1. Spirit Fanfics >
  2. The Memory Remains >
  3. Com amor e saudade

História The Memory Remains - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


PENULTIMO CAPITULO PESSOAAAAL

Capítulo 10 - Com amor e saudade


Taylor se recordava da primeira vez que viu James perder o controle de como seu rosto ficou vermelho e sua pele quente, das palavras saindo emboladas de seus lábios e o bafo de vodka em sua boca. Nunca foi agressivo com ela, nunca sequer encostou um dedo em sua pele fina e branca, como porcelana, ele a amava demais e sua honra era grande, nunca tocou e nunca tocaria em uma garota daquele jeito, muito menos sua garota. Sua raiva era direcionada a paredes e outros bêbados que batiam de frente, as vezes até pessoas inocentes que se direcionavam a ele na hora errada.

Vivia estressado e usava isso para justificar a bebida. “é só um gole, para desestressar”, dizia. Nos shows enchia a cara de cerveja, antes, durante e depois, perdendo seu perfume amadeirado, constantemente fedendo a álcool. Seu beijo não tinha mais o gosto que Taylor tanto amava, agora, quando o beijava, sentia que ficaria bêbada só de sua saliva.

Ia para festas, bares, boates, perdendo a cabeça com Lars e Kirk que pareciam estar em outro mundo, mas não bebiam, cheiravam. As vezes chamava desconhecidos para sua casa e no dia seguinte, Taylor limpava a bagunça. A loira não conseguia mais se divertir, pois vivia em um estado de constante preocupação com o namorado, sempre bêbado e se metendo em encrencas, não deixando uma brecha sequer para que ela apreciasse estar alto ou o mínimo, o gosto de bebida.

Se tornou sóbria para que ele pudesse ficar bem em meio a seu vício.

Levou anos para perceber o quão estupida foi.

Assistiu enquanto o homem que amava se transformava em outro, menos atencioso, menos carinhoso, menos vivo. James parecia um morto vivo, sem rumo, vagando na rua como um vagabundo, procurando encrenca para aliviar as mazelas de seu peito, ao invés de visitar um psicólogo e cuidar da fonte de tudo, do porque era do jeito que era, agia do jeito que agia, se sentia do jeito que se sentia.

E deus como ela insistiu, para que ele se tratasse, para que ao menos fosse ao psicólogo, como escondeu garrafas de bebida e proibiu seus amigos de o incentivarem, mas nada adiantava, ele tinha meios e dinheiro para encontrar o que procurava e alimentar seu vício na estrada era ainda mais fácil, com álcool sempre ao redor e pessoas para incentivarem seu comportamento.

Logo estava exausta, exaurida por perder o cargo de namorada e ser nomeada para o de babá. Não conseguia mais frequentar shows e não conseguia mais discutir sobre a bebedeira do loiro, desistindo e se escondendo dentro do quarto, quando estavam em casa e quando na estrada, vagava sem rumo em ruas sem nome de cidades que ela mal recordava.

Emagreceu e começou a perder o cabelo, tirando um tempo para si com sua irmã, prestes a casar com Lars, quando ela concorreu ao Miss América. Ganhou, claro que ganhou, essa simplesmente a garota mais linda lá e Taylor a melhor estilista. Focou em fazer roupas para a irmã e se interessou em fazer outras para amigos, para a banda e para si mesma. Com o tempo começou a ganhar notoriedade, fazia roupas para divas pop e simplesmente amava as ver performar em seus outfits.

Voltaram para uma fase mais calma, James diminuindo um pouco a bebedeira ao perceber que Taylor se afastava cada dia mais e o medo de perdê-la foi o suficiente para o fazer tentar mudar seus hábitos. Mas vícios são vícios, difíceis de lidar e principalmente de se livrar.

A fase boa durou pouco e logo o rancor se instaurou. O álcool transformava James em uma pessoa possessiva e ciumenta, sua ausência o deixava carente e amargurado, não havia mais um meio termo e tentar guia-lo para um caminho melhor se tornou impossível, visto que a única pessoa que chegava perto de conseguir isso era Taylor e bem, Taylor mal tinha forças para continuar, adquirindo um vicio em xanax, simplesmente flutuando pelo espaço e pelo tempo sem sequer pensar.

Foi no dia em que bateu o carro em um poste, drogada de xanax, que Taylor acordou para a vida. Deu um ultimato para James, ou eles ficavam sóbrios juntos ou ela iria embora. James gritava a chamando de egoísta, a acusando de abandoná-lo por seu trabalho, isso tudo em meio a uma crise de abstinência, visto que ficou dois dias sem beber ao lado de Taylor no hospital.

Trocaram farpas a noite inteira, magoados e amargurados, James insistindo que não tinha um problema com bebida e Taylor tentando convencê-lo do contrário. Implorou de joelhos quando a viu fazendo as malas, chorou ao vê-la ameaçar sair pela porta e comum amor tão grande, Taylor ficou, mais uma noite, indo embora pela manhã, sabendo que somente assim conseguiria ir, pois o amava demais e era necessário somente um olhar para cair na tentação de tentar de novo e de novo.

Acordou com uma carta no canto da cama que Taylor dormia. E vomitou, de tanto chorar, ao perceber que havia chegado ao fim do poço. Queria ficar limpo, mas a opção mais fácil naquele momento era se afundar na bebida, foi a única coisa que tapou, por algumas horas, o buraco crescente em seu peito. E apagou, bêbado, mais uma vez, com os olhos vermelhos de tanto chorar, cheirando a carta que Taylor havia deixado, torcendo para que seu cheiro nunca fosse embora daquele papel.

“James,

Meu amor por você é intoxicante. Mal consigo respirar quando você me olha e quando me toca? Eu perco de vez a cabeça, virando uma garotinha apaixonada que necessita de seu amor para se manter feliz. Me tornei dependente do seu afeto e do seu beijo, do seu toque e de seu carinho, me sentindo em casa nos seus braços.

Você é como voltar para casa após uma longa viagem e todas as vezes que você partia e eu não podia ir, uma parte de mim morria, só para ser revivida ao busca-lo no aeroporto, sabendo que finalmente poderia dormir ao seu lado novamente.

Eu te amo e respeito isso demais para deixar que as coisas continuem do jeito que estão.

Você não é mais o mesmo, não é o garoto carinhoso e charmoso no qual eu me encantei em um concurso ridículo de beleza, gargalhando pelo motivo mais idiota. Senti naquele momento que éramos parecidos. Isso foi confirmado quando você me levou para beber, visto que não conseguimos parar de falar por horas.

Minha irmã estava certa e sempre esteve, por você eu perco completamente a cabeça, quebro todas as minhas regras e me desfaço de tudo que acredito, pois você foi a luz que eu precisava para crescer.

Com o tempo você mudou e eu tentei acompanhar a sua mudança, porém quando notei que ela não era para melhor, tentei te mudar de volta. Talvez você goste de ser quem é agora, mas eu não sei se gosto desse novo você.

Eu amo o James pelo qual me apaixonei, carinhoso, apaixonado, dedicado, que me fazia rir com as besteiras mais sem graça.

Não sei porque você escolheu amar a bebida mais que a mim, mas espero que ela te faça feliz, porque, bem, eu desisto.

Desisto de competir com algo que já faz parte de você.

Eu te amo, James Alan Hetfield e espero do fundo do meu coração que um dia você se encontre novamente, talvez, mais para frente, nós vamos nos reencontrar, você provavelmente será outra pessoa, bem, e eu também, só espero que seja uma pessoa melhor.

Não estrague tudo, bem, quero dizer, não piore o que você já destruiu.

Com carinho e saudades,

Taylor.”.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...