História The True Origins - Capítulo 9


Escrita por: e dudu-

Postado
Categorias Jeff The Killer, Lendas Urbanas, Slender (Slender Man)
Personagens Jeff, Personagens Originais
Visualizações 23
Palavras 2.248
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, FemmeSlash, Ficção, Hentai, Lemon, LGBT, Luta, Mistério, Misticismo, Orange, Policial, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello sweets o3o #5
Eu não postei ontem.
Foi mau :P
To viajando hoje então vai ser só esse cap mesmo.
E ah, acho que ele tá maiorzinho. Na capa é a Flor, minha gatinha, que virou inspiração para a personagem Flower da fic (ou seja, ela é igualzinha a foto), eu acho que se ela pudesse falar o jeito que ela falaria seria mais ou menos assim, então... :P

Capítulo 9 - A cat to talk about


Fanfic / Fanfiction The True Origins - Capítulo 9 - A cat to talk about

Beast estava brincando com a
Flower, quando a gata se alertou. Suas costas se arquearam e seu pelo arrepiou. Ela começou a sibilar para a porta.

- O que foi?

A gata o encarou.

- Para trás de você?

Ela sibilou mais alto.

- Perigo! - ele confirmou.

Saiu correndo para o quarto, vendo Mirror e Ben discutindo algo com um dispositivo na mão.

- Perigo!

- O que foi Beast? - Ben pareceu surpreso.

- A Flower disse que tem algo vindo!

- Mas você vai acredit... - Mirror o cortou.

- Se ela disse, é perigoso. O que ela disse para fazer?

- Ficar atrás dela.

Mirror puxou os dois e foi para atrás da gata. Ela começou a seguir a gata, levando os dois consigo pelo corredor. Repentinamente duas criaturas, parecendo wendigos. Antes que eles tivessem a oportunidade para atacá-los, a gata explode chamas verdes. Mirror os puxou para trás, os impedidos de serem carbonizados. As chamas não se apagaram, continuaram queimando a mandeira. As criaturas estavam carbonizadas e a gata estava no meio, ainda sibilando.

- Precisava ser fogo grego? - Mirror perguntou olhando a mansão queimando.

A gata rosnou.

- Era só para saber. Quantos mais você consegue sentir?

Ela seguiu o caminho ainda arrepiada. Mirror apenas mostrou uma expressão preocupada.

- Quantos? - perguntou Beast se encolhendo, apertando o braços de Ben.

- Ela não sabe dizer... - Mirror sacou as adagas e tirou um espelho consideravelmente grande - São mais do que ela sabe contar. Fiquem com isso.

- Para que? - Ben perguntou erguendo a sobrancelha.

- Emergências.

Nenhum retrucou, apenas continuaram seguindo. Continuaram seguindo o caminho, com a gata explodindo fogo ou gelo. E ambos continuavam consumindo a casa, como se fosse um equilíbrio. Quando se tocavam, ambos se extinguiam. Uma porta é aberta violentamente e revela Sak matando uma criatura.

- Mirror! - ela crava a faca no peito de uma criatura - Uma ajudinha aqui?

Mirror entra no quarto, usando sua velocidade para usar suas adagas super afiadas para cortar a garganta de duas criaturas.

- Vamos embora daqui!

Sak não protestou, voltaram para o corredor, onde a gata espirrava fogo. Beast criava animais de sombra e os fazia atacar as criaturas, apesar de manter certa distância da gata com seu fogo, mas Mirror nem racioncionou o porquê. Eyeless Jack veio correndo do fundo do corredor, atrás da espelhada. Assim que chegou perto da gata, ela esfregou nele um minuto antes de jogar uma rajada de gelo e congelar alguns vivos.

"Ainda bem que ela gosta de mim..." Eyeless Jack pensou enquanto saia de perto dela. Mirror lutava com certa maestria. Suas habilidades em acrobacias e luta faziam que ela quase não fosse atingida.

Quase.

Foi presa na parede e mordida no ombro, fazendo-a berrar e consequentemente fazendo Eyeless correr. O sangue desceu junto ao mercúrio, fazendo-o soltar o ombro se contorcendo pelo metal tóxico. O top estava arrebentado, o sangramento já tinha passado, porém a mulher estava atordoada. Ela não conseguia nem mexer o braço, estava quase desmaiando de dor. Se firmou zonza, apertando o ombro. A criatura foi para cima de novo e antes de chegar na menina, foi atingido por uma cotovelada de Eyeless. Suas garras cresceram, e ele atacou a criatura, dilacerando e a comendo parcialmente. O cheiro do sangue fazia seus instintos animalescos se ativarem, mas um cheiro em especial o fez sentir uma tremenda fome: o cheiro do sangue de Mirror. Era excitante, sensual e o fazia sentir o estômago roncar. Era familiar de um jeito estranho.

- Ei, como você está? - ele tirou a mão do ombro, que estava melado de sangue, mas totalmente curado - Mas que... Só vamos.

Ele puxou a menina e a guiou para perto da gata, onde o pequeno grupo de Sak, Beast e Ben estava. Sak, que estava matando um deles, se assustou ao ver Mirror.

- Mirror! - ela se abaixou e deixou um bicho tropeçar nela e cair escada abaixo - Que te aconteceu? Cê tá bem?

- Tô... - ela jogou a adaga na cabeça de um - bem sim tia.

A gata pulou escada abaixo em cima de uma criatura o atacando com suas garras e mordidas venenosas.

- Ela tem veneno? - Ben perguntou surpreso.

- Quando ela quer...

- Mas ela não te arranha? - Sak levantou a sobrancelha.

- Eu tenho o soro - a mulher deu ombros.

Seguiram a gata para a sala, onde alguns creepys já se reuniam.

- Essa foi a coisa mais divertida que fiz essa semana - Jeff diz enfiando a faca em mais um.

- Eu discordo - Clockwork estava um tanto séria.

- Eu curti - Toby metia a machadada na cabeça de um - é divertido quando eles quebram.

A gata parou no meio da escadaria. Ela se vira para Mirror desesperada.

- Fugir?

Mirror repentinamente foi atingida nas costas. Não era uma criatura. Uma mulher de olhos azuis escuros empunhava uma adaga. Seus cachos negros chegavam até a metade das costas, sua pele era branca de mareira adocicada, avermelhada nas bochechas. Lábios vermelhos e carnudos, que tinham um sorriso maldoso em seus lábios. Sak atingiu a outra no pescoço, mas ela apenas se desfez em flores. Mirror estava atônita. Ela caiu no chão. Eyeless sabia que ela se regenerava, aparentemente extremamente rápido, então o que tinha acontecido? As criaturas recuaram com a garota. A gata se aproximou da garota, mas começou a sibilar para a adaga. Quando Eyeless a tirou, percebeu que a carne estava queimada, meio derretida. O que era aquilo?

A gata rosnou para a adaga.

- Bronze? - Beast parecia abobado, mas depois acordou - Bronze! Joga isso fora! É ruim!

Eyeless jogou a adaga longe, percebendo que a garota sangrava, controlou ao máximo seus instintos para não tirar um pedaço dela. Ele a pegou meio zonzo no colo, procurando uma maneira de ajudar a ela e a si mesmo. Aquele cheiro o deixava louco. A gata miou.

- Espelho! - Beast disse o pegando o espelho e o pondo no chão - Segue ela!

Eyeless apenas fez o que foi mandado. Foi levado ao espelho pela gata.
 

Vibe já estava novamente funcional quando todas sentiram um alerta.

- Mirror? - perguntou Kuroro.

- Grave. - afirmou Akami um pouco desesperada.

- Abacaxi? - todos a encararam com uma expressão de "Você tem demência?"

- Ignorem - Eliza afirmou em tom alto, as fazendo focar nela - Vamos ter que invadir a dimensão?

Akami ia responder, mas o sinal baixou.

- Ela entrou no Dark Pass? - Kuroro ficou confusa.

- Era muito grave, ela devia estar desacorda. Quem a levou? - Akami franziu o cenho.

- Pode ter sido o Eyeless Jack. - todas a encararam novamente, dessa vez mais nervosas e ansiosas - O que foi? Faz sentido! O único ser que consegue entrar lá sem ser ela é a Flower, e ela optaria levar alguém que ela conhece!

Vibe pôs as mãos na cintura fazendo bico. Todas ficaram ainda mais tensas.

- Faz sentido... - Eliza afirmou se encolhendo.

- Ha! Eu estou certa! - Vibe fez a dancinha da vitória.

- Vibe - Akami disse em tom sério - isso não é algo bom.

- Eu estar certa não é algo bom? - ela franziu o cenho.

- Não idiota! - Kuroro deu um tapinha na testa dela - Eyeless Jack e Mirror estarem juntos não é algo bom.

- Ahhhhhhhh - ela deu um sorrisinho - faz sentido. - ela arregala os olhos - eles estão juntos? O que vamos fazer?

Vibe quase entrou em modo de destruição automática.

- Calma criatura - Akami deu um tapa nela - é isso que temos que pensar!

- Aí! - Vibe fez bico - Por que nós só não deixamos eles serem felizes e fazemos as coisas no jeito que deveriam ter sido feitas a quatrocentos e noventa e oito mil duzentos e sessenta e sete anos, quatro meses, dez dias, sete horas, cinquenta e seis minutos e quarenta e dois segundos atrás?

Todas a encaram meio chocadas.
 

Ao chegar lá, Eyeless seguia a gata por um caminho estreito e escuro. Ao atingir uma grande sala circular com uma piscina de líquido prata dentro, a gata parou. Sentou-se na frente, tocando sua pata lá e depois encarando o garoto. Ele foi coloca-la lá, mas a gata rosnou. Cadê Beast quando ele precisava? Então ele e pôs no chão e a gata mordeu as roupas dela. Ele começou a suar frio. Aquilo era sério mesmo? Lentamente, começou a despir a mulher, tentando não encarar o corpo sinuoso e atraente a sua frente. O cheiro do sangue junto ao cheiro floral dela o deixava entorpecido. Seus instintos se ativaram e antes de tomar consciência disso, sua parte animalesca dominava sua mente. Ele desejava tão profundamente comer um pedaço daquela garota que acabou se descontrolando. Ela desacordada e indefesa, era quase como um convite. Seu pescoço estava exposto. A gata miou, fazendo-o acordar de seus devaneios. Ele colocou a mulher no liquido antes que se descontrolasse de novo. Então um clique surgiu na sua mente. Porque ela tinha rosnado para as roupas? Ele voltou até a pilha de roupas, cheirando as peças. Não precisou ir muito longe, ao cheirar o top, a primeira peça, detectou algo. Um cheiro desconhecido por ele. Um cheiro feminino. Recordou em sua mente os odores das mulheres que já tinha se encontrado com a morena, mas nenhum deles bateu. A gata estava sentada ao seu lado e começou a sibilar para o top. Ele o colocou no bolso. A gata parecia quieta e paciente. Subiu no colo do garoto e encarou a mulher no líquido. Seus olhos estavam fechados e ela estava sentada. A única coisa que era possível ver era os seus ombros e pouco de seus seios. Seus cabelos estavam soltos e sua expressão estava suave. Ele sabia que tinha entrado no Dark Pass, mas não fazia ideia de onde estava lá, nem como de como tinha entrado lá e muito menos de como iria sair. Conversar com a gata pareceu uma ideia muito menos absurda do que deveria.

- Então... de quem é esse cheiro?

- Da tia dela.

Eyeless Jack deu um pulo, quase jogando a gata longe.

- Hei! - disse nervosa - Eu te dei uma informação, não era para você tentar me matar!

- Desculpe - ele ficou meio constrangido, meio assustado - eu apenas me assustei!

- Você não era assim. - afirmou rabugenta.

- Eu? - ele fica surpreso - Eu já conversei com você?

- Claro! - ela deu ombros - Você e ela faziam muito barulho aqui! Sempre começavam tentando brigar por comida ou algo assim, depois iam tirando a roupa e fazendo muito barulho.

O garoto cora ouvindo as palavras da gata. O que ele e Mirror faziam aqui? Espera... a gata está falando?

- Como você fala?

- Aqui eu consigo falar com vocês. Mas ela sempre me entende.

- Certo... - ele parecia confuso e perdido.

- Você pode me dar comida? - ela se sentou - Estou com fome.

- Eu não sei onde é... - ele disse - E se ela acordar?

- Se ela acordar ela acordou ué! - a gata respondeu em tom de deboche - E a propósito, por que desviou o olhar?

- E-eu... - ele não conseguia completar a frase.

A gata deu as costas a ele, observando a mulher.

- Você esqueceu que bronze é do mal?

- Eu não me lembro de muita coisa. - ele se sentou ao lado dela, observando a espelhada - O que pode me dizer sobre mim?

- Você apareceu com ela a muito tempo atrás. Quando ela era menor. - a gata começou, confirmando algo a ele. Aquela criança era Mirror - Mas depois de um tempo você sumiu. Ela não se lembrava de você, então eu resolvi deixar quieto. Mas depois você reapareceu, mas a trantando diferente. Eram mais carinhosos um com o outro.

- Como? - ele perguntou um tanto confuso.

- No começo você era como se fosse a mãe e ela um filhote. Depois passaram a parecer um casal de gatos, com ela no cio. - o garoto corou por baixo da máscara com aquela informação - E depois vocês apareceram aqui de novo, com ela diferente. E essa foi a última vez que te vi.

- Diferente como?

- Não me lembro exatamente. - a gata fechou os olhos - Sei que depois disso ela voltou aqui sozinha uma vez, sofrendo muito. Depois passou muito tempo sem vir e depois voltou a entrar.

- E você pode entrar e sair a hora que quiser?

- Eu sou conectada a ela de certo modo. Posso entrar e sair quando eu quiser, onde eu quiser.

O garoto parecia atordoado pelas notícias. Algumas cenas borradas passavam em sua mente, como a menina sorrindo, ou os dois brincando com a gata. Nada era certo, até que ele teve um estralo em sua mente. Começou a procurar alguma coisa em seu bolso. Achou então uma pedra. Era do dia que levou um soco. Ele se lembrou disso junto com a outra memória.

- Você conhece esse cheiro? - perguntou cheirando antes, confirmando que era o cheiro que queria.

- Sim - deu mais uma cheirada - é a Akami. Por que?

- Nada em especial.

Agora ele tinha um nome.


Notas Finais


E é isso.
Até outro dia sweets o3o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...