1. Spirit Fanfics >
  2. The Neighbors - Gadizaski >
  3. Prioridades

História The Neighbors - Gadizaski - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


oi, nova história procês e espero que cês gostem :)

Capítulo 1 - Prioridades


Fanfic / Fanfiction The Neighbors - Gadizaski - Capítulo 1 - Prioridades

Aeroporto de Congonhas - São Paulo, sexta-feira, 19:39pm.

Bruno estava sentado no chão com a filha em colo. A pequena brincava com sua boneca, enquanto o rapaz alternava entre olhar a tela do celular e olhar para os lados a procura do amigo.

– Está com fome, meu amor? - perguntou o rapaz, vendo a garotinha negar com a cabeça.

– BRUNO!

A voz conhecida fez com que o moreno respirasse aliviado. O moreno olhou para um dos lados, vendo o amigo se aproximar às pressas dos dois.

– DINDO! - sorriu a pequena garota ao ver o padrinho se aproximar.

– Oi, minha princesa. - sorriu o loiro.

A garotinha correu até o rapaz, pulando no colo do mesmo em um abraço. Bruno se levantou, pegando as malas e puxando até o amigo.

– Me desculpe pela demora, o trânsito estava um caos. - disse Vinicius ao se aproximar do amigo. – E aí? Como você está?

– Cansado, mas feliz por estar aqui. - disse Bruno, abraçando o amigo em seguida.

– Vou levar vocês para a nova casa. - disse o loiro.

– Não sei nem como te agradecer pelo que está fazendo por nós. - disse Bruno olhando o amigo.

– Sem agradecimentos. Você é meu melhor amigo, Maria é minha afilhada e nós estamos juntos nessa. - disse o loiro.

– Valeu. - sorriu Bruno.

– E aí, vamos? - perguntou o loiro.

Bruno e a pequena Maria afirmaram com a cabeça, ambos com um sorriso no rosto, e logo os três começaram a caminhar em direção a saída do aeroporto. Após alguns minutos, os três já estavam no estacionamento. Enquanto Vinicius colocava as malas no porta-malas, Bruno ajeitava a filha na cadeirinha, entregando a boneca para a pequena em seguida.

– Ansiosa pra conhecer nossa nova casa? - perguntou o rapaz.

– Quelia minha mamãe junto. - disse Maria.

Bruno suspirou, fazendo carinho no rosto da filha em seguida.

– Lembra do que o papai disse? Que a mamãe vai sempre estar com você, bem aqui dentro. - o rapaz disse apontando para o coração da filha, vendo ela afirmar com a cabeça.

– Eu potejo ela aqui, papai. - a garotinha sorriu.

Bruno sorriu para a filha, dando um beijo na testa da garota e fechando a porta, entrando no banco passageiro em seguida. Vinicius entrou logo em seguida, colocando o cinto.

– Vai dar tudo certo, confia em mim. - sorriu o loiro antes de começar a dirigir.

Universidade de São Paulo (USP), 19:46pm.

– ALELUIA! - Ana e Heslaine disseram juntas.

– Não precisam jogar na minha cara que não gostavam dele também. - disse Daphne enquanto guardava os livros.

– Daph, nem você gostava dele. - disse Ana.

– O que te fez acordar pra vida e dar um pé na bunda dele? - perguntou Heslaine.

– Thalles e eu temos interesses diferentes. Ele quer coisas completamente opostas das minhas e não daria certo. - disse Daphne.

– Ele não era o príncipe encantado que ela tanto sonha. - disse Heslaine.

– Heslaine! - Ana a repreendeu.

– Não, ela está certa. - disse Daphne. – Eu sempre sonhei em encontrar um cara e viver um romance parecido com o de um filme, mas isso não vai acontecer. Por isso, eu desisto. Chega de ficar procurando o cara certo. Vou focar em outras coisas e dar um tempo nesse lance de amor.

– Dúvido. - disse Heslaine.

– Quem é você e o que fez com a nossa amiga? - perguntou Ana.

– Só estou cansada de procurar um amor. - disse Daphne. – Agora, vamos pra casa? Manu vai fazer o jantar e eu estou morrendo de fome.

– O que ela vai fazer pro jantar? - perguntou Heslaine.

– Sei lá, macarronada talvez. - disse Daphne.

– Aceito qualquer coisa que não seja aquelas comidas estranhas que a Ana faz. - disse Heslaine.

– Não são comidas estranhas. - Ana cruzou os braços.

– São sim. - disse Heslaine.

– Vamos pra casa, por favor? - Daphne disse, puxando as amigas pelo braço em seguida.

Edifício Residencial Romano's, 20:43pm.

– Esse é o apartamento. Espero que gostem. - disse Gabriela ao abrir a porta e dar espaço para Bruno e Maria entrarem.

– Já gostei. - sorriu Bruno, puxando as malas para dentro com a ajuda de Vinicius. – Muito obrigado pela ajuda que estão nos dando.

– Imagina, é um prazer ajudar o melhor amigo do meu boy. - sorriu Gabriela ao abraçar Vinicius.

– Corajosa você por aturar ele. - riu Bruno, vendo o amigo revirar os olhos e Gabriela rir.

– Papai, papai. - a pequena garota correu até o pai, o puxando pela mão. – Vem papai.

O rapaz seguiu a filha até um dos quartos, enquanto Vinicius sorria e se virava para a namorada.

– Obrigado por ter segurado o apê pra eles, era importante. - disse o loiro.

– Imagina, depois que me contou a história deles, não tinha como não ajudar. - disse Gabriela. – Ele largou mesmo a faculdade?

– Sim. - disse Bruno ao voltar para a sala. – Vou me dedicar a minha filha, ela é mais importante nesse momento do que qualquer outra coisa. Tranquei a faculdade, vou procurar um emprego e cuidar da minha garotinha.

– Ainda acho que deveria continuar na faculdade. - disse Vinicius.

– Maria é minha prioridade no momento, Vini. - disse Bruno. – E eu agradeço de coração tudo que você e a Gabriela estão fazendo por nós dois.

– Pode contar comigo pro que precisar, Bruno. Estarei a disposição e meu pai também, ele adorou a sua filha. - disse Gabriela.

– Ele parece legal. - disse Bruno.

– Só parece, porque ele me odeia. - disse Vinicius. – E por isso, tem que manter nosso segredo.

– Minha boca é um túmulo. - disse Bruno. – Não devia ter falado isso.

– Tudo bem, ela está entretida com o novo quarto dela. - disse Vinicius. – MARIA, VAMOS PEDIR UMA PIZZA?

– OBA! - a garotinha gritou, correndo até a sala e pulando no colo de Gabriela.

– Maria! - Bruno a olhou.

– Tudo bem, eu adorei essa princesa e nós somos amigas agora, não é Maria? - sorriu Gabriela, vendo a pequena afirmar com a cabeça.

– Gostou do seu quarto, princesa? - perguntou Vinicius.

– SIM. - sorriu animada.

Gabriela colocou a pequena no chão, que olhou para a porta aberta e sorriu, correndo atrás do gato que havia passado.

– UM DATINHO. - disse Maria ao sair correndo rapidamente do apartamento.

– Maria, volte aqui. - Bruno disse ao ir atrás da filha, vendo a garotinha sumir pelo corredor. – MARIA! - o rapaz disse ao correr atrás da filha.

Enquanto isso, Daphne, Ana e Heslaine chegavam ao andar que moravam, as três cansadas por subir as escadas.

– Odeio quando esses velhos usam o elevador e nos fazem subir escadas. - resmungou Heslaine.

– Um pouco de exercício físico não mata, Hes. - disse Ana.

– Pra vocês que estão acostumadas, não mesmo. - disse Heslaine.

– Sedentária. - riu Daphne.

– Vamos voltar ao foco do assunto que era Daphne Bozaski desistindo do amor. - disse Heslaine.

– Vão ficar no meu pé até quando? - perguntou Daphne.

– Até você quebrar a cara. - disse Ana. – Amiga, não é possível que você desista assim. Logo você, que é doida por um amor de cinema.

– Vocês adoram me zoar, né? - Daphne disse enquanto andava pelo corredor.

– Você é toda boba em relação a amor, tem que zoar mesmo. - disse Heslaine.

– Pois acreditem ou não, eu desisti de encontrar o cara perfeito. Sério, eu já entendi que vou ficar solteira pro resto da vida e que nunca vou viver um amor como o de um filme, onde um cara aparece do nada e esbarra em mim, derruba as minhas coisas no chão e nos apaixonamos perdidamente. Isso não vai acontecer. - disse Daphne.

Ao virar o corredor junto com as amigas, a publicitária viu a pequena criança passar entre elas correndo atrás do gato de um dos vizinhos e logo atrás um rapaz moreno que gritava pela criança, esse que acabou tropeçando em uma das pontas levantadas do carpete do corredor, esbarrando na publicitária, derrubando as coisas dela e ambos caindo no chão. Daphne olhou rapidamente para o moreno que estava sobre ela, sentindo borboletas no estômago quando seu olhar encontrou o do rapaz, ambos com os rostos a centímetros de distância. A garotinha, ao conseguir pegar o gato, se virou e viu o pai caído no chão junto a moça, a fazendo arregalar os olhos, assim como as amigas de Daphne faziam enquanto encaravam os dois no chão.


Notas Finais


espero que gostem, até o próximo! 🌻


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...