História The Love Wears Headphones - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Dabi, Denki Kaminari, Eijirou Kirishima, Fumikage Tokoyami, Hanta Sero, Hitoshi Shinsou, Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou, Kurogiri, Kyoka Jiro, Mashirao Ojiro, Mei Hatsume, Mina Ashido, Minoru Mineta, Momo Yaoyorozu, Neito Monoma, Ochako Uraraka (Uravity), Personagens Originais, Shouta Aizawa (Eraserhead), Shouto Todoroki, Stain, Tenya Iida, Toga Himiko, Tomura Shigaraki, Tsuyu Asui
Tags Bakugou Katsuki, Boku No Hero, Eijirou Kirishima, Katsuki Bakugou, Kirishima Eijirou
Visualizações 162
Palavras 1.212
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Finalmente ^^'
00:21 e eu aqui, espero que gostem, boa leitura <3

Capítulo 1 - Any Given Day


Fanfic / Fanfiction The Love Wears Headphones - Capítulo 1 - Any Given Day

Segunda

Acordo com o barulho irritante do meu despertador, ah eu mereço. Peguei ele para desligar, mas invés disso acho que o quebrei, vi algumas pessinhas dele caindo no chão.

- Mas que porr... - Sou interronpida por minha avó me chamando.

- Já está tarde, desce pra tomar seu café. - Disse numa voz doce mas um pouco alta.

E desde quando 7:39 é tarde? Perguntei pra mim mesma, mas não me importei muito, murmurei um "ok" para ela, que provavelmente não deve ter escutado, e me deitei novamente.

- A-Ah hoje é o teste! - Falei um pouco alterada me levantando da cama num pulo.

O teste para a U.A, como pude esquecer? Sonho em entrar pra essa escola desde os 8 anos! Iria começar às 9:00, teria que chegar mais cedo para olhar de qual grupo eu seria, e já são quase oito horas. Comecei a me arrumar rapidamente, peguei qualquer roupa que vi pela frente, um top rosa, uma calça preta e um tênis vermelho, penteei meus longos cabelos negros e os amarrei num rabo de cavalo, devo estar uma bosta, mas quem liga?!             Desci as escadas e peguei um pedaço de bolo de laranja, não estava com muita vontade, mas provavelmente vou desmaiar se não comer nada.

- Finalmente acordou! Nisso que dá ficar nesses jogos a noite toda. - Vovó falou engraçada, mas eu não estou em clima pra piadas nesse momento.

- É... - Sorri fraco para não parecer chata.

Minha avó é a única que cuidou de mim a minha vida toda. Meus pais? Devem estar por aí... Cometendo crimes, roubando, matando, quem se importa? São vilões, alguns dos mais procurados do país, quero apenas distância deles, não sei o nome de nenhum dos dois, já foi difícil arrancar de vovó se eu tinha meus pais ainda vivos, mas ela acabou falando mais do que devia, então eu poderia procurar descobrir quem são, mas não há mais necessidade, não preciso de pessoas que destruíram minha vida, mesmo estando longe.

Flash Back on

Estava na escola assentada sozinha na hora do almoço, como sempre. Ontem havia sido meu aniversário de 10 anos, ou seja, 10 anos sem individualidade, já estava um pouco desesperançada de possuir uma. Peguei meu copo de suco e levei até a boca, foi aí que algo estranho aconteceu, uma sombra cobriu todo o mesmo que se desintegrou na mesma hora. Fiquei um pouco assustada, minhas mãos agora tinham sombras, encostei na mesa assim que vi, aconteceu novamente aquilo, só que agora, presenciado por outras pessoas, algumas correram, e outras permaneceram no lugar, até que um menino se levanta e aponta para mim.

- Monstro! 

Na hora fiquei sem entender, mas tentei dizer algo.

- N-nã... - Fui interrompida por outras pessoas, todos pronunciavam a mesma palavra.

Corri daquele lugar e me tranquei no banheiro, senti lágrimas escorrerem pelo meu rosto, não era para eu me sentir feliz quando descobrisse minha individualidade? Pois foi o contrário de tudo isso, já sabia que meus pais eram vilões, será que eu me pareceria com eles?

- E-eu v-vou mostrar, q-que sou diferente. - Disse baixo em meio aos soluços do choro que continuava a aumentar.

Flash Back off

- Já estou indo. - Me levantei indo em direção a ela, dando um beijo em sua bochecha.

- Eu sei que você vai conseguir! - Falou motivadora.

- Eu também sei. - Sorri fechado, uma das minhas qualidades foi sempre ser otimista, bem, quase sempre.

Saí de casa antes que a mais velha dissesse mais alguma coisa.

Quebra de Tempo

Já havia chegado no local do teste a umas meia hora, estava me alongando enquanto não falavam nada, tinha bastante gente, o que me fez ficar um pouco nervosa, já sabia meu grupo, era o A. Não estava mais aguentando de ansiedade até que uma voz feminina chama meu grupo e fala algumas coordenadas de onde deveríamos ir, chegando lá haviam já muitas pessoas reunidas, fiquei esperando o portão que tinha a frente se abrir para começarmos a simulação, assim que vi uma pequena brexa dele ser aberta, já fiquei com o "coração na mão". Fechei os  olhos e respirei fundo, antes mesmo de mim perceber todos já estavam correndo pra dentro daquilo, não demorei muito para retomar meus sentidos e correr também.

Fui para uma parte mais isolada da grande "cidade", mas parecia que por onde eu passava o aglomerado de pessoas insistiam em aparecem, até que vi um robô meio estranho vindo em minha direção, seria fácil destruir essas coisas, afinal, minha individualidade servia pra isso. Esperei aquilo chegar perto o suficiente já com meu poder ativado, encostei nele e vi as sombras o tomarem por completo, o fazendo se desintegrar em menos de um segundo. Olhei para traz e percebi que outros dois estavam se aproximando, fiz o mesmo procedimento de antes.

- N-nossa, você é incrível! - Disse um garoto de cabelos vermelhos com os olhos arregalados e as bochechas levemente coradas.

- Obrigada. - Falei indiferente desviando o olhar para mais uma daquelas coisas que se aproximava do menino.

- Nunca vi uma individualidade assim antes. - Falou agora destruindo o robô, parecia que sua pele tinha ficado rígida.

- Também nunca vi uma como a sua. - Sorri fechado.

- Sou Kirishima Eijirou, ou Eijirou se preferir. - Deu um sorriso estendendo a mão.

- Sakoyami Hisae. - Falei apertando sua mão.

- Prazer em conhecê-la Sakoyami-San.

- Não precisa dessa formalidade toda. - Disse me virando para sair daquele lugar, realmente detestava que me chamassem pelo sobrenome. - Nos vemos por aí Eijirou. 

Saí antes de ouvi-lo responder, tenho a impressão de que vamos nos ver de novo.

[...]

Já havia se passado alguns minutos, será que esse troço não tem fim? Acho que eu já tinha destruído mais robôs que o suficiente. Estava procurando mais algum, a maioria deles já estavam despedasados no chão. Até que vi várias pessoas correndo na direção oposta que eu andava, então percebi o por quê. Um enorme robô estava vindo, tinha uma garota em baixo de uns destroços, eu iria ajudar mas vi que um garoto chegou primeiro, tinha os cabelos verdes e era baixo comparado aos outros garotos, ele praticamente voou em direção aquilo, e deu um soco enorme que destruiu o robô no mesmo instante, mas pelo o que parece, ele também foi "destruído", estava caindo mas por sorte a garota presa nos destroços o fez... Flutuar? Bem é o que parece.

- Deku idiota. 

Olhei para traz e vi um menino loiro, estava lá parado olhando a mesma cena que eu, com uma cara de poucos amigos.

- Então Deku é o nome dele...? - Falei baixo pra mim mesma, já saíndo dali, até que escutei que a simulação tinha acabado. 

Que dia estranho, pensei que seria uma simulação normal, mas isso pareceu um manicômio... Bom agora semana que vem saírão os resultados, agora é só esperar, e ver no que vai dar.

Quebra de tempo

Cheguei em casa, já com várias perguntas da minha avó, menti dizendo que foi tudo normal, e que foi mais simples do que imaginei, tomei um banho gelado, e deitei, estava super cansada, coloquei meus fones de ouvido e comecei a ouvir Daddy Issues, e por não sei que razão, Kirishima Eijirou vinha a minha cabeça, estranho, de algum modo eu o achei fofo, aah besteira, devo estar ficando louca. Fechei os olhos e me deixei levar pela música.



Continua?




Notas Finais


Me digam o que acharam aí nos comentários, isso ajuda bastante obrigada ^^ 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...