História The New Selection - Capítulo 31


Escrita por:

Postado
Categorias A Seleção, Dove Cameron, Justin Bieber
Personagens Dove Cameron, Justin Bieber
Tags Tns
Visualizações 214
Palavras 6.436
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Festa, Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Demorei? Mais do que o normal, eu sei, me desculpem!
Mas eu tenho uma ótima justificativa, como todos sabem eu faço faculdade, e no começo do ano (em janeiro, para ser mais especifica) iniciei um estagio. Ou seja, tempo 0.
Este é o último capítulo real, mas não irei me despedir agora pois ireis mais para frente postar um "bônus", e se tudo der certo não irá demorar então fiquem atentas!
Boa leitura!! <3

Capítulo 31 - Chapter XXIX


Fanfic / Fanfiction The New Selection - Capítulo 31 - Chapter XXIX

Brianna Kingston Lee Greene Honoris P.O.V

Meus olhos estavam focados no enorme espelho que refletia meu corpo coberto por um enorme branco rendado, sim, o meu vestido de casamento. Eu tinha duas opções; sofrer amargamente ou simplesmente imaginar que quem estaria me esperando no altar seria o meu amado, Justin.

E foi assim que me perdi nos pensamentos mais doces e pecaminosos, após aquele dia na sala de reuniões do rei ganhei uma nova perspectiva, minhas esperanças foram renovadas. Justin me ama, eu o amo e acredito fielmente que isso é o suficiente.

- Aí - reclamo novamente, já havia perdido às contas de tantas vezes que havia sido espetada pelo alfinete.

- Se você não estivesse no mundo da lua isso não teria acontecido. - Adelaide repreendeu-me.

- Odeio tirar medidas, é um saco! - solto uma lufada de ar - Se não me distrair com outras coisas vou acabar surtando.. 

- Eu tinha todas as suas medidas, mas não sei porque diabos está comendo igual a uma esfomeada e engordou. Agora aguente as consequências.

- Eu só desconto minha frustração na comida - resmungo constrangida.

- Então está na hora de descontar em outra coisa, pensa que eu não percebo suas idas frequentes ao banheiro? Seus enjoos e tonturas cada vez mais frequente...

- Quer saber a cura para isso? - esbravejo, saindo do pedestal que facilitava seu acesso ao vestido.

- Hm? - indaga colocando o alfinete na almofadinha em seu pulso.

CANCELAR O CASAMENTO, meu pensamento gritava.

Respiro profundamente ciente que não podia falar tal coisa, com a ida de Pepper e Ryan a estadia no castelo ficava cada vez pior, não havia com quem desabafar e aquilo me enlouquecia aos poucos.

- Nada, apenas finalize tudo.

Após todas as medidas serem tiradas Adel retirou-se do meu quarto mas não antes de perguntar se eu gostaria de almoçar, apenas um balançar de cabeça foi o suficiente.

- Quero sobremesa em dobro.

- Certo.

Desde que o casal havia ido para a lua de mel Shawn havia ficado ainda pior, sem Ryan para coloca-lo em seu lugar aproveitou-se e tomou posse do castelo. Seus assuntos chatos me enjoavam, sabia de cor e salteado; “Sabia que sou o melhor em esgrima, já derrotei incontáveis vezes o príncipe Drew.”

"Não se preocupe, se caso o castelo for invadido serei o seu salvador" "com certeza serei um ótimo rei, você tem sorte de ser a minha noiva".

Tudo era relacionado a ele e como era excelente em tudo, por isso passei a fugir pelos corredores e a fazer refeições em meu aposento.

Observo a escrivaninha a minha frente, sabia que não mais poderia adiar aquele momento e que ao menos uma parte minha precisava de paz. Não penso muito ao sentar na mesa e pegar o papel papiro e o tinteiro, me limito apenas em escrever:

"Perdoo vocês"

Curta e objetiva, sabia que meus avós iriam entender. Tenho total noção da dimensão dos seus atos e que ao roubar uma criança eles tiraram a vida de uma família, todas as ações da rainha Sophia eram apenas reflexo do passado. Mas também não posso esquecer que por conta disso vivenciei momentos maravilhosos, sou o que sou hoje graças a eles; conheci Justin de forma diferente, se continuasse como princesa talvez me ensinassem desde cedo que meu futuro seria o Shawn e o príncipe Drew não teria espaço em minha vida.

Coloco a carta no envelope e o carimbo com o símbolo do reino, pediria para Adelaide mandar para eles assim que trouxesse meu almoço.

...

Após almoçar o sono me dominou, de uns dois meses pra cá não tinha mais controle sobre o meu corpo, não possuía mais tanta energia, enjoos me atingiam com frequência e meus hormônios descontrolados faziam com que cada hora estivesse de um jeito; feliz, triste, extremamente irritada, feliz novamente...

Adel insistia para que eu passasse em um médico, e eu insistia do outro lado alegando que estava perfeitamente bem e que era apenas nervosismo devido ao casamento próximo.

Podia não ter mais o controle do meu corpo mas ainda sim eu o conhecia.

Batidas na porta me tiram dos pensamentos, calço meus sapatos e vou em direção a porta a abrindo. Meu inconsciente me repreende amargamente, deveria criar o costume de perguntar quem era antes de abrir a porta com um enorme sorriso.

- Shawn? - indago, sentindo a alegria ir embora gradativamente.

- Minha amada, fiquei preocupado quando em mais um almoço não se juntou a nós - seu sorriso galanteador poderia enganar qualquer uma - Resolvi passar aqui para te convidar para um passeio no jardim. 

Pensei em negar, meu corpo todo o rejeitava, não havia espaço para ele em minha vida. Odiava ouvir seus apelidos carinhosos para comigo, mas não podia fugir novamente já que Shawn é um homem inteligente, perceberia na hora que havia algum plano mirabolante. Não podia deixar que se quer ele desconfiasse de alguma coisa.

O plano de Justin precisa dar certo.

- Hm, certo - respondo rapidamente - Talvez uma volta no jardim me faça bem.

Pulo para fora do quarto, não tarda muito para que Shawn envolva seu braço ao meu fazendo-me arrepiar de repulsa. Não vou ser hipócrita e mentir que prestei atenção na conversa que estava mais para um monólogo, era inevitável, Shawn abre a boca meu cérebro desliga; coisa que eu adoro. Mas fui obrigada a sair do meu estado de inércia já que o mesmo havia me perguntado pela quinta vez a mesma coisa.

- Desculpa-me, mas pode repetir novamente? - sussurro, pois sabia que não receberia uma resposta agradável.

- Você está de brincadeira com a minha cara? Acha que sou o que para ficar repetindo? Vê se da próxima presta mais atenção - esbravejou - Perguntei se algum dia você chegou a ver o príncipe Drew lutar?

Um frio se instalou em meu ventre, junto a pequenas borboletas. Falar de Justin me causava uma sensação boa, a qual eu jamais conseguirei colocar em palavras.

Sim, não só vi como pratiquei também. Mas a resposta ficou apenas nos meus pensamentos, príncipe Shawn era o tipo que jamais deixaria uma mulher aprender a lutar.

- Sim, ele executa com maestria - me limito a isso.

Estávamos próximo ao estábulo, já podia sentir o odor ficando mais forte e os ruídos cada vez mais alto.

- Maestria? - solta uma risada grotesca - Esqueço que você é mulher e não sabe avaliar esse tipo de coisa, qualquer um que consiga levantar a espada já está executando maravilhosamente bem, não é? - minha paciência ia embora a cada passo dado - Mas uma coisa eu posso te garantir, com toda a certeza desse mundo, eu sou muito melhor do que ele. Drew é uma farsa, é só o clima apertar que ele já foge...Lembra o atentado ao seu castelo? Ele sumiu durante horas, é um tremendo covarde.

Encaro o cavalo ao meu lado, o animal mesmo e não o imbecil do Shawn. Mordo a bochecha, rolo os olhos, troco o peso de um pé para o outro mas de nada adianta, minha raiva e indignação só aumentavam. Como ele podia falar aquilo de Justin? Que não pensou duas vezes em socorrer o pai e por conta disso acabou pendurado em um LUSTRE, ele podia ser tudo e mais um pouco mas covarde era um adjetivo que não se aplicava a ele.

- Cala a boca! - grito - Você não sabe o que está falando, cansei de ouvir suas baboseiras sem nexo algum, entenda uma coisa: você não é tudo isso, então diminua a moral - cheguei ao meu limite, agora só sairia dali arrastada por um batalhão muito bem armado - Justin foi, é e sempre será melhor que você. Só te falta aceitar, te garanto que vai ficar mais bonito e até mais digno.

- Já chega! - sua voz ecoa pelo estabulo juntamente com o estrondo da sua mão de encontro com a madeira - Você fala isso porque ainda não foi para a cama comigo, mas te garanto que quando eu te desflorar não irá nem lembrar do príncipe Drew, nem mesmo uma merda de memória, ele e o nada serão a mesma coisa.

Seu rosto próximo ao meu possibilitava sentir seu hálito quente, seu rosto extremamente vermelho denunciavam sua irritação. Suas mãos agarraram a lateral do meu corpo jogando-me contra a parede de madeira, sua mão direita prendendo meus braços a cima da minha cabeça enquanto sua mão livre rasgava de ponta a ponta meu vestido de linho.

Minha perna estava começando a fraquejar, o medo aos poucos ia tomando conta de cada milímetro do meu corpo. Não conseguia acreditar que ele seria capaz de tal ato, só de imaginar meu cérebro entrava em parafuso.

Ainda sim me permito soltar uma risada exageradamente alta e debochada. 

- Não tem como você tirar algo que já não me pertence - respondo sucinta - E adivinha só? Foi com o seu amigo Justin, naquele mesmo dia no qual me obrigaram a vir pra cá me casar com você - cuspo em seu rosto - Não me arrependo nem por um instante, porque é ele quem eu amo. Para mim, você e nada são a mesma coisa.

- Não acredito que você me desonrou de tal forma - engulo em seco quando sinto a ardência em minha bochecha, reprimo o grito de dor e raiva mordendo sem pudor algum meu lábio inferior - Irá sofrer as devidas consequências que toda mulher impura sofre, não pense por um segundo que ser a princesa perdida te livrará de alguma coisa - seus dedos compridos seguravam meu queixo com brutalidade impedindo-me de olhar para os lados - Pois irei usar toda a minha força e moral de príncipe para te fazer pagar cada atitude suja. Ouviu?

- Nada do que você fizer vai apagar meus atos ou causar algum arrependimento, e você sabe exatamente disso, por isso está todo nervoso - minha voz sai tão calma que até me surpreende, pois aquele não era meu estado nem de longe - E saber que Justin ganhou de você mais uma vez o deixa fora de controle, mas eu também tenho um aviso então preste atenção; Você nunca irá superar Justin, a não ser no quesito idiotice, pois esse ninguém nunca irá te vencer, bater em uma mulher é o ato mais baixo que alguém poderia ter - vocifero, deixando o estado inércia de lado - Eu não esperava isso de você, mas agora sei que teu caráter é mais baixo do que o imaginado.

- Cala a merda da sua boca! - seu grito é um tom estrondoso que assusta os cavalos que já estavam extremamente agitados, enquanto meu corpo parece um brinquedo de chacoalhar nas mãos grosseiras de Shawn.

Meus dentes batiam repetidas vezes uns nos outros, meus lábios por azar entravam no caminho, sentia o gosto do sangue invadir minha boca. Eu não sabia onde aquilo iria parar, mas sabia que não era algo bom; não para mim, ele estava totalmente descontrolado seus olhos nem conseguiam mais focar, estavam perdidos e repleto de raiva.

Meu cérebro junto ao meu corpo estavam entrando em parafuso, era muita informação para processar de uma só vez. A minutos atrás quase fui violentada sexualmente e só de pensar o arrepio andava por minhas costas, agora eu estava sofrendo agressões físicas e verbais em um estábulo, quais as chances disso acontecer?

Meu corpo já estava mole e sendo sustentado pelo monstro a minha frente quando um guarda nos interrompeu, eu sabia que aquilo não daria nada a Shawn, pois segundo as leis de todos os reinos minhas ações haviam sido piores que a dele, meu maior pecado foi amar de mais.

Após o guarda ter nos achado tudo passou em um borrão, lembro-me de alguém perguntar se eu estava bem e logo após me pegar no colo. Eu sabia, estava tendo mais um ataque de pânico a falta de ar me atingia brutalmente e a sensação de sufocamento só piorava a situação, a ânsia de vomito se agravou por conta da tontura, meus olhos não conseguiam focar em nada. Puxava o ar a todo custo mas de nada adiantava.

Não conseguia saber onde estava e o que acontecia ao meu redor, me causava a sensação de não pertencer ao local, minha garganta ardia e a boca seca com o suor excessivo eram mais um dos indícios do meu ataque, estava a beira de um colapso. A única coisa externa que sentia eram os olhares sobre mim e algo gelado contra minha mão e as pernas, provavelmente estava sentada no chão de mármore.

- Sun..- ouvia a voz que tanto amo ao longe - Summer, por favor, me escuta - provavelmente era meu cérebro permitindo um momento de alivio antes de sucumbir.

- Olhe para mim - a voz ordenou, e por puro reflexo, mesmo com a visão embaçada eu o procurei - Você precisa respirar, meu amor. Respira.

Era como se ele fosse o dono do meu corpo, mesmo não estando de fato aqui. Lentamente e com extrema dificuldade puxei o ar pelo nariz.

- Inspira, solte o ar Summer - adorava como meu antigo nome saia de sua boca, era como se eu fosse única.

Soltei o ar da mesma forma que o suguei; lentamente. Com suas ordens fui conseguindo retomar o controle do meu corpo, já não sentia o coração acelerado, minhas mãos não estavam mais suadas e a visão estava voltando ao normal.

Levo a mão nos peito para de alguma forma me ajudar a recompor, olho ao meu redor reconhecendo a sala no mesmo instante. O salão dos tronos, onde rei Arthur e a rainha Sophia me encaravam atônitos, mas por muito provavelmente já saberem do ocorrido não podiam se envolver, agora eles iriam me condenar.

Shawn  estava logo abaixo com sua pose impecável e seu olhar frio e inexpressivo. Mas algo me chamou atenção, sentia um afago em minhas costas e a sensação verberava por todo meu corpo, apenas uma pessoa tinha esse dom.

Me viro em uma velocidade que até segundos atrás seria impossível, me jogo nos braços dele já sentindo as lágrimas inundarem meu rosto.

- Shh, tudo vai ficar bem! - sua voz rouca e baixa me levava para outra dimensão.

- Não vai - falo entre soluços - Eu estraguei todo o plano, falei coisas que não devia e agora estamos ferrados me desculpe por te colocar nessa.

A situação era mais seria do que imaginava, para eles convocarem Justin de maneira tão rápida, provavelmente estava em missão pela região quando foi convocado para chegar aqui de maneira rápida.

- Não meu anjo, você não fez nada de errado, eu sabia que não aguentaria tanto tempo. Você e essa boca inteligente, nunca pensei que seguraria por tanto tempo - encaixou suas mãos na lateral do meu rosto, lentamente distribuía beijos pela região.

- Eu segurei, segurei pelo máximo de tempo que consegui. Você sabe que faria qualquer coisa por nós, até mesmo aguentar ele - indico Shawn com a cabeça.

- Isso é um ultraje, além de me trair as escondidas agora está fazendo em minha frente, na presença do rei e da rainha.

Meu corpo entra em alerta e rapidamente me separo de Justin, reúno a força que restava em meu corpo e me coloco de pé.

- Brianna isso é verdade? Você o traiu com o príncipe Drew? - indaga o rei.

- Sim, é verdade - estava me sentindo tão pequena e inferior dentro daquele enorme salão.

A rainha solta um suspiro, sabia que ela esperava que eu negasse, mas eu jamais esconderia meu por amor por Justin. Meu corpo estava dolorido, meu vestido rasgado, o cabelo bagunçado e o rosto inchado devido ao choro, seria julgada e meu estado demonstrava o quanto aquilo iria prejudicar a minha vida. O que me lembrava que nada tinha sido fácil nela, quer dizer, desde que Justin entrou nela nada mais foi fácil, mas eu também sabia que havia acontecido o mesmo com ele.

Porém, antes dele eu não sabia o que era estar viva, se sentir viva, eu apenas sobrevivia um dia após o outro. Apesar de toda encrenca que esse relacionamento nos causou e causa até agora, eu não teria feito diferente.

- Isso é um ultraje, exijo que ela seja punida da pior forma - exigiu - Vossa majestade, não sabes a dor que estou sentindo. Eu a amava, ser traído de tal maneira não é algo fácil de aguentar.

- Não sei como é ser traída, mas sei como é ser tirada brutalmente dos braços do seu amado por simplesmente ter um título que passou a vida inteira sem saber da existência, pelo simples fato de que sua mão já havia sido prometida a outro desde o nascimento. - desabafo, contendo as lágrimas e evitando olhar para Justin, porque se caso o fizesse perderia totalmente as estribeiras - Sei bem como é imaginar a pessoa amada com outro alguém, não se esqueça que participei de uma seleção onde varias garotas disputavam um só coração. Deus sabe como tentei negar o sentimento, mas foi impossível, porque quando é pra ser nem um reino inteiro consegue desfazer - minhas mãos estavam entrelaçadas uma na outra, minha voz vez ou outra dava uma falhada mas eu logo a recuperava - Eu posso me casar com você, Shawn, mas eu jamais te amaria  você seria tão infeliz quanto eu. Ou melhor, na atual situação em que estamos, posso ser condenada com o pior castigo, isso não diminuirá meu amor por ele.

- Já terminou seu discurso patético? - indagou irônico - Pois bem, o fato de você ama-lo de mais não justifica sua traição, quebrar o meu coração não irá concertar o seu. E logo se vê que acabou de descobrir o seu título, pois age igual a um animal e não como uma princesa deve agir de fato.

Encolho meus ombros, ele havia atingido um ponto fraco, eu não me sentia o suficiente para ficar ao lado de Justin. Toda minha vida fui criada em um vilarejo como é que poderia não me portar feito uma ogra?!

- Você não a ama Shawn, primeiro que você a quer pois sabe o tamanho dos meus sentimentos por ela e isso é muito baixo, até mesmo para você. Segundo ela não é um troféu das nossas ridículas competições, se você ao menos uma vez a enxergasse verdadeiramente jamais a trataria desse jeito e terceiro você não possui moral para xingar alguém de sem classe, até mesmo porque ela não tinha a obrigação de aprender todas as regras de etiquetas mas mesmo assim nunca vi alguém com mais classe do que ela, pior é você que cresceu dentro de um Palácio recebendo a melhor educação e ainda sim, consegue ser esse cretino grosseiro - Justin pronunciava-se com extrema calma, ele sabia que se perdesse o controle automaticamente perderia a razão - Você não é ninguém para falar sobre traição, pois sabe mais do que ninguém como a fidelidade é levada a sério perante os nossos reinos. Sabe também desde criança que sua mão foi prometida e que por isso não podia se envolver com ninguém, mas isso não o impediu de envolver-se com uma das minhas selecionadas o que torna sua traição ainda pior.

Minha cabeça estava girando, como assim Shawn havia se envolvido com uma das garotas da seleção? Quem? E se isso realmente for verdade....Só com a possiblidade meu coração se acelera ao ponto de errar e pular algumas batidas.

- Do que está falando? Enlouqueceu de vez? Sempre fui fiel a minha prometida. - respondeu firme.

- Sempre? E quando você se encontrava com a senhorita Tramell pelos cantos do castelo? E as promessas de viverem felizes, de que você a iria pedir em casamento? Tudo isso é invenção minha?

- Evidente que sim, está louco atrás de uma maneira de livrar sua amada da  morte.

Meu corpo se arrepia por inteiro, sabia que a morte era uma possibilidade mas estava evitando pensar em algo tão extremo. Meu desespero só aumenta quando Justin larga minha mão e sai em direção a porta, ele estava me deixando?

Ouço sua voz de longe mas não consigo decifrar suas falas, o que me deixa ainda mais nervosa.

- Vossa majestade, está é a senhorita Tramell - em segundos Justin já estava de volta e ao seu lado uma mulher que aparentava ter a minha idade.

Meu queixo foi direto para o chão, ela era muito parecida comigo, seus longos cabelos loiros e enormes olhos claros, até sua estatura era idêntica a minha. O que mais me deixou  embasbacada era o fato de não lembrar dela no palácio.

- Senhorita Tramell, você confirma as palavras do príncipe Drew? Lembrando que é contra as leis mentir para vossa majestade, caso descubram a verdade você será devidamente punida na frente de todos do reino.

- Confirmo - sua voz era tão firme que a invejei, como não se sentia intimidada perante todos?! - Só há uma coisa que o príncipe Drew não contou, é que estou grávida. E sim, tenho a total noção das consequências para quem mente, e espero que ele as sofra pois mentiu sem pudor algum e ainda quase ferrou pessoas inocentes - apontou com a cabeça para Justin.

Era por isso que ela estava tão séria, estava grávida de um mentiroso.

- Caso vossa alteza tenha alguma dúvida - Justin se aproximou da rainha Sophie - A senhorita Tramell já fez um teste de gravidez e deu positivo e temos imagens gravadas pelas câmeras do castelo que comprovam o envolvimento dos dois.

A rainha o analisa por alguns minutos, sem dizer nada se levanta e caminha até a minha frente onde afaga meu cabelo o colocando em ordem.

- Minha querida - sua voz era um sussurro, depositou um beijo carinhoso sobre minha testa - Foi ele que deixou essas marcas em seu braço? - passou os dedos finos e compridos pelo hematoma arroxeado, concordo com a cabeça - Suponho que  ele também foi o culpado pelo rasgo no vestido? - o nó já estava presente em minha garganta, novamente concordo com a cabeça - Certo.

Ela vira de costas e dessa vez anda em direção ao Shawn.

- Eu fiz questão que você namorasse a minha filha, a minha pequena preciosidade eu confiei em você. Tudo por um mau julgamento que foi facilmente manipulado por você, que afirmou com todas as letras que o príncipe Drew não prestava e que ele não era bom o suficiente para ela - esbraveja, pela primeira vez estava vendo a rainha sem a expressão de sempre - Quando na verdade quem não a merecia era você, seu traste! - o estalo de sua mão atingindo o rosto de Shawn ecoou pelo salão - Pois agora com o poder a mim concedido eu desfaço está união, ninguém jamais encostará um dedo em minha filha. Guardas, levem-no para as masmorras depois decidirei o que faremos com ele.

- NÃO, VOCÊ ESTÁ LOUCA NÃO PODE FAZER ISSO COMIGO! - seus gritos raivosos me davam calafrios.

A rainha apenas o ignorou como todos ali presentes, correu em minha direção e envolveu meu corpo num abraço apertado.

- Me desculpe, não deveria ter me envolvido em sua vida de tal maneira. Nunca quis te fazer algum mal, muito pelo contrário.

- Tudo bem, eu te perdoo - a abraço te volta, logo depois rei Arthur se juntou ao abraço e finalmente senti que éramos uma família.

- Cof, cof! - Justin fingiu uma falsa tosse fazendo todos rirem - Desculpe atrapalhar esse momento, mas não posso deixar essa oportunidade passar - seu nervosismo era nítido, não parava de arrumar o cabelo e sua voz estava mais grossa.

Me desvencilho do abraço para ir em sua direção, afago seu rosto com ternura.

- Aconteceu alguma coisa, Justin? - questiono preocupada.

Meu coração para por segundos quando se ajoelha em minha frente, não podia ser o que estava pensando, não, não...Conseguia sentir as batidas frenéticas em minha garganta.

- Summer, eu sei que você acabou de sair de um relacionamento e ele não foi nem um pouco fácil, sei que te deixou marcas de uma forma negativa. Mas eu não posso mais esperar, meu dia não é o mesmo se não te vejo; tenho medo que alguém possa te tirar de mim, me apeguei a você muito rápido e me apaixonei mais rápido ainda, não achei que fosse possível me apaixonar a primeira vista mas você me provou o contrário, aliás, você é diferente de todas que eu conheci enxerga o Justin e não o homem que carrega uma coroa. Não tem noção de como te admiro, todas as adversidades que superou e sempre com esse sorriso maravilhoso, você é o meu bem mais precioso, o motivo da minha felicidade. Aquela que cuida de mim em todos os momentos, não há outro ser humano com um coração tão bondoso quanto o seu, tu é tão linda e consegue ser ainda mais por dentro - sua mão entrou para baixo do seu uniforme azul marinho e de lá tirou uma caixinha preta aveludada - Eu estou aqui, e eu te amo. Eu sempre amei você, e eu sempre amarei. Eu estava pensando em você, vendo o seu rosto em minha mente, durante cada segundo em que estive longe, não teve só um dia em que meu coração não lembrou de você. Brianna Honoris, quer se casar comigo?

Meus olhos estavam presos no seu, comecei a chorar, sem perceber assenti com a cabeça, havia milhões de borboletas voando por todo meu corpo. E ele continuo ajoelhado, me encarando com um sorriso estonteante, então eu disse:

- Sim, é claro que sim, eu aceito! - o observo com extrema animação abrir a caixinha que guardava um anel de brilhante incrustado por pequenos diamantes até finalmente chegar no maior, era um anel delicado e extremamente lindo.

As lágrimas rolavam grossas e se intensificaram quando ele deslizou o anel pelo meu dedo anelar e depositou um beijo sobre o mesmo. Me jogo em seus braços e o beijo com todo amor e admiração, mas principalmente com alívio; pois sabia, algo gritava dentro do meu ser, que agora nada mais daria errado.

Uma semana depois

Vestida com um roupão branco de cetim encarava meu reflexo e do maquiador Jonny, enquanto seu parceiro já finalizava meu cabelo. Obviamente a rainha Sophie e Destiny organizaram tudo pessoalmente.

As duas já haviam entrado em meu quarto inúmeras vezes e todas elas choravam, no final eu acabava por me emocionar juntamente. Mas na verdade meus pensamentos estavam inteiramente em Justin.

- Audrey e Ryan não conseguirão comparecer? - indago.

O casamento ocorrerá nos jardins do castelo de Auradon, onde os conheci.

- Não, eles ainda possuem longos dias de lua de mel - Adelaide me responde grosseiramente.

- Certo - solto o ar pela boca - Estou enjoada, deve ser o nervosismo.

- Não acho que seja isso.

- Como não? Acha que estou doente? - pergunto atônita.

- Não acho que gravidez seja doença.

Olho espantada para todos a minha volta que fingiam não ter ouvido, eles eram treinados para isso.

- Gravidez? Está louca?! 

- Sua antiga dama de honra, Jenny, me contou da sua fugida - olho furiosamente para a pequena mulher que encolhe os ombros instintivamente – Apenas juntei os pontos, aquele dia no casamento do príncipe Ryan você e o príncipe Drew sumiram durante horas. Desde então você vem tendo enjoos constantes, está comendo por dois e fora a mudança de humor.

- Meu Deus, eu estou grávida! - coloco a mão sobre a barriga, como passei todos esses meses sem saber ou sentir algo e agora eu podia sentir? Tinha certeza que um pequeno ser habitava em meu ventre.

Meus olhos encheram d'água, não podia acreditar.

- Vou preparar as coisas para você fazer o teste e confirmar.

- Certo.

Ótimo, como se já não estivesse nervosa o suficiente por hoje ser o meu casamento, possivelmente estava esperando um filho do meu noivo.

- Sei que você deve estar brava por eu ter aberto a boca, mas quando Adelaide falou de uma possível gravidez não me contive...- Jenny segurou minha mão fortemente - E sua avó está ali fora, posso deixa-la entrar?

- Não precisa se desculpar, sei que você fez nas melhores das intenções. Estava com saudade de você - dou um longo suspiro - Sim, deixe-a entrar.

A vejo se distanciar e abrir a porta, segundos depois uma mulher de cabelos grisalhos trajando um vestido de baile azul marinho adentrou.

- Minha filha - sua voz estava embargada.

- Vó - envolvo sua mão na minha - Estava com saudade.

- Me desculpe, meu solzinho, nunca quis te fazer mal!

- Eu sei, é por isso que continuo amando a senhora e o vovô - beijo sua mão - Quero vocês na primeira fila, bem que o vovô disse; você será a escolhida.

- Disso eu não tinha dúvidas, meu anjo, príncipe Drew estaria louco se a deixasse partir.

O movimento na porta chama minha atenção, Adel estava de volta e andava sorrateiramente pelo quarto quando indicou o banheiro com a cabeça.

- Vó, agora preciso terminar de me arrumar, te vejo no jardim - beijo mais uma vez sua mão - Amo você!

- Eu também te amo, meu beija flor!

Não espero até minha vó sair do quarto, antes disso já havia deixado maquiador e cabelereiro para trás. Hoje o dia será longo, cheio de surpresa e preparativos.

...

Quando finalmente encarei meu reflexo no espelho, não conseguia acreditar que era eu. Desde que entrei na seleção já havia me arrumado varias vezes, mas nenhuma chegava aos pés de hoje.

Todo o tecido branco rendado com pontos de brilho rodeando meu corpo me deixavam estonteante, o cabelo totalmente preso com alguns fios soltos e algumas flores brancas o enfeitando, a maquiagem leve como gostava dando destaque aos meus olhos verdes. Era impossível não me emocionar.

- Calma, não chora, não chora! - falo para mim mesma.

Estava me sentindo radiante, não conseguia desprender a atenção do espelho. 

- Está pronta? - rei Arthur apareceu atrás, com seu lindo uniforme repleto por medalhas - Justin já está enlouquecendo lá embaixo.

Solto um riso descontraído, pensar que ele estava me esperando lá embaixo enchia meu coração de ternura.

- Estou - dou uma última olhada antes de aceitar seu braço.

O caminho do meu antigo quarto até o jardim principal nunca foi tão longo, rei Arthur já devia estar cansado de tanto que pedia para me acalmar assim como seu braço devia estar dolorido de tanto que apertei.

Estava atrás da porta de vidro, onde conseguia ver alguns dos convidados, as cadeiras de madeiras enfeitadas por um laço branco, haviam pilastras de madeira com flores coloridas ao seu redor por todo o caminho por onde iria passar e rosas brancas e vermelhas trilhavam o caminho, e finalmente lá estava ele com seu uniforme branco com as típicas medalhas e seu cabelo perfeitamente alinhado em um topete. Tudo estava maravilhoso, mas nada chegava aos seus pés.

Minhas pernas começaram a ficar bambas e as mãos suavam, o nervosismo me dominava.

- Brianna, achei que nunca iria ter esse momento; poder levar minha filha até o altar. Sinto muito por termos perdido vários momentos juntos, por não ter te visto crescer, mas mesmo assim, sinto tanto orgulho pela mulher que se tornou pois era exatamente assim que eu a imaginava - meus olhos já se enchiam de lágrimas - E não posso imaginar alguém melhor para te entregar, sei que Drew te fará muito feliz e com toda certeza você será a prioridade dele. Então não fique nervosa, pois tudo vai dar certo!

Concordo com a cabeça e o envolvo em um abraço.

- Obrigada, pai!

Ele tinha razão, tudo daria certo, a pior parte já havia passado. A porta foi aberta pelos guardas, os convidados se levantaram e por isso Justin não conseguia me ver, mas eu conseguia o ver e ele estava tão nervoso quanto eu, também conseguia ver as selecionadas que haviam virado minhas amigas, era uma pena Audrey não estar ali.

Eram tantos olhares sobre mim que por um momento abaixei a cabeça e quando a levantei apenas um olhar me interessava; o de Justin que parecia estar maravilhado com o que via, seu olhar carinhoso sobre mim só aumentavam a certeza da minha escolha.

Meu pai entregou-me a ele, que segurou minha mão com tanto cuidado como se fosse feita de porcelana, nossos olhares se encontraram e foi impossível não sorrir. Caminhamos o curto pedaço que faltava para o altar.

O mestre de cerimônia esperou nos aproximarmos para dar início ao casamento:

- Eu Justin Drew Bieber Roussell Singer Auradon e Brianna Kingston Lee Greene Honoris, viestes aqui para celebrar o vosso Matrimónio. É de vossa livre vontade e de todo o coração que pretendeis fazê-lo? 

- Sim - respondemos juntos.

Varias palavras lindas foram ditas pelo mestre, assim como perguntas, estava prestes a chorar quando chegou a hora dos votos.

- Brianna, nunca pensei que um dia estaria aqui, em frente a um altar prestes a me casar, e muito menos com uma pessoa tão maravilhosa - Justin mal tinha começado a falar e as lágrimas rolavam livremente - Mas tudo isso pareceu ser algo possível quando você apareceu em minha vida, com esse seu jeitinho mandão e principalmente pela boca inteligente, sempre falando o que pensa. Tudo com você foi diferente, quando te conheci jurava que você havia caído do céu mas na verdade apenas tropeçou na barra do vestido e deslizou escada a baixo, lembra? – gargalho enquanto balanço a cabeça – Nossos primeiros encontros foram assim, pelo destino, mas no nosso primeiro encontro oficial eu já te contei um segredo relacionado ao esgrima – deu uma piscadela – Pois eu sentia uma confiança enorme em você, coisa que eu jamais irei conseguir explicar. É uma coisa extraordinária quando conhecemos alguém com quem podemos dividir nossa alma, que nos aceita como somos. Eu tenho tentado, pelo o que parece, um tempo muito longo, superar o que eu sou e com você sinto que finalmente posso começar, você me completa em todas as formas, de todos os jeitos, com todos os tipos de felicidade possíveis. Não existe vida longe do teu amor, não existe vida longe de você. Te quero ao meu lado, para sempre. Eu te amo cada vez mais e cada vez de um jeito novo – calmamente leva minha mão até sua boca depositando um beijo - Eu Justin Drew Bieber Roussell Singer Auradon te recebo por minha esposa, prometo ser fiel, te amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida. – Justin desliza a delicada aliança dourada pelo meu dedo e o beija novamente.

- Eu nem sei se sou capaz de fazer o meu voto – falo entre as lagrimas e soluços, fazendo todos rirem – Quando eu aceitei entrar nessa seleção jamais pensei em conquistar o coração do príncipe, de início era apenas para ajudar meus avós. Mas o destino tinha outros planos, primeiro o tombo na escada naquele dia eu já deveria saber que as coisas para nós dois não seriam fáceis, e era incrível como eu adorava te provocar ou contrariar. Nunca te escondi nada, e mesmo assim, você me amou, com cada defeito e falha, coisa que eu jurei ser impossível, mas olha para nós dois, olha onde estamos – não conseguia conter o sorriso muito menos as lagrimas – Passamos por inúmeras dificuldades, por varias aprovações, fomo separados, machucados, brigamos, gritamos nosso relacionamento é praticamente uma montanha russa. Mas a cada dificuldade fazia meu amor por você aumentar cada vez mais, houve dias que jurei que o sentimento não podia aumentar mais, porém, você sempre me provava o contrário não só era possível como aumentou e aumenta até hoje. E eu olho para você e vejo meu melhor amigo. Sua energia e paixão me inspiram de formas que eu nunca imaginei possíveis. Sua beleza interior é tão forte que eu não tenho mais medo de ser eu mesma. Eu não temo nada. Nunca pensei que iria encontrar alguém para amar que me amasse incondicionalmente, não consigo imaginar minha vida longe de você, por isso eu Brianna Kingston Lee Greene Honoris te recebo por meu esposo, prometo ser fiel, te amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida. – deslizo a aliança em sua mão esquerda e a levo até a boca a beijando e deixando uma marquinha de batom.

- Conforme o poder a mim concedido, eu vos declaro marido e mulher. Pode beijar a noiva!

Justin não demora para me puxar pela cintura e envolver sua boca na minha, nos beijamos em meio aos aplausos.

...

A festa foi no jardim, uma enorme tenda havia sido montada, estava sentada na mesa principal conversando com a rainha Destiny sobre o destino da lua de mel quando Justin nos interrompeu.

- Licença, desculpa interromper a conversa das mulheres mais lindas da minha vida.

Jazmyn cruzou os braços e pronunciou-se:

- Ei!

- Você é a garota mais linda do mundo – deu uma piscadela – Senhora Bieber, daria a honra de sua companhia?

- É claro, marido – entro em sua brincadeira, aceitando sua mão estendida.

Justin nos leva para o centro da pista iniciando uma dança lenta e calma, sem passos elaborados.

- Você está maravilhosa! – beija suavemente meu pescoço – Sou o homem mais feliz da face da terra por te ter, vou te dar o mundo, irei te fazer a mulher mais feliz do mundo!

- Meu amor, eu já sou, só pelo fato de ter – beijo levemente seus lábios – E principalmente por estar carregando um filho seu – desço sua mão discretamente até a minha barriga.

Seu olhar atônito me fez rir, era impossível não ter essa reação. Hoje mais cedo, no banheiro, quando fiz o teste e ele havia dado positivo meu mundo inteiro parou, havia uma pequena vida e eu era totalmente responsável por ela.

- Vou ser pai? – sussurrou, iniciando uma caricia em minha barriga.

- Parabéns, você vai ser papai!

- Meu Deus, eu não poderia estar mais feliz do que isso. Obrigado, obrigado por me dar o maior presente que algum dia alguém poderia me dar. Eu te amo muito!

- Eu te amo mais – o abraço forte – Alias, nós te amamos!


Notas Finais


O que acharam do nosso casal 20? haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...