História The Night Best in My Life - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster
Tags Imagine Jungkook, Imagine Namjoon
Visualizações 72
Palavras 1.749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Mais uma fic atualizada~~

E me desculpem novamente pela demora, tentarei postar com mais frequência agora que estou de férias~~

Estamos já chegando a grande noite gente!! Essa noite promete!!!!

Capítulo 3 - Jeon.


 

 – Atenda, atenda, vamos Jeon, atenda! – murmuro olhando para os lados pelo corredor, bato pé contra o chão diversas vezes e a voz irritante invade meus ouvidos pela oitava vez.

– ....Deixe seu recado após o sinal...deixe seu recado para...

Desligo a droga da chamada antes que ela termine a maldita frase. 

 – Merda Jeon. – murmuro pondo novamente a mão no bolso. Torso o nariz e reviro os olhos.

“ Eu sei que você está fazendo, maninho,  mas acredite...Não vai funcionar comigo, não nesse aniversário!” penso.

 

[...]

 

– Jeon, Jeon abre logo essa maldita porta! – elevo o meu tom de voz e bato mais duro na porta. – JEON!

A porta imediatamente se abre em minha frente e no vão dela se encontra o nosso mordomo Jack. Suspiro aliviada, enquanto Jack me olha com desdém. 

– S/n? Mas o que está fazendo fora da escola? – pergunta me dando passagem para entrar. 

– Aonde está meu irmão? Eu preciso falar urgentemente com ele. – digo me virando em direção a Jack que logo abre a boca para me responder,  mas sua atenção é voltada para o que está atrás de mim. E a antes que eu adivinhasse quem quer que seja, ouço sua voz doce e firme chegar até mim.

– O que ela está fazendo fora da escola? – pergunta para Jack, mas seus olhos pairam diante a mim, arque-o uma sobrancelha assim que vejo seu maxilar trincar e posso até imaginar as infinitas expressões que Jack pode estar fazendo atrás de mim como alguma forma de desculpa estúpida. 

Seus olhos antes frios, agora, oscilantes de um brilho desconhecido me analisam e posso sentir um leve arrepio percorrer o meu corpo.

O que é isso?

Pisco várias vezes assim que vejo que Jeon se mexeu e desce as escadas com intuito de vir até mim. 

 – O que você pensa qe está fazendo fora da escola? – pergunta, agora é a vez dele arquear a sobrancelha e cruzar os braços autoritário em buscas de respostas.
Rio em mente. 

 – E o que você está fazendo convidando aquele ninho de cobras para sua festa se nem vai convidar a sua – faço bico e juntos as mãos em forma de ironia. – pobre e inocente irmã? – pisco os olhos por fim.

Jeon revira os olhos, o que me faz querer atiçar a sua raiva, assim como atiçou a minha. 
 

– Eu estou ocupado, okay? – disse dando passos para mais perto de mim. – Não tenho tempo para criancice. – disse passando por mim. 

Fecho meu punho controlando a minha vontade em dar – lhe um soco bem dado naquela linda carinha. Me viro violentamente e grito seu nome.

– Jeon! – grito, o que faz ele parar e ficar de costas para mim. – É você que está sendo “infantil” com esse negócio de me proteger dos garotos.  

Jeon me olha por cima dos ombros e pela primeira vez, tenho certeza que esse dia não vai acabar tão mal assim.

 – Eu não sou mais criança, Jeon. Por favor, só dessa vez. – imploro.

Ele se virá e vem em minha direção, seus olhos me instigam, como se quisesse procurar algo em algum lugar nele, mas pela sua expressão, parece não ter encontrado o que realmente queria.

– Hoje você vai dormir na casa do Taehyung. – disse olhando para Jack. O fuzilo com um olhar.  

– Jeon... – sussurro seu nome e ele parece estar respirando fundo.

– Caso alguma coisa a acontecer, ligue para a o celular de Jack, ele eventualmente saberá o que fazer. – disse fazendo Jack dar uma leve encurvada.

– Sim, sr. Jeon. 

Os olhos abismada. Como podem? É só uma festa, por que esse idiota não consegue entender isso?!

Dou passos em direção a Jeon e pego em seu braço firme.

– Se você acha que é exatamente isso que vai acontecer...

– Você vai esperar o Taehyung na casa dele, agora, não vai ficar mais aqui até a festa acabar. – disse pegando no meu outro braço e me puxando para a garagem da casa.

– Jeon, Jeon me larga! – tento me soltar, mas obviamente, ele é mais forte que eu. 

“ E mil vezes mais estúpido também. “ reafirmo em minha mente.

Ele abre a porta do carro e forçadamente me coloca dentro dele.

– Idiota... – murmuro.

– Se você chegar a dois metros desta casa, e eu souber, eu irei te mandar para um internato, esta me ouvindo?! – diz firme e sério.

Abro minha boca em um formato de “O”, não acreditando que ele seria capaz de fazer isso comigo. 

– Você não seria estúpido o suficiente para fazer isso comigo?! – exclamo tentando abrir a maldita porta do carro e tentar dar um soco no rosto de Jeon. Mas é em vão assim que ele dá as costas e me deixa sozinha. 

Droga, droga, droga, droga...

Respiro e inspirou diversa vezes para não ter um ataque ali mesmo. Passo a mão pelo meus cachos e tento me acalmar, e, de algum modo, me tirar da situação aonde eu mesma botei.
 

– Mas ele vai pagar, vai pagar, e eu irei entrar nesta festa, ele vai ver... – exclamo.

 

[...]

 

 – Ligue se precisar se algo, S/n. – disse Jack me deixando na porta da casa de Taehyung. Assinto. – O sr.Jeon faz isso pela sua própria proteção S/n...
Reviro os olhos. Não acredito que ele está do lado do Jeon...

– Uhum sei... – rio sem  emoção. 

Me viro antes que Jack fale mais alguma coisa e bato na porta de Taehyung e segundos depois a mesma é aberta pelo seu irmão mais velho, Kim Namjoon.
Perco o ar com a visão que eu vejo. Namjoon está sem camisa, e pior, parece ter acabado de sair do banho. Ele sorri e consigo sentir meu coração bater um pouco mais rápido do que normalmente.

– Ah S/n! Vem, entra! – diz todo animado me dando passagem para entrar. Prendo a respiração e assinto.

Solto o ar assim que estou numa distância boa de Namjoon. Mordo o lábio inferior me contendo.

– Taehyung já chegou...? – pergunto formalmente e meio sem jeito.
 

– Ainda não, mas fique a vontade. 
Dou um sorriso amarelo e me sento no sofá. 

– Quer alguma coisa? – diz apontando em direção a suposta cozinha.

Vista uma camisa antes que eu te agarre!

– Não, não. 

Ele ri sem animo.

– Eu...Eu...Eu vou lá para cima vestir uma camisa, eu já volto. – disse desajeitado subindo as escadas atrás de mim. Assim que vejo o mesmo sumir lá em cima, começo me abanar violentamente.

– Senhor que homem... – exclamo.

 – Então, você é a irmã mais nova no Jungkook, né? – pergunta descendo as escadas.

O meu um por cento de felicidade logo se vai, e meu sorriso amigável some de meus lábios.

– Sim. – infelizmente. 

– Então você vai na festa de aniversário  dele, hoje a noite né? – disse se sentando ao meu lado, deixando um delicioso perfume invadir minhas narinas. 
 

– Bom...Sobre isso... Você...Você é amigo do Jeon? Da faculdade? – pergunto mudando de assunto. Ele faz uma careta mas assente. Agradeço mentalmente por ele deixar de lado.

– Sim, mas somos de cursos diferentes. 

– Qual é o seu curso? – pergunto.

– Eu curso línguas, eu quero me tornar tipo um intérprete.

– Ah. – assinto.

Aos poucos, o silêncio vai tomando conta do ambiente, a última coisa que eu quero.

Não, não, não. 

– Sabe, você é a primeira pessoa do sexo feminino que eu vejo nessa casa e que tem haver com o Taehyung. – diz sorrindo. – Se eu soubesse que ele teria uma amiga tão linda quanto você, eu estaria mais apresentável.

Sorrio, pondo uma mecha de cabelo para trás da orelha.

– Obrigada. – digo baixo sentindo um leve friozinho no estômago. 

Nós nos encaramos por vários minutos deis de então, em meio ao silêncio. E só consigo olhar para os lindos olhos puxados de Kim Namjoon, que vem se aproximando sorrateiramente para mais perto de mim, que, consigo sentir até sua respiração contra meu rosto.

– Namjoon se for para comer mais uma de suas garotas, eu sugiro que faça isso no seu quarto e não no sofá do pai. - 

Eu literalmente solto do sofá quando percebo que a voz é de Kim Taehyung, que, quando percebe que era eu ali, desejando seu irmão mais velho, ele trinca o maxilar e me olha fuzilante .

– Oi Tae... – digo dando um leve aceno e um sorriso que logo se desmonta.

Eu não posso estar acreditando que eu iria mesmo pegar o irmão do meu melhor amigo. E que ainda por cima o apelido dado pelo Tae dele era “assassino de virgens”, e que ele tinha um fraco por meninas virgens.

Ri sem animo internamente.  

E adivinha o que eu sou?

Isso mesmo, uma virgem de dezessete anos que acabo de ter uma leve queda pelo assassino de virgens.

O qual essa vida pode ser bela?

Taehyung ainda me da uma leve bronca com o olhar e pega em minha mão e me puxa, fazendo  eu subir as escadas com a linda visão de sua mochila balançando. 

 – Espere! S/n! – grita Namjoon por meu nome. Paro no mesmo instante e Tae trinca o maxilar me encarando, esperando alguma ação minha. Mordo o lábio me virando em direção ao irmão mãos velho de Tae.

– Eu já vou subir. – digo,, fazendo o mais velho suspirar de alívio. Sorrio boba para ele e sinto Taehyung soltar o meu pulso.

– Estarei te esperando lá em cima. – murmurou Kim

Taehyung baixo que logo foi seguir seu rumo. 

Agora só restava eu e Kim Namjoon, o assassino de virgens.

– O que quer? – o questiono. 

Ele dá de ombros meio desajeitado.

– Você não respondeu minha pergunta... – disse passando a mão pela nuca e encarando o chão com uma expressão envergonhada.

– Sim eu irei. 

Seus olhos assentem com um brilho, e seus lábios formam um sorriso satisfatório no seu rosto, deixando suas cozinhas tão atraentes aparecerem.

E logo o peso das palavras me atingem.

O que?Pera...O que foi que eu disse? 

 – Então eu te vejo na festa?

Olho-o ainda desconcertada e assinto.

– Então nos vemos, estou realmente curioso para saber como é você de máscara. – disse mordendo lábio inferior, fazendo uma expressão maliciosa. Coro e sinto que eu estou em algum tipo de dorama, aonde sempre a personagem principal faz burrada.

– Bem, nos vemos na festa. – disse saindo do meu campo de visão. 

Aí Deus! 

 

[...]

 

– Esperai...O QUE?!
Suspiro. 

 – É isso mesmo que você ouviu Tae, nós iremos invadir a festa de meu irmão. 

Tae da uma risada sarcástica. 

– É mesmo, e como faremos isso, gênio? 

Dou um sorriso ladino e cruzou os braços convencida de que meu plano não vai falhar. Não tem que falhar.

– Não é óbvio? Iremos de máscaras. 

 

E foi aqui que a minha grande noite começou...

 


Notas Finais


Pelo amor de DEUS!
Digam que ainda estão comigo nos comentários e me falem o que acharão do cap!!!

Quem está ansioso aí para a grande festa?

Tsut,tsut,tsut...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...