História The newspaper of tomorrow (AU) - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger
Tags Alternativo, Draco, Dramione, Harry Potter, Hermione, Romance
Visualizações 390
Palavras 1.782
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Antes que alguém pense “Projeto novo!” tenho que dizer isso (risos)... Não é novo, somente uma republicação de uma obra original que vocês conheceram como “Um simples amanhecer”, alguém lembra?

Resolvi transformar o projeto em uma fanfic Dramione. Ainda assim, aqueles que quiserem reler as loucuras da protagonista sejam bem vindos assim como os novos leitores.

Espero que se deliciem com essa obra tanto quanto gostei de escrevê-la, pois é meio simples, mas tem o selinho da diversão Annie Walflarck ~

Boa leitura!

Capítulo 1 - Draco


Fanfic / Fanfiction The newspaper of tomorrow (AU) - Capítulo 1 - Draco

“Não sei, eu acho que estava ocupada demais sonhando aquele tempo em como todas as coisas deveriam ser que me esquecia de como é a realidade”.

 

No dia que conheci o Draco estava com meus amigos: Luiz, Vicent e Gina.

Estávamos todos em um barzinho bem simples, ali mesmo, próximo da faculdade de comunicação na Rua 45°, que ficava há uma duas quadras da minha casa.

Na verdade, enquanto eles enchiam a cara, eu estava mais ali para acompanhar as conversas e não propriamente bebendo, mas isso não fazia muito diferença para eles porque aparentemente gostavam mais da minha companhia e não ficavam insistindo muito para encher meu copo.

Lá pela décima garrafa de cerveja amanteigada que pousou na mesa, o Vicent olhou para o Luiz dizendo que um tal "Draco" estava chegando e que ele apenas havia se perdido, porque havia acabado de chegar a cidade e estava esquecido de alguns caminhos.

Claro que a conversa entre os dois malucos não passou despercebida por mim, só que fiz de conta que não ligava muito, já que não fazia nem ideia de quem era o cara... E quer saber? Não estava muito ai de fato... A triste questão é que sou da área de comunicação, contudo pouco ligo para fofoca e convívio social. Acho mais que sou daquelas que foi para esse caminho, porque não sabia o que fazer com os números na época do colégio.

No fim me apaixonei pelas palavras e o frustrante é que no final das contas... Bem... Não trabalho exatamente com as palavras – escritas –, o que uma puta saia justa, porque falar não é bem meu forte... Mas suporto de jeito firme, afinal de contas, nada contra se isso faz parte do trabalho e se também não preciso me preocupar com os cálculos.

– Quem é Draco? – Gina indagou, porque ao contrário de mim, ela adorava puxar ganchos para alongar conversas. Essa sim sabia o que queria da vida, no mínimo trabalhar com revista de fofoca.

A Gina era uma garota toda espevitadinha da minha classe, adorava falar de esporte e para que time torcia de futebol, aquilo não tinha nada haver com o fato de que ela gostar e muito de dar para os caras lá da faculdade. Aliás, eu acho que essa era uma das suas poucas qualidades naturais ou a única para falar a verdade que a ruiva tinha.

– É um amigo nosso do tempo de colégio, ele esta voltando para cidade depois de ficar fora dois anos de NY. – falou Vicent com aquele ar cheio de saudade.

O Vicente era um moreno um pouco forte, dos dentes brancos, jogador do time principal da faculdade de futebol americano, “Os batedores”... Ele era o “Quarterback”... E também meu ex-namorado...

– Os pais dele tem uma empresa de publicidade a H&Y... Vocês conhecem. - Luiz completou.

O Luiz era o cara mais centrado daquele grupinho, um loirinho super charmosos e educado... Às vezes nem entendia como ele andava com aquela galera meio desajeitada, ai lembrava que ele tinha um fraco imenso por bebida e festa... Esse pessoal da área de comunicação acredite ou não é uma bagunça, por isso quando você é só mais uma desengonçada que ama livros precisa arrumar um meio de se encaixar e era o que fazia, embora não muito bem.

– Draco é formado como designer. – comentou Vicent para Gina, enquanto eu passava o dedo pela borda da garrafa de bebida deles pensativa nas minhas tarefas que se resumiam a um emprego de meio período em uma empresa de TV e Rádio, “ISS Comunicações”.

– Oi?! Você ta ai? – quis saber o moreno.

– Desculpe... Eu estava pensando sobre o espelho de amanhã e a reunião de... – tento justificar.

– Hermione, você prometeu que hoje o trabalho não seria assunto nesta mesa. – Vicent insistiu lembrando-me e já deslizando a mão para puxar as minhas.

Quis encolher as mãos na hora que eles a tocou entre as suas, porém não tive tempo suficiente para isso e sabia que seria horrível tentar fazê-lo naquela circunstância, porque Vicent saberia no ato do meu desconforto. A gente havia acabado de terminar nosso relacionamento, para ser mais específica há um mês e isso por insistência minha, porque... Basicamente... Bem... Eu sou complicada demais...

– Tudo bem, eu me desculpo por isso, eu havia esquecido e você tem toda razão. – não insisto e logo sinto Gina me dar uma esbarrada de ombro.

– Ai Hermione, você é chata para caralho. – ela disse sem hesitar com a voz um tanto embriagada.

Mas nem tenho tempo de me defender daquela direta bem solta, porque logo avisto um cara de cabelos loiros que usava um jeans e uma blusa xadrez azul vindo em direção a mesa. O cara tinha os cabelos arrumadinhos em um tope e uma barba que não lhe preenchia o rosto como um todo, e por um motivo estranho não o achei interessante no primeiro pouso de olhar. Sei que até poderia tê-lo ignorado, afinal era boa em não me prender em foco algum, uma habilidade natural pela minha pouca vontade para ter contato humano com qualquer pessoa.

Entretanto para minha surpresa o sujeito parou bem enfrente a nossa mesa fazendo um cumprimento descontraindo com Vicent e Luiz que apertaram suas mãos em um sacolejado frenético e com vários sorrisos.

– Fala vira-lata! Abnegado! – começou Luiz.

– Porra! Seu filho de uma puta! Tu somes igual um veado. Nem avisou que iria ficar fora tanto tempo! Eita! Mas que caralho! Quando soube que tinhas viajado, porra! Me deu foi vontade comer teu cu de raiva. – Vicent falou entre risadas. – Senta ai puto velho! Conta como foi a viagem... Dois anos?! Man! Parece que faz na merda uns dez desde que terminamos o colégio. – Vicente nunca segurava a língua e o tal Draco parecia bem a vontade por isso, pois apenas ria com aquele linguajar chula do moreno.

Enquanto eles mantinham aquela conversa não tão suave, eu ficava apenas olhando com Gina, que parece toda sorridente arreganhando metade da arcada na direção do tal Draco. Já começo a pensar o quanto ela parece uma vadia oferecida apenas fazendo isso... É claro que gosto dela, mas esse lado dela jogada me irrita um pouco e eu a critico mentalmente sempre por isso.

Pelo visto o cara era o novo pretendente de fodas... E isso estava mais do que na cara, pelo menos para mim.

– Prazer! – Gina se intrometeu estendendo a mão ao rapaz. – Já que nenhum desses vadios me apresenta, eu mesma faço isso. Gina Weasley! – Ela completou de um modo esganiçado.

– Draco Malfoy. – O rapaz revelou com um sorriso apertando a mão dela em retribuição.

Então Vicent me puxou para ficar de pé e me senti desconfortável, com a cabeça cheia.

- Sou Hermione... Hermione Granger. – Completo estendendo também a mão para ele, que me olha de modo discreto. – Bem, de verdade, eu adoraria prolongar o papo, mas não posso. Amanhã eu trabalho. Então fiquem e se divirtão. – Falo já querendo pegar meu casaco para ir embora.

- Ah Hermione qual é! – exclama Vicent. – Você disse que ficaria até onze e meia.

- Sim. Exato! São onze e trinta e um. – comento mostrando meu relógio de pulso. – Agora preciso ir.

- E lá vai a "HerChata" estragar o prazer de todo mundo. – solta Gina em deboche. – Ai! Céus! Você bem que poderia ser menos travadinha, né amiga?

– E vocês bem que poderiam deixar de ser menos irresponsáveis. – digo apertando a bochecha dela e beijo para aliviar sua brabeza falsificada. – Mas... É sério, preciso mesmo ir. – emendo para o grupo.

– Vou com você até sua casa. – Vicent se oferece.

– Não... Tudo bem... É muito perto, não tem com o que se preocupar, fique e aproveite com os outros. – digo rapidamente para me livrar logo daquilo.

*

Na manhã seguinte já estou terminando de me arrumar para ir para a empresa, quando meu telefone vibra com uma chamada da Gina.

– E ai amiga!!! Bom diaaa!!! Minha cabeça ta explodindo. – deveria ter dito que é porque ela é uma tremenda pé de cana, contudo não me atrevo e só fico escutando enquanto termino de ajustar os saltos que estou calçando. – Hoje te encontro na faculdade linda! Não esquece que tem apresentação de trabalho de política... Oh sacooo! Nem fiz minha parte ainda, só que antes que me critique aviso que acordei exatamente agora para isso.

– Gina, eu juro que te mato se até as seis e meia essa bosta não estiver finalizada. – respondo falando realmente sério, porque detestava esse desprezo do meu grupo que deixava tudo para última hora.

– Calma "HerChata", eu vou terminar... Além disso, eu tenho um incentivo... Advinha?!

Apertei os olhos rezando para não ser outra daquelas ideias de jerico que ela tinha.

– O que houve Gina? – tentou parecer animada, ainda assim soou longe disso.

– O Luiz disse que se fecharmos a nota vai levar a geral para uma pizza naquela cantina Italiana carezima. E tem mais! Parece que o Draco também vai...

– Draco? – Sinto-me confusa com a afirmação, e até paro de passar o batom na boca em frente ao espelho para processar.

– É linda! Aquele gatinho super simpático de ontem. Acorda! – ela deu aquela repreendida como se fosse uma completa idiota ou sei lá o que.

– Sabe que nem reparei. – sou sincera, porque até havia me esquecido a cara dele. – Acho que não faz meu tipo. – tento justificar a minha falta de empolgação e complemento. – Seria a ultima pessoa para quem olharia na vida. – dou uma risada.

– Credo Hermione! Do jeito que fala parece até que o Vicent foi uma tragédia de namorado, porque puta que pariu! Como você é fria até para olhar para lado e se interessar por alguém.

O comentário me faz rir um pouco mais, porque precisava admitir que realmente, eu sou um poço congelado que abriga uma pedra maior do que aquela que o Titanic bateu.

– Digamos que você está certa, só que isso nunca foi pelo Vicent. Eu sou naturalmente assim, sei lá, eu devo ser a Elsa do Fronzen... Acho...

– Encaixa como uma luva! E se for assim, como sacrifício por você, eu me visto na pele da Ana! Uma apaixonada derretida por boys gostosos e bombados.

– Eca! Ai! Poupe-me desses comentários. Logo cedo você falando de homem como quem fala o que vai comer no café. – Olho relógio, pego um biscoito e enquanto desço as escadas digo. – Olha Gina, eu preciso desligar agora tenho que ir para o trabalho. Mas! OH! Cuidado! Você está sendo tragicamente safada, e isso, não será bom para sua imagem. – Resolvo aconselhar.

– Eu nada... E que você é uma "HerLesma". – e assim os apelidos não morrem. – Falo com você mais tarde beijo sua piriguete disfarçada.

– Até sua piriguete descarada. – riu e desligo.


Notas Finais


Pois então resolvi testar como uma fanfic esse conteúdo, então me digam se querem a continuação, por favor! ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...