1. Spirit Fanfics >
  2. The Máfia - Kim junmyeon ( imagine exo - suho ) >
  3. 45

História The Máfia - Kim junmyeon ( imagine exo - suho ) - Capítulo 45


Escrita por:


Notas do Autor


⚠️ O CAPITULO CONTEM GATILHO DE VIOLÊNCIA E MORTE ⚠️

Instagram: oh.yixingmin

boa leitura ninis e me perdoem por isso 🙏

Capítulo 45 - 45


Fanfic / Fanfiction The Máfia - Kim junmyeon ( imagine exo - suho ) - Capítulo 45 - 45

– O que eles querem? – S/n perguntou, seu coração estava tão acelerado, e suas mãos ficaram trêmulas de repente, qualquer um ficaria assim ao ver carros bloqueando a sua passagem em uma estrada. 

– não sei, mas coisa boa não é – junmyeon começou a lugar para os meninos que estavam nos carros de trás, ele falou para todos se prepararem, ficassem armados e enquanto isso, s/n observava a porta do carro em sua frente sendo aberto, e de lá saíram os membros do grupo inimigo, todos armados.

– Suho – s/n falou e ele olhou para frente – o que está acontecendo?

– olha, se acontecer algo, eu quero que você corra, tudo bem? Não olhe para trás, apenas corra e depois eu te encontro – suho falava enquanto escondia uma arma em sua cintura na parte de trás.

– vamos sair – suho falou e ela assentiu. Os dois saíram do carro, e ao ver o líder fazendo isso, o resto também saiu dos carros que estavam, claro que todos estavam armados. Os 11 restantes se aproximaram e ficaram na frente do primeiro carro, perto do seu líder, e na frente daqueles homens com o armamento pesado, eles não mostravam que estavam nervosos em suas feições, não era medo, era nervosismo, aliás todos temos medo de morrer, inclusive eles. 

A noite estava congelante, mas s/n não estava ligando muito para isso nesse momento por causa do nervosismo, na sua mente, só tinha medo de algo acontecer com os seus vizinhos, ou com ela. 

O bando do suju estava em frente ao dos vizinhos da s/n, chamado pelos primeiros de exo, Leeteuk, o líder daquele grupo, e que estava bem no meio de todos, tinham o olhar sombrio para todos os 13 presentes ali, s/n, estava atrás do seu namorado, mas logo ele a levou para minseok que estava um pouco mais para trás, e olhou para ele como se quisesse dizer algo para seu amigo, minseok assentiu, entendendo o que suho queria dizer, "se algo acontecer, leve ela para longe daqui", era isso, esse era o olhar, por que ele sabia que iria acontecer algo ali.

S/n tentou contestar, tentou fazer com que Suho voltasse e a protegesse por que ele prometeu isso a ela milhares de vezes, mas não, ele é o líder, e dessa vez, ele precisa fazer isso para proteger os seus, Junmyeon precisa tentar fazer com que Leeteuk desista dessa invasão e dessa guerra toda, que Suho tentou evitar, mas não conseguiu.

– Leeteuk, não precisa disso, você sabe que não! – Suho falava alto o bastante, já que os dois estavam a mais ou menos 10 metros de distância, o exo agora mantinha armas na mão, prontos para atirar, Baekhyun em um ato sigiloso e rápido, ligou para Hyungwon para pedir reforço, e o mesmo disse que estava chegando junto com seus aliados, a pé claro, se Leeteuk ouvisse e visse os carros chegando, a confusão seria muito maior e atirariam sem aviso algum.

– Você sabe o que fez Suho, tudo isso começou por sua culpa, foi você o estopim disso tudo.

– não foi minha culpa, você que ficou louco por causa daquilo Leeteuk, não aguentou perder um cliente e tomou a decisão errada.

– Ddaeng – Leeteuk falou – não, se você não tivesse feito aquilo, eu não estaria aqui, fazendo isso tudo, se você não tivesse feito aquilo, eu não teria ficado meses planejando essa noite. 

– Não foi minha culpa, você sabe que foi o Hangeng que começou tudo, foi ele.

Ao ouvir esse nome, Leeteuk lembrou do seu amigo, seu ex braço direito, que foi morto por Suho na última briga que ambos os grupos tiveram, após ser enganado por Leeteuk, ocorreu uma briga, assim como suho tinha falado, ele só deixou de fora que matou Hangeng. Ao ouvir esse nome, Leeteuk ficou com mais raiva, a fúria em seu coração cresceu.

– Ele não fez nada! – Leeteuk gritou, mas depois sorriu, ele é sádico – você sabe – Leeteuk gesticulava com as mãos – você sabe que ele não fez nada.

– ele tentou matar um dos meus, você sabe que um líder faz tudo para proteger um dos seus.

– E como você acha que eu me sinto sabendo que eu como líder não pude proteger Hangeng? – Leeteuk gritou –  quer saber eu não quero mais brincar suho.

Junmyeon o olhou sério, e respirou fundo.

– sabe quem foi que me trouxe até aqui? Sabe quem foi que eu escolhi ? – ele perguntou e sorriu. 

Suho não queria demonstrar que estava com medo do que Leeteuk tinha planejado, mas já sabia que Leeteuk tinha feito alguma coisa ruim, já sabia o que aquilo significava, nada estava bem e nada ia acabar bem. 

– Sabe Suho, eu soube que você tem uma namorada, e que ela está aqui, tive o prazer de quase conhecer ela – ele virou e olhou para s/n, deu um aceno para ela, que se encolheu nos braços de minseok – e eu vi que ela tinha pessoas importantes na vida dela, é claro, e uma dessas pessoas, me conhece a um tempo.

– o que você tem em mente? – suho falou sério, não gostou disso, não gostou que Leeteuk falou de sua namorada ali, ele tinha nojo quando um deles fazia isso.

– Donghae – esse nome, só em ouvir esse nome, faz o sangue de Suho e dos meninos ferver, e fez o de s/n gelar – traga-o aqui.

Donghae apareceu de trás de um dos carros, tudo que junmyeon queria era ir lá e mata-lo a socos, ele foi até a porta de trás do carro de Leeteuk, e trouxe uma pessoa, um homem, com as mãos amarradas para trás e com um saco preto posto na cabeça, Donghae colocou o pobre homem ajoelhado naquele asfalto pedrado e frio. 

S/n, se desfez do braço de minseok e se aproximou em passos lentos e curtos, com os olhos fixos naquela homem, ela reconheceu quem era, mas queria ter certeza, não queria acreditar naquilo, por Deus, ela não queria acreditar. Minseok tentou segurar sua mão, mas não conseguiu, s/n ficou mais perto, mas ainda atrás de uma pessoa para se proteger, jongin.

Ela olhou para trás e viu Hyungwon chegando devagar, junto com seus homens, sem fazer barulho, estavam com armas pesadas nas mãos, e eles ficaram atrás dos carros do exo, s/n ficou com o coração acelerado, com medo, voltou a atenção para frente.

– sabe Suho – Leeteuk se apoiou no homem ajoelhado – esse cara, entrou para meu grupo para me falar informações sobre vocês, já que ele é próximo da sua namoradinha – Leeteuk sorriu para s/n, que sentiu um calafrio percorrer sobre seu corpo – mas então, ele disse que não queria mais fazer isso, por que não podia trair sua amiga, e estava começando a gostar de vocês – ele riu, e seus comparsas também – acredita nisso? 

Leeteuk tirou o saco da cabeça do homem, revelando sua identidade, s/n pôs a mão na boca, não acreditando que ele realmente estava ali, seus olhos lacrimejaram, mas ela não podia acreditar naquilo, e em sua mente, repetia "que seja só um sonho ruim".

– então eu pensei, será que ele falou para vocês que estaríamos aqui? Quer dizer, não pode ser coencidência que vocês, nos encontraram aqui do nada e estão todos com munições pesadas, mesmo que fossemos para o leilão, é meio estranho... Vi que vocês estão muito bem armados. 

– Ele não nos disse nada Leeteuk, ele não tem nada a ver com isso, deixe-o ir – Suho tentou fazer com que Leeteuk mudasse de ideia – não vai acontecer nada, vamos todos ir para casa e esquecer isso de uma vez, eu me desculpo.

– não – ele falou baixo, estava... Chorando ?! – pode ser que sim, pode ser que não... Mas de qualquer forma, eu vi uma oportunidade aqui, não foi você que perdeu alguém, não pode me pedir desculpa assim.

– pensa bem no que vai fazer... 

– Ah, eu sei o que vou fazer – Leeteuk assentiu – vou vingar a morte de Hangeng – ele olhou para Suho, seus olhos estavam prestes a derramar lágrimas.

Leeteuk apontou a arma para a cabeça de Changmin, s/n respirou fundo quando os seus olhos se encontraram com o de Max, ele pediu perdão a s/n com leitura labial, e ela assentiu, mas não queria que fosse assim, não queria que a despedida fosse assim, s/n começou a chorar e balançou a cabeça negativamente, ela não podia acreditar naquilo, não queria acreditar.

– Leeteuk... – Suho deu seu último aviso, para ele desistir daquela ação, não adiantou muita coisa, Leeteuk estava decidido.

– Hangeng.

O barulho do tiro ecoou por todo aquele lugar, s/n arregalou os olhos vendo seu melhor amigo perder a vida na sua frente, Changmin, que recebeu um tiro na cabeça, caiu já sem vida no chão, todos estavam chocados com tamanha crueldade que Leeteuk fez ali, mesmo sabendo que ele era capaz daquilo desde o começo.

– não – Suho gritou e sacou sua arma, e começou a guerra de tiros no local, Kai pegou a mão da s/n e correu, a levando para longe daquele lugar, enquanto corriam, ela olhava para trás, queria ir ver changmin, queria ter a certeza que ele realmente estava morto, mas jongin é muito mais forte que ela então a arrastou para sim lugar seguro.

Hyungwon entrou na briga ao lado de Suho, todos estavam atrás dos carros enquanto atiravam um para o outro, suho tinha lágrimas nos olhos, e atirava apenas para o local onde Leeteuk estava, suho estava decidido a dar um fim naquilo. Enquanto aquilo acontecia, no meio de tudo aquilo, o corpo de Changmin estava no chão, sua vida foi tirada de forma injusta, e suho, vendo o homem que não salvou ali no chão, jurou a si mesmo, que ia vingar a morte dele. 

 S/n era levada por jongin para um lugar seguro. Mesmo com a dificuldade de correr rápido por causa do vestido longo, eles logo se afastaram daquele mar de tiros.

Ela chorava, pelo seu amigo que se meteu em uma coisa errada, mas que não era justo perder a vida dessa forma, ela chorava, por não ter se despedido de changmin, ela chorava, por que amava deu amigo, e agora ele estava morto e não dava para voltar atrás, Changmin morreu, e ela só sabia chorar por isso. 

Jongin a levou para um beco entre duas casas que estavam próximas do local, na beira da estrada, ambas pareciam vazias. Jongin olhou para a rua, estava vazia apesar de ainda poder ver os carros ao longe, depois o mesmo segurou nos ombros de s/n e a olhou nos olhos, firmemente, Jongin estava protegendo ela agora.

– olha para mim s/n – S/n o olhou, seus olhos estavam vermelhos por causa do choro e da irritação que o vento proporcionou – fica calma, ta? não entra em pânic... – outro tiro, s/n viu pela segunda vez em minutos, se segundo amigo indo ao chão, Kai caiu na sua frente, parece que tudo é em câmera lenta, ela ficou desesperada, isso não pode ser verdade, não podia estar acontecendo.

– KAI – gritou seu nome e se ajoelhou perto do seu corpo estirado no chão, caído como se não fosse nada, como se não fosse importante – KAI – nenhuma resposta – me responde Kai, por favor, me responde, me responde. – ela balançava ele.

"O corpo dele estava um pouco gelado" pensou ela, com a temperatura baixa e o fraco psicólogico de s/n nesse momento, fez com que ela sentisse-o mais frio do que já estava, as vezes a própria mente nos engana, não, outro não, que seja a temperatura e não ele...

– não me deixa só Kai, por favor, me escuta... – ele não se mexia – meu Deus – ela colocou a mão na boca e soluçou em choro – jongin, não me deixa, não deixa o kyungsoo, não... meu Deus jongin... – ela chorava alto – volta, por favor.

– garotinha, garotinha – s/n ouviu uma voz, saindo de trás de uma árvore próximo a casa, de lá, saiu um homem com uma arma na mão, foi ele quem atirou no Kai, foi ele.

– o que você fez? – ela gritou, estava com tanta fúria que seu medo pareceu pequeno naquele momento, ela ainda segurava a mão de jongin.

– eu? Só matei esse desgraçado – ele sorriu – e vou tirar a sua vida também, para Suho aprender a não matar mais dos nossos.

Shindong, atirou na s/n, que atravessou seu peito e a outra perfurou seu ombro, s/n caiu desacordada ao lado de Jongin. Shindong deu uma última olhada nos dois antes de sair e voltar a guerra que ainda acontecia no começo da rua.


[...]


Suho estava levando a melhor, Leeteuk e seus homens estavam recuando, mas ainda assim, os vizinhos de s/n conseguiram matar dois de seus inimigos, Shindong, que atirou em Kai e s/n, e Ryeowook.

– Eles estão recuando – Chanyeol gritou.

– Atirem mais – Yifan falou e começou a metralhar em direção ao carro de suju.

Quando todos foram embora, quando o suju fugiu do local levando o corpo de seus comparsas mortos, os meninos correram para ver wonho, que tinha levado um tiro no abdômen, mas ainda estava consciente.

– Hyungwon pode levar ele para o hospital, acho que eles não voltam, depois nós conversamos – suho falou e Hyungwon pegou wonho nos braços, com a ajuda de shownu e o levaram.

– Minhyuk e Kihyun, vocês podem – suho olhou para Changmin, e suspirou.

– nós vamos levar ele. 

Suho assentiu, estava cansado, assim como todos, mas ainda tinha uma coisa que ele estava preocupado, onde está s/n e Kai.

– Kai levou s/n, devem estar escondidos por perto. – Tao disse e então, todos os onze começaram a andar, procurando s/n e Kai por todos os lugares daquela rua.

Suho foi sozinho, enquanto os outros procuravam em outros lugares, foi aí que ele entrou no local que s/n e jongin estavam, o coração do líder começou a palpitar mais forte, vendo duas pessoas que amava provavelmente mortas.

– não... – ele falou baixo e se ajoelhou do lado do corpo dos dois – não, não, não... Yixing – Suho gritou e logo depois todos vieram, ficaram chocados com aquela cena.

Kyungsoo, vendo seu melhor amigo ali, começou a chorar, era raro ver isso, mas a situação permitia que isso acontecesse, permitia com que ele sentisse aquela dor horrível torturando o seu peito.

– temos que leva-los para o hospital logo – Chanyeol falou e pegou Kai no colo com a ajuda de Yifan, enquanto Suho pegou s/n e levou ela para o carro.

Kris dirigia o carro rapidamente para o hospital mais próximo, e então quando chegaram, Kai e s/n foram levados aos seus quartos, s/n foi para uma sala de cirurgia, enquanto jongin, para a sala de ressucitação, seu coração que horas atrás era saudável, tinha parado.

Todos estavam na sala de espera, kyungsoo saiu do hospital e foi para o estacionamento, queria ficar sozinho, e enquanto olhava para as estrelas, pedia para Deus manter jongin na terra, por que não queria viver em um mundo sem seu melhor amigo.

Suho, que permaneceu lá dentro, andava de um lado para outro, ancioso para qualquer notícia que poderia vir, tanto de s/n, quanto de Kai.

O médico que atendeu os dois feridos apareceu na sala de espera, todos se levantaram com espectativa para saber como os dois estavam, o coração de Suho estava a ponto de pular para fora.

– Como eles estão doutor?

O doutor apenas abaixou a cabeça, sempre é difícil dar essas notícias.

– fala o que aconteceu! –  Suho gritou, ele já temia que o pior tinha acontecido, ele temia que tinha perdido as duas pessoas, que ele mais amava nesse mundo.


Notas Finais


Não me matem ok?!
Meu perfil: @Ohyixingmin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...