1. Spirit Fanfics >
  2. The moral of the story - Imagine Nayeon. >
  3. Capítulo 3 - Descoberta de sentimentos e preparativo.

História The moral of the story - Imagine Nayeon. - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Capítulo 3 - Descoberta de sentimentos e preparativo.



Nós ainda estávamos andando até minha casa, mas quase chegando.

- Vai demorar muito?.- Reclamou Gui quê estava com Luca em suas costa dormindo com um sorriso bobo em seus lábios.

- Vai. Nos ainda estamos perto do cemitério.- responde Vitória carregando agora sua garrafa de casacha totalmente vazia.

- Sinceramente, a proxima vez vamos ir a cavalo pra sua casa s/a.- Fala Miguel andando um pouco a frente de nós. Háaaa droga. Esqueci do cavalo, o meu faleceu més passado.

- Quando nos vamos comprar as armas e poções?.- Pergunto. Se não fosse por eles iria ir para a missão despreparada.

- Acho que depois da manhã, porque amanhã nos vamos avisar a corporação.- Fala Vitória me olhando.

- Você não comprou tudo né?.- Pergunta a antes citada sorrindo de ladinho, já eu apenas sorri envergonhada.

- Sábia.- Diz Guilherme tentando colocar Lucas no chão.



[...]



Finalmente chegamos em minha residência, enquanto eu abria vi Miguel quase caindo de sono, com isso me rir.

Quando eu abro deicho eles entrarem primeiro logo eu. Quando eu entro vou até a cozinha indo até o armário pegando um copo de soju o ponhando em um copo logo deixando a garrafa de lado e bebendo o líquido.

- Você divia beber menos.- Vejo Gui vindo em minha direção com um semblante bem cansado.

- Você não devie estar dormindo?.- pergunto enchendo o copo novamente com a bebida alcoólica.

- Eu 'to com uma dor na costa enorme.- Responde minha pergunta estralando as costas.

- Quando você acha que Miguel vai se confessar para Vic?.

- Nunca. Ele é um cuzão e um covarde com mulheres, você sabe disso.- Fala sorrindo e eu rio com seu comentário.

- Quem é cuzão?.- pergunta Miguel chegando no cômodo.

- Você.- Falo.

- Porque eu?.- Pergunta indignado colocando uma mão no peito ofendido.

- Porque você não se declara para a Vic.- Fala agora Guilherme se encostando na mesa e Miguel suspirando alto.

- Eu sei... Mas é difícil com ela gostando da s/n.- fala me olhando.

- C-como assim ela gosta de mim?.- pergunto surpresa com tal descoberta.

- Puts, outra lerda. Você não vê como a Vic te olha?.- pergunta como se fosse a coisa mais obvia do mundo.

- Não... Era pra mim saber?.- Pergunto inocentemente.

- Era s/a... mas você sente o mesmo?.- Pergunta agora Miguel se sentando em uma cadeira que estava ali perto.

- Eu... Não sei.- falo sossurando e olhando para meus próprios pés.


Amor. Oque seria isso?. Nunca senti tamanho sentimento, apesar de ter tido vários namoradas nunca devolvi no mesma moeda a frase " eu te amo ". Claro já falei pela boca para fora, mas borbolhetas no estomago nunca fizeram parte de minha vida. Vitória realmente me amava? Eu não tinha certeza do que fazer agora, estava com medo de a machucar, ferir os sentimentos do minha melhor amiga não está na minha lista de desejo e nunca vai estar.

- Ei... Ei s/n.- Fala Gui estrelando seus dedos em frente de meus rosto.

- Oque eu faço?! E-e se eu ferir os sentimentos dela? E se ela parar de ser minha amiga.- falo pegando a garafa de sujo logo a virando em minha boca.

- Calma calma s/a.- fala Miguel pegando a garrafa de minhas mãos logo a gardando novamente dentro do armário.

Quando Guilherme ia se pronunciar vejo Vitória entrando na cozinha vindo eminha logo me abraçando apertado, logo eu retribui tal ato com nevorssismo.

- B-bom vomos todos dormi.- falo saindo rapidamente do abraço e indo para o meu quarto depressa mas antes sou parada por Vic agarrando meu pulso depressa.

- Posso dormi com você?.- pergunta sorrindo fofo e eu assinto.

Quando eu entrei e Fechei a porta vejo ela se despindo em minha frente.

- O-oque você está fazendo Vic?.- pergunto olhando para o lado na tentativa de não olhar o corpo da morena a minha frente. ( Imaginem como ela é, mas ela tem bele bronzeada, um corpo esculturau e um rosto angelical. )

- Uê, você sabe que roupas me incomodam durante a noite.- Fala se deitando semi nua em minha cama.

- Você não vêm?.- pergunta se cobrindo com o coberto de pele de carneiro.

- Claro eu só vou trocar de roupa.- Falo indo à direção do meu armairo logo pegando uma vestimenta confortável para dormir. Logo retiro mimhas roupas com as bochechas avermelhadas e colocando as que peguei, assim indo até a cama logo me deitadando de barriga para cima ao lado de Vic que estava virada de bruços e me olhando de uma maneira diferente.

- Você ficou mais forte este dias né s/a?.- fala passando suas mãos com delicadeza em cima de minha barriga descoberta.

- É-é deve ser sido depois que virei aventureira.- falo me virando para o lado oposto de Vitória assim retirando sua mão que estava preste a dever mais.

- Boa noite s/a.- fala me abraçando por trás assim deixando seu seios fartos colados em minhas costas.

- Boa noite.



[...]



Acordo com Vitória em cima de mim e roncando. Tanto levantar da cama sem acorda lá mas foi em vão, assin que mechi sim braço vejo ela abir os olhos.

-Bom dia s/a.- fala sorrindo fofo e dando uma beijo em minha bochecha.

- Bom dia Vic. Vamos levante ainda temos que ir até a corporação que fica no outro lado da cidade.- Explico tentando me levantar mas a mesma não deichava.

- Não... Aqui tá tão confortável.- fala se aconchegando mais em cima de me mim, mas eu a empurrei para o lado assim que percebi que ela ainda estava quase nua.

- Vamos Vitória, coloque uma roupa que eu vou fazer o café.- Falo me espriguiçando e levantando da cama logo saindo do quarto indo direto para a cozinha.

Quando cheguei na cozinha não vi nenhum dos meninos então suponho que estejam dormindo. Penso a preparar um café simples mas antes de começar sinto dois braços rodeando minha cintura logo me abraçando.

- Eu fasso o café meu amor.- sussurra em meu ouvido logo a vejo passando por mim e pegando a penela e vários ovos e entre outros ingredientes.


Depois de um tempo os meninos acordaram e tomaram o café que Vic preparou. Logo nos arrumamos para ir até a corporação de informações.

- Nos já podemos ir?.- pergunto com a mão prestes a empurrar a porta.

- Claro vamos.- Fala Luca com a mão na nesta com dor de cabeça oela ressaca.

Então empurro a porta deixando eles passarem primeiro e eu por último trancando a porta.



[...]



Todos nos já tinhamos ido para a corporação e comprado as armas/poções que precisamos logo indo para o estabulo.


Eu ainda me perguntava quando quê Vitória começou a nutrir sentimentos por mim, coisa que ficou bem claro ontem a noite, e além disso Miguel gosta dela... Isso também podia nos atrapalhar na nossa missão.


Sinceramente o quê eu Fasso?!







 

 









Notas Finais


Só para deixar claro que esse rolo da @ e da Vic vai dar muita merda no futuro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...