História The New Story - Percabeth - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Annabeth Chase, Percy Jackson
Tags Percabeth, Romance
Visualizações 47
Palavras 2.012
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Ficção Adolescente, Misticismo, Poesias, Romance e Novela, Sobrenatural
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpa a demora mas eu tive bloqueio criativo e muitos outros porquês, mas o importante é que o cap novo esta aqui....

Capítulo 3 - Chegou sua hora, vá!


Pov. Percy

Tudo estava mais estranho que o normal. Minha mãe me disse que era para chamar Annabeth aqui em casa e o assunto é sério. Oi? Mãe, você ta bem? Simplesmente não fez sentido o que ela disse, por que o que a Annabeth tem haver com 'assunto sério'? Estou com um pouco de medo do que vai acontecer essa noite. Mas, como sou muito obediente, já passei uma mensagem para Annie a chamando para vir aqui em casa.

Minha mãe está estranha. Sei lá, ela conversou diferente comigo hoje e escutei ela chorando no seu quarto e isso foi o suficiente para eu descobrir que... F U D E U.

Se um dia a sua mãe chamar @ seu melhor [email protected] na sua casa para conversar. É por que você fez merda. Sinto muito.

Eu já estava de banho tomado, sentado na minha cama quando alguém bateu na porta do meu quarto. Ok, essa era a hora da verdade.

- Entra - falei.

Quando percebi quem era me levantei e fui abraçar Annabeth. Ela estava linda. Eu pedi para que ela se vestisse casualmente, mas ela estava deslumbrante!

- Uau, você ta parecendo uma estrela de Hollywood! - falei pedindo para que ela desse uma voltinha.

- Para seu babaca - ela começou a rir e eu a acompanhei.

- Por que estamos aqui? - ela me perguntou.

- Bom, nem eu sei - paro um momento - minha mãe disse que queria conversar com nós dois.

- Não posso negar que estou nervosa - ela fala.

- Imagina eu! - digo abrindo os braços.

- É melhor descermos - Annabeth se vira e começa a descer as escadas, a acompanho.

Quando chegamos na sala, a minha mãe estava sentada no sofá com uma xícara de chá quente nas mãos encarando o chão. Sua aparência estava acabada e o estranho é que minha mãe nunca esteve assim. Ela é uma mulher deslumbrante, maravilhosa nos dois sentidos, mas hoje ela não era a tão famosa e animada, Sally Jackson.

- Boa noite Dona Sally - Annabeth a cumprimenta, fazendo-a levantar o rosto desvendando seu estado carente.

- Ei querida - minha mãe se levanta e da uma abraço em Annabeth.

As duas se separam e Annabeth se senta no sofá da frente. Minha mãe me encara e manda eu me aproximar. Ela segura meu rosto com as duas mãos e percebo uma lágrima escorrer em suas bochechas vermelhas. Aquilo corta o meu coração, mas antes de eu me pronunciar, ela aproxima meu rosto e beija a minha testa.

- Sente-se querido - minha mãe pede depois de nos separarmos. 

Mento do lado de Annabeth que dá para perceber seu nervosismo.

- Eu sei que estão assustados com o meu pedido - começa Sally.

- Claro que estamos! - eu a interrompo e iria  falar mais se Annabeth não me impedisse colocando sua mão sobre o meu peito.

"Escute-a" - Annabeth sussurrou.

- Percy meu filho... - ela segura minha mão - Você não é igual a todos os outros adolescentes...

- Mãe, por favor fale mais claramente - pedi com carinho.

- Filho, hoje eu vou contar a verdadeira história sobre seu pai - quando Sally disse isso, a minha atenção toda se voltou para ela.

- O seu pai não é um herói, não é um espião, não é galã, ele é um... - ela parece hesitar - Ele é um deus.

Ela nos encara esperando a nossa reação, mas a ficha ainda não tinha caído.

- Ele é um oquê? - Annabeth pergunta.

- Um deus grego, o das mitologias. - minha mãe responde.

- Como eu, eu... - eu não conseguia falar - Como eu não sabia disso?

- Eu tentei te esconder dos monstros, mas a sua áurea é muito poderosa, aos 16 anos é quase impossível um Semideus sobreviver no mundo mortal - minha mãe fala isso como se fosse normal.

Olhei para o lado e os olhos de Annabeth estavam arregalados. Ela me olhou e ficamos nos encarando por alguns segundos e ela sussurrou novamente:

" Entã é verdade "

Olhei para a minha mãe e ela estava chorando esperando que falássemos algo.

- Me desculpa, eu fui egoísta. Eles tentaram te levar quando tinha 13 anos, mas eu pedi para que ficasse por mais tempo. Agora não tem como você ficar mais tempo Perseu. Agora chegou sua hora... - minha mãe começou a tagarelar um monte de coisas sem sentido, pedindo desculpa...

- Mãe! - chamo sua atenção - Quem quer me levar e quem está atrás de mim?

- Você precisa ir para o Acampamento Meio-Sangue, é lá onde adolescentes como você vivem. Os monstros estão atrás de você, você é filho de um deus grego poderoso, o qual não posso pronunciar o nome. E é por isso que a sua áurea é poderosa, você atrai monstros, muito monstros. 

- Ta, mas por que me chamou aqui? - disse Annabeth impaciente.

- Você é a melhor amiga de Percy, se ele sumir, você saberá o porquê.

- Mas, não é justo! - disse Annabeth se levantando ficando irada - Ele não pode simplesmente sumir! Temos que levá-lo a esse lugar, ele precisa ser protegido e talvez...Sei lá! Eles me deixassem ficar com ele... Ele merece uma explicação! Como do nada você fala que ele é filho de um deus grego?!

- Annie... - a puxo de volta para o sofá - fica calma, ta bom? Eu não vou para lugar nenhum. - percebo as lágrimas começando a cair de seus olhos cinzentos.

- Filho, me perdoa, deveria ter te deixado ir naquela época...

- Mãe, eu acredito em você, e tudo bem. Mas eu exijo uma explicação - a interrompo. 

Fui interrompido por alguém entrando na nossa casa e era... Calma, Grover?

- Cara, o que você esta fazendo aqui? - pergunto.

- Filho, esse é Grover Underwood. Ele é um sátiro, o guardião dos semideuses e está aqui para te levar ao acampamento.

- Mãe, isso é loucura! - falo.

- Sabia! - Annabeth se levanta do sofá - Você sabia os nosso nomes de cór naquele dia! Não tinha como você nos conhecer. Então, você foi enviado para buscar Percy?

- E você também - disse Grover assustando nós três.

- Oi? Eu sou uma semideusa? - pergunta Annabeth assustada.

- Sim, você só sobreviveu até hoje por quê sua mãe lhe protegeu, você é especial Annabeth. E não temos mais tempo, eles já descobriram a sua localização - explicou Grover.

- Mas, a moça vai junto? - perguntou a minha mãe só para confirmar.

- Sim - disse Grover - E rápido! Percy, pegue Anaklusmos!

- Ana oquê? - pergunto confuso.

- Sua espada!

- Ata! - enfio a mão no bolso e lá estava Ana... Sei lá o que.

Escutamos um estrondo vindo da rua de trás.

- Correm! Nos descobriram - grito minha mãe.

Grover abriu a porta e saiu correndo acompanhado de Annabeth, chegando a minha hora, parei na porta e olhei para a minha mãe e fiz com a boca: "Te amo".

- Está na hora Percy, vá - e assim despedi da mulher que mais amo na vida.

- Alguém sabe dirigir? - perguntou Grover descendo as escadas rapidamente.

- Percy tem carteira! - gritou Annabeth exasperada - Merda! Por que tinha que vir de salto?

- Eu esqueci minha carteira lá em cima - falei.

- E não vai buscá-la! - gritou Grover - não temos tempo! Ainda bem que Long Island é a cidade onde fica o Acampamento.

- O quê?! - eu e Annabeth falamos em uníssono.

- Sim, fica aqui mesmo! - Grover não pode terminar de falar por que as escadas haviam acabado e agora estávamos na garagem do meu prédio.

- Percy a chave! - Annabeth a jogou em cima de mim, a peguei e já dei partida no carro - Que tal abrir o portão?

- Para que? - sorri para ela. Só com o meu sorriso ela ja entendeu o que iria fazer.

- Não Percy, não faça isso!

Houve um estrondo do portão colidindo com o carro mas pelo menos saímos vivos. Não sei qual era a velocidade permitida das ruas de Long Island, só sei que ultrapassei todas. Só atinge a velocidade máxima do carro quando ´percebi que estávamos sendo perseguidos por um minotauro. Aí que eu pisei fundo. Durante o percurso, Grover estava me guiando e somente quando chegamos em um riacho que ele pediu para parar. 

Descemos do carro as pressas e saímos correndo seguindo Grover. Nesse momento Annabeth não fazia idéia onde os saltos dela foram parar. Só sei que correr ficou impossível na metade do caminho. Eu era o último e o mais cansado, as pernas de bode do sátiro eram velozes e Annabeth sempre correu muito. Eu nunca fui um atleta, e isso eu senti falta naquele momento.

- Vamos Percy você consegue! - Annabeth me incentivava a correr mais rápido, ela não estava TÃO na minha frente, por isso dava para escutá-la ainda. 

Estava chovendo e muito e a terra estava escorregadia e ainda era uma montanha que estávamos correndo! O que realmente me incentivou foi o urro que o minotauro deu atrás de mim, aí eu pareci o Bolt correndo. 

- Não consigo mais! - gritei

- Você consegue sim! - Annabeth gritou de volta. Ela olhou para trás e consegui visualizar seus cabelos molhados e mesmo assim ela ficava linda.

- Annie! O jeito é lutar! - sugeri.

- Não! - ela disse - Eu não tenho espada nenhuma!

- Se esconda então! Eu lutarei!

- Não faça isso Perseu! - gritou Grover lá na frente - A última vez que alguém venceu o minotauro foi a 3000 anos atrás!

- Valeu pela ajuda - falei mais baixo, escutei o minotauro se aproximando e percebi que Annabeth estava escalando uma árvore para se esconder - Esconda! - gritei mais uma vez

Quando vi o minotauro face a face, me arrependi de tudo que tinha dito antes. O bicho era 10 metros mais alto que eu! Ele era horrível. Uma pelugem velha algumas partes de seu corpo com carne a mostra, e além de tudo ele fedia!

Mas quando ele deu o seu primeiro golpe a minha coragem se retomou, eu desviei para o lado enquanto que ele esmagava a terra do meu lado esquerdo. Parecia que ele era um pouco cego, por que ele continuou massagando a terra mesmo depois de eu ter fugido. 

Então seria esse a minha chave, usaria de sua cegueira para ganhar. Desviei de seu segundo golpe e foi assim até o nono. Cada vez mais, eu me aproximava mais dele, e meu plano já estava em mente. O seu décimo golpe, enquanto ele achava que me esmagava eu pulei em seu braço e fui subindo até sua cabeça. Ele me percebu e começou a se sacudir para eu cair. Mas me segurei forte em sua pelugem fedorenta e doeu mais nele do que em mim. 

Ele ficou irado e tentou me pegar com o outro braço, mas eu estava ocupado demais pendurado em um de seus chifres. Ele se sacudiu mais uma vez e dessa vez eu quase caí até que Annabeth gritou meu nome pensando que eu havia caído. Com o grito dela o minotauro ficou desnorteado e tonto, o que aproveitei para mexer um pouco com ele.

Comecei a balançar fazendo com que ele balançasse também e assim ele fincou o outro chifre em uma árvore e quando ele tentou levantar acabou quebrando-o. Sendo assim, ele auto- se matou. O chifre permaneceu fincado na árvore. E o minotauro começo a evaporar, sim, isso mesmo, evaporar.

- UHUUUUU! - ouvi o grito de vitória de Grover vindo de longe.

- Percy, você conseguiu! - Annabeth pulou da árvore e me abraçou, sem querer começamos a chorar.

- Para que choro se estamos aqui, por motivo de alegria? - disse Grover apontando para cima.

Lá havia uma placa escrita: ACAMPAMENTO MEIO SANGUE.

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...