1. Spirit Fanfics >
  2. The Love Consequences - Fillie >
  3. Trabalho

História The Love Consequences - Fillie - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


em agradecimento aos 50 fav, soltei mais um capítulo para vocês!! boa leitura, amores ;)

Capítulo 9 - Trabalho


segunda-feira, 2 de novembro, nortonville.

Com a sexta-feira agitada, algumas pessoas usaram o final de semana para descansar como no caso de millie, afinal ela teria tido sua primeira ressaca. No caso de Wolfhard, o garoto aproveitou para se esbaldar em festas novamente, afinal ele nunca forá de ligar para nada de sua vida.

Naquela manhã schnapp atravessará os portões de South High School com um sorriso estampado no rosto. O final de semana havia sido ótimo para ambos, embora não tivesse rolado beijo entre ele e o grazer, o menino estava contente por apenas ter passado um tempo com ele.

— oi, noah! – disse dylan aparecendo por ali com um sorriso no rosto.

— hey, jack! como vai? - perguntou o menino das orbes esverdeadas.

— vou bem, queria te dizer que foi bem legal na sexta. Gostei daquela lanchonete, vamos lá mais vezes. – Schnapp queria saltar de alegria com aquelas falas de Grazer, aquele dia só estava bom para noah.

— claro! vamos marcar sim – disse-o animado

— cuidado aí grazer, por viadinho não querer te agarrar. – a voz enjoante de josh com seus amigos encostados próximo aos armários.

Noah sabia que não teria paz com aqueles garotos nem tão cedo, mas lembrou do que Jacob havia lhe dito e ele não abaixaria a guarda para os garotos.

— vai se foder, josh – schnapp solta nervoso com situação.

— desde de quando o viadinho agora tem voz? – josh diz com a voz ríspida indo na direção de noah.

— josh, deixe-o em paz! nós só estávamos conversando. – diz grazer.

— toma cuidado, dylan, esse daí vai querer te beijar na primeira oportunidade. — josh começou a rir fazendo com que os amigos e dylan rissem junto dele.

Naquela hora noah se sentiu tão mal com a situação, ele sentia que talvez jack fosse iguais a todos os garotos e então o deixou, o deixou rindo dele junto com os idiotas do time de futebol. Ele sentia vontade de chorar pois nunca imaginará aquilo de jack.

— noah... - a voz de jack saí como um sussurro vendo-o sair andando dali.

Grazer não sabia o certo o que sentia ou muito menos qual era a sua orientação sexual, mas sabia que se sentia muito bem ao lado de noah e iria precisar pedir desculpas depois desse incidente.

[...]

— até pra chegar, você chega junto comigo, garota? – wolfhard diz ao vê a figura baixinha de millie, entrando no colégio junto com ele.

— cala boca, wolfhard, hoje eu não tô pra gracinha com você. – diz brown

— acordou de tpm foi? – millie encarou finn incrédula com a cara de pau que ele tinha.

— tpm vai ser um chute no que você tem aí embaixo se continuar me irritando. 

— mas você quer chutar sendo que nem experimentou? poxa brown, você já foi melhor. – finn a provoca sabendo que deixaria sem reação.

— vai se fuder, wolfhard! – millie saí pisando firme pelos corredores do colégio enquanto wolfhard ria da braveza da menina.

Embora quisesse o evitar era meio difícil, pois ele sempre estava nas mesmas aulas que ela, se tornava impossível evitar a presença dele ali na sala. Por mais uns instantes de briga os dois chegariam atrasados na sala de aula, mas por millie ter decência ela o deixou para poder entrar a tempo em sua aula, logo em seguida Wolfhard entrava pela sala.

— então como eu ia dizendo teremos um trabalho para algumas semanas, enfim... eu separei as duplas e não adiantem vir me pertubar. — dizia com um tom armagurado. — então vamos lá!

o professor ficou falando cerca de alguns minutos ali na frente mas, millie só prestou atenção quando seu nome foi anunciado junto da pessoa que ela mais temia.

— e por último Finn Wolfhard e Millie Brown. - os dois encararam o professor com uma cara de completamente choque com a informação.

— professor, tem certeza que está certo a minha dupla? 

— tenho sim, Millie Brown e Finn Wolfhard. 

Naquela hora millie queria morrer do que ter que fazer trabalho com Finn. Já o garoto não pareceu ligar muito, apenas teria que fazer sem reclamar por conta de suas notas que estavam caindo. A transe de millie acabou quando Wolfhard veio falar com ela enquanto a sala se desvaziaza por conta do sinal.

— terra chamando millie. – os dedos de Finn estavam na frente da garota tentando acorda-la.

— ah! oi – diz a garota sem entonação na sua voz

— antes que saiba, não queria estar fazendo trabalho com você... eu preciso de nota ou então eu to fudido. — pelo seu tom de voz aquilo que havia dito era verdade. — e então, quando começamos? 

— não sei, hoje podíamos vê os pontos para vistarmos até por que io trabalho que pra semana que vem. 

— só tem um problema...

Millie sabia qual era aquele problema, as famílias. Tanto os Wolfhard, tanto os Brown, nunca iriam permitir que seus filhos estivessem juntos fazendo trabalho.

— nossas famílias... pode ser na lanchonete perto do colégio, quase ninguém vai lá nas segundas feira. — diz a garota

— eu tenho treino depois do colégio.

— tudo bem... depois do treino então? — perguntou millie

— por mim tudo bem. — diz ele 

— Wolfhard, vamos quero ser sua dupla. — a voz de martell soou pela entrada da sala de aula

— depois do treino então a gente se encontra... tchau — finn diz se levantando da cadeira de frente.

— tchau...

A morena se sentiu estranha, afinal nunca tiverá uma conversa decente com o rapaz, sempre era motivo de piada ou troca de farpas entre os dois.

— Millie! até que enfim te encontrei. – diz a ruiva assim que vê a melhor amiga saindo da sala. — podemos matar ess tempo de aula agora? eu tenho uma coisa pra te contar.

— sadie... você sabe que eu não gosto de fazer isso e eu ainda estou brava com vocês. 

— por favor amiga, eu trouxe nutella e chocolates pra você. — sink pega a bolsa rosa que estava dentro de sua mochila e entrega para a baixinha.

— ta bom me convenceu, vamos logo para as arquibancadas. — diz millie puxando o braço da amiga.

[...]

— perai, você tá dizendo que você e a sink transaram? – perguntou finn surpreso para o amigo.

— sabia que nem tudo se resume a sexo? — caleb esbraveja com o wolfhard. — nós se beijamos sim e dormimos agarrados a noite toda. 

— hm brega... — diz wolfhard rolando a barra de notificação do celular.

— grazer, não achou brega.

— claro, é o jack né

— parem de falar de mim como se eu não tivesse aqui. — jack diz com raiva.

— ei, calma campeão.. o que rolou? — finn toma iniciativa de perguntar.

— é jack..você tá calado demais hoje, o que tá acontecendo. — foi a vez de Caleb se pronunciar.

— se vocês vissem alguém fazendo bullying com uma pessoa e acabassem rindo, sendo que a pessoa está virando seu amigo... o que fariam?

— eu iria pedir desculpas para pessoa... algo aconteceu com você? — diz wolfhard 

— é eu pediria desculpas, afinal eu defenderia a pessoas que está passando pela situação. — diz Mclaughlin 

— eu acho que fiz besteira mas vou consertar. 

— se precisar da gente é só chamar, estamos aqui contigo. — tratando de amizade, finn se tornava a pessoa mais leal do mundo.

[...]

— que lindos, sadie! sério eu sou super a favor de vocês dois juntos. — millie diz feliz para a melhor amiga que contava toda história de sexta-feira.

— ele é tão fofo e paciente. — o ar apaixonado de sadie rodava pela cabeça dela. — acho que vai ser com ele, mills.

— você tem certeza disso? você sempre diz que tem que... — a garota é interrompida.

— ele é a pessoa certa, mills.. eu sei que ele é a pessoa certa pra isso. — sink deixa um sorriso apaixonante nos lábios.

— se você tá bem, e está feliz com isso, eu também vou estar. — a garota segurou as mãos da amiga. — já eu, acho que vou morrer virgem.

— não diga bobagem. – sadie levanta o rosto da menina. — você também vai encontrar a pessoa certa pra isso e vai ser perfeito. 

— ah, sadie! eu te amo demais, vem aqui. — a garota puxa a ruiva para um abraço que só ela tinha, aquele era um dos melhores abraços que ela tinha para receber. 

— sabe quem não apareceu hoje? o noah, ele está estranho não sei... — diz a ruiva ainda abraçando a amiga 

— eu acho que ele deve estar se recuperando do porre de sexta ainda. — as duas soltam uma risada.

Nas cabines do banheiro masculino, encontrava-se noah chorando por algumas horas ali dentro. Ele tentou evitar aquela situação de chorar a todo custo mas era impossível, na sua cabeça só pensava o porque do mundo ser tão preconceituoso.

[...]

horas depois...

Noah havia saído do colégio mais cedo, inventou uma desculpa de que estava passando mal para poder ir pra casa. Sadie havia ido para casa junto de Caleb que havia matado o treino para poder sair com a garota.

Millie estava sentada na lanchonete vazia que ela havia combinado com Finn, ela brincava com o canudo de seu milkshake enquanto esperava o garoto sair de seu treino.

Quando o sino da loja tocou pela vigésima vez desde a chegada de millie, o garoto alto com o cabelo ainda um pouco molhado por causa de banho que deveria ter tomado antes de chegar aqui.

— você demorou. — a voz de millie soa seca ao vê ele se sentando no outro lado do banco.

— eu disse que tinha treino, esqueceu? 

— estou vendo que o treino durou mais do que eu imaginava. — millie aponta para uma parte suja de batom vermelho na boca de finn. — sério, se nao quer fazer trabalho comigo me fala e eu fico sem nota. — esbravejou.

— deixe de ser chata, eu tive um contratempo mas ja estou aqui... agora vamos adiantar isso logo, eu tenho compromisso depois daqui.

— quer saber, finn? vou embora, vai pro seu compromisso e se vira pra pegar sua nota. — millie se levantou com toda força do sofá pegando sua mochila e indo embora da lanchonete.

Wolfhard se levantou correndo do sofá e saiu correndo atrás da garota que andava em passos firmes, sabia que não iria adiantar nada falar com ela mas iria tentar.

— millie, espera! 

— vai se fuder, wolfhard — brown levanta o dedo do meio para o garoto que parava em sua frente depois de ter corrido quase uma maratona.

— me desculpa, ok? eu fiz merda, mas porra eu preciso dessa nota se não meu pai acaba comigo.

— você deveria se esforçar mais, não ficar pegando essas garotas da nossa escola. porra finn, o que custa ter o minimo de decência. — brown diz batendo uma das pernas no chão de raiva.

— ta bom, agora será que podiamos tentar fazendo o trabalho? — perguntou-a

— hm eu tenho que ir pra casa daqui a pouco. — diz a garota ajeitando a mochila nas costas.

— eu te levo pra casa e a gente vai resolvendo no carro, pode ser? — millie o encara desconfiada. — vai millie, por favor! eu preciso disso. – insistiu.

— ta bom, vamos — millie diz dando-se convencida que aquilo era realmente importante.

Os dois andaram até o carro de Finn em um silêncio absoluto, o carro havia mudado desde sábado quando ela havia andado no Audi preto.

— oque aconteceu com o audi? - perguntou entrando no banco do carona

— ah! eu tenho vários... — foi naquele momento que ela realmente percebeu que ele era rico de verdade. 

— ricos...

— você também é ou ja se esqueceu?

— é claro que eu sei né, Wolfhard... mas prefiro esquecer esse detalhe.

— então somos dois, eu odeio ter nascido na minha família. – ali foi onde millie percebeu que eles tinham uma coisa em comum.

— eu também odeio ser uma brown, eu tô tipo pouco me fudendo pra esse nome, entende? – o garoto riu fraco de brown.

— pode ter certeza que eu entendo. – diz ele —  meu pai e meu irmão são tão entediantes que nem eu mesmo aguento eles. Eric gosta de me cobrar tudo o tempo inteiro, dizendo que eu tenho que ser igual ao Nick.

— Minha mãe acha que eu tenho que ser a filha perfeita, ter um vocabulário digno e me comportar como uma dama. Meu pai é tão machista que chega ser nojento, e o pior que todos idolatram a nossa família como se fosse a perfeição mas, não é isso e eu acabo ficando mal com isso tudo.

— eu te entendo perfeitamente, todo mundo idolatra as famílias mas mal sabem o que acontecem lá dentro. 

— exato! eu só quero que essa escola acabe logo para poder sair de casa o mais rápido possível.

Sem perceber os dois estavam desabafando sobre seus problemas dentro de casa, ambos eram tão parecidos nos problemas que viviam mas nunca deram abertura para conversar sobre. Aquele era um todos momentos daqueles raros que só acontece uma vez ou outra, mas as vezes esses momentos podem se repetir outras vezes.



continua...






Notas Finais


oi gente eu to bem insegura da minha escrita, então se puderem deixar a opinão de vocês eu ficaria grata.
comentem aqui o que acharam do caps ;)
bjs xuxus, volto logo com mais um capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...