1. Spirit Fanfics >
  2. The Love Between Opposing Worlds >
  3. O Jardim de Neve

História The Love Between Opposing Worlds - Capítulo 42


Escrita por:


Notas do Autor


Olá queridos e queridas, Olha só quem conseguiu aparecer!! kkkkkk. Nos falamos nas notas finais em ;)




BOA LEITURA!!!

Capítulo 42 - O Jardim de Neve


 

 

   “ A balança se desequilibra, de que lado cederá? 
                 Luz e escuridão logo se enfrentará 
                 Só que a coragem é companheira, nos transforma de caça a caçador, mesmo no corpo cicatrizes e corações carregado de dor
                 Mas haverá sempre esperança, no nascer de uma criança 
                 Na união de um casal que sonha com o mais belo final
                 Somos bárbaros, somos guerreiros, que luta em nome de seu reino 
                 Buscaremos a paz eterna, para da ao nosso povo e para pôr fim a essa negra guerra” 

 

                              Apha Romanoff 




 

Suas mãos se esfregou uma na outra mais uma vez sobre seu colo, as luvas que usava, aquecia suas mãos. 

Seus olhos, curiosos, olhavam pela janela da carruagem, o que via era totalmente diferente de Ravenna, tanto nas formas das construções, quanto nas pessoas, que era bem maior , em quantidade, do que em sua terra de origem. 

Lembra-se muito bem do dia que foi levada para Nênia. Toda aquela multidão gritando em sua volta, os sentimentos de terror lhe consumindo, o desejo de ser abraçada pela morte de uma vez. Era aquele mesmo povo, que lhe causou tanto medo por muitas noites. 

Agora pareciam tão comum, quase inofensivos, vivendo suas vidas, cuidando de os afazeres, crianças corriam pelas ruas a brincar. Chegou a pensar que tais criaturinhas fofas e adoráveis não poderia existir no meio de um povo como aquele. Afinal… Seus “conhecimento” sobre aquele povo estavam corretas? As inúmeras histórias que ouviu quando ainda não tinha atingido a maioridade, eram verdades?... Parecia que não
Então… De onde veio tais histórias?  

Fechando seus olhos e suspirando profundamente, ela se recostou no confortável banco da carruagem, sentindo o cansaço da viagem. Foram quatro dias dentro daquela carruagem, ouvindo o barulho das rodas e dos cavalos, tendo apenas as paisagens, dos lugares que passou, como entretenimento, para distraí-la. Devia ter trago algum livro

Ela abriu seus olhos ao sentir a carruagem parar. A porta da mesma se abriu e, hesitando um pouco, levantou-se do banco e saiu da carruagem, segurando uma mão que lhe foi estendida, lhe auxiliando. 

Seus olhos se arregalaram ao deparar-se com a grandiosidade do castelo a sua frente. Nem mesmo o templo do deus Dìs, o novo castelo de Ravenna ou, o que lembrava, do castelo de Nênia não era tão grande quanto aquele, parecia que sua mais alta torre podia tocar no céu. Suas paredes eram de um tom escuro, assim como as armaduras dos soldados ali… Sim, daquelas armaduras se lembrava bem 

— Saudações, Milady  

Ela desviou seus olhos do grande castelo e olhou para o seu lado, para aquele que ainda segurava sua mão. E surpreendeu-se mais uma vez. “Seu rei?”... Não, tinha os olhos negros como ele, os cabelos e barba no mesmo tom, como ele, mas não era ele, o rosto… Podia ver que era diferente.

— Sou Itachi Uchiha, general do exército do rei - disse ele, soltando a mão dela — O rei a espera no jardim. Siga-me, por favor 

Assentindo, ela seguiu o Uchiha para dentro do castelo… Sim, lembrava-se dele, mas tinha o visto apenas no dia da invasão e quando foi trazida para Nênia. A situação e sentimentos embaralhados daquele momento, não a permitiu notar tamanha semelhança que, agora, via com clareza. 

Ambos atravessaram as portas do castelo e Sakura, mais uma vez se surpreendeu. O corredor era largo e extenso, com suas paredes em pedras mais claras do que as vistas do lado de fora, podia ver ouro na singela decoração. A luz vinha de várias janelas e dos lustres no alto. 

Seguindo o general, eles andaram por aquele corredor, enquanto ela olhava a sua volta, percebendo que ali dentro o frio não era forte como do lado de fora, sentia-se aquecida. 

Sua boca ficou entreaberta ao parar diante do jardim, tendo o general ao seu lado. Viu ele fazer um sinal para que entrasse e assim fez, deixando ele para trás. 

Com passos lentos, ela andou pela jardim, sentindo o vento frio, que soprava. As várias plantas, flores, arbustos e árvores tinham um tom verde escuro e uma leve camada branca de neve, que ainda não havia derretido. No chão podia ver, com clareza, as pedras brancas que formam caminhos por todo o jardim. com certeza recém limpos com algum servo. 

— Na primavera fica mais decente 

Sakura Olhou para o lada assim que ouviu aquela voz, já a reconhecendo. Seu coração acelerou levemente ao vê-lo ali, com um singelo sorriso no rosto. Viu ele se aproximar a passos lentos e, tudo o que pode fazer foi sorrir para ele. Encarar aqueles olhos negros, sua barba e cabelos escuros, em contraste com sua pele branca.  

— Que bom que veio - disse o rei com a voz baixa —… Eu mandei construir este jardim à algum tempo, esperando um dia poder lhe entregar… Fico feliz em, finalmente, poder fazer isso… Uma pena ser no inverno 

— É belo do mesmo jeito - disse Sakura 

— Nem tanto - seus olhos negros foram para as plantas do jardim — Assim não dá pra ver as flores do Este e do extremo Sul… Elas têm o tom rosado 

O Uchiha tornou a olhar para sua Lady, dando um sorriso mais aparente ao ver o brilho naqueles olhos que tanto ama, ao ver a alegria em seu sorriso… Era assim que desejava sempre vê-la. 

—… Tudo aqui foi preparado para você, minha rainha, muito antes de eu ir à Ravenna - disse Sasuke, levando sua mão ao rosto dela, acariciando a bochecha rosada dela, vendo seu lindo sorriso aumentar em seu belo rosto — Está do seu agrado? 

— Claro que está Sasuke… É perfeito - respondeu a Haruno, sentindo seus olhos marejar 

— Como é bom ouvir isso - disse o rei 

Puxando-a levemente para si, Sasuke tomou aqueles lábios em um beijo carinhoso, que foi aprofundado logo em seguida. Seus braços a envolveram, enquanto suas línguas acariciava uma a outra. O frio já não era mais sentido por nenhum dos dois, nem mesmo qualquer barulho, apenas o som de suas respirações, chorando-se um no outro, e o som do beijo apaixonado. 

As mãos da Lady subiram pelos braços de seu rei, coberto pela roupa de tecido grosso que usa. Uma delas parou em seu ombro, enquanto a outra subiu um pouco mais, indo ao seus cabelos… Desejava tirar suas luvas naquele momento, apenas para sentir melhor os cabelos de seu rei. Sabia que o frio seria o de menos. 

—… Obrigada pelo jardim - disse Sakura, ao encerrar o beijo, abrindo seus olhos e o encarando 

— Você merece, minha rainha - disse Sasuke, a abraçando com mais firmeza - Tenho mais para lhe dar 

— Não precisa di… 

— Por favor, deixe-me fazer - ele a interrompeu — Deixe-me agradá-la 

Seus olhos negros… O brilho que havia ali, a expressão que tinha, o leve sorriso nos lábios… Como não amá-lo? Como não se apaixonar por ele? Como aquietar seu coração diante de tal homem? Como fazer suas mãos pararem de tremer , de emoção, a cada palavra vinda dele?  

Nada se podia fazer. Não havia mais nada, Seu coração já era dele, sentia isso, não sabia quanto, exatamente, se tornou dele, mas não se importou, apenas sorriu abertamente para ele, esperando que apenas isso fosse o bastante para respondê-lo. 

— Meu rei 

O homem de antes, que a recebeu, o chamou, fazendo o sorriso de Sakura desmanchar lentamente ao ver a expressão de seu rei mudar totalmente diante de seus olhos. O brilho naqueles olhos negros sumiram, assim como o sorriso. 

— O que é? - Sasuke perguntou, virando seu rosto e olhando para o general de seu exército 

Sakura se surpreendeu ao ouvir sua voz. Havia mudado tanto, soou fria como aquele inverno. 

— Perdão, mas recebemos uma carta do Leste 

— E daí? 

— Meu rei… Do extremo Leste - o tom de Itachi era sério 

O rosto do rei mudou novamente, ficando tão sério quanto o do seu general. Sabia bem o que aquilo significava, as palavras de sua conselheira Hyuuga vieram em sua mente inevitavelmente… Era um assunto que não podia ser ignorado. 

O rei voltou a olhar para sua bela flor, tomando seu rosto em suas mãos e depositando um leve beijo em sua testa,

— Eu tenho que ir, o extremo Leste é… Devo atendê-lo - disse o rei com certo pesar. Não queria deixá-la, desejava ficar todo o seu tempo ao lado dela, saciar a saudade de sua presença 

— Tudo bem, sei que tens obrigações a comprir - disse Sakura gentilmente, colocando suas mãos sobre as deles em seu rosto 

—… Levem ela até minha mãe - disse Sasuke ao soldado, que mantinha guarda na entrada do jardim 

— Sim, meu rei - o soldado de pronto atendeu 

— Ela também está ansiosa para revela 

Sakura sorriu novamente para ele e assentiu,  vendo ele beijar suas mãos e dar meia volta, a deixando em seu jardim. 


 

(...) 


 

— Ah Sakura, querida… É muito bom tê-la aqui conosco - disse a rainha mãe, dando um forte abraço na jovem 

— É bom revê-la também, rainha - falou a Haruno, desfazendo o abraço e sorrindo para ela 

Sua atenção foi logo tomada por aquela sala em que o soldado lhe trouxera, em que a rainha estava. Suas sobrancelhas arquearam-se ao ver as muitas estantes ali, formando estreitos corredores que, parecia ir até o final daquela sala. Mas o que, de fato, lhe chamou a atenção foram os vários e vários livros em que cada estante guardava. Nunca havia visto tamanha coleção em um só lugar. Sentiu um leve aquecer em seu corpo apenas ao imaginar as milhares de histórias, informações ou lendas antigas que cada um devia ter contido em suas páginas… Será que a permitiriam ler algum? 

— É de impressionar, não é? - Mikoto ficou ao lado da Haruno, dando passagem para ela adentrar mais a sala dos livros, vendo o quando a jovem de cabelos rosados estava empolgada, era nítido. Talvez mais do que ela mesma no dia em que seu filho lhe mostrou — É apenas um dos lugares que meu filho preparou para você que tenho permissão para entrar 

— O que? - Sakura virou-se e olhou para a rainha mãe com dúvida 

— Sasuke preparou este lugar para você - disse — Hinata lhe contou uma vez que você aprecia a boa leitura 

—… P-preparou… Como o jardim?

— Sim - ela a respondeu gentilmente — Melhor ir se acostumando 

Uma leve risada foi solta pela Haruno, enquanto a felicidade apenas crescia dentro de si… O rei dia bárbaros que chegou a temer.

— Venha, sente-se aqui - Mikoto a levou até às poltronas mais a frente, perto de uma grande janela, que ia do chão ao teto — Como você tem passado? Como é Ravenna? Conte-me tudo 

— Eu estou indo bem, obrigada - respondeu — Ravenna é uma boa cidade, com um povo bem pacífico. Minha mãe me disse que a cidade está melhor do que antes de tudo 

— Que bom. Ouvi dos soldados que ela está bem próspera 

— Sim, isso é verdade - disse a jovem — Onde está Ino? 

— Ela foi até o comércio… O que me lembra que precisamos preparar seu casamento - a rainha mãe se remexeu sobre o estofado da poltrona, sentindo a empolgação de, finalmente, poder ver seu filho casando-se com uma mulher que os próprios deuses escolheram — Há coisas a serem encomendadas e compradas, como o tecido de seu vestido. Sasuke deseja que seja o mais fino e belo de todo o seu reino

— Er… Acha necessário? - Sakura perguntou, franzindo o seu cenho 

— Nisso eu terei que concordar com meu filho - o tom da rainha mãe ficou um pouco sério — Entendo que tudo isso é novo para você, acredite, também foi comigo, e talvez queira algo mais discreto, mas não poderá ter… Você não apenas se casará, Sakura, mas também será coroada rainha do povo bárbaro e todos viram para ver isso, alguns até de longe e, nosso inimigos também iram ver. As jóias, o vestido, tudo em você neste dia se tornará símbolo de força e riqueza… Nisso não podemos vacilar 

— Entendo - a Haruno desviou seu olhar brevemente, talvez tudo não seria como imaginou 

— Não se preocupe, tudo vai dar certo e teremos tempo para isso agora - ela viu a jovem voltar a encará-la — Ele queria casar com você assim que chegasse. Onde já se viu?... Mas eu consegui convencê-lo 

— Obrigada, minha rainha - Sakura sorriu levemente para a mais velha 

— Não precisa agradecer, é minha função fazer isso, mas faço com muito prazer e alegria 



 

(...)


     “... Algo pareceu despertar naquele lado. Suas nuvens, sempre negras e de odor repugnante, pareceu ter dispersado de uma forma suave. Já não são mais negras tais nuvens, já não é mais o preto que cobre aquele lugar sem deuses, mas sim um cinza intenso… Vejo homens se aproximando, mesmo com medo em seus olhos, mesmo com as histórias e lendas… Eles navegam em pequenos barcos até aquele lugar, achando, talvez, que seja uma nova terra, que seja algo bom. Mas sei que se enganam, pois nada vem do lar do rei Negro, o Norte…” 

Sasuke parou de ler a carta, vinda do extremo Leste, sentando-se em sua cadeira na sala do conselho, suspirou pesadamente. Todo o alívio, todo aquele sentimento bom que estava sentindo antes na presença de sua amada… Se foi, deixando seu corpo tenso e seu corpo frio. 

“ Por que aquilo tinha que acontecer justo hoje?” - se perguntou o rei 

Já fazia pouco mais de um ano que usavam do Leste para vigiar o Norte, a pedido de Hinata. Nunca entendeu bem seus motivos. Ela sempre dizia que algo bom viria de lá… Como? 

— Onde está Hinata? - o rei perguntou ao seu general 

— Fui informado que ela está em trabalho de parto, meu rei - Itachi o respondeu. O mesmo mantinha-se de pé, perto da grande mesa 

— Então, meu rei, o que o senhor acha? - perguntou o mensageiro do Leste, o qual trouxe tal carta

— Acho que se trata de uma informação fajuta - o rei Uchiha encarou o mensageiro 

— Foi o próprio Hyda que escreveu esta carta - disse — Ele estava no topo do monte Fuca e descreveu tudo que viu… 

— Isso foi antes ou depois dele beber? - o rei o interrompeu 

— Ele nunca faria isso em uma missão des… 

— Chega, você já compriu sua tarefa - o interrompeu novamente — Agora saía 

— Meu rei, o Norte desperta bem em nossos ouvidos… 

— Já disse para sair! - a voz do rei soou alta, ecoando por aquela sala — Ou quer que eu mesmo arranque está sua língua? 

O mensageiro engoliu a seco, sentindo seu corpo tremer diante do rei dos bárbaros. Era por isso que sempre evitava ir para o Sul. 
Ele curvou sua cabeça e se retirou apressadamente. 

— Acha que isso é verdade, meu rei? - Itachi perguntou a ele, quando já estava a sós com o mesmo

— É claro que é verdade - respondeu — Mas ninguém precisa saber, muito menos os tolos do Leste 

Sasuke levantou-se de seu lugar e caminhou para a porta da sala do conselho, dizendo para o general de seu exército que o chama-se apenas se fosse extremamente importante. 

Seguiu pelos corredores de seu castelo, já sabendo onde ela estaria, afinal, mandou que a levassem até sua mãe, e só havia um lugar em que Mikoto passava o seu tempo livre. 

Um singelo sorriso voltou ao seu rosto, apenas pensar nela já lhe acalmava, já espantava toda a preocupação e estresse que sua coroa lhe dava… “ O Norte… Despertar?” 

Seu coração ficou mais leve ao chegar na sala dos livros. Livros que vieram de todos os cantos. Leste, Oeste, Sul… Três anos apenas, preparando aquele lugar, e foi inevitável não sorrir ao vê-la ali, já lendo um daqueles livros. 

— Pelo visto gostou desta sala - disse ele adentrando o cômodo, vendo ela lhe olhar —… Minha mãe

— Como vai, meu filho? - Mikoto o cumprimentou de volta

— Está sala… É tão incrível a quantidade de livros aqui - o brilho nos olhos verdes de Sakura mostrava o quanto estava encantada —… Quantos livros tem aqui? 

— Eu não sei - respondeu — Apenas ordenei que comprassem todos, de todos os lugares 

Dando alguns passos a frente, Sasuke parou diante dela, se afundando naqueles verdes tão claros e belos, que limpava sua alma.

— Peço desculpas por interromper sua leitura mas… Gostaria de dar um passeio comigo? 

— Um passeio? - perguntou 

— Sim. A beleza de Heinz não está apenas aqui, no castelo - disse — As ruas também tem vida e… Eu adoraria mostrá-la a você 

—… É claro, meu rei. Eu adoraria - disse ela, encantando-se com o brilho que surgiu no rosto de seu rei Uchiha 

— Ótimo 


 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


O que acharam??? SasuSaku meu povo!! Siiimmm!!, agora terá mais cenas desse casal maravilhosos e que ta quase todo mundo querendo me matar por não trazer muito deles kkkkkkk '-'
Gente, sabe coração de mãe, que sempre cabe mais um? Pois é, pelo visto meu quarto é um coração de mãe kkkkkkk, é isso eu meu pai é um super matematico, pra ter conseguido colocar meu PC no meu quarto... '-'. Eu cheguei em casa e já estava tudo nos conformes... Alguém sabe o numero da Nasa ai?
kkkkkkk mas enfim, graças a Deus, e a meu pai, eu to com meu PC ligadinho em meu quarto... O que é uma coisa muito boa né ( entendedores entenderam ( ͡° ͜ʖ ͡°) ) As att vai continuar normalmente. E quem esta me seguindo no instagram peço paciência. To com umas coisas acontecendo e estou sem animo pra postar previa do cap lá :/ . Desculpem
Bem. espero que tenham gostado e até sábado que vem.
Essa guria chamada @AlphaRomanoff merece meus agradecimentos mais uma vez. SIM vou agradecer sempre sim! Sua guria! Tu é muito boa :D
Bjs^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...