História The New Adventure: Young JoJo - Capítulo 32


Escrita por:

Visualizações 21
Palavras 3.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Seinen, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como usarei os rankings de stand daqui para frente, aqui estarão algumas coisas para vocês entenderem como será, e eu agradeço ao Shodao por ter me dado uma idéia de como usar os parâmetros á... 1 mês atrás. Eu, simplesmente, descartarei tudo do ranking original do manga que é cheio de furos como uma peneira e deixarei como está a seguir:

A - Muito bom / 41 para cima.

B - Bom. / 10 metros até 40.

C - Razoável/mediano. / 4 metros até 9.

D - Ruim. / 2 até 3 metros.

E - Muito ruim / 0 até 1 metro.


Força: Tanto força física como a força de suas habilidades.

Velocidade: A velocidade do stand até a velocidade de sua habilidade.

Alcance: O quão longe o stand poderá ir, sem a habilidade.

Desenv. Potencial: Quanto mais alto o nível, mais a chance dele desenvolver um novo ACT ou uma nova habilidade própria.

Aprendizado: Com um alto nível de aprendizado, o stand poderá tanto entender as ordens de seu usuário quanto aumentar o nível de suas habilidades.

Permanência: A permanência, ou durabilidade, se deve ao fator do quanto o stand consegue resistir aos golpes.

Capítulo 32 - Novo Aliado e Endereços


Beleza. Todos nós (Kira, Jolyne, Jotaro, Anasui, Emporio, Takami, Nina, e Mariane) estávamos na cozinha, mais precisamente ao redor da mesa de jantar, sendo que a Máscara de Pedra está no centro. Já deve ser 22:00 da tarde de 04 de julho, e Emporio-nii conseguiu fazer o que eu pedi anteontem, alugaram um sobrado/mansão perto da costa de Morioh.  6 quartos, 3 banheiros, uma sala conectada a cozinha com três sofás escuro que estavam em um formato de quase “U”, numa tonalidade quase verde, uma televisão de 60 polegadas encima de um rack cinza, uma mesa de jantar com 9 cadeiras e uma cozinha americana moderna.

 

— Happy: Memories! — Gritei chamando Happy que destravou a luva metálica, depositando a mão na luva. Imediatamente, flashs de memórias, estranhamente daquele que amaldiçoou nossa família, surgiram em minha cabeça junto a alguns endereços: Loja So Cold, Rede de apartamentos Breath número 390, Sapataria Land of D, e Condominio Namae  número 132. Todos são estabelecimentos em Morioh, estranhamente (como se isso não fosse estranho) tudo está marcado pro Dia 05 de Julho.

 

Eu larguei minha humanidade!!!

 

Mas como pode? Eu sou Dio!!! EU SOU DIO!!!

 

Você por acaso se lembra de quantos pães você já comeu em sua vida?

 

Tem uma maneira de chegar no paraíso.

 

Você acredita em gravidade?

 

Comecei a gritar de dor ao  ver uma corrente elétrica negra passar pelo braço de Happy, passando por toda a extensão de meu braço. Pude ver a surpresa estampada na cara de Anasui e Jotaro, que estavam do outro lado da mesa. Mariane, que estava a 4 passos de distância do meu lado direito, tentou se aproximar mas eu fui disparado em direção a sala, quase batendo a cabeça no chão.

 

— Jos- — O grito de Kira foi interrompido por um enorme som de vidro estourando,  e em seguida eu consegui ver uma sombra azul cair na minha barriga, obrigando-me a soltar saliva pela força do impacto. O que... aconteceu?

 

De forma respectiva, escutei cada combatente chamar seus stands, e Happy surgiu no meu campo de visão balançando uma das mãos na frente de meus olhos. Ele me arrastou um pouco e me ajudou a levantar, olhei pra onde eu estava alguns segundos atrás e fitei que o quê me atingiu foi um homem loiro desmaiado com um conjunto de roupas azuis que eu chuto ter 20 a 21 anos.

 

Ele trajava uma camiseta de mangas curtas com capuz que tinha uma estranha plumagem marrom grande e reta que ia pra cima, duas munhequeira com estrelas estampadas, mesma coisa com a calça. Usava uma touca que deixava algumas mechas de seu cabelo cumprido a mostra na parte de cima, com uma ferradura no centro da testa. A camiseta tinha mangas roxas, com 2 tiras no formato de coração nos braços.

 

Me levantei com dificuldade e pedi pro Happy colocar ele em um dos sofás, coisa acatada com um pouco de dificuldade. Com um gesto com as mãos, pedi pra que eles dispensassem seus stands.

 

— O que aconteceu? — Perguntei recuperando o ar, Mariane apontou pra trás de um dos sofás, onde enorme janela que havia no lado direito da porta estava estilhaçada. — Happy, preciso que você paralize esse cara.

 

— Tá, tá! — Utilizando o Memories novamente, Happy colocou a mão na cabeça do loiro que agora estava sentado no sofá do centro. Olhei pra meu braço esquerdo e percebi que ela estava parcialmente queimada, com fuligem. Aquilo... foi o Hamon?  Ou um stand? — Atualmente, não vai dar pra eu verificar as memórias dele por causa que a minha habilidade atualmente só funciona com pessoas dormindo e acordadas, não com pessoas desmaiadas. Vão ter que esperar sentadinhos.

 

— Josh, o que foi aquilo? Por que você falou aquilo? — Kira perguntou, se aproximando de mim e colocando as mãos no meu braço queimado, arrancando um gemido sofrido.

 

— Falei o que?

 

— “Eu larguei minha humanidade”  “ Mas como pode? Eu sou Dio! Eu sou Dio!” “ Você por acaso se lembra de quantos pães você já comeu em sua vida?” “Tem uma maneira de chegar ao paraiso” “Você acredita em gravidade?”  — Conforme ele falava, eu levantava meus cenhos levemente em surpresa. Então... não foi meras obras de minha cabeça? —  Por que diabos você falava com a voz de Dio Brando?

 

— Quando eu toquei a máscara com o Happy, memórias dessas frases em questão surgiram em minha mente. Incluindo outras,  envolvendo Dio e Enrico Pucci. — Respondi de forma séria, chamando a atenção deles. — Se lembram do que eu falei sobre objetos guardarem memórias e como o meu Happy funciona?

 

— Sim, é um stand bem complexo e versátil. — Jolyne falou, recebendo um aceno rápido meu.

 

— Exato, tanto que com os meus 100% eu ainda não explorei tudo que o meu Act 1 tem a oferecer. — Happy falou,  arrancando um suspiro meu.

 

— Todos os objetos tem suas memórias das pessoas que a usam, é como as memórias humanas. — Comentei dando de ombros e  olhando pro outro loiro. — Agora, quando eu toquei na máscara, uma série de endereços surgiram nos flashs de memória.

 

— E quais seriam? — Jotaro me questionou, pedi pra Mariane um papel junto a uma caneta e ela usou as bolhas de No Scared trazendo o meu pedido. Anotei os endereços e mostrei pra todos eles. — Por que um condomínio e uma rede de apartamentos foram mostrados nas memórias?

 

— Eu não faço a minima idéia, a data de 5 de julho apareceu em todas. — Respondi, vendo Takami com uma franja tampando seus olhos. — Senpai...?

 

— Merda! — Ela exclamou chamando nossa atenção, começando a correr em direção a porta desesperada, como se fosse uma questão de vida ou morte. — Rede de apartamentos Breath número 390 é o apartamento de uma amiga minha!

 

—  Se você ir lá só será pura idiotice, Onee-chan. — Reclamou Kira, aparecendo na frente da porta. Takami parou de forma bruta, encarando o irmão com fúria no olhar. — “ Nunca arranje uma briga sem uma estratégia em mente.”

 

—  Saia da minha frente, Kira! — Ela vociferou... droga, isso não vai terminar bem, Takami chamou o Chariot e Kira chamou a Killer... Me coloquei no meio dos dois e sumonei Happy.

 

— Podem parar? Isso não é hora de brigas. Takami-san, pelo amor de Kami, siga suas regras! Kira está certo, é extrema idiotice ir lá sozinha e sem um plano. — Avisei inconformado, vi ambos desativarem seus stands e eu relaxei, tentando desativar Happy.

 

— Não me desativa não, quero ficar aqui um pouquinho. — Suspirei deixando Happy livre, mas não antes de o avisar pra não fazer nenhuma merda. — Relaxa, mamãe. Eu não vou criar mais problemas.

 

— Como assim “mais”?

 

— Isso. — Ele apontou pro cara desmaiado, que gritou com o susto de encarar uma coisa feia como o Happy, que mais parecia o cão chupando manga. — O cão chupando manga é você, desgraçado!

 

— Eu esqueço que minha mente é conectada a sua em certos momentos, Happy. — Eu disse me aproximando do sofá em que o cara estava, ficando frente a frente com ele. Não sei por que, mas os outros pareciam surpresos. — Prazer, o que aconteceu com você?

 

— Q-q-quem é v-você e e-ele? E onde diabos eu estou? — Sorri com a pergunta do jovem, até que eu percebi o que ele falou e a situação anterior que deixou os outros estarrecidos... “Ele”... Temeroso eu olhei pro Kira e Takami, pra logo em seguida olhar pros que ainda estavam na mesa e eles estavam na mesma situação que eu.

 

— Ei.... pode repetir? — Jotaro perguntou se aproximando de mim. Dei espaço pra ele e vi que o mesmo invocou o Star Platinum, repetindo o mesmo movimento que Happy fez quando eu fui jogado na sala, só que nesse caso no loiro. Percebi que ele olhava de forma fixa em mim, o que atraiu meu olhar também.

 

— Quem é você? E onde diabos eu estou? — Ele repetiu, omitindo a parte do “ele”. Happy foi até a frente de Jotaro e tocou ele com a mão esquerda, transmitindo uma mensagem. Happy, como pode controlar memórias, ele pode fazer memórias que eu presenciei formarem uma mensagem pra quem for. Algo parecido com o Hermit Purple.

 

— Certo. — Jotaro falou, Happy e Star Platinum se colocaram lado a lado, e eu pude jurar, de pés juntos, que um sorriso maníaco surgiu no rosto do SP. Já com o Happy... é o Happy né.

 

Meu stand preparou um soco de direita enquanto Star Platinum preparava um soco com o punho oposto.  E num movimento rápido, ambos estavam prestes a socar o loiro. Mas... algo aconteceu, um enorme humanóide rosa de físico quadrado;  pernas, braços, mãos e dedos articulados. Sua cabeça se encontra na frente de seu peito, e da base de seu peito até a sua cintura se encontra uma cota feita de fios e elipses verticais apareceu, parando nossos golpes.

                                                      

— Stand!? Merda, CUIDADO VOVÔ! — Fiz Happy acertar uma cotovelada no rosto de Star Platinum, fazendo-o ser jogado pra direita. Vi as unhas do homem girarem loucamente e uma delas foi disparada, atingindo o lado esquerdo do meu umbigo. Fui jogado pra trás e escutei o grito de quase todos chamando seus stands. Tentei me levantar mas quando eu tentei vi parte da minha pele se abrir em pequenas frestas, como se eu fosse uma mola. Alguma coisa parecida com um furacão surgiu nas aberturas, e eu fui jogado em direção ao chão novamente. Que porra dos infernos é essa?  Peso? Gravidade? 

 

— MERDA! — Gritei, sentindo-me afundar de costas pro chão, abrindo uma pequena cratera. Escutei Kira gritar Bites The Dust e eu estava sendo segurado por Killer Queen e Star Platinum no topo da cratera. Mas nada adiantou, fui puxado de novo. Afundando cada vez mais até ficar a 3 metros debaixo da terra.

 

DROGA! Quando me vi soterrado, fiz Happy socar acima de mim diversas vezes, escapando pouco tempo apenas conseguindo respirar por milésimos. Escutei sons de batalha encima de mim, e novamente fui puxado pra baixo novamente. estou... sufocando. 

 

Visualizei Diver Down se aproximar de mim e entrar em meu corpo, a rotação parou aos poucos, e finalmente eu pude visualizar algo que não seja o chão com auxílio de Happy que me puxou para a superfície novamente. Fui puxado por Killer Queen e eu pude respirar ar puro, uma tensão estava presente no ar e todos estavam de costas um pro outro.

 

Me juntei a formação e percebi que o Anasui estava no meio dela, se colocando de pé com dificuldade. Cuspi um pouco de sangue e escutei o grito de desespero de Mariane quando a rotação voltou ao meu corpo, não com a mesma intensidade que antes. Mas, acontecia e me impediu de fazer qualquer ação. Happy, grunhindo de dor, estava com dificuldades em ficar de pé.

 

— Quem são vocês? E o que querem comigo ao me trazerem pra esse universo? — Escutamos a voz do homem ecoar acima de nós, e quando olhamos pra onde vinha vimos um buraco onde a cabeça do loiro saia por um buraco junto a uma das mãos. Star Platinum tentou socá-lo, mas o cara entrou no buraco novamente escapando do soco do stand. Como assim “ao me trazerem pra esse universo”? E QUE PORRA DE PODER É ESSE?

 

— Universo? O que diabos você está falando? —  Escutei minha mãe perguntar, com seu Stone Free em guarda. O inimigo parecia confuso, por causa do barulho que ele fez.

 

— O garoto de cabelos negros. Qual o seu nome?

 

— Joshite, Joshite Narciso Joestar. — Respondi determinado, outro tiro de unha foi disparado e rebateu na batente da janela, me atingindo na mesma região anteriormente. A rotação aos poucos parou, me fazendo respirar aliviado. Olhei pro Anasui e a rotação também parou. O homem apareceu caminhando, ficando na divisão entre sala e cozinha.

 

— Joestar? Você tem a marca de nascença abaixo da nuca?  — Percebi que ele tinha ao seu lado um stand rosa que parecia uma mistura de humanóide e robótico, possuindo espinhos afiados nas solas de seus pés que eram num formato triangular, com duas pequenas mãos em formato de disco. Tinha ombros esféricos totalmente escuro, com estrela adornadas. Do lábio superior até a parte de trás da cabeça ele possuia uma protusão em formato de lâmina semelhante a um moicano. Assim como o meu Happy e o Echoes do Koichi, ele é um Act, hein?

 

— Como você sabe? — Jotaro perguntou no meu lugar, o stand dele estava com o tronco a mostra, flutuando acima do ombro dele. Percebi que o loiro tirou sua camiseta e mostrou suas costas,  revelando a marca de nascença Joestar. — Yare yare daze... se importa, Joshite, Happy?

 

— Não, pelo contrário. — Happy caminhou até o homem e antes que ele pudesse disparar usou o Memories nele, me fazendo ver as memórias: Spin, Stands, Jonathan Joestar, ou como atualmente prefere ser chamado; Johnny Joestar. Entendo. Steel Ball Run?  Diego Brando... O CADAVER DE JESUS CRISTO, COMO É QUE É? O PRESIDENTE DA ÉPOCA DELE, UM USUÁRIO DE STAND? QUE INESPERADO, CARAMBA. A MALDIÇÃO PERSEGUE OUTROS UNIVERSOS.

 

— Jonathan Joestar, é um prazer lhe conhecer. — Cumprimentei de forma séria, vendo todos (incluindo Johnny) se surpreenderem. — A teoria do multiverso é correta, então. Será que em todos os Universos os Zeppeli ajudam os Joestars em suas empreitadas?

 

— O-o que quer dizer, Josh? — Mariane me perguntou, me aproximei de Johnny e estendi a mão direita pra ele com um sorriso no rosto. Coisa um pouco estranhada pra ele, mas retribuiu o jesto.

 

— Jonathan Joestar, ou Johnny, é de 1891, ele foi trazido a força pra cá por uma usuária chamada Holly. Pelo jeito, de alguma forma o stand dela é capaz de atravessar universos. Ele seria uma contraparte do nosso Jonathan Joestar.

 

— E como tem tanta certeza?

 

— Nesse universo, Anasui, o nosso Jonathan aprendeu o Hamon. Johnny-san aprendeu o Spin ao invés disso, e no universo dele os Stands existem mesmo antes de 1900, coisa que aqui só existiu no ano de mil novecentos e alguma coisa. — Respondi a pergunta de Anasui, maravilhado com o homem a minha frente que estava de olhos arregalados. Nós 2 paramos o gesto e eu fiquei de costas pra Johnny, abaixando minha camiseta pelo ombro esquerdo e mostrando a minha marca de nascença.

 

— Não se preocupem, ele é que nem a gente: Fomos arrastados pro olho do furacão sem chance alguma de opção. Ele é do bem.

 

[ Ou quase, já que ele não quis entregar o cadáver de Jesus Cristo pro Presidente Valentine por puro egoismo. O presidente queria criar um Estados Unidos perfeito, Kami-sama.]

 

[ Isso não vem ao caso, Happy.]

 

— Um stand que atravessa universos?  Isso é possível? — Nina perguntou surpresa enquanto eu olhava pros que ainda estavam na mesa, apenas sorri com isso e olhei pra Johnny.

 

— Johnny Joestar enfrentou um Stand de nome Dirty Deeds Done Dirt Cheep em 1890. O usuário era o Presidente dos Estados Unidos, Funny Valentine. — Contei, deixando-os surpresos. — Meu Happy é capaz de ler e controlar as memórias de pessoas e coisas inanimadas, por isso eu sei sobre isso, Johnny-san. D4C é capaz de atravessar dimensões e diferente do Hamon, tudo é possível com stands, Nina.

 

Escutei um “entendido” por parte da Nina e depois de 10 longos minutos transmitindo memórias pra todos,  tive que deitar no sofá pra descansar enquanto eles conversavam. Johnny se viu forçado a se aliar a nós, já que ele precisava (e queria) ir pro seu universo. Chris Roberto é inteligente, isso eu não tenho dúvidas. Ele conseguiu despistar a polícia com habilidade, além de reunir usuários de stands e os Homens do Pilar. O que me leva a crer que o objetivo dele é algo maior.

 

Ele também deve ter conhecimentos do universo anterior, por que já faz 5 anos que ele me vigiava pela Mariane. Mas a pergunta chave é como ele sabe?  Todos os usuários de stand que foram aliados da nossa família ou que eram inimigos, no caso de Yoshikage Kira, que reencarnou como Dentsu Kira nesse universo,  devem ter revivido e tiveram suas memórias resetadas, retirando Giorno Giovanna e Guido Mista, provavelmente por causa do Gold Experience Requiem do penúltimo. Então, por que?

 

 Por que ele nos mandou mais um aliado? De forma incomum, um cavalo relinchou do lado de fora da casa e Johnny nos apresentou seu cavalo; Slow Dancer. Por que será que tudo isso está se tornando bizarro a cada segundo? Universos, stands, vampiros, Seres Perfeitos, tudo está se encaminhando pra uma guerra. Escutei o Jotaro sugerir pra que nos dividissemos e investigássemos os endereços.  Até que não é uma má idéia?

 

— Que tal nos dividirmos em grupos de 2 a 3? — Perguntei de olhos fechados, mas sentia que a atenção deles estavam voltadas a mim. — Um grupo grande de pessoas chamaria a atenção nas ruas, e a Dio’s Lovers com certeza conhece nossos rostos, o que torna a situação menos desfavorável se formos investigar individualmente. As bolhas de Mariane podem servir como um comunicador um pros outros, já que infelizmente cada endereço está fora do alcance de teleporte dela. Jotaro e Kira poderiam ir pro apartamento da amiga de Takami.

 

— E por que, Josh?

 

— Vamos concordar em uma coisa, Takami... — Eu me sentei no sofá, abrindo os olhos e visualizando Takami-senpai, que me fuzilava pelo olhar. — ... depois do descontrole de hoje, se você agir de forma irresponsável colocará tudo a perder: Sua vida, seu irmão e aqueles que você mais ama. Jotaro e Kira merecem ir pro apartamento, ambos conseguem ser frios quando a situação fica preta e não se deixam levar pelos sentimentos por alguém que não conhecem.  Com a adição do Bites The Dust e Star Platinum: The World, eles se tornam bastante poderosos.

 

Takami abaixou um pouco a cabeça e assentiu, por mais que eu tenha dado uma resposta a altura, eu me senti mal por ela.  Suspirei profundamente, contando de 10 em 10.  Olhei pro Jotaro e ele parecia analisar a situação. — E então o que acham, Jotaro, Kira?

 

— Não tenho nada a perder se tentar isso, por mim tudo bem, Jojo.

 

— Yare yare daze. — Jotaro abaixou um pouco o seu cap roxo, colocando as mãos no bolso da calça dourada. — É um bom plano, e quanto aos outros?

 

— Vocês podem se dividir do modo como quiserem, se estiverem de acordo. A decisão é de vocês. — Respondi a indagação me deitando novamente, escutando mais burburinhos. Happy já voltou pro seu lugar, e estava conversando comigo a minutos a fio.  


Notas Finais


Na opinião de vocês, qual o melhor stand do antagonista principal no universo de SBR e JoJolion: Dirty Deeds Done Dirt Cheap ou Speed King?

No meu caso, eu gosto e muito do D4C, tanto pelas suas habilidades e força, sua aparência sensacional, e de como ele é usado por Funny Valentine.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...