História The Mysterious Kamakura Cases - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor



Capítulo 4 - Quarto Capítulo- ( Caso Haruo- Fim )


Depois de um tempo, eu recebo um telefonema. É o Yujiro.

Yujiro: Masai-san.

Masaichi: Ah, Yujiro-san, e então, como estão as coisas? Conseguiram capturá-lo?

Yujiro: Sim. Ele tentou fugir, mas fomos mais rápidos.

Masaichi: Entendo.

Yujiro: Masai, você sangue dirigir?

Masaichi: Eh? S-sim, tirei carteira recentemente.

Yujiro: Ótimo. Leve Shizuka-san e Nao-kun até a nossa outra delegacia. Reiko-san já está voltando para concluir o testemunho da Eiko-san. 

Masaichi: C-certo, mas... Eu não possuo um carro.

Yujiro: Do lado de  fora tem um carro estacionado no outro lado da rua. A chave está debaixo dele.

Masaichi: Entendido.

Eu desligo o telefone e aviso tudo o que o Yujiro falou para a Eiko. Lentamente, acordo Shizuka. 

Masaichi: Shizuka-san, acorde.

Ela abre os olhos calmamente e me observa por segundos.

Shizuka: Papai?

Masaichi: N-não, eu não sou o seu pai...

Shizuka: Entendo...

Ela tira sua cabeça do meu ombro e se levanta.

Masaichi: Yujiro-san nos disse para ir até a outra delegacia. Eles conseguiram prender o Haruo.

Shizuka: Mesmo? Então vamos...

Masaichi: Certo.

Nao continuava comendo rosquinhas. Incrível como ele consegue aguentar tudo isso.

Shizuka: Nao...

Nao: Sim?

Shizuka: Vamos...

Nao: Sim.

Nao larga as rosquinhas e se aproxima de nós. Shizuka se aproxima de Eiko.

Shizuka: Sinto muito por tudo isso...

Eiko: Não, tudo bem, agradeço pelo trabalho de vocês.

Eiko sorri, porém está óbvio que ela está triste por estar presenciando seu irmão ser preso por matar alguém.

Shizuka: Não deixe que o erro do seu irmão interfira na  sua vida...

Shizuka começa à sair da sala e eu corro atrás dela. Nao também nos segue. Já do lado de fora, eu encontro o carro que Yujiro citou e então me aproximo, pegando a chave do chão e entrando no carro. Shizuka entra e se senta ao meu lado. Nao se senta logo atrás e então eu começo à dirigir até o endereço. 

Shizuka: Nao... Assim que chegarmos, entregue todas as anotações para o Sr. Kawasaki...

Nao: Entendido.

Masaichi: Sr. Kawasaki?

Shizuka: Sim... É o delegado...

Masaichi: Ah, certo.

Shizuka: Ele está conosco há bastante tempo... Nenhum caso se torna inútil com ele participando...

Aparentemente ela confia muito nele. Depois de alguns minutos, nós chegamos na delegacia. Descemos do carro e entramos. Quem nos recebeu foi o Sr. Kawasaki. Ele se curva para Shizuka.

Kawasaki: Shizuka-san, como é bom vê-la novamente.

Shizuka: Digo o mesmo...

Ele percebe minha presença e me observa.

Kawasaki: Oh, novo integrante?

Masaichi: S-sim, eu sou Masaichi Ogawa, mas, pode me chamar apenas de Masai.

Eu me curvo para ele e ele ri.

Kawasaki: Não é necessário tanta formalidade, garoto.

Masaichi: Sim, desculpe.

Kawasaki: Tudo bem. Então, Yujiro-san me contou que vocês estão aqui para interrogar o Haruo, não é?

Shizuka: Sim... Ele é o responsável pela morte de Yuko Nagasaki...

Kawasaki: Sério?!

Nao se aproxima dele, estendendo as anotações que ele escrevia.

Shizuka: Sim... Ele é o causador do crime...

Nao: Basta saber como ele matou a vítima e com o que ele matou.

O Sr. Kawasaki segura as anotações e lê.

Kawasaki: Entendo... Então, irei começar a conclusão do caso.

Ele aponta para uma sala.

Kawasaki: Ele está na sala de interrogatório. Shizuka-san sabe onde é.

Shizuka começa à caminhar.

Masaichi: Obrigado!

Kawasaki acena para mim e então vai embora. Nao e eu seguimos Shizuka. Até agora não vi reação alguma vindo deles. Eles realmente são profissionais no que fazem. Nos chegamos então na sala e entramos. Hiroyuki está de pé, em frente do homem que possivelmente seja o Haruo. Nós nos aproximamos e Shizuka fica ao lado de Hiroyuki. Observamos o homem sentado de cabeça baixa por minutos até que Shizuka segura o frasco de antidepressivos em mãos. 

Shizuka: Recorda disto?

Ela bate o frasco na mesa. Haruo olha, um pouco nervoso.

Shizuka: Você... Matou Yuko Nagasaki, sua ex-esposa... Você sempre foi um homem bastante violento e ciumento... Descontava tudo isso na sua primeira ex-esposa e eventualmente, na segunda... Ficou bastante triste e depressivo quando Yuko pediu o divórcio... Começou à tomar antidepressivos e sofria com a solidão, juntamente com o fato de que, Yuko não queria mais você... Estava desesperado e mandou uma mensagem para ela...

Shizuka mostra a mensagem para Haruo.

Shizuka: Implorou para que ela fosse visitá-lo, afirmando que estava triste... Mas... Na verdade você apenas queria vingança...

Ela guarda o celular em seu bolso novamente.

Shizuka: Você matou ela e tentou se suicidar tomando excessivamente os antidepressivos, porém... Os remédios não foram suficientes para ocasionar uma overdose e então... Depois de acordar de um breve desmaio... Você tentou se livrar do corpo e das manchas de sangue... Todavia... Quando percebeu, sua irmã, Eiko Okamoto já estava em sua casa, ligando para à polícia...

Haruo põe sua mão em sua testa e abaixa ainda mais a cabeça.

Haruo: Já chega... Já chega...

Shizuka: Mas...

Shizuka bate na mesa.

Shizuka: A única coisa que permanece obscura... É como você efetuou o assassinato dela e com qual arma você fez isso...

Todos nós apenas observamos ela.

Haruo: E-eu não fiz nada disso! Eu não matei minha esposa!

O homem grita.

Shizuka: Ótimo... Você tem três opções...

Ela levanta seu dedo indicador.

Shizuka: Primeira... Confessar a verdade e reduzir sua pena ganhando benefício próprio e vantagem sobre você mesmo...

Em seguida, levanta o dedo do meio.

Shizuka: Segunda... Continuar negando, porém não adiantar, pois as provas contra você são várias e óbvias demais que apontam diretamente para você...

Por último, levanta o dedo anelar.

Shizuka: Por fim, terceira... Fugir... Mas... Infelizmente não irá funcionar...

Policiais armados aparecem logo atrás e apontam as armas para ele. Eu me surpreendo e arregalo meus olhos. Eles estavam ali esse tempo inteiro?

Shizuka: Você será rapidamente impedido e irá diretamente para a cadeia, aumentando sua pena... 

Ela aperta seus olhos.

Shizuka: Então, Haruo Okamoto... Escolha...

Haruo começa à chorar.

Haruo: Tudo bem... Tudo bem... Eu confesso... Eu matei minha ex-esposa... Eu amava ela demais, mas... Acabei matando ela sem dar a mínima para o amor que eu sentia... Eu estava bastante abalado com o divórcio e não aguentava estar longe dela... Eu...

Lágrimas escorrem dos olhos dele, porém Shizuka não demonstra pena alguma.

Haruo: Eu matei ela com uma faca... Matei ela golpeando-a com 10 facadas...

Hiroyuki parece muito irritado e desvia o olhar.

Masaichi: Que horror...

Shizuka: Onde está a faca que você utilizou para machucá-la?

Haruo: Eu... Joguei fora...

Shizuka: Onde?

Haruo: Em um rio... Perto de minha casa...

Shizuka disca algum número em seu telefone. Ela o entrega para mim.

Shizuka: É a Mihiro...

Masaichi: S-sim.

Shizuka: Diga à ela que a arma do crime está jogada no rio próximo à residência do assassino...

Masaichi: Entendido!

Eu saio da sala com o telefone em mãos. Eu conto tudo para à Mihiro e volto para à sala.

Shizuka: Então, Haruo Okamoto... Você será preso agora... Aguardará a sentença da justiça e será julgado pelo crime de assassinato e ocultação de cadáver... Espero que repense seus conceitos enquanto estiver realmente sozinho...

Os policiais seguram ele pelos braços e os levam para fora da sala.



Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...