História The Little Boy;; (LuWoo(NCT) - Capítulo 27


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Doyoung, Haechan, Jaemin, Jeno, Jisung, Jungwoo, Lucas, Mark, Personagens Originais, RenJun, Taeyong, Yuta
Visualizações 254
Palavras 1.051
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 27 - 27.0--Boyfriends?


Fanfic / Fanfiction The Little Boy;; (LuWoo(NCT) - Capítulo 27 - 27.0--Boyfriends?

Jungwoo não tardou ao se banhar com a água morna do chuveiro, e após um período não muito longo, se retirou do mesmo já vestido com uma calça azul marinho, é uma blusa branca com detalhes vermelhos.

—Eu estou bonito, Moonnie?—Jung disse virando para Taeil, o qual sorriu assentindo.

—Está muito lindo, Woo...—Taeil disse deitando na cama, olhando o pequeno ajeitar as suas madeixas claras, e então, calçou o seus sapatos.

Já Yukhei, estava vestindo-se com uma calça de couro preta, uma blusa branca e jaqueta jeans. Roupas de badboys típicas do Wong. Em seguida, calçou o seu All star.

*—Seul-19:04—*

Yukki saiu da sua residência, já pronto, este aproveitou o caminho para a casa do Kim para parar em uma pequena floricultura ali. Escolheu um buquê de flores azuis, a qual era sua cor preferida. E voltou ao seu caminho para a casa do pequeno.
Bateu na porta algumas vezes, sendo atendido pelo Doyoung, que sorriu fracamente, e deu passagem para que Yukhei tivesse a visão de Jungwoo no cantinho da sala, olhando-se no espelho enquanto cantarolava uma canção aleatória.

—Você está lindo, Jungwoo...—Yukhei disse antes de tudo, fazendo Jungwoo rapidamente virar-se para o chinês.

—Y-yukki...—Jungwoo abriu um sorriso, e caminhou timidamente ao maior, assim, o abraçando.—Você também está muito bonito.

Doyoung apertou as próprias bochechas, e então, sussurrou um "tão fofos'' para Taeil.

Jungwoo riu, segurando na mão do maior. Acenou para o seu irmão, e para o Moon.

...

Yukhei, timidamente entregou o buquê de flores para Jungwoo ao meio do caminho, já que resolveram ir andando mesmo.

—É meio clichê, eu sei mas eu não resisti ao vê-las, logo lembrei de você.—Disse acariciando o dorso da mão do coreano com o polegar.

—Eu gosto de clichês, sabia?—Jungwoo soltou uma gargalhada gostosa e tênue, e beijou a bochecha do chinês.—Muito obrigado, de verdade.

—Hum, é?—Yukhei riu anasalado, e entrelaçou ambas as mãos. Rapidamente, Yukhei andou para a direção oposta, fazendo Jungwoo ficar confuso.

—O que nós iremos fazer na praia a uma hora dessas, Lucas?—Jungwoo disse com um breve bico em seus lábios.

Yukhei não o respondeu, apenas riu. Chegando sobre a areia amarelada, Lucas se assentuou sobre a areia, e Jungwoo ao seu lado, e deitou a cabeça sobre o ombro de Yukhei, enquanto observavam o mar e as estrelas.

—Sabe a lua?—Yukhei disse, e Jungwoo assentiu com um sorriso.—É como se fosse você. Ela tem fases, ela é linda e tem um brilho excepcional. As vezes seu brilho pode não ficar tão nítido por causa de alguns problemas, ou pelo sol, mas ela nunca deixa de brilhar. E todas as suas fases são perfeitas em todos ângulos, como você, todas as suas fases, Jung, são perfeitas, e eu te amo de todas as formas possíveis.

Jungwoo corou fortemente, e sorriu abobalhado. Este deixou um selar sobre os seus lábios vermelhinhos, e o abraçou.

—Sabe o mar e a areia?—Esta foi a vez de Kim, e Yukhei sorriu assentindo.—As vezes, nós podemos ser tão fortes como as ondas que batem em rochas, mas sempre insistem. Outras vezes, podemos ser tão pequenos e influentes como um grãozinho de areia, onde ninguém nos nota, onde somos levados facilmente pelo mar. Eu posso comparar o nosso amor com isso, que às vezes, nós podemos ser muito fortes juntos, e as vezes a dificuldade pode nos enfraquecer, mas apesar de tudo, sempre haverá bilhões de grãos de areias e uma imensidão de água, e eu sempre estarei aqui, meu bem.

Yukhei fechou os olhos, era muito sensível, e ao abrir um olhos, foi inevitável não deixar uma lágrima escapar.

—Eu não mereço alguém como você.—Yukhei disse rindo, e então, não tardou ao tomar os lábios de Kim.para si, em um beijo lento e calmo, um tanto carinhoso.

—Eu te amo, Yukki!—Jungwoo falou separando do.osculo, e assim, abraçando-o novamente.—Não foi por isso que me chamou aqui, não foi?

—Ah, não.—Yukhei coçou a nuca meio sem jeito, e assim, fez sinal para que Jungwoo se levantasse, e assim o fez. Yukhei, por vez, retirou uma pequena caixinha do bolso da sua jaqueta, com duas correntes douradas, uma havia uma estrela, já outra havia a lua.—Kim Jungwoo, meu brilho, dono de todo o meu amor... Aceita namorar comigo?

Jungwoo levou ambas  as mãos sobre a sua boca, e assim, assentindo com a cabeça repentinas vezes, e fechou os olhos com um grande sorriso.

—Claro que aceito, Yukki.—Abriu os olhos, e Yukhei se levantou, pondo o colar com pingente da lua em Jungwoo, e já o Kim pôs o outro em Lucas.—Eu te amo.

—Eu também amo você, amor.—Jungwoo riu anasalado pela expressão fofa de Yukhei ao chamá-lo de "amor".

Os garotos deram um breve passeio sobre a areia da praia. Não poderiam estar mais felizes, e talvez, todas essas intrigas tivessem tido um bom enfeito para ambos, tivessem os feito ficar maduros e cientes que manter um relacionamento sério não é tão mar de rosas, claro, tem suas dificuldades, mas pelo visto estavam dispostos a enfrentar cada obstáculo juntos.

Após alguns minutos caminhando, pararam em um banquinho que havia ali, assim, sentando lado a lado, jogando conversas aleatórias no ar. Jungwoo por vez, corou repentinamente, motivo? Alguns pensamentos, mas este criou coragem para se pronunciar à Yukhei, afinal, não queria esconder nada, muito menos seus desejos.

—Yukki... nós...—Jungwoo engoliu seco, mas obtinha uma grande vontade de perguntar aquilo à Yukhei.

—Sim?—Passou seus braços entre a cintura do coreano, com um grande sorriso radiante.

—Podemos fazer...—Sussurrou, com uma grande vergonha das suas próprias palavras, mas agora não voltaria atrás.—P-podemos fazer a-amor?

Disse bem baixinho, e Yukhei gargalhou alto. Kim então, bateu em seu braço, ainda envergonhado, envergonhado o bastante para ficar totalmente vermelho, e abaixar o seu rosto.

—Sim, meu pequeno. Estava com vergonha de falar isso pra mim, hum?—Perguntou sorrindo brincalhão, e Jungwoo revirou os olhos sorrindo. Era novo para ele pedir ou fazer esse tipo de coisa.—É claro que nós podemos, Jung.

—Aigoo...—Suspirou fundo, e riu se agarrando ao braço do Wong.—Vamos pra casa, uh?

Yukhei não hesitou em assentir, afinal, não foram muitas as noites que Jungwoo teve uma relação com Yuk. Consideravelmente apenas uma vez, já que a segunda estavam bêbados, o sofrívelmente bêbados para não lembrarem de exatamente nada.

—Vamos, para a minha. Não quero que tenhamos plateia.—Yukhei disse se referindo a alguém os ouvir, e Jungwoo acabou por rir das palavras do Yukhei.

—Está bem, então vamos.—Disse com disposição e firmeza, e assim, levantaram-se do local posto, e caminharam rumo á residência do Wong.

__Continua__


Notas Finais


huehuehue
oBRIGADA PELO APOIO AA EU AMO VOCÊS, E ESPERO QUE GOSTEM💕💕💕✨🤧


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...