1. Spirit Fanfics >
  2. The Melody Of Tears - SaiDa >
  3. Capítulo 28.

História The Melody Of Tears - SaiDa - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Oy

Capítulo 28 - Capítulo 28.




[...]



O dia da viagem tinha chegado. Na verdade eu estava pensando, que seria mais rápido para chegar. Mas não, estamos a duas horas exatas na van. 

ㅡ Está tudo bem, maestrina? - Sana perguntou e senti seus lábios no meu pescoço. 

ㅡ Está sim… e você pare de me provocar, Minatozaki - Falei baixinho, apenas para ela escutar. Estávamos nos últimos bancos da van. Mina e Chaeyoung dormiam de um lado, e Yeeun e Elkie estavam conversando baixinho enquanto olhavam a paisagem pela janela. Irene conversava com o motorista e Ryujin jogava em seu celular. Eu estava feliz. 


Juilliard...


As audições vão começar em agosto e não estou preparada. Engraçado, não estou preparada para tentar realizar meu sonho. 

ㅡ No que tanto pensa, meu amor? - Sana tirou algumas mechas de cabelo que estavam no meu rosto e beijou minha bochecha devagar. 

ㅡ Estou feliz, apenas - E isso não era mentira. Só de olhar para a aliança em meu dedo já sinto meu coração acelerar no peito. 

ㅡ Hmm, sério? - Ela mordeu minha bochecha. 

ㅡ Sim e pare com isso - A afastei, deixando um selinho demorado em seus lábios vermelhos.

ㅡ Ai, ok, mas no hotel você me paga - Ela falou baixo no meu ouvido, com a voz rouca. Sorri nervosa.

ㅡ Fizemos amor ontem na sua casa, hoje na casa do parque e mais uma vez antes de sairmos, no quarto da sua amiga ali - Falei no mesmo tom que ela e mordi o lábio ao ver que isso a afetou. Sua respiração acelerou. 

ㅡ Por mim, eu faria isso sempre - Ela respondeu beijando meu pescoço. Precisei fechar os olhos e me controlar, para tentar controlar essa ninfomaníaca. 

ㅡ Depois a gente resolve isso, prometo - Beijei seu lábios novamente - Agora, eu irei descansar um pouco, me acorde quando chegarmos, sim? - Pedi e ela assentiu, oferecendo seu abraço para me acolher. Aceitei de bom grado. 


Adormeci escutando as batidas do coração dela. 




[...]




ㅡ Nem chegamos direito e já vamos nos apresentar - Chaeyoung reclamou se apoiando no meu corpo. 

ㅡ Bem, esse show tem muitos produtores e alguns integrantes de bandas norte americanas - Irene comentou chegando perto da gente. 

ㅡ Eu estou nervosa - Yeeun falou e Elkie beijou sua bochecha timidamente. 

ㅡ Vocês vão se dar bem - Falei e um dos empresários apareceu. 

ㅡ Meninas, vamos! 

ㅡ Boa sorte, garotas - Falei apertando o braço - tatuado - de Chaeyoung. Ela sorriu e saiu junto com as garotas restantes. 

ㅡ Vamos para a área vip, Dahyun? - Elkie me chamou estendendo o braço. Aceitei o convite e entramos na área vip, tendo uma visão perfeita do palco onde as garotas se apresentariam. Pegamos algumas bebidas e esperávamos passar a intro para finalmente as meninas entrarem. 


ㅡ E com vocês, direto de Jersey City, D.A!

ㅡ É agora - Sorri ao ver Elkie animada.




[...]




O que eu poderia dizer? Quando Sana estava se apresentando, mostrava uma face totalmente diferente. Confiante, sexy e até mesmo um pouco agressiva. 


Elas tocaram cinco músicas e tinham acabado de terminar a sexta, enquanto eu estava na minha quarta dose de whisky. Elkie estava muito mais alterada que eu. 

ㅡ A Y-Yeeun! - A chinesa do meu lado gritou - Muit- gata - Um soluço atrapalhou a frase dela e caímos na gargalhada. 

ㅡ Vamos, as garotas irão voltar pro camarim - Falei puxando ela pelo braço devagar. 



ㅡ Não me diga que a Elkie está bêbada - Mina riu quando nos viu, minutos depois, no camarim. 

ㅡ Não estou bêbada, t-talvez um tantinho assim alterada - Ela mostrou com os dedos os "tantinho" e riu. 

ㅡ Yo, Dahyun! - Me virei pra Ryujin ao escutar o chamado - Sana está lá fora, ela está dando alguns autógrafos.

ㅡ Certo. 


Saí do camarim, atrás da minha namorada. E bem, eu acabei encontrando ela dois minutos depois, dando atenção para alguns de seus fãs. 

ㅡ Aqui, delícia - Uma mulher peituda e com fortes traços ingleses chegou perto de Sana, essa que deixou o autógrafo no seio da mulher - O que acha? - A moça virou de costas e afastou os cabelos da nuca - Tatuei um anjo caído em homenagem a vocês. 


Sana reparou a mulher de cima para baixo. 


ㅡ Achei daora - Ela respondeu e sorriu. Eu apertei os lábios e ergui a mão levemente. Sana me percebeu ali e passou entre as fãs que resmungavam e pediam pra ela ficar mais tempo.

ㅡ Oi, Sannie - Falei e sorri maliciosa vendo suas roupas. Uma calça de couro preta, top e jaqueta vermelha, deixando à mostra aquele abdômen magnífico. Mas confesso que fico com um pouco de ciúmes já que todos estão vendo essa beleza que só eu queria ver. 

ㅡ Vem comigo - Ela me puxou levemente pelo pulso até um dos banheiros da área vip que estava meio vazia. 

ㅡ Você está diferente - Falei vendo que ela me olhava com um olhar totalmente diferente. Talvez mais selvagem. 

ㅡ É porque você está uma tremenda gostosa nessa roupa - Ela colocou as mãos na minha coxa descoberta e subiu lentamente, entrando por dentro da minha saia. 

ㅡ Gostou? - Sorri e beijei o canto dos seus lábios, provocando. 

ㅡ Você está muito atirada hoje, senhorita Kim - Ela sussurrou me colocando contra a porta. 

ㅡ Culpe algumas doses de whisky - Falei no mesmo tempo que Sana e afastei a jaqueta do ombro dela, mordendo logo em seguida. 

ㅡ Ah, vou culpar o whisky - Sana apertou minha cintura e começou a beijar meu pescoço. Beijos molhados, seguindos de mordidas que logo se transformaram em chupões visíveis. 

ㅡ S-Sana - Peguei em sua nuca, arranhando-a. Eu já estava sensível, pronta para ela. 


A gente até poderia continuar, se o meu celular não tivesse tocado. 

ㅡ Perdão - Falei e peguei ele no bolso traseiro da saia - Mina? 


ㅡ Dahyun, eu sei que o fogo é muito e é difícil de apagar, mas vocês duas, VENHAM LOGO! - E desligou.


ㅡ Deixa eu adivinhar, Mina? - Olhei pra ela por alguns segundos e começamos a rir. 

ㅡ A gente precisa voltar - Falei entrelaçando os braços no pescoço dela. 

ㅡ Precisamos… quando chegarmos em casa, vou te agarrar em cada canto…  - Mordi o lábio inferior imaginando tudo isso. Fiquei nas pontas dos pés para roubar um selinho rápido dela. 

ㅡ Agora, vamos.  




[...]

Algum tempo depois...



As férias passaram como um raio. Ficamos uma semana na cidade vizinha e minha namorada e eu, aproveitamos o resto das férias juntinhas na casa dela. Claro que, depois de muita insistência dos meus pais. 


Posso dizer também que, literalmente, fizemos amor em cada canto da casa dela. Até a gatinha de estimação pegou a gente no flagra na cozinha. 


Mas tudo o que é bom, dura pouco e logo agosto chegou e junto dele, aulas, trabalhos, apresentações no State e…

ㅡ Mãe, eu não sei se devo mandar minha inscrição - Falei chorosa enquanto andava de um lado pro outro com o notebook em mãos. 

ㅡ Querida, é só uma audição, não sua primeira consulta na ginecologista - Papai falou isso tentando me acalmar? 

ㅡ Fica quieto - Mamãe repreendeu ele que apenas riu - Filha, você tem cinco dias para mandar a inscrição, sei que é difícil acreditar em si mesma, mas eu aconselho que faça a inscrição, faça a audição e realize seu sonho de criança.

ㅡ Ok, ok… está tudo pronto, é só mandar… enviar - Fechei os olhos e…


Cliquei. 


Eu tinha acabado de mandar minha inscrição para a audição. 



ㅡ Porque não entra pra Juilliard também? - Perguntei para Tzuyu. Na verdade, eu nunca tinha visto minha amiga tão radiante como depois das férias. 

ㅡ Ah, eu quero voltar pra Taiwan, entende? Passar uns tempos lá com meus avós, depois ir pro Brasil e comer feijoada até morrer, depois, comer pizza na Itália e dar um pulinho em Miami - Ela riu com seus planos - Resumindo, quero viajar o mundo, entende? Procurar por ares novos.

ㅡ Quer conhecer o mundo com a Jihyo - Falei brincando mas ela sorriu mais ainda e assentiu - Menina, não brinca? 

ㅡ É sério! E olha, estou noiva! - Ela mostrou o dedo anelar que estava destacado com uma aliança delicada e brilhante. 

ㅡ Tzuyu? - Sorri animada pela felicidade da minha amiga e ela sorria mais ainda - Como foi? 

ㅡ Ai, amiga, foi perfeito, foi no início de agosto, estávamos jantando - Ela parou para beber um gole de refrigerante. - Estávamos jantando quando do nada ela finge que caiu, mas na verdade era só uma desculpa pra eu me levantar e ela se ajoelhar, me pedindo em casamento, em público. 

ㅡ Mano e as pessoas…? 

ㅡ Comemoraram muito, cara! Me senti famosa - Rimos disso e ela olhou pro céu cinza - Eu espero que tudo dê certo e que… Ela realmente me faça a mulher mais feliz do mundo assim como farei ela sorrir pra tudo também. 


Sorri emocionada e deixei um tapinha no ombro dela. 


ㅡ Para de ser gay - Ela me olhou como se dissesse "te enxerga poc". 

ㅡ E como anda sua relação com a Sana? 

ㅡ Hmm, tudo bem até agora, mas sabe… ainda não contei sobre a… sobre a Juilliard - Bebi mais alguns goles do meu refrigerante. 

ㅡ Como não? Porque, Dahyun? - Tzuyu me olhou surpresa.

ㅡ Eu não sei como ela vai reagir, tipo, eu sei que a base da banda é aqui, em Jersey City e a Juilliard fica em Nova York… também nem sei se vou passar-

ㅡ Pare - Ela jogou a latinha vazia na primeira lixeira que viu - Você é tipo um mestre Beethoven no piano, só que do século 21, e com certeza, você vai passar, Dahyun.

ㅡ Mas e a Sana-

ㅡ Ela vai te apoiar! E se não apoiar… ela é uma idiota, esse sempre foi seu sonho! - Tzuyu desviou o olhar para o céu de novo - Conte pra ela, Dahyun. 

ㅡ Acho melhor fazer isso mesmo… - Falei lembrando de quando conversamos sobre planos para o futuro. 


Ela queria continuar com a banda. Claro, a D.A tem chamado muita atenção e já está sendo chamada para vários outros estados.

E quando ela perguntou o que eu queria fazer no futuro, o que eu queria estudar, eu não soube o que responder. Não tinha certeza sobre nada. 


Eu acho que finalmente irei responder isso a ela. 




[...]





Notas Finais


👁👄👁meu sonho é tocar piano na praia


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...