História The Love Between Opposing Worlds - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Hizashi Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Kizashi Haruno, Konan, Kushina Uzumaki, Mebuki Haruno, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, TenTen Mitsashi
Tags Medieval, Naruhina, Naruto, Reinos, Sasusaku
Visualizações 369
Palavras 2.326
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá queridos e queridas, aos 45 do segundo tempo, ou melhor, as 23:31 de sábado minha gente!! dentro do prazo!!! kkkkkk
Bem, espero que goste do cap e nos vemos nas notas finais ;)



BOA LEITURA!!!

Capítulo 31 - Liberdade


 

 

‘’Seja um bom homem, Neji…’’ 

 

As palavras de seu pai ainda ecoava em sua mente, tendo poder sobre si, fazendo ele ficar ali de pé, imóvel. Viu seu pai partir, junto com os outros Hyuugas, em direção ao Oeste, em direção a Maraki, onde, provavelmente, nunca tornaria a vê-los. 

Ele suspirou profundamente, fechando seus olhos, aproveitando, ao menos um pouco, a breve paz e calmaria que aquele acampamento, perto da floresta e de montanhas, possuía.

Do outro lado do acampamento, Tenten continuava sentada sobre o tronco daquela árvore a muito caída, não ousaria se levantar, sabia bem o que lhe aconteceria se desobedecesse, mesmo não parecendo que o clã Hyuuga eram adeptos a escravização de outros mas… Não iria arriscar. 

Tenten mantinha sua cabeça levemente abaixado e , discretamente, olhava para frente, para aquele Hyuuga de pé no meio de todos. Ela franziu o seu cenho ao reparar melhor nele, seus cabelos longos, sua pele clara, como a de todos os outros Hyuugas, talvez isso fosse algo deste clã, além dos olhos como a lua… Algo nele chamou sua atenção mas não sabia ao certo o que era, talvez o fato de ele não possuir barba, o que também era outra coisa comum entre os Hyuugas. 

Ela voltou a olhar para o chão quando o viu voltar a andar em sua direção. Fechou suas mãos em punhos, na tentativa de controlar o leve tremor que crescia e, pediu aos deuses, internamente, que ele não tivesse percebido sua espiada. 

Sentando-se no trono ao lado da escrava, mas mantendo uma distância segura, Neji soltou todo o ar preso em seus pulmões, enquanto seus olhos passavam por tudo o que podia ver do acampamento a sua frente. Seus irmãos Hyuugas andando de um lado para o outro, cuidado dos animais, de suas tendas, de suas vidas… Agora todos eles estavam sob suas ordens, tendo apenas Hinata acima. Seu cenho franziu-se ao pensar na possibilidade de não obter êxito como seu pai, como seu avô… Eles confiavam em si, Hinata também… 

Pelo canto de seu olhos, Neji olhou para a escrava, vendo-a de cabeça baixa. Havia mais cicatrizes em seus ombros, pequenas linhas retas e clara, quase do tom de sua pele. ‘’ O que havia acontecido com ela?’’ - Se perguntou ‘’ O que ela tinha? Como uma escrava bastarda, poderia unir seu clã com os Uchihas?

— Impossível - sussurrou apenas para ele mesmo 

Não havia como o rei se apaixonar por ela, Hinata disse que seu coração já pertence a Sakura… Como? Será que, pela primeira vez, Hinata havia se enganado? 

Ele sacudiu sua cabeça levemente. Não havia como isso acontecer, ela esteve com os deuses, com a própria deusa Kaguya… Não havia como está enganada. 



— Nossa… Você se instalaram bem rápido - disse Naruto ao chegar na entrada do acampamento, notando os várias tendas montadas e a movimentação do clã Hyuuga 

— Obrigada por ter me acompanhado e pela comida, está ótima - disse Hinata, sorrindo para ele 

Olhando para aqueles olhos perolados, Naruto ergueu a mão dela, que ainda segurava e a levou até seu rosto, depositando um leve beijo na pele macia e quente. 

—… Não queria me despedir de você agora - disse — Poderíamos… Algum dia… Caminhar pela floresta? Ou talvez conhecer a cidade? Tenho certeza que não a conhece de verdade… Prometo que estarei mais apresentável 

Ele sorriu ao lembrar da bronca que levou de sua mãe por aparecer sujo do sangue da raposa. 

— Seria ótimo - ela o respondeu 

Hinata achou graça ao ver o brilho surgir nos olhos do Uzumaki, se assemelhava a de uma criança ao ganhar um doce. 

Ela acenou levemente para ele e se afastou, andando para longe, entrando no acampamento. 

Todos que a viam curvavam suas cabeças levemente, a cumprimentando com respeito, outro se aproximavam, afim de trocar breves palavras com ela, mas ela logo encerrava, tinha algo que desejava muito fazer, podia sentir a ansiedade crescendo, o futuro que havia visto naquela noite se iniciaria. 

Seus pés pararam bruscamente de andar quando seus olhos viram aquela cena… Contemplando-a. Seu primo Neji sentado ao lado de Tenten. Seu coração deu uma batida mais forte e não conteve o grande sorriso que se abriu em seu rosto… Aquela era a confirmação que precisava, o sinal que aguardava. 

A passos lentos, ela se aproximou deles, contendo suas emoções e desfazendo o seu sorriso. 

— Hinata, onde esteve? - perguntou Neji assim que a avistou, levantando rapidamente e se aproximando dela 

— Eu… Eu tive que resolver um assunto - respondeu sentindo seu rosto quente 

— Tem algo a  ver com meu pai? - seu tom era sério 

— Ele ainda está aqui? 

— Ele já partiu para Marak - respondeu —… Por que não me contou antes? 

— Conversaremos sobre isso mais tarde, Neji, mas… Eu realmente espero que me entenda e me apoie, pois vou precisar muito de você 

Ele nada a respondeu, apenas apertou seus dentes com força e desviou seu olhar, contendo-se. 

Passando por seu primo, Hinata se aproximou da ferreira, vendo a mesma se levantar lentamente. Seus olhos castanhos estavam banhados de medo e desconfiança, era claro que havia passado todo esse tempo em que esteve esperando, imaginando o que iria lhe acontecer. Hinata sorriu ao pensar nisso, tendo certeza que nada que ela veio a pensar, boa ou ruim, chegaria perto do que, realmente, lhe aconteceria. 

— Tenten… Como é bom revê-la. Como você está? - Hinata perguntou a ela gentilmente 

A ferreira engoliu a seco, não conseguindo formular qualquer palavra, sentia aquela sensação novamente tomar seu corpo… ‘’ Como você está?’’... Como responder uma pergunta simples como essa para alguém como a líder do clã Hyuuga e conselheira do rei? Nunca esteve diante de uma pessoa tão importante, quanto mais trocar algumas palavras… Por que ela desejava saber se estava bem? 

Viu o outro Hyuuga virar e lhe encarar seriamente, o que lhe causou mais nervosismo.

— Está com fome? 

A pergunta dela a fez arquear suas sobrancelhas… ‘’Fome?’’ 

— Neji, ofereceu algo para ela comer? - Hinata olhou para ele por cima de seu ombro 

— Não, eu e Noa a trouxemos diretamente a você, mas não estava, então esperamos - ele respondeu 

— Então venha Tenten, vamos até minha tenda 

Com um sorriso no rosto, Hinata virou-se e andou em direção a sua tenda. Hesitando, a morena a seguiu, dando cada passo com cautela. 


Dentro da tenda da líder do clã, Tenten notou os poucos móveis ali, uma mesa com livros e papiros, cadeiras, cômodas, um tapete ao chão com o símbolo do clã Hyuuga muito bem desenhado sob o tecido grosso. 

— Sente-se, por favor - disse Hinata, apontando para uma das cadeiras junto a mesa, vendo a morena sentar-se ali, ainda hesitante — Mikira sempre deixa um bom guisado aqui. Espero que goste 

A viu se aproximar com um pequena tigela em mãos, colocando na sua frente, sob a mesa. O vapor que saía indicava que ainda estava quente e o cheiro delicioso refletiu em seu estômago, que roncou em seguida. A tensão que sentiu desde o momento em que seu pai a chamou e disse, com um grande sorriso, que ela possuía, agora, outros donos,  a fez nem perceber que sentia fome. 

—… Pode comer - disse a Hyuuga, sentando-se na cadeira ao lado dela 

Com suas mãos trêmulas, Tenten pegou a pequena tigela, sentindo-o quente e levou a boca, bebendo do caldo. Seus olhos se arregalaram levemente ao sentir o gosto delicioso, o que fez um singelo sorriso surgir em seu rosto. ‘’ Comida quente tem um gosto muito melhor ‘’ - pensou ela. 

Tomou mais um pouco do guisado, provando dos pedaços de carne macia e dos legumes, não conseguindo mais conter seu sorriso. 

— Gostou? 

A voz da Hyuuga a tirou de seu pequeno mundo, que nem percebeu que havia entrado, sentindo o nervosismo voltar. 

— Sim - respondeu com a voz baixa, colocando a tigela sobre a mesa, desejando comer mais 

— Ótimo, fico feliz em saber disso - disse — Pode comer o quanto quiser, vai precisar de forças 

Seu cenho se franziu ao ouvir aquilo, e seus olhos castanhos encontraram os perolados, mas logo ela desfez aquele contato e abaixou sua cabeça, encarando a tigela. 

— P-perdão por perguntar, senhora - Tenten mantinha sua voz baixa — Por que me comprou?... Para que lhe servirei? 

—… Eu não sou sua senhora - disse Hinata com sua voz mais séria — E você não é escrava 

Tenten levou seu rosto imediatamente e a encarou novamente, confusa com o que ela havia acabado de falar. Viu ela se levantar e andar até a mesa com livros e papiros, logo retornando com uma folha bem dobrada. 

— Tome - Hinata estendeu a folha para ela 

Ainda hesitante, Tenten pegou a folha e a desdobrou lentamente, deparando-se com várias letras bem escritas em um tom escuro mas… Não compreendia uma palavra sequer ali, nada fazia sentido para ela. 

— Não precisa ler - Hinata sentou-se novamente na cadeira, sabendo que a ferreira não sabia ler — Apenas olhe para os dois selos logo embaixo 

Os olhos castanhos dela desceram pela folha, reparando no selo da família Uchiha logo abaixo e ao lado de um símbolo que ela conhecia muito bem, símbolo este que ela carrega na pele de suas costas… O símbolo escravista 

— Esta folha diz que você é uma pessoa livre agora - disse Hinata, sem tirar os olhos dela — Agora, você tem todos os direitos de um cidadão comum de Nênia, e tem certas leis a seu favor 

Seu corpo parou, a tremedeira de suas mãos parou, seu coração parecia ter parado, sua respiração parou, sua mente parou, nada era pensado, sentido… Seus olhos não saía daquela folha, mesmo não compreendendo o que ali está escrito. Não conseguia reagir… 

— Tenten? Você me ouviu? - Hinata levantou uma de suas sobrancelhas, tocando levemente o braço da morena 

Ao sentir o toque da Hyuuga, tudo pareceu voltar a funcionar, ou acordar, dentro dela, fazendo ela se levantar bruscamente da cadeira, respirando de forma rápida, sentindo as batidas rápidas e forte de seu coração, as lágrimas manchar sua visão, sua mente entrar em confusão com tantos pensamentos. 

— Ei, Tenten, se acalme - Hinata levantou-se e segurou o braço da ferreira, que caiu ao chão de joelhos, chorando copiosamente, seus soluços fazia seu corpo tremer — Ei, tudo bem, não fique assim 

Hinata se ajoelhou na frente dela, ficando na mesma altura, segurando seu rosto entre suas mãos. 

— Está tudo bem agora - disse com um sorriso gentil no rosto, usando de seu polegar para secar as lágrimas dela 

— P-p-por q-que fez i-isso? - Tenten perguntou entre seus soluços 

—... Porque eu preciso de você livre - respondeu sem deixar de encará-la — Preciso de você, Tenten 

— O-o q-que? 

— Por favor, levante-se - Hinata a ajudou a se levantar e a trouxe de volta a cadeira, fazendo ela se sentar — Coma mais um pouco, tá bem? Não quero que desmaie 

Sua mente ainda estava confusa, seu coração não havia diminuído a velocidade das batidas e suas mãos não parava de tremer… ‘’ O que isso significava? ‘’ - pensou ‘’ Para que uma bastarda e , recém ex escrava, iria servir para alguém que tem todo um clã a suas ordens?’’ 

Tenten olhou para a tigela, seu estômago ainda reclamava, e sua boca salivou, mesmo com tudo aquilo, mesmo com sua cabeça doendo de tanta confusão e palavras não ditas, perguntas não feitas e dúvidas existentes. 

Levou suas mãos até a tigela e a pegou, comendo mais um pouco do delicioso guisado. 




 

(...)




 

Sete meses depois… 



 

‘’ Meu estimado rei Sasuke, Ravenna está se reerguendo, as ruas estão limpas, o mal cheiro já não existe mais, os muros já estão de pé e as flores voltaram a nossos campos, a nossa cidade de nome glorioso. 
          O campo próspera, os animais transbordando de boa saúde e de leite. A paz voltou a esta terra e, devemos isso ao senhor. O sorriso voltou ao  rosto dos raveniences, a alegria volta a encher as ruas. E isto é graças a sua benevolência, meu rei. 
         Saiba que a cada dia, mais e mais de nós tem repensado sobre o seu povo e levado o povo bárbaro a suas orações de proteção e oferendas de agradecimento… Meu povo volta a ser o que era, e isso graças ao senhor… Por isso lhe informo… Minha filha , Sakura ,está bem. Voltou a comer e de mostrar seu belo sorriso. Sua saúde está melhor, e lhe agradeço. 
         Que os deuses continuem ao seu lado, meu rei'' 

                                                                     Mebuki Haruno, Lady de Ravenna 



 Ele fechou seus olhos e suspirou profundamente, enquanto sentia a brisa suave que soprava ali fora, na varanda de seu aposento. 

Não fazia muito tempo que havia recebido tal carta de Ravenna, mas sabia que estava ali, debruçado sobre a sacada de balaústre, há algum tempo. Já havia ouvido de seus soldados e espias que Ravenna estava quase totalmente erguida, que o povo estava alegre e comemoravam a boa colheita, que veio mais farta esse ano, e de estarem de volta à terra natal mas, era diferente saber disso da própria Mebuki… Mãe de Sakura. 

Ele abriu seus olhos e os passou mais de uma vez na informação sobre Sakura descrita na carta… Ela está bem, sua saúde melhorou… Isso era bom e podia sentir-se mais aliviado, pois ficou tenso quando soube que uma mensagem de Ravenna havia chegado. O povo de Ravenna o apoiava agora? Pouco se importava, essa era a verdade. Sua atenção estava naquele pequeno trecho: ‘’ Minha filha , Sakura ,está bem ‘’ … Sakura… 

O rei suspirou mais uma vez e tirou seus olhos daquela carta, olhando para sua Nênia, para a vista privilegiada que ali tinha. Dali podia ver os portões da cidade ao longe, as ruas, seu povo andando por elas, seus soldados trajando a armadura negra.

—… Você contemplará isso um dia também, Sakura - disse Sasuke para si mesmo — Eu peço aos deuses todos os dias e… Sei que me atenderam 






 


Notas Finais


O que acharam??? Bem gente é aqui que as coisas vão, digamos, acelerar um cadin, ok? Mas não se preocupe que a perfeccionista aqui vai deixar tudo bem legal :D
Enfim, agradeço mais uma vez por todo o carinho gente, muito obrigada msm e nos vemos sábado que vem ;)


Bjs^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...