1. Spirit Fanfics >
  2. The Love Maze (Park Jimin) >
  3. A Festa Do Jung Kook PT.2

História The Love Maze (Park Jimin) - Capítulo 38


Escrita por:


Notas do Autor


bom dia, boa tarde, boa noite e boa madrugada. 💗

espero que vocês estejam bem. 🌻
trouxe mais um capítulo e espero que vocês gostem. 💞

me desculpem pelos erros ortográficos. 💙

tenham uma boa leitura. ✨

Capítulo 38 - A Festa Do Jung Kook PT.2


Fanfic / Fanfiction The Love Maze (Park Jimin) - Capítulo 38 - A Festa Do Jung Kook PT.2

Quando eu cheguei onde o Jung Kook estava com a "sua galera", eu fui obrigada a engolir o meu ranço e colocar um sorriso simpático em meu rosto. Afinal, eu não queria ser uma delas.
Eu os cumprimentei e em seguida me sentei ao lado do Jung Kook no sofá.
Como o mesmo havia me indicado.
E cercada por olhares debochados da Irene, Joy e Seul Gi. A conversa foi novamente iniciada.

— E então S/N, o que tem achado das suas férias em Maafushi? — Perguntou-me a Joy com um sorriso debochado.

— Maravilhosas. — Respondi. — Embora tivesse suas partes ruins. As minha férias em Maafushi estão sendo muito boas. — Continuei enquanto sorria firmemente.

— Incrível. — Disparou a mesma. — E tem encontrado uma companhia para curtir mais a viagem? Se é que me entende. — Continuou ela enquanto bebia um gole do seu champanhe.

— Eu não preciso disso. — Respondi sorrindo. — Eu tenho os meus amigos, e isso para mim é mais que o suficiente. Mais obrigada pela sua preocupação. — Continuei o mais educada e debochada o possível.

— Interessante não? — Perguntou a Irene atraindo a nossa atenção. — Uma garota que diz que não precisa dessas coisas, mais que não pôde reencontrar com os seus ex namorados e ficantes para dar em cima. — Continuou a mesma enquanto me encarava com um sorriso desafiador.

Todos estavam sem jeito depois desse "disparo" repentino da Irene. E embora eu estivesse com vontade de sair em disparada na direção dela e arrancar os seus cabelos de um a um por fio. Eu me segurei.
E ainda conseguir sorrir.

— Bom... Eu não sabia que você tinha essa permissão para se meter na vida, mulher. — Disparei. — Desde quando você acha que tem essa moral, sinalizador de bandido? — Perguntei enquanto atraia a atenção surpresa de todos.

"Sinalizador de bandido", era como a Irene era chamada em sua rua porque seus namorados ou ficantes possuíam um esteriotipo de "malandro". Isso, segundo as informações que a Jennie e o Ho Seok já me passaram.
E pela cara dela, isso era algo que realmente a irritava muito.

— Do que você me chamou?! — Perguntou a mesma irritada.

— De sinalizador de bandidos. Não era assim que te chamavam? — Perguntei com um sorriso vitorioso em meu rosto esperando que a mesma surtasse e me atacasse. Mais a mesma me surpreendeu quando se acalmou e abriu um sorriso forçado.

Abalada, mas não derrotada.
Acho que isso pode ficar mais interessante.

— Só os idiotas me chamavam assim. — Respondeu a Irene mais calma. — E como você sabe disso? — Perguntou-me ela.

— Eu tenho as minhas fontes. — Respondi enquanto sorria.

— Enfim... Eu acho que o clima aqui está um pouco tenso. — Disparou o Nam Joon. — Eu vou buscar mais bebidas. — Continuou o mesmo enquanto se colocava de pé.

— Espere amor. Eu irei com você! — Disparou a Joy enquanto se colocava de pé junto ao mesmo. — Eu não quero você andando por aí sozinho. Vai que tenha mais mulheres como a S/N que gostem de homens compromissados. — Continuou a mesma enquanto me encarava com um sorriso debochado.

Eu não acredito. Isso é uma conspiração contra mim?

— Falou a hipócrita, "caça aliança". — Disparei sorrindo enquanto ela me encarava surpresa. — Pois é... Eu sei de tudo. Dona Joy. — Continuei.

— Do que você sabe? — Perguntou-me ela assustada enquanto o Nam Joon a encarava confuso.

— Você quer mesmo que eu diga? — Perguntei.

— Deixa para lá. Foi só uma confusão. — Disparou a Joy um pouco nervosa. — Vamos pegar as bebidas, amor. — Continuou a mesma enquanto guiava o Nam Joon para o barzinho.

— O que ela quis dizer com "caça aliança", amor? — Perguntou o Nam Joon desconfiado para a mesma.

— É... Não é nada. — Respondeu a mesma. — A S/N apenas se confundiu com uma amiga nossa. — Continuou ela me encarando enquanto saia de mãos dado com Nam Joon.

Segundo a Jennie e o Ho Seok, "caça aliança" era como a Joy era chamada por namorar ou ficar com homens comprometidos.
Seja casado, noivo ou namorando.
Homens casados lhe pareciam ser mais atraentes.
Embora houvesse um claro clima de tensão e briga entre eu, a Joy e a Irene, nem o Jay e tampouco o Jung Kook pareciam ter se importado com tal situação. Pelo contrário, pareciam até que eles estavam gostando do que estavam vendo.
Com exceção do Jay, que estava muito bêbado.

— Então S/N, onde estão os seus amigos? — Perguntou-me a Seul Gi, estranhamente simpática.

— Eles estão por aí bebendo, dançando, comendo ou fazendo coisas de casais. — Respondi.

— Ah, entendi. — Disse ela. — E nessa coisa de casal, como sempre você é a única que sobra. — Continou a mesma com um tom de desafio.

— Como você tem tanta certeza que eu sempre sou a que sobra? — Perguntei ainda calma.

— Ah, sabe como é não é? — Perguntou a Seul Gi. — Pessoas negligentes com relação aos sentimentos alheios geralmente não fazem parte desse tipo de relacionamento. — Continuou a mesma com seu sorriso debochado enquanto o Jung Kook revirava os olhos para ela.

— Ah, então é por isso. — Disparei ironicamente pensativa.

— Por isso, o quê? — Perguntou ela.

— Então é por isso que você também não está inclusa nesse plano. — Respondi com um sorriso vitorioso enquanto o Jung Kook sorria discretamente e a Seul Gi me olhava com ódio.

Ela se recompôs imediatamente, o que deu a mesma, uma breve impressão de não ter se incomodado com o meu comentário.
Mas eu sei que a acertou em cheio.
Um breve silêncio reinou por nós, e enquanto a Seul Gi olhava ao redor da festa, eu sentia firmes e fixos olhares do Jung Kook em mim.
O que já estava me deixando sem jeito.
E antes que eu pudesse pergunta-lo algo, ele foi mais rápido em quebrar o silêncio.

— Você está incrivelmente linda hoje. — Disse ele atraindo a minha atenção enquanto me encarava firmemente.

— Você quem está lindo. — Falei sorrindo sem jeito.

— Posso até estar lindo, mas não estou mais maravilhoso e atraente quanto você. — Disparou o mesmo me deixando mais envergonhada ainda.

— S/N, ali são o Tae Hyung e a Jennie? — Perguntou-me a Seul Gi interrompendo o clima entre mim e o Jung Kook.

Em seguida eu olhei na direção que a mesma me indicava e então eu avistei o Tae Hyung bebendo juntamente com a Jennie enquanto conversavam animadamente.

— Sim, são eles. — Respondi.

— Eles formam um belo casal, não é? — Perguntou-me a mesma com um sorriso enquanto ainda encarava os dois.

— Sim. — Respondi desconfiada.

— É muito bom ser solteira, porém também é ótimo ter alguém do lado. — Disse ela. — Alguém que te valorize e que gente te conquistar todos os dias. Isso não tem preço. — Continuou a mesma voltando a me encarar. — Pena que você não saiba como é isso. Como é ter alguém que te valorize de verdade. — Concluiu e Seul Gi dando o seu sorriso vitorioso.

Essa me acertou em cheio.
Eu sei que a Seul Gi não sabia dos meus sentimentos a respeito de não me sentir especial e nem valorizada por nenhum cara pelo quel eu já me relacionei. Mais ela chutou muito bem.
Eu tentei fingir que isso não me afetou, mas estranhamente eu me sentir mal e incapaz de revida-la.
Eu apenas abaixei o meu olhar enquanto ela estava sorrindo contente ao me ver daquele jeito. Eu estava tentando encontrar algo para dizer quando o Jung Kook me surpreendeu.

— Eu sei que a S/N tem problemas com a auto estima. Afinal, quem não tem? — Perguntou ele. — Mais não se preocupe com isso S/N. Porque do mesmo jeito que eu te mandei um buquê surpresa hoje, eu sou capaz de a cada dia lhe entregar uma flor com mensagens positivas. — Continuou o mesmo. — Para que quando você estiver mais segura consigo mesma, você possa ver todas as flores que você juntou até chegar onde chegou. — Concluiu o Jung Kook nos deixando todos surpresos.

Isso realmente era algo que eu não esperava ouvir, mas que eu amei saber.
Eu estava surpresa e impressionada com o emprenho do mesmo para me conquistar. Porém, havia uma pessoa entre nós que estava mais surpresa com o que acabara de ouvir do Jung Kook.
E era a Seul Gi.

— Nossa Jung Kook, isso é... Muito lindo. — Disparou a Irene surpresa enquanto ele sorria. — Meu bem, por que você nunca me deu uma flor sequer? — Perguntou a mesma para o Jay.

— Amor, você sabe o que eu te dou. — Respondeu o mesmo. — E você nunca reclamou. — Continuou ele enquanto sorria maliciosamente.

— Jay! — Repreendeu-o a Irene envergonhada enquanto o Jung Kook ria.

— O que foi? — Perguntou o mesmo. — Você nunca reclamou dos presentes que eu lhe dava. — Continuou o Jay.

— Ah... É verdade. — Disse ela sem jeito.

— Em que você estava pensando, meu bem? — Perguntou o Jay enquanto a encarava com um sorriso malicioso.

— Em... Em presentes, é claro. — Respondeu ela. — Em quê mais eu pensaria? — Perguntou a mesma enquanto o Jay a abraçava e beijava o pescoço da mesma.

— Aham, eu sei. — Disse ele com um sorriso malicioso enquanto ainda a beijava. — Vamos para o quarto? Eu tenho um outro presente para você. — Perguntou o mesmo enquanto eu e o Jung Kook sorriámos e a Seul Gi revirava os olhos.

— Você está louco?! — Perguntou a Irene. — Só se for agora! — Continuou a mesma se colocando de pé enquanto puxava o Jay em direção ao quarto.

Eu e o Jung Kook ainda estávamos rindo da cena do casal. E quando nós acalmamos as nossas risadas. A ficha de que relatavámos apenas eu, o Jung Kook e a Seul Gi caiu e um clima desconcertante pairou no ar.
Nesse momento eu só queria que o Nam Joon e a Joy retornassem com as bebidas. Mais pelo visto, eles não voltariam tão cedo.

— Nossa... Cadê o Nam Joon e a Joy com essas bebidas? — Perguntou a Seul Gi quebrando o silêncio. — Justamente quando eu mais necessito, eles demoram. — Continuou a mesma.

— Ué, você bebendo, Seul Gi? — Perguntou o Jung Kook confuso.

— Sim. Eu não posso beber mais? — Perguntou ela sem paciência.

— É claro que pode. Mais é que você não gosta muito. — Respondeu ele.

— Só porque eu não gosto muito, não significa que eu não beba de vez em quando. — Disparou a Seul Gi irritada.

— Tudo bem, tudo bem. Você pode beber tudo o que quiser. — Disse o Jung Kook. — Não precisa se estressar. — Continuou o mesmo.

— E quem está estressada aqui?! — Perguntou a mesma irritada. — Só se for a S/N! — Disparou ela.

— Ué, mais eu não disse nada. — Falei.

— Tudo bem, S/N. — Disse o Jung Kook. — As vezes a Seul Gi surta mesmo. — Continuou o mesmo. — Não precisa se estressar com isso, certo? — Perguntou-me ele enquanto me encarava e eu assentia com um sorriso.

— Nossa, primeiro vem as flores e depois todo esse carinho. — Disparou a Seul Gi atraindo a nossa atenção. — É bom você aproveitar hein, S/N. Não é qualquer um que teria a coragem de te pegar. — Continuou a mesma e então o Jung Kook se pôs de pé.

— Olha aqui, Seul Gi, você limpe a sua boca antes de falar da S/N, ouviu?! — Disparou o mesmo irritado. — Eu já cansei das suas criancices. — Continuou ele. — Se eu ver ou ouvir você de indiretinhas para a S/N, você me ouvirá! — Concluiu o Jung Kook deixando a mesma boquiaberta e com certeza, de ego humilhado.

Ela não falou nada, apenas ficou parada sem reação.
Acho que ninguém nunca falou com a mesma desse jeito. E não me surpreende já que é uma mimada.
O fato é que ela sempre gostou do Jung Kook e ouvir isso dele, deve ter machucado muito.
Mais ela merecia ouvir.

— Vamos para um outro lugar, S/N. — Disse o Jung Kook. — Alguém precisa de um tempo para refletir as suas ações. — Continuou o mesmo enquanto segurava a minha mão e me guiava para longe da Seul Gi.


Notas Finais


espero que vocês tenham gostado. 💜

beijos e fiquem bem. 💕
até a próxima. 🌹


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...