1. Spirit Fanfics >
  2. The New Reality >
  3. Don't make the same mistakes

História The New Reality - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoas, me desculpem pela demora e obrigada pelos comentários do capítulo anterior

Capítulo 11 - Don't make the same mistakes


Kara perdeu as contas de quanto tempo estavam presas ali sem que Donna desse algum sinal de vida. Nas primeiras horas ela não se importou muito, já que conversar com Lena a distraiu o suficiente para que não pegasse no sono e estava indo tudo bem até a morena ter caído no sono e ter a deixado sozinha somente com a sua mente para lhe fazer companhia e honestamente essa era a pior coisa que poderia acontecer com ela.

Kara tentou não se mexer muito para não acordar a morena que estava com a cabeça deitada em seus ombros, mas não tinha tanta certeza se conseguiria ficar parada por muito tempo. Ela conseguia sentir a crise de ansiedade chegando, a respiração ficando pesada, seu coração querendo disparar, o suor frio escorrendo por sua pele, a vertigem e todos aqueles sintomas já estavam se tornando seus melhores amigos.

- Eu realmente sou um gênio – O holograma de Donna apareceu e Kara soltou um suspiro aliviado fechando seus olhos com força – Metade do mundo ira me agradecer por isso – Ela continuou com um sorriso convencido no rosto e foi ali que Kara soube que nunca teve tanta vontade de socar alguém como estava sentindo naquele exato instante.

- Eu espero que saiba quer quando eu te encontrar irei acabar com você – Kara ameaçou entediada

- Você pode fazer isso ou pode apenas me agradecer por ter salvado o seu noivado – A Amazona falou olhando diretamente para Lena que continuava adormecida.

Donna fez um leve beicinho servindo apenas para aumentar levemente a irritação da loira e pegou seu celular apontando a câmera para as duas, Kara revirou os olhos e negou com a cabeça se perguntando por quanto mais tempo teria que aturar aquilo

- Para guardar de recordação – Donna murmurou divertida – Não se preocupe, eu vou mandar para você colocar como papel de parede do seu celular

- Será que tem como desativar a porra do sistema de segurança? – Kara questionou levantando a voz e acidentalmente acordando Lena que olhou ao redor confusa

- Oh meu Deus! – Donna exclamou com uma expressão assustada

- O que Foi? – Lena questionou após se situar ficando levemente preocupada com a expressão da Amazona

- Nada não – Donna deu de ombros – As vezes eu me esqueço que Kara sabe xingar – Lena não aguentou e soltou uma risada enquanto Kara apenas sorriu sem humor

- Você é uma idiota – Kara resmungou cruzando os braços abaixo do seio

- E você é uma mal agradecida – Donna retrucou – Honestamente, Depois de tudo o que eu fiz por você eu esperava ser um pouco mais valorizada

Kara se aproveitou do fato de que Lena não estava mais com a cabeça em seus ombros e se levantou de forma abrupta assustando a morena levemente que ainda estava muito sonolenta para processar direito o que estava acontecendo ao seu redor, muito menos a conversa que Kara e Donna estavam tendo nesse momento.

- Você literalmente está mantendo a gente em cárcere privado – Kara esbravejou e Donna revirou os olhos perante o drama da loira – Lena quase morreu de frio

- Mas estou vendo que vocês rapidamente encontraram um jeito de se esquentar – Donna retrucou novamente com um sorriso malicioso nos lábios – Calor humano realmente faz maravilhas

- Donna, apenas deixe a gente sair – Lena pediu gentilmente se recusando a se irritar com qualquer coisa que viesse da fotógrafa - já está tarde e eu estou cansada

- Só porque você está pedindo com jeitinho – Donna disse sarcasticamente e em seguida seu holograma sumiu por alguns minutos antes de reaparecer novamente – Estão liberadas – informou e seu holograma sumiu novamente

- Poderia ter sido pior – Lena murmurou se levantando e Kara a fitou incrédula

- Pior do que termos sido presas aqui contra nossas vontades? Ela nos deixou aqui por quase um dia inteiro, Lena

- Admito quer não foi uma das melhores experiências que já tive, mas ao menos conseguimos nos resolver – Lena disse e se aproximou da loira que suavizou a expressão – Isso tem que contar pra algo, certo?

- Você provavelmente está certa

- Eu sempre estou – Lena disse dando de ombros convencidamente e Kara revirou os olhos divertida

-Esta pronta? – Kara questionou e Lena assentiu

Kara pegou a morena no colo e foi em direção a saída suspirando aliviada quando finalmente pisou os pés para fora da fortaleza da solidão. Sandro uma última olhada em Lena a loira sorriu e voou para a longe dali.

(...)

- Me desculpe por isso – Sam murmurou pelo que parecia ser a milésima vez

Quando Samantha concordou com a ideia maluca de Donna Troy ela havia esquecido totalmente de como a L-Corp iria consumir todo o seu tempo e energia, a CFO sequer tinha notado o tempo passar e quando se deu conta, Alex já estava ali, pronta para levá-la ao tão desejado primeiro encontro.

E embora Alex parecesse não se importar com a súbita mudanças em seus planos, Samantha não poderia estar se sentindo pior.

- Está tudo bem – Alex assegurou sorrindo de maneira reconfortante – E além do mais nada nos impede de pedir uma pizza e ter o nosso encontro aqui mesmo

Samantha arqueou as sobrancelhas incrédula e Alex apenas deu de ombros porque era a verdade. Ela não admitiria em voz alta, mas por mais brega que soasse ela não se importava nem um pouco com o lugar que estavam contanto que passasse o máximo de tempo que pudesse com a CFO e, apesar, de não entender de onde veio aquela necessidade insana de estar ao lado da mulher parada a sua frente a agente iria apenas aproveitar o momento.

Pensar demais era um de seus maiores problemas e não iria deixar que isso estragasse a sua noite.

- Você está falando sério? – Sam perguntou apenas para se certificar de que era isso mesmo que Alex queria – Quer dizer, é o nosso primeiro encontro e você realmente não se importa de que seja no meu escritório?

- Você estando aqui é só o que importa, Samantha – Alex disse a encarando intensamente e Samantha sentiu seu rosto ruborizar

E mais uma vez Samantha se encontrava odiando a si mesma, desta vez, por estar parecendo uma adolescente de quinze anos que recebe elogio de seu primeiro crush. Deus! Ela achava quase vergonhosa a facilidade que Alex conseguia tirar reações dela apenas com uma simples fala.

- Tudo bem – Sam cedeu e Alex apertou abertamente – Mas quero deixar claro que essa situação toda é muito injusta

- Injusta – Alex indagou franzindo o cenho confusa

- Você está linda em toda a sua glória enquanto eu estou um trapo, Alexandra – Samantha explicou gesticulando com as mãos nervosamente e Alex a fitou com incredulidade

- Você está brincando comigo? – A ruiva questionou e Sam negou com a cabeça – Se isso é você estando um trapo então tenho certeza que não vou sobreviver quando você estiver no seu auge de beleza – Sam não aguentou e soltou uma risada dando um leve soco no braço da ruiva que sorriu com o ato.

- Alguém está tentando mãe ganhar no primeiro encontro

- Está dando certo? - Alex perguntou esperançosa

- Talvez – Sam sorriu travessa – Quando a noite acabar eu te dou a resposta definitiva

Quando Samantha se mudou para Metropólis a agente ainda estava lidando com o final precoce de seu noivado, e apesar de ter tido uma ideia dos sentimentos da Sam ela não fez nada sobre isso na época e acabou se arrependendo de ter a deixado ir, ela não estava disposta a cometer esse erro novamente.

(...)

Assim que Kara e Lena entraram no campo de visão de Donna a fotógrafa tentou fugir pela janela sendo impedida pela kryptoniana fazendo a mesma revirar os olhos.

- Antes de me bater você deveria me agradecer por isso – Donna disse entediada e Kara arqueou as sobrancelhas não acreditando na audácia da Amazona

- Agradecer?

- Sim, agradecer – Donna disse desistindo de sua fuga e se jogando no sofá – Se não fosse pela minha pessoa, Lena ainda estaria te ignorando, acho até que você deveria me agradecer de joelhos porque isso não teria acontecido sem que eu tivesse dado um empurrãozinho

- Salvadora da pátria – Lena comentou sarcasticamente

- Eu realmente sou, não sou? – Donna questionou com um sorriso convencido ignorando o sarcasmo na voz da CEO e desta vez foi a vez da morena revirar os olhos.

- Você armou aquele lugar com Kryptonita – Lena argumentou – Poderia ter a machucado de verdade

- Eu poderia ter morrido – Kara completou se aproximando

- Você só iria morrer se tentasse sair de lá agressivamente – Donna disse como se não fosse nada demais e Kara soltou umas risada seca – Aliás, fico feliz que você não tenha tentado

- Estou começando a considerar a ideia de deixar Kara te bater – Lena resmungou e Donna a encarou com uma falsa expressão incrédula em seu rosto

- Você realmente acha que Kara conseguiria acertar um soco em mim? – Donna indagou com um pequeno sorriso no rosto

- Eu tenho certeza – Kara retrucou e a fotógrafa se levantou ficando frente a frente com a loira

- Kara, eu estava brincando

- Não é como se ela não merecesse – Kara disse dando de ombros se afastando de Donna

- Quer saber? Vocês são muito mal agradecidas - Donna exclamou se jogando no sofá novamente – Sim, eu prendi vocês na Fortaleza, poderia ter matado Kara é verdade, Lena poderia pegar uma gripe ou pneumonia, verdade. – Lena não pode de deixar de achar graça na forma como a fotógrafa listava todas as coisas que podia dar errado como se não fossem realmente nada demais – Mas vocês não estão considerando o cenário todo, okay? A situação que eu coloquei vocês permitiu que vocês conversassem, o que parecia ser impossível aqui, eu apenas dei um empurrãozinho mais do que necessário para que vocês pudessem parar com essa putaria, que honestamente; estava enchendo o saco de todo mundo.

Kara poderia estar brava, mas não poderia deixar de admitir – pelo menos para si mesma – que a atitude drástica de Donna verdadeiramente havia ajudado, pois ela sabia que Lena continuaria fugindo e não dando nenhuma abertura para conversa. No final das contas aquele plano descabido de Donna havia dado resultados muito melhores do que o esperado

- Bom, obrigada, mas nunca mais tente fazer isso de novo – Lena disse e foi para seu quarto deixando as duas sozinhas ali.

- Eu poderia ter resolvido isso sozinha, sabe? - Kara murmurou e se jogou no sofá ao lado da fotógrafa

- Claro quer poderia – Donna respondeu dando de ombros – Só iria demorar meses pra fazer o que essa situação levou um dia pra acontecer

- Odeio quando seus planos insanos dão certo – Kara resmungou e Donna abriu um sorriso convencido – Obrigada por te se metido

- Eu não poderia deixar meu casal favorito acabar dessa forma – Donna disse e deu uma pequena risada ficando séria em seguida – Eu o procurei nessa realidade, sabe? E ele morreu da mesma forma que na outra.

Aquele era um dos assuntos proibidos que ninguém tinha permissão para falar sobre ou até mesmo citar o nome de Garth na frente de Donna.

- Eu sinto muito – Kara disse e Donna sorriu de forma triste

- Não cometa o mesmo erro que eu, Kara – Donna disse e limpando a única lágrima que escapou – Eu passei muito tempo afastando Garth e quando finalmente aceitei que deveria deixar o meu destino para trás, que deveria ficar com ele foi tarde demais e eu, honestamente, não quero que algo assim aconteça com você e Lena

- Donna... 

- Eu não quero que você tenha que sentir como é perder a Lena sem antes ter tido a oportunidade de a amar. – Donna confessou e Kara pode sentir seu coração se quebrar com aquela única frase.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...