1. Spirit Fanfics >
  2. The New Reality >
  3. I'm sorry

História The New Reality - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Ola pessoas, eu só queria agradecer pelos comentários do capítulo anterior, é realmente incrível saber que vocês estão gostando e que querem que eu continue

Capítulo 4 - I'm sorry


Anos atrás – Nova realidade


Era meados de agosto quando Kara finalmente teve coragem de chamar Lena para um encontro que deveria ter ocorrido tempos atrás. Kara suspeitava que havia sido por este motivo que J'onn emprestou seu carro/nave para ela sem nem ao menos hesitar, ela não precisava ser um gênio para perceber que o marciano a ajudaria a reconquistar a confiança de Lena depois do fiasco que foi a morena ter descobrindo o seu segredo da pior forma possível.

Kara ainda se lembrava vividamente do desespero que sentiu quando viu o exato momento em que a bala saiu da arma do idiota que pretendia matar a bilionária favorita de National City e depois roubar tudo o que pudesse. Ele só não contava que Kara fosse se colocar na frente de Lena revelando o seu maior segredo, não dando outra opção a ela a não ser levá-lo ao DEO para que sua memória fosse apagada. Quando voltou para L-Corp ser deparou com uma Lena bêbada que apenas pediu para que a loira saísse dali e mesmo que a contragosto, Kara saiu.

Ela deu o tempo que a CEO precisava e depois de ter passado algumas semanas Lena estava parada na porta de seu apartamento e assim que abaixou a sua guarda fez com que a kryptoniana prometesse não guardar mais nenhum segredo e desde então Kara havia atendido ao seu pedido.

Foi somente depois que as coisas finalmente estar no lugar certo e que Lena já havia a perdoado que Kara resolveu chama-se para sair temendo uma rejeição da morena de olhos verdes que nunca, de fato, aconteceu.

A kryptoniana sabia que Lena ainda não confiava totalmente nela, mas Kara estava disposta a fazer de tudo para mudar o cenário e o primeiro passo havia sido dado.

Lena nunca iria admitir que passara a tarde toda escolhendo a roupa perfeita para este encontro e muito menos admitiria que estava olhando para a janela a cada minuto que passava para se assegurar de que Kara realmente fosse aparecer e assim que a viu parar o carro em frente ao seu prédio cinco minutos antes do programado sorriu.

- Sra. Luthor, você não acha que a cada dia que passa sua filha está cada vez mais trouxa pela Kara? – Samantha questionou divertida observando a amiga revirar os olhos

- Eu achava que isso era impossível, mas tenho que concordar com você – Lillian respondeu e Lena a encarou incrédula

- Mamãe... – A morena resmungou como uma criança faria arrancando um sorriso da Luthor mais velha

- É apenas a verdade, querida

Lena desistiu de argumentar qualquer coisa ao notar o sorriso travesso no rosto de sua melhor amiga. Ela mandou uma mensagem para Kara avisando que já estava descendo e se despediu de sua mãe e de Samantha.

- Acha que desta vez vai dar certo? – Lillian perguntou se lembrando do quão machucada a sua filha saiu de seu último relacionamento

- Andrea não foi a melhor pessoa para Lena, mas Kara é diferente – Samantha tranquilizou a mais velha – Kara é uma boa pessoa

- Para o bem de Lena eu espero que seja

Kara sentiu todo o ar sumir de seus pulmões assim que colocou seus olhos em Lena, demorou um pouco mais do que esperava pra voltar a realidade e sair apressadamente do carro para que pudesse abrir a porta para Lena entrar. A morena percebeu que Kara não tinha ideia do quão gentil havia sido aquele gesto, mas Lena sabia e não pode deixar de sorrir.

Kara deu a volta no carro novamente entrando em seu lado

- Você está linda – Foi a primeira coisa que Kara disse a Lena naquela noite

A CEO sorriu timidamente sentindo suas bochechas corarem alargando o sorriso da loira ao seu lado que dava pulos de felicidade internamente. Ela havia conseguido fazer a grande CEO Lena Luthor corar.

- Você também está linda – Lena respondeu timidamente e Kara descobriu que amava aquela versão da mais nova.

Kara poderia passar horas admirando Lena naquele vestido vermelho e seus cabelos negros soltos, sua maquiagem era leve a deixando ainda mais perfeita.

Perfeita. Parecia ser a palavra adequada para definir Lena naquela noite.

- Eu não sabia que tinha um carro – Lena comentou assim que Kara acelerou

- J'onn me emprestou – Kara respondeu concentrada na estrada

Não era muito boa dirigindo e o fato de já fazer anos que não dirigia um não a ajudava em nada. Para que ela iria dirigir um carro quando poderia voar? Em sua cabeça não fazia sentido embora agora estivesse se arrependendo de não ter adquirido mais prática.

Lena ligou o rádio e tentou esconder a sua paixão por Taylor Swift e falhando miseravelmente. O que podia fazer se amava com todas as suas forças Love Story? Essa música era praticamente um hino para ela.

Kara notando Lena cantarolar a música aumentou o volume e trocou um olhar rapidamente com a morena que ficou ainda mais animada.

- That you were Romeo, you were throwing pebbles and my daddy said: Stay away from Juliet and I was crying on the staircase begging you: Please, don't go – Kara cantou animadamente tentando não desviar os olhado da estrada para olhar para a morena ao seu lado

- And I said: Romeo, take me somewhere we can be alone I'll be waiting, all there's left to do is run you'll be the prince and I'll be the princess it's a love story, baby, just say yes – Lena continuou fazendo a sua mão de microfone arrancando uma risada alta de Kara que acabou se e distraindo enquanto olhava para a morena.

Foi Lena que gritou para que a loira olhasse para frente bem a tempo de ela conseguir parar antes de ultrapassar o farol vermelho. Kara olhou para Lena com os olhos arregalados e com uma leve careta gargalhando em seguida logo sendo acompanhada por Lena.

- Você está bem? – Kara questionou assim que as risadas cessaram

- Imagino que seja por isso que Alex não deixa você chegar perto de um carro

- Você nunca irá saber – Kara disse com um sorriso brincalhão no rosto

Antes que Lena pudesse retrucar a buzina do carro de trás a impediu fazendo a loira finalmente notar que o sinal havia ficado verde.

(...)

Atualmente

Kara já havia perdido as contas de quantos copos daquele já havia tomado, ela não saberia dizer o que era, mas definitivamente estava surtido o efeito necessário, Kate por outro lado, estava fazendo um esforço enorme para não rir de sua amiga que não parava de falar de Lena e o fato de ela não conseguir formar uma frase deixava tudo ainda mais cômico.

O auge daquele dia definitivamente foi ver uma Kara cambaleante completamente bêbada cantando someone you loved no karaokê daquele bar. Kate tinha noção de que deveria a tirar de cima do palco, mas acabou notando – da pior forma possível – que não se deve contrariar uma kryptoniana bêbada.

Kara não estava medindo sua força e quando a mais nova heroína de Gotham City tentou a fazer ir com mais calma, a loira quase quebrou a sua mão com um tapa que deveria ter sido fraco, porém, acabou saindo um pouco de seu controle.

Quando Kara finalmente voltou a sentar do seu lado estava emburrada a deixando extremamente parecida com uma criança quando não ganha algo de sua mãe. Kate arqueou uma das sobrancelhas e Kara, inesperadamente, começou a chorar deixando-a confusa.

- O que foi? – Kate questiona preocupada

- Ninguém arqueia a sobrancelha como a Lena – Kara explicou com a voz embolada deitando sua cabeça na mesa

- Isso só pode ser brincadeira – Kate sussurrou para si mesma

Não sabendo muito o que fazer para que Kara parasse o choro compulsivo, a morena deu tapinhas nas costas da loira. O que diabos ela deveria fazer naquela situação? Talvez fosse melhor apenas a levar de volta para casa, considerando o fato de que ainda era 11h da manhã.

- O que acha de ir para casa?- Kate questionou como se falasse com uma criança e Kara apenas resmungou algo que a Batwoman não foi capaz de compreender. – O que você disse?

- Lenameodeia – Kara disse rápido demais com a voz abafada pelo fato de ainda estar com a cabeça na mesa. Se Kate não tivesse com a sua atenção toda sobre a loira provavelmente não teria entendido.

- Então o seu plano é fugir de Lena – Kara assentiu fazendo Kate revirar os olhos

- É exatamente o que eu vou fazer – Kara respondeu se levantando.

Kate apenas assentiu, não valia a pena dar conselhos para Kara com a loira naquelas condições. Quando a loira estivesse sóbria falaria com ela apropriadamente e tentaria a fazer entender que tudo o que Lena precisava era de um tempo e que Kara demonstrasse de alguma forma que a CEO poderia confiar nela novamente.

Pelo o que a kryptoniana havia contado ela estava disposta a fazer exatamente a mesma coisa na outra realidade então convencê-la de fazer isto nesta não deveria ser muito difícil.

Ao menos ela esperava que não.

- Não vai dar muito certo, já que vocês estão morando no mesmo lugar é nenhuma pretende se mudar

Kara grunhiu jogando a cabeça para trás. A loira cansada daquela conversa decidiu que iria para casa e dormiria até a noite, ainda precisaria se preparar psicologicamente para a visita de todos os seus amigos naquela noite e fingir ser um casal apaixonado com uma pessoa que estava a odiando.

No entanto, sua tentativa de sair desconversa foi um fracasso, pois assim que levantou e deu dois passos ela literalmente tropeçou no chão e por lá decidiu ficar.

E mais uma vez desde que chegaram ali, Kate revirou os olhos e se levantou para ajudar a amiga a se levantar, mas se surpreendendo quando uma mulher que ela não fazia ideia de quem era chegou primeiro.

- Obrigada, mas não precisava – Kara disse passando seu braço pelo ombro da desconhecida em busca de algum apoio – Mas não precisa. Eu estava no lugar que eu mereço estar

- No chão de um bar?

- Sim

- Acho que alguém está precisando de um café bem forte

- Eu preciso ir pra casa – Kara resmungou

- Kara, nas condições que você está acho uma péssima ideia – Kara arregalou os olhos ao notar que a desconhecida parecia a conhecer

- Você me conhece? – Kara questionou confusa

- Okay, acho melhor ligar para Lena – As mulher misteriosa respondeu divertida e mais uma vez Kara arregalou os olhos

- Não vai ser necessário – Kate interviu aparecendo do nada do lado delas pegando não só a mulher de cabelos negros de surpresa como também a loira que tinha esquecido totalmente a presença dela.

A kryptoniana culparia a bebida por isso.

A mulher colocou Kara sentada em uma cadeira encarando Kate em seguida

- Não sabia que Kara estava acompanhada

- Desculpa, mas qual é seu nome?

- Helena – A mulher respondeu estendendo a mão em direção a Kate que a apertou prontamente – Helena Bertinelli

- Nunca ouvi falar – Kara resmungou novamente cruzando seus braços

- Lena sabe que está aqui? – Helena indagou a Kara que apenas deu de ombros não muito disposta a falar de Lena com uma completa desconhecida para ela.

- Acho melhor eu a levar para casa – Kate respondeu pronta para ir até Kara

- Eu acho que consigo andar sozinha – Kara se pronunciou irritada pegando as duas de surpresa

Como se para provar um ponto a loira ignorou a tontura que a atingiu ao ficar em pé e começou a andar te a saída do bar fazendo um grande esforço para andar em linha reta.

Kate com medo de que a loira saísse voando naquele estado e em plena luz do dia saiu correndo atrás dela deixando uma Helena intrigada para trás. Fazia anos que conhecia Lena e Kara e até onde sabia a loira nunca foi uma pessoa que ficava bêbada em plena luz do dia e muito menos uma pessoa que ficava bêbada.

De qualquer forma, a morena resolveu deixar aquilo quieto, pois não era da sua conta, se houvesse algo realmente muito errado gostava de pensar que Lena contaria por tudo que já tiveram que passar juntas.

(...)

Raramente a morena fazia isso, mas levando em consideração tudo o que aconteceu nesta madruga ela se deu ao luxo de sentar na varanda e observar a calma que havia atingido National City nos últimos meses. Normalmente ficar ali lhe trazia a paz que tanto precisava, o que parecia não ser o caso no dia de hoje.

Não quando memórias de sua antiga realidade se confundiam com as da nova realidade deixando tudo ainda mais difícil de processar. Kara tinha sequer noção do que tinha feito? A kryptoniana poderia ter caído naquela realidade praticamente de paraquedas, mas Lena realmente havia vivido nela. Ela tinha memórias de seus aniversários, dos feriados que passava em família, de quando a conheceu, de quando começaram a namorar e de quando se casaram, ela se lembrava de tudo e não conseguia deixar de se perguntar se Kara lembrava também.

Não sabia dizer se aquela ainda era a mesma kryptoniana que conheceu há anos atrás tornando a situação ainda pior. O que ela deveria fazer? Deveria começar a odia-la como havia feito na outra realidade? Ou deveria continuar amando-a com todo o seu ser como fazia nesta realidade? Céus! Era tudo tão confuso.

Ela não pode pensar mais sobre isso embora seu intuito era apenas sair dali quando tivesse alguma resposta.

Lena franziu o cenho confusa ao voltar para a sala de estar e ver uma mulher que nunca tinha visto em sua vida praticamente ter que carregar Kara até o sofá.

- O que diabos está acontecendo? – Lena questionou intercalando seu olhar entre a mulher e a sua esposa

Assim que a viu Kara abriu um largo sorriso fazendo o coração de Lena derreter sem precisar de muito esforço.

- Ela parece ainda mais linda – Kara divagou e Kate revirou os olhos

- Kara acabou exagerando nas bebidas

- E quem é você? – Lena indagou arqueando uma das sobrancelhas fazendo Kate dar uma pequena risada involuntária ao se lembrar do episódio do bar

- Batwoman – Kara exclamou animada e mais uma vez Kate revirou os olhos

- Pra que identidade secreta, não é mesmo? – Kate questionou cruzando os braços repreendendo Kara com o olhar

- É segredo, Shhh – Kara sussurrou colocando o dedo entre os lábios

Lena segurou a vontade de sorrir com o quão adorável Kara estava no momento para se focar no que realmente era importante ali

- Acho que já fez o suficiente, morceguinha – Ela disse rispidamente não se importando de ser simpática com a mulher a sua frente – Eu cuido da minha esposa a partir de agora

Kate arqueou as sobrancelhas notando como Lena frisou “ esposa” ao falar e decidiu ir embora dando um beijo na bochecha de Kara somente para provocar Lena e levando em consideração o olhar mortal que a CEO a lançou ela diria que havia dado certo.

- Você quer se explicar? – Lena questionou séria

- Não fica brava comigo – Kara pediu manhosa demais impedindo que Lena continuasse com aquela postura séria pior muito tempo

Lena suspirou fundo agradecendo inconscientemente por ter conseguido segurar o sorriso que queria escapar, estava começando a odiar o poder que a loira de olhos azuis tinha sobre ela, mas não tinha muito o que se fazer naquela situação.

- Você está brava? – Kara questionou com umas hesitação quer Lena considerou ser adorável

- Apenas vamos ver se consigo te deixar sóbria antes do pessoal chegar, depois disso eu respondo a sua pergunta.

Kara fez uma careta e se levantou abruptamente se arrependendo do ato l9go em seguida, Lena revirou os olhos e se perguntou o que diabos a kryptoniana havia bebido para ter a deixado naquele estado deplorável – para dizer o mínimo.

A Luthor pensou em ligar para Alex para perguntar como se deixava uma kryptoniana sóbria, mas levando em consideração que ela é Kara não estavam em seu melhor e que a Danvers mais velha era curiosa demais desistiu. Não queria ninguém fazendo perguntas.

Sem muitas opções, Lena levou a loira para a varanda na esperança de que a luz solar fizesse com que ela ficasse sóbria. Lena se sentou no pequeno sofá que tinham ali e bateu no lugar ao seu lado indicando que era para Kara se sentar ali.

Kara sentiu o corpo de Lena tencionar quando deitou a cabeça em seu ombro, mas resolveu ignorar assim como resolveu ignorar o fato de o coração da mulher sentada ao seu lado estar tão disparado quanto ao seu.

De certa forma, era bom saber que Lena não estava totalmente imune as sensação que ela causava em si.

Lena limpou a garganta, ela tentou relaxar e também tentou evitar que mencionasse algo sobre a outra realidade para não estragar aquele momento. E sim, ela tinha noção de que deveria estar odiando Kara, mas uma parte considerável não conseguia a odia-la nem se sua vida dependesse disso.

- Me desculpa – Kara pediu em um sussurro

- Está tudo bem – Lena disse igualando seu tom de voz ao da loira – Não vou te julgar por ter chegado bêbada com uma mulher completamente desconhecida

- Bom... Me desculpe por isso também

- Espera – Lena exclamou confusa – Não era sobre isso que estava pedindo desculpa?

- Eu estava pedindo desculpa por ter escondido algo deste tamanho de você

- Não vamos falar sobre isso agora – Lena respondeu e seu tom de voz saiu tão quebrado que Kara amaldiçoou a si mesma por isso 

Depois disso, Kara não disse mais nada e depois de alguns minutos sentada ali naquela posição com o silêncio quase brutal sobre elas, a loira acabou adormecendo deixando Lena sozinha com os seus pensamentos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...