História The Moon, The Sun, The Love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf, The Vampire Diaries
Personagens Alan Deaton, Bonnie Bennett, Caroline Forbes, Damon Salvatore, Derek Hale, Elena Gilbert, Isaac Lahey, Jackson Whittemore, Jeremy Gilbert, Jordan Parrish, Liam Dunbar, Lydia Martin, Malia Tate, Melissa McCall, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Peter Hale, Scott McCall, Sheriff Noah Stilinski, Stefan Salvatore, Theo Raeken, Tyler Lockwood
Tags Romance, Sterek, Teen Wolf
Visualizações 171
Palavras 1.972
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Deleitem-se...

Lembrando que Erica morreu no primeiro capítulo. Então não haveria com ela ser uma beta de Derek. Beleza?!

Capítulo 5 - Descontrole


Fanfic / Fanfiction The Moon, The Sun, The Love - Capítulo 5 - Descontrole

Senti minha dor sumir do nada. Tirei a toalha que estava sobre meus olhos. Para minha surpresa, ali estava Derek Hale sugando toda minha dor. Não disse nada. Quando tentei falar, ele tampou minha boca. Arquegou a sobrancelha como se perguntasse como me sentia. Confirmei com a cabeça, que estava bem.

- Stiles. – Parrish entrou na enfermaria preocupado. – O que faz aqui?

Derek olhou para Parrish e depois para mim e foi embora.

- O que faz aqui? – Disse eu ficando de pé.

- Não levanta. – Disse Parrish tentando me fazer deitar.

- Eu tô bem. – Respondi. – Ele estava tirando minha dor. – Olhei para ele curioso. – Vem cá. – Disse o puxando pela gola. – Que cheiro é esse?

- Qual?

- Jordan Parrish, posso não ser um lobisomem, mas conheço muito bem seu cheiro e sei que nenhum bandido iria usar um perfume como esse...

- Stiles vamos logo pra casa. – Parrish tentou mudar de assunto.

- Tira a mão de mim. – Disse com raiva. – Derek já me ajudou. – Sai da enfermaria. – Se eu tiver a certeza que está me traindo Jordan Parrish. – Voltei. -  Acredite, eu nunca mais falo com você.

 

Estava deitado em minha cama, olhando para o teto. Tentando compreender o que havia me dado, para ter ido ajudar o Stiles na enfermaria. Moleque que só despertou raiva, seguidae da vontade de lhe dar um soco ou rasgar sua garganta. Porém lá estava eu sugando sua dor, causada pelo baque de Nolan em si. O mesmo estava com uma toalha cobrindo seus olhos. Ao retirá-la e ver os seus olhos cor de âmbar, por um breve momento me permite ficar perdido neles. Ao tentar falar algo, tampei sua boca. Seu coração acelerou, ao tirar ele não disse nada. Gostaria de ficar ali e levá-lo para casa ou trazer para a minha – o que estava dando em mim? –, mas o cachorro do inferno que ele chama de namorado apareceu.

Ao passar pelo cachorro senti um cheiro diferente em seu corpo. Era um perfume misturado ao seu próprio cheiro. Tratava-se de um perfume francês. Antoniette me dara um, de acordo com ela, era o seu favorito. Tomei o caminho do corredor, mas parei aguçando minha audição, chegando até o casal na enfermaria.

 

“- Eu tô bem. Ele estava tirando minha dor. – Pausa. – Vem cá. – Ouvi Stiles cheira Parrish. – Que cheiro é esse?

- Qual?

- Jordan Parrish, posso não ser um lobisomem, mas conheço muito bem seu cheiro e sei que nenhum bandido iria usar um perfume como esse... – Sorri.

- Stiles vamos logo pra casa. – Parrish tentou mudar de assunto.

- Tira a mão de mim. Derek já me ajudou. Se eu tiver a certeza que está me traindo Jordan Parrish.  Acredite, eu nunca mais falo com você.”

 

Meu coração disparou novamente – como quando ouvi as últimas palavras de Stiles na enfermaria. Lembrei dos seus olhos, do seu cheiro, pronto aqui estou eu mais uma vez excitado.

- Nossa! – Disse Cora na porta do meu quarto.

- Cora? – Disse de olhos arregalados. – O que você está fazendo aqui? – Fiquei em pé tentando disfarçar minha excitação.

Cora olhou-me de olhos cerrados, como se tentasse dizer algo, mas prefiriu não fazer. Tentou falar algo, mas acabou se calando. Deu meia volta e foi embora.

Alguns dias se passaram.

À noite está chegando e tanto os meus betas como eu estamos completamente estressados. Quatro bombas a ponto de explodir. Na última lua cheia aconteceu a mesma coisa. Quase matei um casal de namoradas, porém seus gritos, desespero e suplica, trouxeram-me a razão. Por fim, com muito esforço, consegui ir embora deixando as vivas. E pelo jeito o mesmo irá se repertir.

Ensinei o mantra para meus betas. Dentre os três, Gabe é o que parece estar com maiores problemas. No treino quase cortou a garganta de um dos colegas do time adversário. Sorte que Nolan e Brett o tiraram de lá. Pelo pouco visto, Nolan e Brett pareceram se dar muito bem. Chegava ser palpável a excitação emanada pelos dois, e pelo jeito um era a âncora do outro.

- É melhor vocês não irem para a aula amanhã. – Disse.

- Amanhã tenho prova. – Protestou Gabe.

- Prova é sinônimo de estresse. – Disse firme. – Você vai acabar perdendo o seu controle durante a prova e matando alguém.

- Olha só. – Disse Gabe apontando para sua mãos sem garras. – Acabou, passou. Sinto muito, mas não posso perder essa prova.

- Estaremos lá para te ajudar. – Nolan interviu.

- Vocês precisam ficar juntos. – Disse apontando para Nolan e Brett. – Um parece acalmar o outro. Fiquem de olho nele então. Agora quanto você. – Olhei para Gabe. – Caso ataque ou mate alguém amanhã, eu te mato. – Senti seu desespero. – E é bom saber que um alpha fica extremamente forte quando mata seus betas.

 

- STILES, ACORDA! – Ouvi meu pai gritando.

- Tô acordado... – Disse saindo do banheiro.

- Caiu da cama? Parrish dormiu aqui?

- Não. Eu e o Parrish brigamos. Estou dando um gelo nele.

- Stiles, então qual o motivo de estar acordado tão cedo? – Meu pai franziu a testa com desconfiança.

- Eu posso voltar a dormir. – Disse já me deitando, mas meu pai negou. – Hoje é noite de lua cheia. Temos que ficar de olho nesses novos betas que o Derek criou. É a primeira lua deles...

- Você não tá achando que vai com eles?

- Caso o senhor pretenda ficar na rua, durante a lua cheia, pode apostar que eu ficarei... – Sorri para ele. – Vamos tomar café.

 

Faltava alguma horas para terminar a aula. Deveríamos estar fazendo a prova de biologia, mas Gabe não conseguiu se controlar e estava sem controle, ameaçando atacar qualquer um dos colegas. Eu, Brett e Nolan tentávamos dominá-lo. Brett avançou mais foi parar no outro lado sala. Nolan se desesperou e pareceu começar a perder o controle. Gritei seu nome e pedi que ficasse calmo.

- Liam? – Ouvi Scott me chamar.

Scott se aproximou de Gabe com seus olhos vermelhos, que acabou se encolhendo. Com um soco certeiro Gabe apagou.

- Levem ele para o alpha de vocês. – Disse Scott com tom de ordem.

Nolan e Brett assentiram cumprindo a ordem imposta pelo alpha verdadeiro. Até me senti obrigado a cumprir a ordem. Porém fui barrado pela sua mão segurando meu braço. Scott acenou com a cabeça para sairmos dali.

 

- Sério? Isso realmente é necessário? – Nolan protestou, enquanto o amarrava as correntes.

- Sim. – Respondi.

- E por que não estamos separados como o Gabe? – Questionou Brett.

- Vocês parecem se dar bem. – Disse. – Um calma o outro... Na verdade, é bem provável que se vocês sairem das amarras, acabarem se agarrando. – Ri ao ver a cara deles. – Meninos, somos lobos, reconhecemos qualquer tipo de sentimento. E vocês se olham com desejo. Cheiro de excitação exala de vocês.

Sai da sala e deixei os dois sozinhos.

Gabe ficou sozinho em outro cômodo e já sentia os efeitos da lua.

Algumas horas se passaram. Brett e Nolan rugiram, ouvi os mesmo quebrarem as correntes, logo a excitação tomou conta do local me deixando nervoso. Gabe rugiu e brigou para se soltar por várias vezes. Apertei um botão, fazendo com que fosse liberado um gás de acônito no cômodo onde estava Gabe. Fazendo o mesmo desmaiar.

- Ahhhh... – Gritei.

Comecei a sentir perdendo o meu controle. Meu lobo parecia querer tomar conta da minhas atitudes. A lua parecia estar muito forte, causando em mim descontrole. Minhas garras sairam, minhas presas ficaram expostas, meus olhos ardendo em vermelho. Rugi. Senti meus ossos quebrarem e logo virei um logo completo. Uivei para a lua e fugi pra rua.

 

- Ok, Parrish. – Disse revirando os olhos. – Já estou indo para casa.

- Stiles, meu amor. – Disse ele sentado ao meu lado no jipe. – Você sabe muito bem que dia é hoje. Eu me preocupo com você. – Ele tocou meu rosto.

Concordei e nos beijamos. Gostei de sentir sua preocupação.

- Posso dormi com você hoje? – Perguntou ele com nossas testas coladas. – Não aguento mais ficar longe de você.

Dei um beijo caloroso nele e desci minha mão até seu membro. Parrish ofegou quando o apertei. Encerramos o beijo, quando ele recebeu uma chamada.

- Não dorme. – Disse ele encerrando o beijo. – Te amo.

Parrish saiu.

Realmente fui direto para casa. Três novos lobisomens na cidade, era problema na certa e preserva muito pela minha vida, sem se falar que estava necessitado de sentir o corpo de Parrish colado ao meu. Alguns metros antes de chegar em minha casa meu carro morreu. Abri o capô do carro e comecei a tentar dar um jeito.

As minhas costas senti uma presença estranha.

Ao me virar tomei um susto e fui ao chão. Eram dois pares de olhos vermelhos, um monstro grande, de pelos negros, dentes grandes e afiados. Lembrei de uma história de Petter. Alguns lobisomens tinham a capacidade de tomar a forma de lobo completa, mas era raro e demandava tempo para isso ocorrer. Nenhum dos meus amigos podia fazer isso. Nenhum dos três novos poderiam fazer isso. Então só podia ser ele. O lobo caminhou até mim pronto para me atacar.

- De... Der... Derek! – Disse nervoso. Ele parou. – Derek por favor, não faz isso. – Comecei a choramingar.

- Stiles! – Ouvi Chris gritar. Em seguida um tiro foi ouvido. O lobo desviou. – Corre pra cá. – Outro dois tiros.

Tentei correr o máximo que pude até o Chris. Antes de chegar até o caçador, o lobo pulou em cima de mim. Num rápido movimento senti uma mordida na perna. Sentir minha perna ser rasgada quando o lobo me puxou. Fui arrastado. Chris tentou me ajudar, mas o lobo me soltou e num ataque rápido jogou o caçador para longe. O lobo voltou a me morder, dessa vez puxando pela camisa. Fui levado para a reserva. Fui jogado em uma árvore. O lobo mais uma vez rosnou para mim, pronto para o ataque. Chorei.

- Derek... por... favor... – Soluçava pela dor na perna. – Não faz isso. Por favor!

O lobo se caminhou até mim. Seus olhos ameaçadores ficaram calmos.

- Para... Derek... Não faz isso.

O lobo se deitou ao meu lado. Lambeu minha ferida, o que aliviou a dor. Tentei me afastar, mas ele rosnou me deixando com medo. O lobo se aproximou mais e se deitou sobre mim. Solucei. Senti a língua do mesmo passar pelo meu rosto. Repousou sua cabeça sobre o meu peito, como se ouvisse as batidas do meu coração. Involutariamente comecei a acariciar seus longos pelos. Fiquei assim por tanto tempo, e acabei pegando no sono.

 

Acordei com algo se mexendo a baixo de mim. Involuntariamente apertei. Senti o seu cheiro e reconheci de quem se tratava. Num susto repentino fiquei de pé. Ele me olhou assustado. Senti seus olhos fixos em minha virilha. Foi quando me dei conta que estava completamente pelado. Escondi minhas partes. Ambos ficamos corados.

Ele se levantou com dificuldade, tentei ajudá-lo.

- Tira a mão de mim! – Disse ele com raiva. – Não toca em mim...

- Stiles... – Tentei falar com ele. – Fala comigo, me perdoa. – Eu implorava.

- Stiles! – Ouvi Scott chamando e correndo para abraçar o amigo.

Logo atrás deles estavam Nolan, Brett, Petter, Parrish e o xerife Noah. Brett jogou em minha direção uma calça e um casaco de moletom. Vesti rapidamente, para evitar o olhar dos demais.

- Stiles...

Tentei me descupar e me explicar, mas fui impedido por Parrish, que assumiu sua forma de cão do inferno. Com um soco ele me jogou para longe. Meus betas tentaram atacá-lo, mas gritei impedindo-os.

- Stiles me desculpa... – Supliquei.

Ele apenas seguiu seu caminho com dificuldade.

Parrish voltou a sua forma humana, carregou Stiles e o levou até o carro. Ele me olhou pela janela e senti sua tristeza. Fez meu coração se partir pela dor que o causei.

 


Notas Finais


Mais uma vez desculpa pelos erros


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...