História The Lonely Girl - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Jack & Jack
Personagens Jack Gilinsky, Jack Johnson, Personagens Originais
Tags Amelia Gething, Jack Gilinsky, Jack Johnson
Visualizações 28
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bem vindos a Fanfic!
Espero que gostem tanto quanto eu!
Irei tentar publicar sempre possível, e qualquer erro comentem. Não se esqueçam de votar e deixar a vossa opinião, ajuda sempre! 😊

Capítulo 1 - Quê?


Fanfic / Fanfiction The Lonely Girl - Capítulo 1 - Quê?

O sol estava mais brilhante e visível que outros dias na cidade de Flora, Indiana nos Estados Unidos. Era o último dia de verão da pobre Juliette, e a mesma parecia estar desiludida com isso. Não que ela odiasse o inverno, nada disso. Ela simplesmente sabia que com a chegada do Outono, viria o que ela mais detestava. A escola.

Sabem o que mais irritava a pequena Juliette? A falsidade dos seus colegas de turma, ao perguntarem como ela estava, ou mesmo o que fez durante as férias, quando ela sabia que nenhum deles teria interesse. O que ela simplesmente não entendia, era se eles questionavam apenas por curiosidade ou talvez por simpatia, o que qualquer uma das formas, Juliette define como falsidade.

Ela caminhava pela calçada da sua rua, pois não faltava muito para ela chegar a casa. O seu rosto estava com algumas gotas de suor devido ao calor que estava, enquanto que seu cabelo laranja meio loiro, estava atado num rabo de cavalo improvisado. As suas mãos estavam nos bolsos do seu casaco, por mais estranho que fosse, ela preferia estar com as mãos suadas do que retirar elas do seu porto seguro.

Não demorou muito para Juliette chegar a casa e ver dois carros estacionados a frente da sua garagem, ela franziu a testa pensando nas visitas possíveis que ela poderia receber naquela altura, mas nada lhe ocorria. Com isso, ela acelerou os seus passos caminhando para a porta de entrada, mas antes que a mesma abrisse, ela viu uma figura humana que se adiantou.

- Ela chegou...- Um senhor de meia idade falou abrindo um sorriso para Juliette. Ela com admiração apenas entrou em casa ainda olhando o Sr. Gilinsky. Na sua mente só ocorreria que algo tinha acontecido, visto que era muito raro a visita da família Gilinsky em sua casa, desde que os mesmos se mudaram para Califórnia.

Ela caminhou em direção a cozinha deixando a sua mochila escorregando pelos seus ombros diretamente para o chão, Juliette olhou para a sua mãe que estaria conversando com a Sra. Gilinsky e limpou a garganta com intenção de chamar a atenção a ambas.

- Julie... Você chegou!- A Mãe de Juliette falou dando um sorriso enorme, e não bastou muito tempo para ir na direção dela, oferecendo um abraço e um beijo na testa.

- Oi mãe... Olá Senhora Gilinsky...- A voz de Juliette estava tremida, pois outra coisa que ela odiava era visitas. Quando a sua mãe recebia visitas, a pequena Juliette se fechava no quarto a assistir séries, até que os mesmo fossem embora. Mas desta vez ela nem teve a opção de ir diretamente para o seu quarto.

- Oi Juliette. Estás tão crescida.- A Senhora Gilinsky abanava o seu copo de vinho tinto enquanto os seus olhos castanhos escuros estavam postos na ruiva. Juliette sem qualquer tipo de reação, apenas levantou as suas sobrancelhas e se virou na direção da sua mãe. Não demorou muito para que a senhora Davis percebesse o que a filha queria, mas antes da mesma argumentar o que se estava a passar, a senhora Gilinsky colocou o copo na mesa e pegou a sua mala da qual estava na bancada da cozinha.

- Bom, eu e o meu marido, vamos andando. Mais uma vez obrigada Anne. Eu mandarei sempre o dinheiro um dia antes do final do mês.- A Senhora Davis concordou abanando a cabeça a medida que levava a senhora Gilinsky a porta de casa. Juliette seguiu ambas com cuidado, e escondida atrás da porta ouviu a conversa dos três mais velhos.

- Tenho a certeza que ele vai ficar bem, não precisam se preocupar!- Anne Davis deu um sorriso para os Gilinsky, e deu um abraço aconchegante a ambos.

- Tenho a certeza que sim!- Foi a vez de o senhor Gilinsky falar. Após os mesmos diminuírem o tom de voz da conversa, a tornando quase inaudível, Juliette tentou chegar um pouco mais perto para ouvir. Mas foi interrompida por uma voz masculina.

- Nunca disseram que é feio ouvir a conversa dos outros?- Juliette deu um pulo colocando a mão no peito devido ao susto. Logo que viu Jack, a mesma não quis acreditar. Principalmente porque ele tinha mudado muito.

Os olhos de Jack estavam mais escuros, juntamente com os seus cabelos ondulados que agora estavam bagunçados, a sua cor morena, parecida a uma cor de café com leite, estava bem brilhante fazendo a sua pele parecer bem hidratada. Ele tinha os braços cruzados a medida que seu corpo estava encostado a ilha de centro da cozinha, e mantinha um sorriso pequeno nos lábios sem mostrar os seus dentes.

Ele franziu a testa vendo que Juliette estava demorando a responder, e largou um suspiro rindo ironicamente.

- Eu... Eu-u não estava a escutar nada. Na verdade estava indo pegar a minha mochila.- Juliette disse disfarçando enquanto seus olhos mudavam de direção constantemente com o nevorsismo. Jack voltou a dar uma gargalhada baixa e se aproximou da ruiva, ele pegou a mochila dela que estava espalhada a frente de Juliette e agachou-se para pegar. Ele entregou a mochila ainda olhando nos olhos da garota.

- Você nunca foi uma grande mentirosa...- As bochechas de Juliette coraram mal Jack argumentou, e seguidamente a ruiva pegou a sua mochila das mãos de Jack. Ela revirou os olhos e caminhou em direção a pia da cozinha, colocou a mochila novamente no chão e pegou um copo de vidro. Encheu-o com água e bebeu devagar ao mesmo tempo que observava Jack. Após dar uns cinco goles seguidos, ela apontou com a cabeça para a porta da cozinha. Como Jack não entendeu o que ela quis dizer ele franziu a testa, olhando para onde ela apontava tão nervosamente.

- O quê?

- Seus pais. Eles estão indo. - Ela fez uma pausa bebendo mais um pouco da sua água e de seguida despejou o resto na pia.- Não deveria ir com eles?

Jack deu novamente um sorriso e a medida que ele abre a sua boca para falar, ele pensa duas vezes. Olha por volta da cozinha e após finalmente ter a resposta, o garoto falou.

- Não desta vez. Colega de quarto...

- Quê?- Juliette gritou e sua mãe correu diretamente para a cozinha vendo os dois jovens olhando um para o outro.

A respiração de Juliette estava acelerada, ela mal poderia acreditar que Jack ia viver com ela e com a sua mãe. Conseguia se ver o desespero e a surpresa presentes no rosto da ruiva, que agora estava vermelha.

Anne se aproximou da pequena jovem de 17 anos ali em pânico e tentou dar um sorriso reconfortante como sempre fazia, quando via a sua filha daquele jeito. Mas desta vez, esse sorriso não estava a resultar.

- Mãe... Diga que é mentira...

- Julie se acalme! Você até deveria estar feliz, terá companhia durante o seu último ano na secundária...- Anne tentou argumentar para que Julie se acalmasse, mas só fez pior. A ruiva pegou novamente o copo e encheu de água, bebendo a água quase de uma vez, e repetiu essa ação pelo menos umas cinco vezes.

...

- Porque não me falou antes?- Juliette perguntava olhando para o seu aquário que estava na sala de estar, enquanto que a sua mãe andava as voltas pela sala tentando justificar o porquê de ter escondido a estadia de Jack Gilinsky na casa delas. Ela saberia exatamente que Juliette iria ter essa reação, por isso, ela decidiu apenas divulgar a decisão quando o garoto já estivesse instalado no quarto de hóspedes delas.

- Os pais dele vão viajar. Ele precisava de um lugar fixo, pelo menos por dois anos. Pense pelo lado positivo, só estará um ano com ele, e no outro ambos estarão na universidade.

- Mesmo assim mãe, eu não acredito que me escondeu uma coisa dessas.- Juliette falou inconformada com a justificação da mãe e se afundou mais no sofá do qual estava sentada.

- Não sei porquê que está assim! Vocês sempre se deram muito bem!- Anne parou olhando para Juliette e cruzou os braços. - Vamos Julie, os pais dele não tiveram outra solução. Além disso, já viu o lado dele? Ele morava em Califórnia e mudou a sua vida toda, não acha que ele merece um desconto?

- Tudo bem...- A ruiva falou suspirando e levantou do sofá ajeitando a sua roupa, olhou para os olhos de Anne, sua mãe, e suspirou novamente.- Mas é bom que ele não me encha o saco!

Com suas últimas palavras, Juliette seguiu rumo ao seu quarto ouvindo a sua mãe gritando qualquer coisa sobre a sua mochila. Ela entrou no quarto, se deitou na cama dando um suspiro e resmungando palavrões sobre a súbita chegada de Jack.

Ela não podia acreditar que o seu ex melhor amigo de infância estaria de volta, não quando a mesma conseguiu se tornar finalmente invisível na escola. Com Jack perto dela na escola, iria chamar muita atenção e muitos olhares, principalmente por Jack ser um garoto atraente. E quanto ao estatuto de solitária que a ruiva tinha na escola, podia mudar muito rapidamente com Jack sempre a rondar ela, como ele sempre fazia.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Desculpem qualquer erro mais uma vez! E até ao próximo capítulo :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...