História The New Selection - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias A Seleção, Dove Cameron, Justin Bieber
Personagens Dove Cameron, Justin Bieber
Tags Tns
Visualizações 226
Palavras 2.967
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura! ❤

Capítulo 23 - Chapter XXII


Fanfic / Fanfiction The New Selection - Capítulo 23 - Chapter XXII

Summer Evining P. O. V

Estava quase adentrando no banheiro para ver o porque da demora de Audrey quando a mesma deu o ar da graça, tranquila como se não tivesse me deixado esperando quinze minutos.

- Aconteceu alguma coisa? - indago, curiosa.

- Não, somente a minha bexiga extremamente cheia - Pepper evitava evidenciar sua barriga, ainda continuava com a tática de usar vestidos largos.

- Certo, está feliz?

- Aliviada, sinto como se tivesse tirado uma pedra de cinco toneladas das minhas costas - seu semblante era suave, algo que estava raro de se ver - Acho que irão fazer o pronunciamento da minha desistência ao longo dessa semana. Sendo assim, só restará quatro e algo me diz que mais uma irá sair, ficando apenas três. Está pronta para assumir a coroa?

- Eu.. e-eu não sei - falo com sinceridade - Quero que acabe logo, mas me assusta pensar no futuro - abaixo a cabeça olhando para os meus dedos entrelaçados.

- Ei, calma, isso é normal, o futuro é totalmente incerto. - me envolve em um abraço caloroso - Mas o que importa é que vocês se amam, e você terá todo o apoio necessário.

- Obrigada.

- Agora me de licença, acho que você tem coisas mais importantes para se fazer - arqueia a sobrancelha olhando por cima do meu ombro.

Por impulso viro o meu rosto para ver o que ou quem estava atrás de mim, mas minha visão é totalmente apagada por duas largas mãos, as tateio com as pontas dos dedos na esperança de decifrar o dono delas.

- Justin - falo convicta, com um sorriso de satisfação estampado nos lábios.

- Acertou, mas não é esse o intuito dessa brincadeira - ouço sua voz próxima ao meu ouvido - Irei te levar para ver algo, espero que goste da surpresa. Confia em mim?

- Confio. - respondo sem titubear.

- Muito bem, então vamos.

Iniciamos a caminhada lentamente, Justin me auxiliava a desviar das coisas ou quando deveria elevar o passo devido a algum degrau. Estava afoita, mas não por medo dele me deixad cair ou trombar em alguém, ou até mesmo pelo medo da surpresa, sabia que ele não me faria nada de mal ou nada que fosse me desagradar. E por isso a ansiedade e curiosidade tomavam conta de cada centímetro do meu corpo, o que ele estava planejando?

- Chegamos - sussurrou, pelo timbre da sua voz era notável o sorriso em seus lábios. - Preparada?

Sabia que ainda estavamos no baile, já que o som dos acordes da música e o falatório ainda estavam presentes e alto, minha imaginação não me permitia pensar o que poderia ser a tal surpresa, me deixando sem um norte.

- Sim - respondo, tentando tirar suas mãos dos meus olhos.

- Surpresa - eleva um pouco a voz tirando suas mãos do meu rosto.

Abro os olhos e pisco algumas vezes para acostumar com a claridade, minha visão vai focando aos poucos em duas pessoas a minha frente. Meu coração se acelera ao reconhecer a face das duas pessoas que eu tanto senti falta nesses últimos meses.

- Vó, vô - me jogo em cima deles os puxando para um abraço coletivo - Eu estava com tanta saudade - as lágrimas ameaçavam cair.

- Raio de sol - sentia as mãos de vovô acariciando-me.

- Minha querida, estavamos morrendo de saudades de você. - até havia me esquecido do doce som de sua voz. 

- Com toda a correria do meu dia acabei esquecendo que hoje seria permitido a entrada de nossos parentes - olho ao redor vendo todas as selecionadas rodeadas por suas famílias, até mesmo Pepper que agora não  tinha uma das melhores expressões. - Como vocês estão?

- Estamos bem, minha filha - vovô me encarava com ar de admiração - Imagino que você também - lança um olhar rápido para Justin.

- Oh, sim, estou muito bem - puxo Justin para o meu lado - Vô, vó,  esse é Justin o príncipe de Auradon.

Os dois fazem uma pequena reverência.

- Por favor, isso não é necessário - diz sorridente - Já nos falamos minutos atrás, agora eu sei de onde vem tanta educação e simpatia.

- Que isso meu jovem - achei que isso fosse impossível, mas vovó tinha as bochechas coradas. Só Justin para causar isso nas pessoas.

Ficamos ali durante um bom tempo conversando, até Justin se despedir alegando que precisava conhecer as outras famílias. O observei se distanciar.

- É notável o amor entre vocês - vovó envolvia lentamente sua mão na minha - Não sabe o quanto isso me alegra, você merece ser feliz meu anjo, nada melhor que um amor verdadeiro.

Sorrio emocionada, quando criança nunca pensei em me casar, mas quando tocavam nesse assunto rezava comigo mesma para que achasse alguém igual ao vovô, que me amasse de igual maneira, que me respeitasse e que fosse nítido. Assim como era para mim o amor entre eles, e saber que havia conseguido transbordava meu coração de felicidade.

- Eu sabia que você iria conseguir, meu por do sol - vovô levou minha mão até sua boca, onde a beijou.

- Mas nada ainda foi decido ou confirmado - explico.

- Nada vence o amor verdadeiro, lembre-se disso.

Um tempo mais tarde até mesmo o rei e a rainha vieram conversar com meus avós que ficaram encantados e extasiados por estarem na presença deles. A noite havia sido maravilhosa, matar a saudade dos meus avós tinha sido o ponto alto da noite juntamente com a dança que tive com Justin.

Meus avós já haviam ido embora, a despedida foi difícil mas sabia que a escolha para nova princesa estava perto, e eles estariam presente, não seria necessário mais três meses de separação. Já estava acomodada em meu quarto, analisando cada parte do meu dia e como ele havia sido especial a sua maneira, a forma como Justin havia se preocupado comigo e cancelado seus compromissos, a forma que me olhou no baile, como conduziu-me durante a dança ou até mesmo quando se preocupou em fazer uma pequena surpresa para levar-me até meus avós. Tudo nele fazia-me sentir única.

Não havia dúvidas, apesar das amizades e toda a história que a seleção me trouxe, não via a hora que chegasse ao fim. Meus olhos vão se fechando lentamente, me levando para outro mundo.

TRÊS DIAS DEPOIS

O dia estava particularmente mais quente se comparado aos outros, agradecia internamente por hoje ser mais um daqueles dias de “folga” devido o programa que acoteceria ao anoitcer. Dispensei  o dia de spa, eu sei, que tipo de pesssoa faz isso? Eu sou esse tipo, mas é que já estava relaxada o suficiente, hoje gostaria de ficar sozinha em meu quarto lendo um bom livro e sem pensar muito na eliminação das candidatas. Até mesmo porque uma delas seria minha melhor amiga, não que eu não estivesse feliz por ela, muito ao contrário, é tanta felicidade que mal cabe em mim, com tudo, ela iria para longe de mim consequentemente irei perder todo o processo da gravidez, o primeiro chute, as conversas  para escolher o nome e os palpites sobre o sexo do bebê. Era um momento tão único, do qual eu não participaria.

Me apoio no parapeito da varanda, olhando o jardim se movimentando levemente por conta da brisa do vento, as coisas estavam prestes a mudar por completo, eu deixaria de ser Summer Evening para me tornar Summer Evining Bieber Auradon, a mulher do príncipe. O ar gélido dançava livremente em meu ventre, nunca fui de me jogar de cabeça no escuro, mas ao conhecer Justin, acabei por descobrir que o melhor da vida é essa sensação, sempre o novo.

Ouço batidas na porta, não me preocupo em atende-la, sabia que Jenny o faria, continuava a espreitar o enorme jardim quando ouvi meu nome:

- Summer - Pepper já se posicionava ao meu lado, também observando o jardim - É uma vista linda - comentou, alheia.

- Sim, é mesmo - concordo compenetrada.

- Imagino que você já saiba o porque de eu ter vindo aqui.

- Sei - respondo cabisbaixa, afinal, o momento que tanto adiei havia chegado - Veio se despedir.

- Pois é - Audrey não estava tão diferente de mim, nenhuma conseguia olhar nos olhos, não por covardia, mas sim porque nenhuma queria chorar e tornar o momento mais doloroso - Também gostaria de agradecer por tudo que fez por mim, você tornou toda essa loucura mais suportável, impedindo várias vezes, mesmo sem saber, que eu abrisse mão de tudo. Mas todas as vezes que eu pensava nisso, você vinha a minha mente, tão alegre e determinada, não podia me deixar levar pela situação por mais ruim que fosse, não tendo você ao meu lado. Eu estou indo, mas isso não é um adeus é apenas um "até logo", pois você e Justin irão nos visitar sempre que for possível, não vai perder as emoções de ser tia. Amo você, irmã.

Meu intuito de não chorar já havia ido por água a baixo, literalmente, já que agora me debulhava em lágrimas quentes e grossas. Impossível não chorar, era a minha amiga, minha irmã que estava partindo. Sou puxada para um abraço intenso e caloroso, era como ela havia dito; isso não é um adeus, apenas um até logo.

- Vou sentir sua falta - resmungo entre o soluço - Não vá cometer uma loucura sem eu por perto para te livrar depois - brinco, na tentativa de aliviar o clima.

- Eu também vou sentir a sua - sussurra saindo do abraço, enxugava as lágrimas ao mesmo tempo que tentava conter o riso - Está vendo o que os hormônios da gravidez faz?! Não sei se choro ou dou risada.

- Então de risada, minha irmã - seguro em sua mão - Pois agora se inicia um novo ciclo, com novas chances, principalmente agora que uma vida está a caminho - afago com carinho sua pequena barriga.

- Obrigada por tudo.

Nos abraçamos pela última vez, quando a vejo sair pela porta. Meu coração ainda doia, mas também estava feliz, tinhamos recobrado o laço que cheguei a acreditar ter sido brutalmente cortado e agora não seria a distância que o romperia. Nada mais poderia fazer isso, não se dependesse de mim.

O dia havia passado tão rápido que o horário de me arrumar já havia chegado. Jenny me chamou calmamente para o meu banho no qual tive que ficar com pepinos nos olhos devido ao choro durante a tarde.

- Eu não posso chorar durante a eliminação - falo, retirando os pepinos e saindo da banheira.

- Não sei porque, mas algo me diz que isso é impossível - a pequena mulher me instrui até a penteadeira, onde irá secar meu cabelo.

- Estou nervosa.

- Nunca passei por isso, mas acho que é uma reação aceitável. Está na final, seu futuro depende somente de uma palavra do príncipe.

Nunca havia enxergado por esse lado, o que me deixou ainda mais nervosa. E se de última hora ele mudasse de ideia? Ah meu Deus, ele não seria capaz de fazer isso, ou seria? 

Não pense nisso. Afasto tais pensamentos, por agora, só queria os positivos.

- Como vai querer o cabelo? - indaga.

- Quero um coque com alguns fios soltos - o calor não havia passado, até parecia estar mais intenso, tornando impossível usar o cabelo solto ou até mesmo semi preso.

- Já até sei o vestido que você irá usar, quer a maquiagem leve?

- Por favor.

Encosto a cabeça na cadeira e a deixo realizar suas mágicas com o pincel. Cantarolava baixinho algumas cantigas que ficavam presa nos meus pensamentos, valia de tudo para aliviar a tenção e o calor que só aumentava.

Em um determinado momento não sinto mais o toque dos pincéis em meu rosto, abro os olhos lentamente não enxergando Jenny no meu campo de visão, levanto-me da cadiera lentamente, havia chegado o momento de colocar o vestido.

O vestido estava preso ao cabide, era um tom esverdeado, tomara que caia com o decote em coração, seu comprimento ia até altura do meu joelho, junto a ele vinha uma tira de lenço preto o qual Jen prendeu em meu coque fazendo um laço delicado. Como sempre, o vestido se ajustou perfeitamente em meu corpo, as costureiras nunca erravam, calço um salto preto estilo boneca. E por último, meu colar.

- Estou pronta - analiso o resultado final no espelho.


Já estava posicionada em meu lugar, assim como a família real de Auradon ao outro lado do palco. Ryan e família haviam ficado em uma sala especial para assistirem o programa.

Era incrível a união que haviamos criado, todas estavam de mãos dadas, o clima tenso estava quase palpável.

- Boa noite povo de Auradon! - Ruby trajava um conjunto salmão, e seu salto alto bege - Estamos chegando a reta final, todos nós estamos extremamente curiosos para saber quem dessas lindas garotas será a escolhida. Mas antes de sabermos quem serão as duas eliminadas - todas se entre olham atônitas, não esperavam que duas de nós seriam eliminadas, exceto por Audrey e por mim - O rei dará notícias referentes aos acontecimentos da província.

E assim como dito o rei assume o seu lugar, confesso que não ouvi nada que foi dito por ele. Minha atenção estava focada em Justin que usava seu típico uniforme azul marinho que o deixava irresistível, um pedaço de mal caminho. Mas apesar de todas essas qualidades, não era isso que chamava minha atenção, e sim a conversa que estava tendo com a rainha, provavelmente de quem seria a eliminada. Sabia que uma delas seria Pepper, mas e a outra?

Sou acordada dos meus pensamentos quando Ruby retoma o microfone e o passa para Justin.

- Boa noite! - cumprimenta a plateia que vai a loucura, até umas garotas com cartazes havia hoje - Como todos sabem eu odeio eliminações, mas é algo inevitável. E eu também não vejo a hora de escolher a mulher da minha vida - da uma breve pausa - Algumas pessoas não acreditam na eficácia da seleção, ou até mesmo acham que é uma enganação. Mas não é, meu pai encontrou o amor da sua vida em uma dessas convenções, e por um acaso ela é a minha mãe. Quando aceitei participar disso fiquei receoso e também tive as minhas dúvidas sobre a veracidade de tudo isso, porém, o Justin de hoje pode afirmar ao Justin do começo da seleção, que ela foi mais do que sucedida. - não parecia um discurso decorado, ou imposto, ele estava abrindo o coração diante de todos - Tive a sorte de conviver com mulheres maravilhosas, mas infelizmente duas delas nos deixarão - pode-se ouvir os burburinhos da plateia, todos foram pego de surpresa com a eliminação de duas candidatas - Como já disse, estou ansioso para poder escolher minha futura mulher, então espero que me entendam.

Nos olhou por alguns segundos, meu coração estava se apertando novamente, aperto a mão de Audrey fortemente como uma despedida silenciosa.

- Mell McLaren - ele caminha lentamente até a mesma, que o encara atônita - E Audrey Pepper - estica a mão para as duas, Mel fica encarando sua mão como se não quisesse aquilo mas seu inconsciente a forçou segura-lá, diferente de Pepper que a agarrou sem exitação nenhuma.

As duas deram um tchauzinho para a plateia antes de se retirarem, eu queria gritar e correr em direção a minha amiga, mas não podia, precisava ficar até o final do programa. Justin falou mais algumas coisas, que devido ao meu estado não fui capaz de ouvir.

Acordei do transe com alguém puxando minha mão, era Wendy, seus olhos pretos me olhavam atentamente.

- Está se sentindo bem? - questionou.

- Só não esperava por uma eliminação dupla - minto.

- Eu sei, também não esperava, fiquei com dó da Mell, uma garota tão doce.

- Pois é  - resmungo me levantando - Agora só nos resta ir para o nosso quarto e esperar o dia de amanhã.

Wendy não fala nada, apenas caminha ao meu lado. Com tudo, sou interceptada pela rainha Sophie que tinha os olhos estralados como se tivesse acabado de ver um fantasma.

- Alteza - eu e Wendy a cumprimentamos na mesma hora.

Ela apenas esboça um sorriso, sua expressão começava a me deixar em pânico. Havia acontecido algo de novo? Invadiram o castelo? Ryan estava bem?

- Aconteceu algo? - pergunto com medo de sua resposta.

- Sim... não..  - parecia se atrapalhar com as palavras, aumentando ainda mais minha angústia - Sim aconteceu, preciso conversar com você. A sós - direciona o olhar para Wendy que entende prontamente o recado.

- Oh certo, até amanhã - se despede e inicia seu caminho para o quarto.

- Aconteceu algo com Ryan?

Estava prestes a agarrar seus ombros e chacoalha-los para que respondesse, mas fui pega de surpresa quando a mesma fez comigo. Agarrou-me pelos ombros e me girou.

- Essa marca.. - quase não pude ouvir o seu sussurro.

E como se um soco tivesse me atingido arregalo os olhos, havia esquecido de esconder a marca do ombro. Tantas vezes minha avó pediu para não mostra-la e eu vou logo para um programa da tv real com um vestido tomada que caia, dando a perfeita visão do meu ombro. Burra, burra, mil vezes burra.

- E-eu.. - não sabia o que falar, o medo me sucumbia.

Em um ímpeto tiro suas mãos de mim e recuo dois passos para trás, olhava para os lados afoita e torcia dolorosamente para que ninguém tivesse escutado. Eu não sabia o que de tão mau havia nessa marca, mas para chegar ao ponto da minha vó implorar para que eu a escondesse e agora a rainha vir tirar satisfação, algo de muito sério havia por de trás. Já estava prestes a sair correndo quando senti seus dedos longos segurando meu pulso.

- Você é.. v-você - suas palavras saiam entrecortadas - E-eu também tenho essa mancha - virou-se rapidamente abaixando minimamente seu vestido, e lá estava a mancha idêntica a minha, até no mesmo lado - Brianna - sussurrou, acariciando o meu rosto - Finalmente te encontrei, filha.


Notas Finais


Algumas pessoas já desconfiavam e tinham lá suas certezas hahaha. Mas agora é real oficial, o que sera que a nossa querida Summer -que na verdade se chama Brianna- irá reagir a isso? Essa descoberta trará alguma complicação para os nossos pombinhos? Ou apenas fortalecerá a união?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...