História The New Kings Of Kings - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Fate/Stay Night, Fate/Stay Night: Unlimited Blade Works, Fate/Zero, High School DxD, Naruto
Personagens Akeno Himejima, Albion, Asia Argento, Azazel, Baraqiel, Ddraig, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Irina Shidou, Issei Hyoudou, Koneko Toujou, Kurama (Kyuubi), Kuroka, Naruto Uzumaki, Personagens Originais, Rias Gremory, Rossweisse, Sasuke Uchiha, Serafall Leviathan, Shikamaru Nara, Sona Sitri, Temari, Vali Lucifer, Xenovia Quarta, Yuuto Kiba
Visualizações 123
Palavras 4.967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Harem, Hentai, Misticismo, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 13 - Possível Inimigo A Vista


Fanfic / Fanfiction The New Kings Of Kings - Capítulo 13 - Possível Inimigo A Vista

Anteriormente...

 

- Eu não tô com paciência pra joguinhos. Responda de uma vez, e eu lhe darei uma morte rápida. – Disse o albino com um olhar frio, com parte do cabelo cobrindo seus olhos.

Qualquer um que olhasse para Klaus naquele momento, poderia dizer que ele era um monstro por conta do olhar. Suas írises vermelhas brilhavam em contraste com a parte negra de seus olhos, e a fenda nos mesmos deixava aquilo ainda mais assustador.

- Ko-Kokabiel... Kokabiel-sama. Foi ele quem deu a ordem de extermínio. – Responde o anjo, tossindo sangue e com bastante medo do demônio a sua frente.

- Cadê ele?

A resposta veio numa luz que vinha da Kuoh Academy e um grande domo foi erguido ao seu redor.

- Começou. – Disse o anjo caído, com um sorriso insano.

- Hum? Do que você está falando?

- Nós éramos apenas uma distração, enquanto Kokabiel-sama se preparava para acabar com toda essa cidade!! ASSIM COMO A SUA VILA PATÉTICA SEU...

O anjo não terminou a frase, pois foi empalado por mais 10 estacas em sua cabeça, a arrancando de seu tronco e furando seus olhos e boca. Outras 20 fizeram questão de esquartejar o resto do corpo do anjo, fazendo o chão da praça ser pintado com seu sangue.

- Lixo como você merecem caixão fechado. Verme. – Diz Klaus com o mais puro olhar frio e cruel que podia ter dado em sua vida. – Você é o próximo, Kokabiel.

 

Agora...

 

Klaus estava correndo em direção a academia, quando se deparou com Irina caída no chão e sem sua Excalibur em mãos. A explicação mais provável, é que Freed tenha aparecido e atacado ela enquanto ela estava distraída. O albino ficou irritado com que viu, mas não mudou o foco.

Ele tinha que chegar na academia o mais rápido possível, mas não podia deixar Irina ali.

- Semíramis. – Chamou o albino, que logo foi respondido com a aparição da morena ao seu lado. – Leve-a aos Jardins e cuide dos ferimentos dela.

- E quanto a você? – Pergunta sua Rainha, curiosa com a resposta de seu mestre.

- Eu vou pôr um fim nisso. – Responde o mesmo com um olhar extremamente raivoso em direção a academia.

- Está bem. Antes de ir, Master, tem uma coisa que você precisa saber. – Diz Semíramis, chamando a atenção de Klaus. – Kuroka e Ravel estão na academia. Elas foram atacadas em casa e... Sariel foi raptada. – Termina a mesma, fazendo com que Klaus arregalasse os olhos e sua fúria atingisse a níveis que nem mesmo ele sabia que existia.

 

Cap. 13 – Possível Inimigo A Vista

 

Rias e sua nobreza tinham conseguido derrotar todos os bichinhos de Kokabiel, que acabou sendo um pequeno bando de Cérberos, que de pequeno aqueles cães de 3 cabeças não tinha nada. Xenovia, Mordred, Arthur, Kuroka e Ravel estavam lá também, ao lado da nobreza da ruiva e todos estavam bem esgotados. Valper tinha conseguido fundir as quatro Excaliburs roubadas em uma só e a entregado para Freed, que se exibia com sua nova espada. Ele não era o único com arma nova, Xenovia estava com a espada sagrada Durandal e Yuuto tinha conseguido seu Balance Breaker, criando uma espada sagrada demoníaca. Agora, a Excalibur fundida foi destruída e Freed tinha fugido, Valper foi morto por Kokabiel, que não via mais utilidade no humano.

Todos tentaram lutar contra o anjo caído, mas ele se mostrou ser muito mais forte que eles. E o pior, ele tinha feito Sariel de refém e sempre que estava prestes a levar um golpe da espada de Yuuto ou Xenovia, ele a usava como escudo humano, frustrando o ataque dos espadachins e os contra-atacando na hora. Sariel estava em um estado muito ruim. Estava quase que da mesma forma que quando Klaus a encontrou no beco semanas atrás e a acolheu, só que ela tinha um corte profundo na barriga, que poderia fazer ela morrer se não for tratada rapidamente.

Eles tentaram de tudo contra o anjo caído. Durandal se mostrou ineficaz contra as defesas dele quando ele não conseguia usar Sariel como escudo, assim como Sword Betrayed (Espada da Traição), a nova espada de Yuuto. Até um ataque combinado de Kuroka com Senjutsu com o Poder da Destruição de Rias, aumentado com o poder da Sacred Gear de Issei, não causou muito dano no anjo. Nada mais que uma leve queimadura na mão dele. Arthur e Mordred não podiam nem ao menos utilizar seus Hougus sem a permissão de seu mestre e mesmo se tivessem, acabariam matando Sariel no processo, o que resultaria num Klaus furioso com eles e que iria querer as cabeças deles com certeza.

Mas o que ninguém esperava, era que Kokabiel revelasse um segredo que abalou as crentes que estavam ali. Deus estava morto. A notícia fez com que Asia desmaiasse e Xenovia perdesse todo e qualquer motivo para lutar.

- Eu até que me diverti um pouquinho com vocês, pirralhos... – Elogia os demônios, as Nekomatas e a humana, por terem conseguido sobreviver por tanto tempo contra ele. – Mas agora...

Antes que Kokabiel pudesse continuar a falar, o som de um trovão ecoa pelo local.

- “Um trovão? Mas não tem nuvens por perto.” – Pensa Kuroka, olhando para o céu, assim como todos e quando sentiu a presença de alguém se aproximando, ficou com os olhos arregalados.

Junto com o som de um espelho quebrando, o chão entre Kokabiel e todos que o enfrentaram, explodiu. Ou melhor, algo se chocou contra o chão e levantou muita poeira e pó, fazendo a terra tremer e todos olharam para onde o tal objeto caiu. Quando a poeira baixou, revelo que não era um objeto e sim Klaus, com sua aparência draconiana ativada e ele não estava nem um pouco feliz do que estava vendo.

- Oh... Pelo visto, alguém do Clã dos Heróis sobreviveu. – Diz Kokabiel, de forma provocante e arrogante para Klaus, que rosna em resposta. Não como um humano, mas como um monstro raivoso e sedento de sangue. – Espero que não se importe de...

Quando Kokabiel iria falar o que iria fazer, levantando a Sariel pelos cabelos, Klaus desapareceu e reapareceu atrás dele, com a morena em seus braços e Kokabiel estava sem a mão que segurava a garota, espirrando sangue da ferida.

- AAAAAAHHHHHH!!!!!!

Todos ficaram chocados com aquilo. Um único golpe e Klaus conseguiu cortar a mão de Kokabiel, numa velocidade ainda maior que a utilizada contra Raizer. Com essa mesma velocidade, ele reapareceu e colocou Sariel junto dos outros.

- Kuroka.

- Hai nyahh! – A gata nem precisava de ordens para saber o que fazer, se aproximou da amiga anja e começou a trata-la o mais rápido que podia.

Klaus se levantou e se afastou do grupo, ficando a alguns metros de Kokabiel. Ele olhava o anjo com raiva e ódio transbordando pelo seu corpo, esses sentimentos estavam praticamente palpáveis no ar e aquilo era um tanto sufocante para alguns dos amigos do albino. Klaus viu que estava machucando seus amigos e se continuasse, poderia prejudicar a recuperação de Sariel. Resolveu se acalmar e voltar a sua forma humana, que foi acontecendo aos poucos.

- Tem certeza que vai me enfrentar assim? Aquela sua aparência draconiana parecia ser mais forte do que essa aí. – Provoca Kokabiel, com um sorriso sádico nos lábios.

- Se eu ficasse daquele jeito por muito tempo, os outros iriam ficar ainda mais prejudicados. Mas não se preocupe. – Diz Klaus, começando a emitir uma aura azul ao redor do corpo. – Eu tenho outros truques na manga. Hougu, Los Lobos!!

Ao dizer aquelas palavras, uma grande coluna de fumaça e poder subiu aos céus, cobrindo por completo o corpo de Klaus e alguns poucos metros ao seu redor. De repente a coluna parou de subir e começou a se dispersar, criando uma lufada de vento ao redor do albino, fazendo com que todos cobrissem os olhos para não entrasse algum cisco nos mesmos. Quando o vento parou de soprar e a fumaça se dispersou, Klaus estava sentado e com uma roupa totalmente diferente de qualquer uma que seus amigos tinham visto. Vestia um casaco branco, nas mangas havia uma espécie de faixa preta, que ligava a manga com as costas do casaco. Ele tinha também uma pelagem cinza nas mangas e nas bordas do mesmo. Essa mesma pelagem estava presente nas pernas da calça e nos coldres em sua cintura. Sim, eu disse coldres. Pois ele estava segurando duas pistolas pretas com gravuras de lobos nos cabos. Em seu olho esquerdo, havia um tapa olho, que ocultava seu olho, mas ele podia ver perfeitamente com ele.

- Muito bem. – Diz o albino, se levantando e levando as pistolas até a altura de sua cabeça. – Vamos nessa. Starrk, Lilynette.

Silêncio.

- Hey, galera? – Nada. Nem uma palavra foi dita. – Vocês estão me ouvindo?! – Pergunta o albino, olhando de forma séria e irritada para uma das pistolas.

Seus amigos acharam que ele tinha ficado maluco.

Até...

- RESPONDAM!! – Grita o mesmo, batendo uma das pistolas na cabeça.

- AÍ!! – Gritou a pistola, gemendo de dor. A voz que saiu vinha claramente de uma mulher ou de uma garota.

Todos, sem exceção, olharam para aquilo e ficaram boquiabertos com o que ouviram.

- A pistola... Falou?! – O grupo de amigos perguntou ao mesmo tempo, ainda sem entender o que estava acontecendo.

- Argh, isso doeu! Quer me matar por acaso?! – Pergunta a arma, com um claro tom de irritação na voz. – Tava querendo rachar a minha cuca, Master seu baka?!

- Vai se fuder!! Eu não tô com saco pra isso! E a culpa é de vocês por não responderem. O Starrk eu até entendo, mas você não, Lilynette! – Responde Klaus, bravo com a pistola, denominada Lilynette. – E outra, como diabos eu vou saber onde é a sua cabeça na forma de pistola, hein?!

- A ponta do cano é a nossa cabeça. Eu já falei isso um milhão de vezes! – Responde a garota, indignada com a falta de atenção de Klaus, enquanto que o mesmo guardava a outra pistola no coldre, provavelmente era Starrk, e começou a esfregar a dobra dos dedos no cabo da pistola esquerda, Lilynette, que começou a gritar e gemer de dor com aquilo. – Aí! Aí! Aí! Essa parte é a minha bunda caralho!! Aí! Aí! Aí! Aí! Aaaaah! Você tá fazendo isso de propósito, não é? – Pergunta a garota, torcendo para que fosse sim.

Mas Klaus nem deu bola e riu sem graça de forma nasal e Lilynette só pode gemer de dor e ser oprimida por Klaus.

- Tá bom! Tá bom! Para! Eu sinto muito!

Enquanto Klaus repreendia Lilynette, Kokabiel jogou seu casaco contra Klaus, que olhou de rabo de olho para o objeto ao seu lado e parou o que estava fazendo para tentar entender o que ele estava fazendo. Num movimento vertical, de cima pra baixo, o anjo tentou partir o albino em dois, mas ele já tinha saído daquela posição instantes antes do golpe e reaparecido a alguns metros de distância e acima do chão.

- Um ataque surpresa durante a nossa conversa? Isso foi...

Antes que Klaus pudesse continuar, uma rajada de penas foi atirada contra ele por Kokabiel e Klaus se defende com os braços. Aquele ataque não estava fazendo nem cocegas nele e o albino sabia disso. Então, qual o propósito disso? Distração. Kokabiel tinha ido para uma posição acima de Klaus e lançou uma lança de luz contra ele. Mas Klaus sabia das intenções de Kokabiel e contra-atacou com um disparo de energia azul da sua pistola direita, destruindo a lança e dispersando as penas lançadas pelo anjo, que reapareceu no lado esquerdo de Klaus e com um dos ombros queimados.

- Você não deixou eu terminar. Eu ia dizer que isso foi um ato um tanto desesperador. Isso não é do seu fetio, Corvo Nojento. – Diz o albino, olhando com certa raiva para o anjo caído, que sorria pela façanha de Klaus.

Um único contra-ataque e ele conseguiu deixar uma marca nele. Kokabiel sabia que aquele garoto prometia lhe dar um gostinho de uma verdadeira guerra.

- Bem, honestamente falando, eu queria mata-lo no primeiro golpe e faze-lo se reencontrar com sua amada mãe e irmã. Assim como eu fiz com seu pai. Mas você desviou... Esses Hougus não são só de exibição pelo o que eu vejo. E esse contra-ataque... Estou impressionado. – Elogia o anjo, mostrando estar satisfeito com o nível de poder que Klaus demostrava ter, mesmo sem a forma draconiana.

- Meus agradecimentos.

- A propósito... Essas pistolas que estão nas suas mãos, elas atiram energia mágica demoníaca, certo?

- Eu chamo de Cero.

- Entendo. Então posso presumir que elas disparam algo além desses seus Ceros, não é?

- ... Errado.

- E você é um péssimo mentiroso. Por que esconder alguma coisa agora? – Pergunta Kokabiel, de forma provocativa para Klaus.

- Eu é que digo isso. – Rebate o albino, irritado e bravo com o anjo. – Até agora você nem usou metade do seu poder e isso é obvio. – Continua o mesmo, guardando a pistola esquerda e sacando a direita. – Se você não mostra toda a extensão de sua força, eu vou fazer a sua morte ainda mais dolorosa. – Termina Klaus, disparando outro Cero azul contra Kokabiel, que desvia do ataque.

Klaus começou a disparar com a pistola esquerda, enquanto guardava a direita. Ao contrário de Starrk, Lilynette disparava muito mais Ceros e elas tinham mais velocidade em comparação ao amigo, mas não significava que eram muito mais fracos que os dele. Mas todos os disparos acabavam acertando o ar e Kokabiel desviava dos disparos de Klaus.

- Mas que merda, hein, Master?! Você nem consegue acertar esse Corvo de merda!! – Grita Lilynette, irritada com os erros de Klaus.

- CALA BOCA! Apenas faz o seu trabalho e continua atirando! – Rebate Klaus, disparando mais um Cero com a pistola direita, mas Kokabiel desvia mais uma vez.

- Ele não sabe que é difícil de acertar um alvo em movimento? – Pergunta Akeno, confusa com a estratégia do albino.

- Exatamente, filha de Baraquiel. – Comenta o anjo caído, ganhando um rosnar e um olhar de desaprovação de Akeno. – Você deveria... – Sua fala é interrompida por Klaus que disparou outro Cero contra ele. – Parar de perder tempo com esses tiros desperdiçados. – Continua o monstro em forma de anjo caído, atrás de Klaus e tentando golpeá-lo pelas costas.

- MASTER! – Gritaram as duas pistolas, sendo que a da direita falou com uma voz masculina e com um timbre mais velho que a de Klaus.

O albino se vira e dispara contra Kokabiel, mas o mesmo acaba desviando do tiro.

- Não são desperdiçados. Eles me ajudam a rastreá-lo e a aprender o seu padrão. – Responde Klaus, apontando a pistola esquerda no exato local onde Kokabiel apareceu e ele estava surpreso por ser descoberto antes mesmo de aparecer.

O albino dispara mais uma vez e o tiro iria acertar diretamente o anjo, mas Kokabiel partiu o Cero no meio com uma lança de luz e a energia foi dispersada, atingindo o prédio escolar atrás dele.

- Bela defesa. Vou levar em consideração enquanto eu prevejo seu próximo movimento. – Kokabiel lançou suas penas contra Klaus mais uma vez. – Por favor. – Klaus dispara com a pistola direita, destruindo todas as penas e quando estava prestes a guardar a arma, Kokabiel aparece na sua frente e estava pronto para atacar o albino.

- Eu não vou deixar. Eu sei que sua pistola direita está vazia!! – Gritou o anjo, pronto pro ataque.

Porém...

Klaus apontou a arma direita para o rosto de Kokabiel, que sentiu sua espinha tremer em sinal de perigo e rapidamente saiu dali, antes que Klaus desse o tiro, que acertou o ar mais uma vez.

- Que surpresa! A sua pistola direita tem um puta de um poder de fogo, mas precisa recarregar a cada tiro feito. A sua esquerda é mais fraca, mas em compensação ela é mais rápida e pode ser disparada continuamente. – Comenta Kokabiel, fazendo uma breve analise sobre as armas de Klaus. – Ao menos foi o que eu pensei no início.

- Você é bem perceptível.

- Obrigado.

- E então, o que vai fazer?

- Nada. – Responde o anjo, fazendo uma pose arrogante e exibida para o albino, que pende a cabeça pro lado em sinal de dúvida. – Por favor, você deveria saber o motivo melhor do que ninguém aqui. Você só ficou atirando esses seus Ceros e eu analisei o seu poder.

- E daí?

- Lidar com esses seus tiros randômicos é realmente irritante, eu confesso. Mas apenas um Cero não vai ser o suficiente para me derrotar, mesmo que esteja nessa forma. E eventualmente... – A fala de Kokabiel morre quando sente algo mudar no poder de Klaus.

Seu corpo brilhava com uma aura azul escura e claramente aquilo representava perigo.

- Cero Metralleta.

Como uma metralhadora, Klaus começou a disparar Ceros continuamente em direção a Kokabiel e numa grande área também, impossibilitando a fuga do mesmo.

- É inútil fugir. – Diz Klaus, enquanto via Kokabiel desviar dos tiros “randômicos” dele.

- Tempo! Tempo! Isso é trapaça!

- E eu com isso? Quando estou atirando assim, até mesmo um Cero poderia te matar. E não é trapaça. – Rebate o albino, despreocupado em acertar o anjo caído. Não demorou muito para que Kokabiel desse um deslize e acabasse sendo atingindo por um dos Ceros e consequentemente por outros logo em seguida e cair no chão, todo fodido e machucado. – Ainda está vivo? – Pergunta Klaus, surpreso em ver que Kokabiel ainda respirava.

- Maldito... – Diz o anjo, antes de vomitar sangue e ficar de joelhos diante de Klaus e de todos ali presentes.

- Parece que vou ter que apelar pra isso pra te matar. – Comenta Klaus, antes de fazer suas pistolas brilharem do mesmo jeito que ele brilhou antes de disparar o Cero Metralleta, esse brilho começou a se alastrar por todo seu corpo e suas armas são desmaterializadas, mas suas roupas se mantem e das faixas pretas que conectavam as mangas as costas do casaco, começaram a sair lobos brancos com alguns pelos queimando com fogo azul surgiram. Seus olhos eram vermelhos como os de Klaus e eles uivavam e rosnavam para o anjo, mostrando suas presas, prontas para cortar sua carne e rasga-lo em pedaços. – Pronto? Pegue-o, Klaus.

Com a ordem dada, os lobos partiram em direção a Kokabiel, que disparou mais de suas penas, destruindo alguns lobos que se aproximavam. Mas logo em instantes, esses mesmos lobos que foram “destruídos”, voltavam e avançavam novamente contra o anjo, com ainda mais ferocidade do que antes.

- São como chamas. – Comenta Koneko, impressiona com aqueles lobos, assim como todos os outros.

- Parece até um truque de mágica. – Diz Yuuto, com a mesma expressão de surpresa e espanto que seus colegas.

- “Klaus Aaron Tepes. O que você não é capaz de fazer?” – Pergunta Xenovia, olhando para Klaus, que mantinha uma postura calma e tranquila em seu semblante.

Mas Kokabiel não estava esperando para o que vinha a seguir. Lobos surgindo por debaixo dos escombros de sua luta contra os amigos do albino e os lobos mordendo seu corpo. Mas as mordidas não doíam tanto quanto ele esperava.

- HA! Achou mesmo que esses lobinhos poderiam fazer...

Sua frase é interrompida mais uma vez com o som de algo que estava prestes a explodir e esse som vinha dos lobos ao seu redor. E aconteceu uma explosão. Um pilar de fogo azul subiu aos céus e Kokabiel saiu desse pilar de fogo e explosões, voando para uma posição mais elevada, só que ele estava mais queimado e ferido do que quando foi atingido pelo Cero Metralleta.

- Entendi! Não são chamas, mas Ceros! – Diz Kokabiel, com raiva do albino a sua frente, que mantinha o olhar fixo no anjo. – Cada um daqueles lobos é um Cero que você atirou. E são extremamente perigosos a curto alcance. – Quando Kokabiel estava prestes a continuar sua linha de raciocínio, ele se viu cercado por mais lobos que Klaus havia criado. – MALDITO!!!

Mais uma onda de explosões foi formado ao redor de Kokabiel.

- Não são Ceros. – Diz Klaus, olhando para as explosões que cercavam seu inimigo. – Ceros normais não tem força o bastante para ferir mortalmente um monstro ou alguém com um nível de força como você. Eu peguei minha alma e a dividi em vários pedacinhos e os misturei aos Ceros, assim eu faço eles me obedecerem como companheiros e eu os uso como arma para destruir merdas como você, Corvo. Essas ogivas explosivas em forma de lobo são a combinação mortal de Starrk, Lilynette e eu. Entende, esse é o verdadeiro poder desse Hougu Anti-Fortress, Los Lobos. – Explica Klaus, calmo e tranquilo, enquanto via o corpo de Kokabiel no ar e quase morto, mas ainda assim, ele sangrava por todo seu corpo.

- Master.

- O que, Lilynette?

- Parece que ele não aguenta o nosso poder. – Diz a voz masculina, Starrk.

- É, tem razão.

- Vamos acabar com isso! – Diz a voz feminina, Lilynette.

No instante seguinte, mais uma dezena de lobos foram criados e correram em direção a Kokabiel, explodindo e mandando o anjo de volta para o chão.

- Fim da linha, Corvo. – Diz Klaus, aparecendo diante de Kokabiel e com as mãos nos bolsos, mantendo a compostura diante do inimigo semimorto na sua frente. – Se se render, prometo que deixarei você viver mais alguns minutos, mas sem uma das pernas é claro.

- Hmph. Não me subestime, moleque.

- Entendo. – Diz Klaus, antes de descer lentamente para o chão e ficar na mesma altura que Kokabiel. – Então eu lhe pergunto: Quais são suas últimas palavras?

O anjo ri da pergunta que lhe foi feita e a risada foi ficando cada vez mais maligna e psicótica.

- Me diga, quer saber quais foram as últimas palavras da sua mãe antes de eu estupra-la e matá-la? – Pergunta Kokabiel, fazendo com que Klaus desse um tique com o olho direito e mudando sua expressão para raiva e ódio rapidamente. – Oh, você quer saber? Bem, eu vou lhe dizer. “Por favor! Por favor, não matem o meu filho! Deixem meu filho em paz!” HAHAHA!! ELA IMPLOROU PELA SUA VIDA, KLAUS AARON TEPES!! COMO A VADIA DE MERDA QUE ELA ERA!!! AHAHAHA!! – Gritava Kokabiel, com todo o ar que ele ainda tinha nos pulmões.

- Sabe de uma coisa, Kokabiel? – Pergunta Klaus, abaixando cabeça e escondendo seus olhos com os cabelos. – Eu iria deixar você viver mais uns minutos e sem uma das pernas, pelo o que você fez com Sariel. Tanto hoje, quanto pelo dia que ela fugiu de você. Mas depois de ouvir uma coisa dessas, ... – O albino levantou o olhar e mostrou seu olho vermelho brilhando ainda mais do que quando chegou e a parte branca se tornou preta novamente. Apenas pelo olhar de Klaus foi o suficiente para fazer Kokabiel sentir um arrepio na espinha. Ele literalmente, cavou sua própria cova. – EU NUNCA IRIA TE PERDOAR SEU CORVO DE MERDA DO CARALHO!!! – Gritou o mesmo, trazendo outro Hougu para o jogo.

Um homem de porte musculoso e muito maior que Klaus surgiu atrás dele e ambos foram em direção a Kokabiel, Klaus agarrou o anjo pelo pescoço e o homem atrás dele se preparava para dar um soco em Kokabiel.

- Mas o que é aquilo? – Pergunta o Idiota Tarado, confuso e descrente no que estava vendo.

- Aquilo é um dos Hougus mais poderosos do Master. Um Hougu Anti-Unity com um poder destrutivo de um Anti-World. – Diz Mordred, olhando diretamente para seu mestre e o homem atrás dele. – E seu nome é...

- STAR PLATINUM!!! – Gritou o albino, com toda a sua raiva fluindo pelo seu corpo, Star Platinum começou uma sequência de socos tão poderosos, que faziam ondas de ar com o impacto contra o corpo de Kokabiel.

- Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! Ora! – A cada soco que Star Platinum dava, ele gritava “Ora” e acertava uma parte do corpo do anjo caído, desfigurando seu rosto e quebrando todos os ossos de seu corpo. – ORA!

No último soco, Kokabiel é arremessado para cima e quando ele estava na mesma altura de Klaus, o albino o girou e agarrou suas asas com a ajuda de Star Platinum e arrancou todas as 10 asas, sem exceção, do corpo de Kokabiel. Logo em seguida, deu um soco em seu peito, o atravessando e destruindo seu coração.

- Eu não perdoo aqueles que machucam os outros apenas por prazer. Mas aqueles que machucam aqueles que amo, meus amigos, ou a minha família, esses eu faço questão de manda-los pro Inferno pessoalmente. – Diz Klaus, olhando o corpo moribundo de Kokabiel no chão. – Apareça! Eu sei que está aí! – Continua Klaus, sem se desfazer de Los Lobos e Star Platinum e olhando para cima, deixando todos confusos.

- Oh! Você me notou. Como esperado do herdeiro do Dragão Fantasmagórico, Fafnir. – Disse uma voz, vindo da mesma direção que Klaus olhava e dela surgiu uma armadura de aspecto draconiano, completamente branco com algumas joias azuis pelo seu corpo. Suas asas eram transparentes e azuis e seus olhos eram dourados e brilhavam em meio a escuridão da noite.

Issei começou a sentir seu braço esquerdo a doer e queimar, todo seu corpo tremia, não de medo, mas de algum outro sentimento primordial.

- É ele parceiro! Vanishing Dragon (Dragão Sumido).

- Vanishing Dragon?! Você quer dizer...

- Sim. Ele tem muitos nomes, entre eles O Dragão Inglês, O Dragão Imperador Branco da Supremacia, mas eu o chamo de: Albion.

- O que você quer? – Questiona Klaus, olhando de forma severa para o recém-chegado.

- Azazel me pediu para levar nosso amigo aqui de volta vivo, mas aparentemente isso não vai ser possível. – Disse o usuário de Albion, olhando para o corpo sem vida de Kokabiel.

- Olhe pelo lado positivo. Não vai ter que ouvir ele reclamando durante a viagem. – Ironiza Klaus, dando um sorriso de escarne para o Dragão Branco, que aparentemente, não ligou muito para a brincadeira.

- Tem razão. Você me poupou o trabalho de sujar as minhas mãos com ele. Obrigado. – Responde o Branco, descendo até onde o corpo mórbido de Kokabiel está e o colocando sobre o ombro.

Quando estava prestes a ir embora, uma voz ecoou pelo local.

- Vai mesmo me ignorar, Branco? – Pergunta a luva de Issei, Ddraig, fazendo as joias esmeraldas brilharem enquanto falava.

- Então você vive, Vermelho. – Afirma as asas da armadura draconiana, Albion, brilhando da mesma forma que Ddraig quando falou.

- É realmente uma pena termos nos encontrado dessa forma, não acha? – Pergunta novamente a luva.

- De fato. Mas não se preocupe, estamos destinados a nos enfrentar algum dia. É assim que as coisas acontecem com a gente. – Responde as asas, confiante em suas palavras, fazendo Issei ficar um tanto nervoso, mas não recuou um passo sequer.

- Os Dragões Gales e Inglês, estão conversando? – Pergunta Rias, descrente do que via.

- Até um dia desses, Ddraig. – Se despede o Branco.

- É, a gente se vê por aí, Albion. – Despede-se o Vermelho, enquanto o Branco alçava voo e desaparecia na imensidão da noite.

Depois que Albion e seu portador foram embora, Klaus desativou Los Lobos e Star Platinum e se permitiu soltar o ar de forma pesada e se sentar no chão. Akeno foi uma das primeiras a chegar no albino e ver o seu estado.

- Eu tô bem, Akeno. Eu apenas usei energia mágica demais. – Comenta Klaus, levantando uma das mãos para a morena e dando um pequeno sorriso para a mesma.

- Você realmente é muito mais forte do que aparenta, não é, Klaus? – Pergunta Akeno, dando um singelo sorriso para o albino, que ri nasalmente e se deita no chão com os olhos fechados.

- Você não viu nada. – Diz Klaus, de forma divertida para a Rainha de Rias e abrindo um dos olhos e mostrando a língua para ela.

- Klaus!

Klaus e Akeno se viraram para a direção da voz que chamou o albino e viram Sona correr na direção deles e logo em seguida se ajoelhar ao lado do albino.

- Você está bem? – Pergunta a Sitri, preocupada com o Tepes, que sorri minimamente com isso.

- Eu tô bem, Sona. Sariel, por outro lado precisa de cuidados. De uma mãozinha pra Gata Tarada, por favor. – Diz Klaus, olhando diretamente para Sona e a mesma assentiu em resposta se levantando e indo em direção à onde estava Kuroka e Asia, que despertou logo após a aparição de Albion.

- O que ele quis dizer com: “Herdeiro de Fafnir”, Klaus? – Pergunta Rias, se aproximando do albino e ficando ao lado de Akeno, olhando de forma curiosa e autoritária para ele.

- *suspiro* Tudo bem se eu responder isso amanhã? Eu tô exausto aqui e nós ainda temos que consertar esse lugar. – Sugere Klaus, se levantando e ficando sentado ao lado de Akeno, voltando seu olhar para Rias que acena positivamente para o albino. – Obrigado. Traga todo mundo na minha casa, vai ser mais fácil de explicar lá.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...