1. Spirit Fanfics >
  2. The nephilim >
  3. Vacation in paradise

História The nephilim - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Vacation in paradise


Fanfic / Fanfiction The nephilim - Capítulo 5 - Vacation in paradise

Localizando no lugar mais profundo e desabitado do céu. Eles estava preso. Amarrado desde a ponta dos dedos da mão, até a dos pés. Ele não podia fazer nada mais além de respirar, ou pelo menos borbulhar palavras com seus companheiro de sala. 

Quantos tempos se passaram desde que foi colocado ali, quando se passou desde que a viu pela última vez? Como será que estão? Será que conseguiram se manter em segurança sem ele? Era o que esperava não, era o que pedia, quase como em um mantra todas as horas do dia, tarde, noite. Ele não se importava, no paraíso não tinha tal separação, ou era dia, ou era dia. Noites eram quase impossível ali, para não dizer algo completamente impossível. Sem falar que do lugar onde estava preso, não era possível ver nada do mundo exterior.  

Por diversas vezes pensou em sua amada e sua cria, não a todo momento pensavam nos dois. Divagava sobre como eles estavam, se estavam em segurança e se a gestação da ruiva estava indo bem. Não sabia a quantos meses estava ali, mas possivelmente a barriga da ruiva já estava grande. Queria tanto estar junto dela, deles! E acompanhar o desenvolvimento de seu bebê.

No início, tentou lutar, lutou incessantemente para fugir dali e encontrar-los, ou que alguém, pelo menos Miguel que sempre estava no seu pé, desconfiasse de seu sumiço e por "compaixão" viesse lhe visitar, mas nem isso. 

Miguel nunca veio, na verdade ninguém, nem seus irmãos mais próximo. Nenhum eles fora sequer saber dele, Minato pensou que eles o estavam evitando por saberem de seu envolvimento com Kushina, sua amada e torceu fielmente para que eles não viesse mesmo. 

Não precisava de mais ninguém dizendo o que fazer, dizendo que ama-la era errado que ia contra os princípios da criação, nada daquilo lhe importava, ele a amava e isso não iria mudar. 

Porém, certo dia enquanto o "visitava" Rafael em um momento de prepotência e pura burrice, lhe revelou o motivo de ninguém nunca vir. 

Ele não estava só na masmorras do céu, ele estava em uma espécie de espaço tempo hediondo que conectava o céu com o inferno.

Minato ficou perplexo quando ouviu isso, não acreditará que Rafael tinha feito tal coisa pelas costas de todos é convencido outros a seguir-lo. 

Mais uma vez, ele se perguntou como seu pai não via o que acontecia debaixo de seu nariz, até que uma luz se acendeu em sua mente, quando reparou na energia familiar que cercava todo o local, onde estava e mesmo um arcanjo não podendo xingar, principalmente estado tecnicamente no céu, Minato chamou Rafael de todos os palavrões que conhecia, não eram muitos mas ele os repetiu várias e várias vezes. 

O desgraçando de algum modo tinha conseguido envolver aquela masmorra com uma barreira igual a que ele viu na casa de Kushina, a mesma que evitou que eles os achassem enquanto estavam juntos. 

Um arrepio percorreu o corpo do arcanjo quando constatou isso, se Rafael conseguiu mesmo utilizar aquela barreira, seria questão de tempo até ele descobrir um jeito de utilizá-la e enfim achar sua amada e seu filho. Ele não poderia permitir isso, não deixaria que chegassem a ele. Tinha passado esse tempo que foi deixado sozinho, para formular um plano.

Fazia um tempo que estava reunindo forças e está naquela cela, ser torturado o tempo todo de algum jeito inexplicável aumentou sua resistência e acelerou sua cura, estava se recuperando das feridas em segundos ao invés de minutos. Rafael não tinha percebido ainda, porque ele de alguma outra forma conseguiu mascarar, diminuindo o avanço de seus anticorpos. 

Estava juntando forças e se recuperando a tempos, esperando o momento certo para pegar o arcanjo desprevenido e fugir dali. Um barulho alto é ouvindo, saindo de seus devaneios, Minato encantou com desdém e um sorriso debochado, o outro arcanjo de cabelos negros entrando na sala, junto a ele estava sem amigo torturador, um demônio seu nome era Meraclis, era um cara legal na opinião de Minato, ele se divertia bastante enquanto o torturava.

Rafael _Como vai irmão? Parece que está bem, suas asas estão  voltando ao normal. Notou sorrindo brevemente, encarnado os dois "galhos musculares" que antes eram as asas do albino. Quase todas as suas penas haviam sido perdidas e as poucas que restam, estavam banhadas em sangue e se olhasse bem você perceberia que ambas estavam quebradas, em vários lugares. Sua aparência física não estava tão diferente, cortes e hematomas por todos os lados, seus dedos e boca estavam banhados de sangue, graças as unhas e dentes que foram arrancados.  

Minato _Onii-chan... Estou com uma coceira bem aqui! Poderia me ajudar, estou meio amarrado, no momento. Pediu sorridente, o tom zombeteiro predominante em cada um de suas palavras, enquanto  levantava o olhar para encarar o irmão e logo em seguida os desceu em direção a sua própria cintura, ao fiapo do que um dia foi sua calça. Rafael fitou com fúria, porém logo sorriu doentio, chutando com força o local apontado pelo albino, buscando fazendo-o sofrer por confrontá-lo. Minato apenas sorriu. _Ah! Isso é sério Rafa-kun. Eu já tenho um filho, não ganhar nada me castrando. Vamos você pode fazer melhor que isso, eu sei. Incita sorrindo ainda mais enquanto cuspia as palavras na cara do outro arcanjo que em instantes ficou possesso de fúria e começou a espada-lo, como um saco de areia. Minato apenas sorria, se divertindo com o desespero dele em não conseguir o que queria. Não que seus golpes não doesse, doíam como o inferno, mas como dito, Minato adquiriu certa residência a dor. Precisava que ele se descontrola-se, seu plano de fuga dependia disso.

Meraclis _Hei! Esse joguinho está interessante. Rafael-sama porque não "conta" a ele? Pergunto arrieiro, enfim se manifestado e chamando a atenção do arcanjo ensandecido. Rafael parou quase que instantaneamente e sorriu largo de um jeito perigosamente doentio. Minato estranhou tal olhar e sorriso. Seu plano estava funcionando perfeitamente até o maldito demônio falar. O que era aquela coisa? O que era tão impertinente para fazer Rafael parar? Merda! Porque estava tão nervoso? Será que?!

Rafael _Você tem toda razão... Haha! Ha! Sabe Minato-kun depois de muito procurar. Começou sorrateiro, aumentando ainda mais o sorriso perigoso em seus lábios enquanto caminhava sorrateiramente, circulando a estrutura doentia em formato de cruz que prendia o loiro, Minato não soube o porque mas sentiu sua espinha gelar. Pela primeira vez naquela sala, ele sentiu o medo, um medo profundo e aterrorizante, capaz de o fazer sufocar. _conseguimos reencontrar a casa da sua demoniazinha e a "coisa", na verdade eu vim aqui exclusivamente para notificá-lo. Acrescentou enfim gargalhando, tamanha era a excitação que estava sentindo, ao ver o desespero, o mais arcaico e puro medo, dominado o olhar azul sempre arrogante do albino. Sua expressão de medo era quase como um êxtase, quase é o caralho. Era completamente excitante vê-lo sofrer, Rafael não conseguia somar, nem usando o infinito, o quanto estava feliz com o medo de seu irmãozinho. 

Minato _Na-não é possível! Não tem como tê-los encontrado! Não tem como passar pela. Se auto interrompeu na mesma hora, antes de falasse alguma besteira. Se o que ele disse era verdade, ele só havia os encontrando e não sabiam nada mais porém. Já não importava mais, eles sabiam, sabiam de tudo, ele poder ver isso no seu olhar e sorriso asqueroso. O maldito já sabia de tudo sobre a barreira em volta da casa e possivelmente já estava pensando em alguma coisa para derrubar-la. Ou pior, já deve estar lá com sua família, não ele não podia. Ele não podia deixar que isso acontecesse, não com eles, precisava sair dali agora, não poderia perder um minuto sequer.   

Meraclis _Ora! Chefe, não corte os detalhes. Conte a ele o que vamos fazer aquela Bael gostosona. Sugeriu exalando malícia enquanto lambia os próprios lábios, descaradamente fantasiando com a ruiva, na frente do albino. Minato o encantou com fúria, o medo antes predominante em seu olhar, havia se extinguindo quase por completo, dando lugar a uma fúria desvairada. Meraclis quase sentia seu corpo sendo sendo destroçado pelo olhar do albino e sorriu com isso, não gargalhou. _Oh! Não me olhe assim. Eu prometo, vou trata-la bem... Agora os meus homens, talvez não sejam tão bondosos. Confessou zombeteiro, encarando diretamente os olhos furiosos do albino enquanto fazia movimentos sugestivos com a mão em relação ao sexo. A expressão de Minato apertou, estava quase colocando tudo a perder só para estraçalhar aquele demônio maldito. Contou de um até o infinito para se manter calmo, pensou que a barreira era forte o suficiente para proteger-lo, com certeza eles ficaram  em até que ele chegasse, isso eles ficaram bem. Eles estão protegidos. 

Rafael _Eu não contei a melhor parte. Jofiel e meus homens estão lá agora. É possível que eles já estejam se divertindo. Afirmou sorrindo largo, novamente se deliciando com o olhar surpreso e temeroso do albino. Não cansava de se deliciar com o olhar do albino. Minato não conseguia se controlar, o medo que sentiu momentos atrás retornou com tudo, o medo de perder sua família voltou como uma onda gigantesca que o envolveu com violência. Sua família estava em perigo e ele não poderia fazer nada. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...