História The Moon, The Sun, The Love - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Teen Wolf, The Vampire Diaries
Personagens Alan Deaton, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Derek Hale, Elena Gilbert, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jeremy Gilbert, Jordan Parrish, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stefan Salvatore, Stiles Stilinski, Theo Raeken, Tyler Lockwood
Tags Romance, Sterek, Teen Wolf
Visualizações 557
Palavras 2.047
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Prontos para mais um capítulo, eu espero que sim.
Desde já peço desculpas pelos erros que encontrarem rs...

Não fiquem com raiva de mim se o Derek lhes desapontar.

Capítulo 3 - O que o novo alpha quer


Fanfic / Fanfiction The Moon, The Sun, The Love - Capítulo 3 - O que o novo alpha quer

Cheguei no meu quarto e me joguei na cama. Afundei minha cara no travesseiro e gritei o abafando. Todo aquele acontecimento na estrada, seguido do que ocorre no hospital, era muito para minha cabeça. Senti alguém se deitar ao meu lado na cama. Apenas pelo cheiro exalado já sabia tratar de meu namorado. Virei meu rosto para olhá-lo.

- Oi. – Disse ele com um sorriso simples, enquanto apoiava sua cabeça em seu braço.

- Oi. – Respondi.

Dei um giro na cama e me aconcheguei de costa nele. Recebi um abraço forte e quente. Seguido de um beijo na nuca.

- Eu atropelei um lobisomem. – Disse secamente.

- Fiquei sabendo. – Parrish riu. – Mas ainda bem que ele não morreu. Já pensou, o filho do xerife preso por acidente de transito? – Ele gargalhou.

- Engraçadinho! – Disse rispidamente e levantei da cama. – Só por isso, vou tomar banho... E não ouse me acompanhar... – Caminhei para o banheiro.

Entrei no banheiro e tirei a camisa. Voltei até o quarto e joguei no chão. Fiz cara de désdem para Parrish, que acabou sentando. Voltei para o banheiro e tirei a calça. Repeti o mesmo processo. Indo até quarto e jogando a peça no chão e dando o mesmo olhar para o loito. Fiquei olhando para o mesmo e fiz mensão de tirar minha cueca box. Baixei um pouco e rapidamente a subi e voltei para o banheiro.

- Volta aqui e termina o que começou. – Ouvi Jordan falar.

- Obrigue-me... – Respondi enquanto ligava o chuveiro.

Não demorou muito e senti os músculos de Parrish contra minhas costas. Seus membro já estava completamente duro. Joguei minha cabeça para trás tocando seu ombro. Seus lábios tocaram meu pescoço arrepiando meus pelos. Num rápido movimento virou-me para ele. Nossos lábios nos tocaram de maneira apaixonante, desejo. Começou calmo e logo foi evoluindo para mais forte, aumentando o tesão. Com desejo de quero mais e mais. Levei minha mão até o membro do loiro e fiz caricias. Jordan foi descendo seu beijos pelo meu pescoço, até chegar em meu mamilo, começando a chupar, morder. Num rápido movimento Parrish levantou minhas pernas fazendo abraçar seu corpo com elas. Segurei em seu pescoço, mais uma vez nossos lábios estavam colados. Senti o membro dele tocar minha entrada. Peguei um pouco de creme e lambuzei minha entrada e o membro de Parrish. Forçou entrada e logo estava dentro de mim. Ao senti-lo dentro de mim, iniciando seus movimentos, curvei meu corpo para trás pelo prazer. Parrish desligou o chuveiro dando ínicio a estocadas mais fortes. Ficamos assim por um tempo entre vai e vem, estocadas fortes, beijos e muitos gemidos. Senti seu membro ser retirado de mim e reclamei. Desceu meu corpo, virou-me de costa para ele e rapidamente penetrou minha entrada. Intensificou a penetração, ficando mais forte, por fim com um gemido alto acabou explodindo dentro de mim. Também cheguei ao climax, uma vez que era masturbado por ele. Retirei seu membro e nos beijamos profundamente. Sem demora liguei o chuveiro e ficamos nos beijando por baixo da água, nos lavando.

- Cadê meu pijama que deixei aqui? – Perguntou Jordan enquanto vasculhava meu guarda roupa.

Olhei-o sinicamente, forçando um sorriso.

- Bem...

- O que você fez? – Disse ele me interrompendo, enquando cruzava os braços e se encostava no guarda roupa apenas de toalha enrrolada no corpo.

- Eu não achei o meu e acabei pegando o seu... – Forçei um sorriso. – Levei para casa do meu amigo e acabou ficando lá.

- Que amigo? – Ele arqueou a sobrancelha.

- Hmmm...

Scott e os outros do bando já sabiam de minha amizade com vampiros. Parrish estava viajando e havia acabado de chegar, então não tivemos tempo de conversar sobre esse assunto. Qual seria a reação dele?

- Stiles! – Chamou ele.

- Tá tudo bem... – Comecei eufórico. – Bem conheci um vampiro uns meses atrás. Viramos amigos... – Os olhos de Parrish arregalaram. – Na verdade conheci uma bruxa, o vampiro veio como brinde e nos tornamos amigos. Já fui em sua casa e passei o final de semana lá na sua última viajem.

- Stiles... – O interrompe com um beijo.

- Eu estou aqui e estou bem. – Disse envolvendo meus braços em seu pescoço. – Apenas confie em mim. – Dei um outro beijo nele, que bufou. – Pode dormir assim. – Deixei a toalha cair. – Se é que vamos dormir.

Deitamos, nos amamos e adormecemos.

- Stiles...

- Hmmm...

- Stiles... Acorda... – Parrish me cutucou. – Stiles… Seu telefone está tocando.

Alcancei o celular.

- Hmmm...

- Stiles?

- McCall... são... oito da manhã de... sábado. – Dei ênfase na última palavra.

- Reunião na minha casa, em uma hora. Não demora.

- Pra... quê? – Disse sonolento.

- Precisamos conversar sobre o Derek Hale...

- Como? – Dei um pulo na cama indo parar no chão.

- Isso mesmo. Vamos conversar sobre ele mesmo, não demore. Tchau... Ah... Trás o Parrish.

Uma hora depois estávamos todos reunidos na sala de estar dos McCall. Estavam todos do bando ali, os sobrenaturais – Petter, Malia, Kira, Lydia, Scott, Liam, Theo, Parrish, os gêmeos –, e os humanos – eu, meu pai e Cris Argent.

- Então, já estamos todos aqui. – Começou meu pai impaciente. – O que está faltando?

- Eu. – Uma voz veio pela porta.

Todos olharam para trás e se depararam com Derek Hale. Por um breve momento senti minha garganta ficar seca e perder as forças nas pernas. Meu coração disparou. Senti os olhos acusadores de Scott em minha direção, afinal era o mais próximo de mim.

Derek entrou e se sentou numa poltrona de frente para mim. Senti seus olhos ficarem frios e seu rosto se fechar ao me olhar. Senti um frio de medo percorrer minha espinha. Todos se apresentaram sendo amigaveis com ele.

- Ok, ok, ok... – Rompi aquele momento com palmas e agitação de sempre. – Vamos direto ao ponto. – Todos me olharam. – O que você veio fazer aqui?

- Stiles! – Fui repreendido por meu pai.

- Ah! Todos estão querendo saber...

- Por que ele está aqui? – Disse Derek com raiva.

- Eu faço parte desse pack do Scott...

- Com que finalidade? – Devolveu Derek.

- Com a inteligência...

- Inteligência? – Derek me interrompeu. – Dirigindo daquela forma... – Ele desdenhou.

- Foi você que apareceu do nada no meio da estrada seu lobo burro. – Disse rapidamente, sem respirar, levantando os braços com agitação.

Derek ficou de pé fazendo seus olhos brilharem em vermelho.

- Fique na sua ai... – Disse Parrish brilhando seus olhos em dourado.

- CHEGA! – Gritou Scott. Todos se alcamaram. – Então Derek... Quais suas intensões em seu retorno para a cidade?

- Voltei, pois aqui é minha cidade natal. Nasci e cresci aqui. Nada mais justo que um dia voltar para minha cidade, minha casa. Reencontrar minha irmã. E quem saiba... – Derek riu de canto. – Criar uma bando para mim.

- Nós não saímos mordendo qualquer pessoa aqui em Beacon. – Disse Liam.

- Muito alpha né. – Disse com meu sarcasmo de sempre.

- O fato é que somos lobos. – Derek apontou para todos. – Ou quase todos. – Dessa vez ele olhou para Malia, Lydia, Kira e Parrish. – Eu sou um alpha. – Apontou para si mesmo. – Preciso de um bando. Simples.

- Bela maneira de começar um bando... – Disse Malia revirando os olhos. – Sair mordendo toda a cidade.

Não houve respostas.

O silêncio pairou.

- Falta um detalhe. – Petter rompeu o silêncio. Todos olhamos para ele. – Eu sou o alpha da família Hale, juntamente com Laura. Você só viraria alpha quando ela morresse. E pelo o que sei está bem vida... Então, como virou alpha?

Derek riu para si mesmo.

- Matando um alpha. – Olhou para o tio. – No meu caso, matando dois. – Olhou para Scott.

 

***

 

Derek já morava há dois anos em Paris. Lá conheceu um poderoso pack de alpha, oito no total. Eram liderados por uma bela francesa, Antoinette. Uma ruiva, pele de porcelana, ceios fartos, lábios carnudos. Dividia o comando com Paul, um inglês.

Paul era completamente apaixonado por Antoniette e nunca aceitou muito bem a relação de sua mada, com um beta qualquer. Por diversas vezes ambos se estranharam. Nas primeiras vezes, Derek levou a pior, pois enfrentava um alpha. Porém acabou aprendendo os ataques de Paul, que sempre usava os mesmos, e deu um golpe fatal em sua garganta. Os demais alfas que olhavam ficaram surpresos com o acontecido. Derek tomou o poder de Paul. E quando se deu conta do acontecido se desesperou imaginando ser atacado pelos outros. Antoniette o convidou para fazer parte do bando, ocupando assim o lugar de Paul no pack.

Quando tudo parecia correr bem, Andrew, outro alpha do pack de alphas traiu os companheiros. Aliou-se com caçadores da Inglaterra e armou uma cilada para acabar com Derek. Teve ajuda de Janny. Que era amante de Paul, e quando ficou sabendo da morte do amado não lidou bem com o acontecido. Andrew junto-se ao plano da caçadora, pois sempre fora apaixonado por Paul.

Entretanto naquela fatídica noite os caçadores chegaram dispostos a matar todo o pack. Antoniette não se deu conta do perigo que os cercava e  acabou sendo a primeira, o casal de gêmeos foram os próximos. Klaus, Frank e Derek lutaram contra o grupo. Mataram metade dos caçadores. Janny tentou acertar Derek com um tiro, mas na briga de Frank com Andrew acabou acertando Frank. Klaus correu até o seu amado, mas o mesmo já estava sem vida,  não percebendo a aproximação de Janny, que apontou a arma em sua cabeça. Klaus num rápido golpe dilacerou a barriga da caçadora. A qual com o susto atirou na cabeça do lobisomem.

Derek e Andrew se enfrentaram ferrozmente. Andrew golpeou Derek sem piedade. Contudo num momento de distração, Derek perfurou o peito de Andrew acertando em cheio o coração do rival, que paralizou. Derek colocou-se de pé, com sua mão dentro do peito do outro alfa, fazendo ele ficar ajoelhado. Andrew começou a cuspir sangue. Foi quando com um rugido alto e ferroz, Derek arrancou o coração do outro alpha. A força de um correu para o outro. Fazendo os olhos do vencedor brilhar intensamente em um vermelho incandescente.

 

***

 

Dentre todos presente na sala, sem dúvida, o magricela fora o que mais prestou atenção ao meu relato. O mesmo não piscava.

- Então foi assim... – Disse o magricela Stiles de boca aberta.

Assenti com a cabeça.

- Isso faz de você um alpha mais poderoso do que Petter e o Scott? – Disse um loiro de olhos azuis, acho que se chamava Liam. – Mesmo o Scott sendo um alpha  verdadeiro?

- Pode se dizer que sim. – Dei de ombros.

Todos permaneceram calados por um breve momento.

- Você não pode sair mordendo pessoas, para criar o seu próprio bando. – Disse Cris Argent.

- Veremos. – Bufei.

Coloquei-me de pé, pronto para ir embora, já a caminho da saída quando.

- Espera. – Reconheci a voz do Stiles.

Não percebi que o garoto estava tão próximo de mim. Quando virei nossos corpos de chocaram. Impulsivamente com uma mão puxei um dos seus braços, e com minha outra mão repousei sobre suas costas impedindo-o que caisse.

Nossos olhos se encontram. Senti um corrente eletrica correr pelo meu corpo. Olhei para sua boca. Seu coração havia disparado. O meu também. Nossos coração pareciam bater em um ritmo cadenciado. Mais uma vez olhei para seus olhos. Olhos cor de âmbar. Lindos. Ouvi alguém dize para largá-lo. Quando procurei para saber de quem se tratava, vi que era o namorado do Stiles, tal de Parrish. Seus olhos brilhavam em dourado e chamas começavam a brotar pelo seu corpo. Mais uma vez ele mandou que eu soltasse o Stiles. Olhei uma última vez para Stiles, encarando seus olhos, e o soltei bruscamente.

- AI! – Gritou ele gemendo pelo impacto.

- Seu cachorro do inferno que mandou te largar. – Ri de canto olhando para Stiles.

Virei para a porta e sai.

Dirigi o mais rápido que pude para meu loft. Durante todo o caminho fiquei pensando no Stiles. Na raiva que me fez sentir. No seu cheiro. Na raiva que senti quando me chamou de burro, por aparecer na estrada ferido. Nos seus olhos.

Latidos de cachorro despertaram de meu devaneio. Foi quando percebi estar na entrada do meu loft, e o mais estranho, estava completamente excitado. Apenas por ter pensado no magricela do Stiles.


Notas Finais


E ai?

=)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...