1. Spirit Fanfics >
  2. The New Reality >
  3. Bad dreams

História The New Reality - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Olá pessoas, eu queria muito agradecer por vocês pelo suporte que me deram no capítulo passado e agradecer também pela paciência de vocês. Eu espero que vocês gostem desse capítulo e não esqueçam de comentar para eu saber o que estão achando da fic.
O que tiver entre parênteses são memórias desta realidade que Kara estará se lembrando

Capítulo 7 - Bad dreams


Quando Felicity acordou naquela noite para beber um copo d'água não esperava encontrar uma kryptoniana flutuando e murmurando coisas incompreensíveis em sua sala enquanto dormia. Não era a primeira vez que Kara flutuava enquanto dormia, afinal a loira se lembrava muito bem que no casamento de Barry a kryptoniana havia dormido da mesma maneira, no entanto, desta vez era diferente. Desta vez a heroína estava tendo um pesadelo e Felicity teve ainda mais certeza 0elo grito angustiado que Kara soltou ainda dormindo.

O grito foi o suficiente para fazer com que Felicity finalmente reagisse e fizesse alguma coisa. A loira tentou a chamar algumas vezes, porém, notando que não tinha surtido nenhum efeito ela correu para pegar uma cadeira ficando ainda mais preocupada ao ouvir mais um grito angustiado. Devido aos últimos acontecimentos, Felicity tinha uma breve noção do que provavelmente se tratava o pesadelo de Kara, o que apenas a deixava ainda mais preocupada.

Sem nenhuma hesitação a loira subiu na cadeira e sem pensar nas consequências de se acordar uma kryptoniana no meio de um pesadelo a sacudiu. Ela se arrependeu no momento seguinte de ter feito isso, pois quando Kara abriu os olhos eles estavam amarelos, prestes a soltar visão de calor e logo em seguida seu corpo caiu quase em um baque no sofá o quebrando.

Em um sinal der choque Felicity colocou as mãos na boca encarando a kryptoniana de olhos arregalados. Kara se levantou rapidamente, sua respiração estava ofegante e seu olhar estava perdido enquanto elas olhava em volta. A Kryptoniana fechou os olhos e tentou acalmar a respiração quando percebeu que tudo estava bem, que ela não estava no ponto de fuga e que tudo não havia passado de um pesadelo. Ou era uma lembrança? Kara não sabia mais distinguir o que foi real e o que sua cabeça imaginava.

Felicity desceu da cadeira e pela primeira vez desde que tinha acordado encarou Felicity seem saber o que deveria dizer estando naquela posição. Ela só podia agradecer por Mia ter um sono pesado ou caso contrário a situação seria ainda pior.

- Me desculpe pelo sofá – Pediu de maneira acanhada desviando seu olhar para qualquer outro lugar que não fosse a loira a sua frente

- Na verdade eu preciso te agradecer por isso – Felicity disse cruzando os braços abaixo dos seios e Kara a olhou com o cenho franzido – Oliver tinha escolhido esse sofá e eu estava tentando achar uma desculpa para joga-lo fora

Era mentira.

Felicity amava aquele sofá, mas sua pequena mentira havia válido a pena somente pelo pequeno sorriso de Kara. Não era muita coisa, contudo,, se contentaria com isso por enquanto.

- Alguém mais sabe? – Felicity questionou e diante do olhar confuso de Kara a hacker continuou – Da crise? Alguém sabe? Os Paragons não contam

- Apenas Lena

Felicity assentiu e se sentou na cadeira que tinha trazido para a sala. Antes que pudesse falar algo, Kara foi mais rápida:

- Eu realmente não quero falar sobre a crise

Felicity arqueou as sobrancelhas e em seguida negou com um sorriso incrédulo não acreditando que Kara realmente iria viver como se nada tivesse acontecido.

- Não faça isso – A hacker pediu

- Não estou fazendo nada – Kara respondeu na defensiva

- Está sim – Felicity disse de maneira mais firme – Você sabe que está!

- Eu só não quero falar disso

- Não, Kara! – Felicity exclamou – Você só não quer ter que lidar com isso.

- Isso não é verdade! – A Kryptoniana retrucou.

- Kara, você não pode ignorar as consequências que a Crise acarretou. Várias Terras morreram, incluindo a 38 e Argo City, é óbvio que ela vai deixar vários traumas com o qual você precisará enfrentar caso contrário isso irá te perseguir pelo resto da vida e vai te torturar a ponto de te enlouquecer.

Kara abaixou a cabeça. Não tinha como argumentar com a hacker quando sabia que ela estava coberta de razão. No entanto, somente o pensamento de ter que lidar com os últimos acontecimentos a deixava apavorada.

Tudo estava bem agora, então porque mexer em algo que já passou? Ela não tinha nem conseguido lidar com a morte ser Krypton, imagina um monte de Terras.

Não! Ela não poderia lidar com as consequências agora. Não era uma opção viável.

- Eu acho que é melhor você dormir antes que Mia acorde – Kara disse em um fio de voz

Felicity não argumentou contra e logo após dar um pequeno aceno de cabeça ela voltou para o seu quarto deixando suas palavras ecoarem na mente da kryptoniana.

Kara engoliu o bolo que se formou em sua garganta. A sensação era a mesma de quando pousou na Terra pela primeira vez, se sentia perdida e sem nenhum rumo. Tudo parecia vem algumas vezes, mas em outra, Quando notava qualquer diferença com a velha realidade tudo voltava com tudo e era mais do que ela estava conseguindo suportar. Fingir que nada estava acontecendo definitivamente tornava as coisas ainda piores de suportar.

(...)

Era para ser fácil.

Quando saiu da casa de Felicity por conta de um chamado do DEO ela já sabia com quem estava lidando, na teoria ela estava preparada para ele, pois já o tinha enfrentado mais vezes do que gostaria de admitir. Era apenas um alienígena que gostava de causar problemas.

O que ela não esperava é que assim que pousou e se preparou para fazer um ataque que com certeza o derrubaria sua cabeça começasse a doer de uma maneira quase que insuportável a fazendo fechar os olhos com força.

Foi quando a primeira memória surgiu fazendo a sua dor de cabeça aumentar.

“ – Kara, essa é Andrea Rojas – Lena disse sem muita vontade

- Eu sei disso – Respondi ainda confusa com o que estava acontecendo ali – Andrea é minha chefe

Lena me encarou surpresa e Andrea abriu um sorriso tão forçado que fez com que até eu percebesse que aquele era o último lugar em que ela queria estar

- Não sabia que tinha interesse na Catco – Lena murmurou a olha do der uma maneira tão fria que me deixava tão desconfortável quanto Andrea provavelmente estava

- Eu não tinha – Andrea respondeu engolindo em seco – Mas a oportunidade surgiu e eu pensei em aceita-la

Lena arqueou uma sobrancelha.

- Eu tenho algumas assuntos pendentes para resolver – Andrea explicou – E eu vim para resolve-los

- Isso só pode ser brincadeira comigo – Lena exclamou solta do uma risada seca

- Nós precisamos conversar, Lena

- Não temos mais nada...

- Uma chance – Andrea a interrompeu quase em desespero. Aquela altura todos do restaurante olhava em direção a nossa mesa me deixando completamente desconfortável por estar naquela situação.

Limpei minha garganta chamando a atenção indesejada das duas que finalmente pareceram lembrar da minha presença ali. Lena rapidamente suavizou a sua expressão e me pediu desculpas com o olhar.

Sem dizer nada ela se levantou e foi em direção a saída, me fazendo praticamente correr para chegar até ela.

O alienígena notando a distração de supergirl que parecia não estar mais ali sacou a sua mais nova faca, que foi dada a ele justamente para conseguir sair de uma situação como a que estava metida agora. Na hora em que a pessoa lhe deu a faca de kryptonita o alienígena não pode deixar de ficar surpreso, nem em mil anos esperava que alguém tão importante algum dia chegasse perto de si, mas agora apenas sentia gratidão.

E então sem nem ao menos hesitar ele a atacou enfiando a faca diretamente em sua barriga. Kara saiu de seus devaneios e olhou atônita para o local em que tinha recebido o golpe.

- Como...? – Ela questionou ainda a tentando entender o que diabos tinha acontecido.

O seu adversário sorriu quando a viu cair de joelhos, porém quando estava prestes a fugir o Flash apareceu para salvar o dia. Barry encarou Kara que tentava desesperadamente tirar a faca de sua barriga, mas estava tão fraca que estava falhando miseravelmente.

Barry levou o Alienígena para o DEO e depois voltou para ajudar sua amiga.

- Eu preciso sair daqui – Kara disse se levantando com dificuldades

Algumas veias de Kara estavam verdes deixando claro que aquilo era Kryptonita

- Vou te levar para o DEO

- Não! – Kara exclamou – Me leve para o meu apartamento

-O que? Por que? – Barry questionou confuso não gostando da ideia

- Apenas me leve para lá – Kara pediu e mesmo que a contragosto Barry assentiu e a tirou dali.

Assim que chegaram no apartamento Barry colocou Kara no sofá. Não demorou mais do que dez segundos para Lena aparecer e arregalar os olhos ao ver a cena a sua frente

- O que diabos aconteceu? – Perguntou ficando de frente para Kara

- Apenas tire isso de mim – Kara suplicou

Lena apenas assentiu e tirou a faca da barriga de Kara sentindo seu corpo gelar ao escutar o grito de Kara. Notando que a faca era de Kryptonita a morena a jogou do outro lado da sala, distante o bastante para fazer o verde que estava espalhado pelo rosto de Kara desaparecer.

- Você precisa de luz solar – Lena constatou - Barry, leve a Kara para o nosso quarto

Barry assentiu e pegou a loira no colo usando a sua velocidade para chegar lá rapidamente e para a sua surpresa assim que Lena chegou ela abriu o que parecia ser uma sala secreta. Não precisou de muito para que o velocista entendesse que precisava levar Kara até lá.

Na sala havia apenas uma cama onde Kara poderia receber luz solar. Era basicamente igual a que havia no DEO, só que maior e mais confortável.

Após conferir se tudo estava certo, Lena ordenou que Barry a deitasse e assim o velocista fez.

Kara suspirou aliviada ao sentir a luz solar sob a sua pele e apesar de fazer muito esforço não aguentou e fechou os olhos se deixando levar pelo cansaço que se apossava de seu corpo.

(...)

Em nenhum momento Lena saiu do lado de Kara. Barry até tentou ficar e fazer companhia para ela, mas houve um chamado em Central City e ele teve que ir, Já que a polícia não estava conseguindo dar conta.

Demorou aproximadamente duas horas para Kara acordar sentando na cama em um sobressalto. Ela colocou a mão no lugar em que a faca estava anteriormente e fechou os olhos suspirando aliviada ao constatar que não tinha mais nada ali.

- Você gostaria de explicar o que aconteceu? – Lena indagou se fazendo presente

- Aonde eu estou? – Kara perguntou ao olhar em volta e não reconhecer nada

- Em um lugar que eu construí quando você veio morar comigo

Kara se levantou da cama e já estava pronta para sair dali, mas foi impedida por Lena que impediu a sua passagem a deixando presa ali. Infelizmente para Kara apenas a morena controlava o acesso aquele lugar por um controle que no momento estava em sua mão. A kryptoniana tinha certeza que ela não iria entregar tão facilmente.

Em uma pose clara de desconforto a loira colocou as mãos na cintura e abaixou a cabeça evitando olhar para a sua noiva. A conhecia bem o suficiente para saber que ela não a deixaria sair sem antes ter alguma resposta que ela considerasse válida e no momento, Kara não tinha nenhuma.

- Você sabia que foi televisionado? Eu vi o que aconteceu. Eu vi o modo como você congelou no lugar.

- Não foi nada demais

- Tem certeza?

- Não foi nada demais – Kara repetiu mesmo que ela mesma não acreditasse naquilo

Sua cabeça ainda tinha sinais da dor que a afetou e a impediu de reagir

- Eu estou tentando te ajudar – Lena disse suavemente se aproximando da loira – Você não parecia bem, você nem sequer o atacou, Kara

- Não foi nada a demais – Kara disse novamente e Lena assentiu desapontada por não conseguir arrancar informações da Kryptoniana

Houve uma época que Kara corria até ela para lhe contar tudo o que ocorresse em seu dia, ela não escondia nada. Ela contava como se sentia, contava tudo detalhadamente sem Lena precisar insistir. Agora parecia apenas que ela estava tentando fugir e estar em qualquer outro lugar que não fosse ali.

- Me desculpe pelo que aconteceu no jantar – Lena disse tocando no assunto que sabia que Kara provavelmente iria fingir que nunca aconteceu - Eu não devia ter falado aquelas coisas se muito menos começado uma discussão na frente de todo mundo

- Está tudo bem – Kara assegurou finalmente levantando o seu olhar para poder encara-la

Lena mordeu o lábio inferior se sentindo nervosa de repente. Nunca negou que Kara tinha efeitos sobre ela que nunca seria capaz de controlar, mas agora, estando sozinha com ela sem saber como agir, o que falar e nem saber o que fazer a causou uma das piores sensações que já sentiu desde que a merda toda aconteceu.

Então ignorando todos os seus instintos ela liberou a passagem de Kara que sorriu agradecida antes de se virar e sair dali.

Lena ficou mais algumas horas lá dentro. Pela primeira vez em muito tempo sua agenda estava vazia e por mais que quisesse passar um tempo no mesmo lugar que Kara,, estava mais doloroso do que gostaria de admitir.

(...)

Lex deu risada mais uma vez ao ver a cena em sua TV. A melhor coisa que havia feito foi gravar o exato momento em que aquele alienígena enfiou a faca em Kara. Aquele definitivamente foi o melhor presente que ele havia dado a alguém, mesmo sendo der alguém que ele considerava de uma raça tão inferior que a dele.

Os sacrifícios que ele fazia para livrar esse mundo de pessoas como os Kriptonianos. Em sua cabeça doentia, aquela realidade finalmente estava fazendo jus ao que merecia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...