História The Love is a Drug - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Chandler Riggs, Norman Reedus, The Walking Dead
Personagens Carl Grimes, Chandler Riggs, Daryl Dixon, Enid, Glenn Rhee, Michonne, Rick Grimes
Tags Chandler Riggs, Lauren Cohan, Norman Reedus
Visualizações 13
Palavras 1.886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que goste, não esqueça de comenta

Boa leitura

Capítulo 2 - Era apenas um sonho, Mingus


Fanfic / Fanfiction The Love is a Drug - Capítulo 2 - Era apenas um sonho, Mingus

" Queria tanto perde a memória. Sei la começar do zero. Esquecer as dores, mágoas, decepções, tristezas....tudo" 




Pov's Samantha

Vamos....

Estou quase lá....

Só mais um pouco....

Isso....

Só mais uma pouco, eu já estou chegando

Mais rápido, mais rápido

Acelero o mais rápido possível vendo o carro branco do meu adversário logo atrás faltava tão pouco para a linha chegada, acelerei passando pela a mesma em questão de segundos, ouvindo a multidão indo a loucura gritando meu nome frequentemente o que só me fez sorrir, parei o carro do lado de Jeff que estava com um sorriso orgulhoso e vitorioso, do lado de uma cara que parecia furioso, o homem entregou uma quantidade grande dinheiro na mão de Jeff fazendo questão de bate na mão dele com força, concerteza ele que foi o trouxa que apostou no carro branco que perdeu para min. Abri a porta do carro logo saindo do mesmo, levando a multidão a loucura, fechei a porta e me encostei no carro cruzando os bros, olhando para Jeff com um sorriso debochado enquando vinha em minha direção.

— Eu sempre acreditei em você Lucy — disse contando a minha parte do dinheiro

— Deixa de ser mentiroso, você mesmo disse que era impossível ganhar do Bryce, e olha só o quem ganhou Jeff — digo pegando minha parte e contando por mais que eu conheça Jeff a muito tempo ainda não confio nele o suficiente para isso

— A RAINHA DA RACHA— gritou fazendo a multidão grita junto ri e entrei dentro do carro novamente

— Bem... eu já vou indo, vê se não é morto pelo o cara que você enganou — digo para o mesmo e sem espera ele dizer nada arranco o carro daquele lugar

Foi até fácil ganha essa racha, peguei a rua principal logo chegando no meu apartamento, estacionei o carro na garagem do prédio e seguir em direção da recepção passando pelo o porteiro que nunca me dei ao luxo de decorar o nome, entrei no elevador apertando o botão do vigésimo andar que seria o ultimo andar ja que moro na cobertura, a musiquinha chata de elavdor já estava me irritando quando o mesmo apita avisando que cheguei no meu andar

Ando pelo o corredor abrindo a porta do meu apartamento logo em seguida, jogo as chaves do carro e da porta em cima da mesinha perto da porta. Vou em direção a geladeira logo pegando uma cerveja, e me jogo no sofá da sala boto os pés na mesinha de vidro e ligo a TV, passo os canais ate para em um que me chamar atenção.

"O ator Norman Reedus esta comemorando hoje dois meses de casado com a modelo Karen Baker, ele foi visto hoje comemorando no restaurante Money's, com seus dois filhos Mingus Reedus e a mais nova enteada Britney Baker ou devo dizer Reedus, e hoje faz quatro anos que sua filha Samantha Reedus morreu, não sabemos bem o por que mais....."

Antes mesmo do apresentador terminar de fala desligo a televisão jogando o controle na parede, olho para o lado e vejo o porta-retrado, que tinha duas crianças e um homem adulto no meio das duas, eu, Mingus e Norman ainda me lembro que essa foto foi tira no quintal da minha antiga casa por Mary ( minha mãe), bom parece que eu não posso chamar de minha casa ja que agora a familia Baker a tomou de min. Assim que eu ouvi o celular apitar meu coração acelerou, peguei o celular do meu bolso vendo uma nova mensagem dele(a).

"Doeu Sam sabendo que seu própria pai te surbstituio por uma patricinha de Beverly Hills qualquer? Ninguém escapar do passado e eu to disposto a trazer o seu átona, começando por machucar aquele que você tanto amar. O jogo esta apenas começando Bitch."

— Clark

Li a mensagem mais uma vez tentando endenter o que ela ou ele, queria dizer, não era a primeira vez que "Clark" me mandava uma mensagem, já vai fazer mais ou menos dois ou três anos que tudo isso começou.

Uma pessoa que eu amo? Mais eu n.....

E antes de qualquer coisa a ficha caiu, eu arregalei os olhos e me levantei do sofá correndo a até a gaveta, procurando desesperadamente pela a merda do papel, sem paciência virei a gaveta de caveça pra baixo fazendo todas as coisas dentro dela se espalhar pelo o chão, e em meio ao monte de troços, encontro o pedaço de papel com um número um pouco borrado. Digitei rapidamente o número no meu celular levando ao ouvido logo em seguida.

Meu coração começou a bater rapido, o que eu falaria? Depois de anos não ligando para ele o que falaria? Que ele tava em perigo? Ou só falaria que estava com saudade?

Me levantei e subir as escadas correndo, abri a porta do quarto enquando do outro lado da linha chamava, uma parte de min queria que ele não atendesse, mais a outra gritava desesperadamente para que eu voltasse para casa e salva-se a unica pessoa que eu realmente amava, e sem mais, sem menos ele atendeu fazendo sua voz rouca devido ao sono já que era bem meia-noite ou uma hora da manhã,

— Alô — Como era bom ouvi sua voz

Tentei fala alguma coisa mais nada saia era impossível, depois de anos, eu não poderia ligar e dizer que sua vida corria perigo.

— Alô? Quem é? — perguntou novamente, respirei fundo, pesando seriamente se eu teveria ter ligado, e logo me lembrei que ele estava em perigo — Olha Chandler se for você não tempo graça, sabe que horas são cara...— e antes dele terminando de fala minha voz trêmula se fez presente na linha

— Mingus?

— Quem é?

— Só faz nove anos e você já esqueceu como era minha voz maninho? To me sentindo ofendida agora

— Samantha? É-e vo-ocê? — pode ouvir magoa na sua voz

— Em carne e osso

— Não pode ser...— disse em um fio de voz — Eu só posso esta ficando louco....você morreu — disse, eu fechei os olhos com força, tentando não meu abalar com isso, o ruim de ter sentimentos é isso — Minha irmã morreu

— Mingus você vai ter que confiar em min, ta legal? Não importa se eu estou viva ou morta você vai ter que fazer exata..... — antes de eu termina ele me atrapalhou

— Prove que você é ela — disse com um voz de choro

— O que?

— Prove que você é a Samantha — um soluço escapou de seus lábios, fazendo um nó na minha garganta

— Uma vez....— respiro fundo, tento engulir o choro — Quando você tinha cinco anos se vestiu de Batman e pulou daquele galpão que tinha atrás da nossa casa por que achava que podia voar

— Depois que você pulou primeiro — disse alto tentando se defender enquando soltava um gargalhada

— Eu estava vestada de super girl ok? E todos sabem que Batman não voa — digo rindo me lembrando no dia em que levamos o Mingus para o hospital por te quebrado o braço

— É você mesma, meu deus pensava que voce estava morta, por favor me diga que isso não é um sonho — lagrimas começaram a cair do meus olhos

— Desculpa maninho, mais isso tudo é um sonho — não é Mingus, mais é melhor assim — Amanhã você vai acorda e vai ver que tudo isso não passou de um pesadelo, e vai seguir em frente com seguido esse anos todos, mais antes que...isso acabe eu quero que voce me prometa uma coisa.....me prometa..... — um soluço escapou do meus labios — que vai tomar.....cuidado, tome cuidado Mingus, não confie em ninguém ta legal? Não conte nada a ninguém sobre isso — digo ja tremendo

— Eu prometo, eu prometo Sammy — disse, meu apelido de infância, como era bom ouvir alguem me chamando pelo o meu nome verdadeiro — Eu...eu sinto....tanto a sua falta — disse em um suspiro — Por que você tinha que morre? — perguntou chorando, eu olhei para o teto tentando conter minhas próprias lagrimas — Por que isso tinha que acontecer? — perguntou

— Por que a vida é injusta irmãozinho, tinha que ser assim pela a sua segurança e a segurança de Norman — digo, — Infelizmente Mingus nossa conversa acaba aqui, eu sinto muito,

— Não Sammy por favor eu....

— Adeus Gus — digo e antes de eu volta atrás aperto o botão vermelho encerrando a chamada com o meu irmão

Me encosto na parede, e sem força alguma escurrego até o chão, lágrimas desce sem para, como sera que vai ser a vida dele Agora? Sera que isso vai mudar alguma coisa? Ou talvez ele apenas pense que realmente tudo foi o sonho e vão seguir em frente?.

Não foi um sonho Mingus

Infelizmente não foi um sonho.

Respirei fundo tentando acalmar minha respiração, olhei para o porta-retrado, tentando ao maximo para de chorar, você já chegou a um ponto da sua vida que desejase a volta a ser a aquela criança inocente que voce era? Eu ja, queria pode volta no tempo e ser aquela criança, que tinha os dois pais presentes na sua vida, uma casa, um irmão protetor, infelizmente a vida não é bem assim.

Quando eu tava criando coragem para me levanta o meu celular apitou na minha mão, meu coração começou acelera, o peguei e desbloqueie.

" Ownnn, eu acho que vou chorar vendo você assim Sammy, você pode não querer volta para Atlanta, mais eu vou te fazer ir e vai por min, não vai ser de uma maneira nada gentil."

— Clark

Me deitei mais ainda no chão descansando minha cabeça no chão duro, hoje foi a primeira vez, em anos, que tive algum contado com Mingus, como era bom ouvir sua voz, sabe que ele conseguiu seguir em frente. Meus olhos pesaram e eu juro que tentei manter eles abertos, sem sucesso ja que me entreguei a escuridão em minutos.

[...]

Bom dia St.Louis, esta um dia ensolarado hoje — disse uma voz irritante masculina, me virei para o outro lado me lembrando que tinha adormecido no chão duro e friu — Hoje temos a notícia de um acidente trágico que ocorreu em Atlanta, Geórgia. O filho do nosso ator preferido da serie mais poupular de todo Estados Unidos sofreu um acidente de carro Mingus Reedus — Abri meus olhos assim que ouvir o sobrenome Reedus, me levantei o mais rápido possivel, meu coração acelerou quando vi o nome da notícia — Seu estado não é crítico, mais ele esta em observação, a policia esta dizendo que o acidente foi proporcional, então o assassino pode tenta novamente mata ele, já que não conseguiu na primeira, não temos noticia de qual o seu estado atual ja que Norman não queria a presença da mídia, fique conosco para mais notícias sobre o ídolo de todas as garotas.

Na mesma hora que o jornalista encerrou a notícia meu celular vibrou no meu bolso, eu poderia receber mil mensagens mais sempre um medo se apodera de min, temendo o que estaria escrito ali.

"Isso é apenas o começo, pequena Sammy"

— Clark

Nunca pensei que, voltaria para lá, e se um dia isso acontecesse, queria que fosse de outra maneira, mais como dizem, nem sempre a vida é como queremos.

Atlanta,....ai vou eu 


Notas Finais


Comentem😎


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...