados seda-lo.

- Sim, Dr. Motoharu - Disseram em uníssolo.

Enquanto era arrastado como um animal para fora da sala, pude ver a paisagem fria pela janela, a montanha gigantesca engolida pela névoa, o mar calmo de um tom azul escuro distante, e o muro alto que rodeava toda a área do hospital. Tendo isso como uma ultima imagem antes que a porta se fechasse atrás de mim, pensei em como seria bom sair daquela prisão e rever o mundo, e ir para bem longe dali.

Pensando nisso, enquanto era jogado bruscamente em meu "quarto", tomei uma decisão.

Não iria mais ficar ali, sendo entupido de remédios e tratamentos.

Aquelas pessoas iriam pagar por me manterem neste inferno.

Todas elas.

Todas elas deverião morrer.

Todas elas vão morrer.

.

.

.

.

continua?


Notas Finais


Obrigada por ler.
Até o próximo capítulo~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...