História The night stars (Imagine Hyunjin) - Capítulo 33


Escrita por: e Lyssa_A

Postado
Categorias BLANC7, EXO, Stray Kids
Personagens Hwang Hyun-jin, Personagens Originais, Taichi
Tags Imagine Hyunjin
Visualizações 71
Palavras 1.384
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha eu postando capítulo de madrugada de novo, virou um vício escrever de noite gentiiiii foi mauuuu😂😂

Capítulo não revisado pq eu já tô com sono, mas como tô atrasada vale a pena fazer um esforço pra postar mais um capítulo dessa história que tá dando nó no meu cérebro, sério, se eu que tô escrevendo tô boiando imagino vocês 😂😂

Espero que gostem beijinhuuuus😘😂

Capítulo 33 - Capítulo 33


Fanfic / Fanfiction The night stars (Imagine Hyunjin) - Capítulo 33 - Capítulo 33

    Capítulo anterior

Hyunjin: Eu não sou mais aquele Hyunjin!...

Xxx: O que você fez!?

Capítulo de hoje

Pov's narradora

A noite ainda pairava por toda cidade de Yeoncheon, o céu completamente preto sem nenhuma nuvem, o vento frio balança as folhas das árvores e agora, mais do que nunca, Hyunjin estava perdido, não sabia o que fazer, seu ato repentino poderia lhe custar muitas coisas, mas quais seriam essas coisas...

Layla mantinha seus olhos no corpo a frente de seu amigo, o sangue no rosto de Hyunjin, o sangue do próprio pai, era uma visão aterrorizante, uma reviravolta, uma inversão entre os papéis, o mocinho virou o vilão, mas não deveria ser assim, não ainda.

De longe uma mulher olhava a cena perplexa, seus olhos vermelhos, as lágrimas rolando por sua bochecha, as mãos cobrindo a boca, era tudo tão estranho, ninguém nunca imaginou um fim assim, ou talvez não fosse o fim, mas sim o começo de algo...

Xxx: O que você fez!?- A bela moça perguntava agoniada, apesar do que já tinha passado por causa daquele monstro, não esperava que terminasse assim.

Hyunjin: E-eu n-não s-sei.- Falou em choque ainda raciocinando o que tinha acontecido.- M-mãe.- Falou choroso alternando os olhos para a moça ao seu lado e suas mãos com sangue.

Mãe do Hyun (Lola): V-você m-matou e-ele?

Hyunjin: E-eu m-matei, mãe eu matei ele... Eu matei ele, eu não queria, foi por impulso, mãe me desculpa, eu sou um monstro.- Falou chorando caindo de joelhos no chão, na poça de sangue de seu pai.

Lola: Ei calma tá tudo bem, nós vamos dar um jeito nisso, não se preocupe vai dar tudo certo.- Se ajoelhou ao lado do filho abraçando o garoto que agora chorava como um bebê.

Hyunjin: Eu sou um assassino, eu matei meu pai, eu sou um monstro mãe, eles vão me prender, eu nunca mais vou ver a S/n.- Disse ainda chorando se agarrando a mãe procurando seu consolo.

Lola: Ninguém vai te prender, foi legítima defesa e depois de tudo que ele fez com a S/n ninguém vai te culpar, vai dar tudo certo meu pequeno não se preocupe.- Falou abraçando o mais novo enquanto o garoto ficava chorando e olhando para o corpo já frio de seu pai.

Foi tudo tão rápido, a ambulância, os policiais, os outros amigos chegando, o tumulto que aos poucos foi se formando pelas pessoas curiosas que passavam pela rua.

Hyunjin ainda em choque olhava para os médicos embalando o corpo de seu falecido pai como que fosse um lixo qualquer, e o pior é que ele era, mas mesmo assim era seu pai e a culpa de ter matado alguém, por pior que ela fosse, o consumia, a sensação de ser um monstro era horrível, mas não havia nada a se fazer, não naquele momento.

Seus amigos o permaneceram por um tempo ao seu lado, mas voltaram para o hotel exceto Chan que voltou ao hospital para contar tudo a S/n.

Os policiais interrogaram algumas pessoas que alegavam ter visto tudo e infelizmente era mais do que óbvio o que aconteceria a seguir...

Policial: Hwang Hyunjin você está preso por assassinato, peço que coloque as mãos na cabeça e se vire, o levaremos até a delegacia para poder se explicar, por enquanto guarde suas palavras, elas podem ser usadas contra você no tribunal.- Hyunjin ainda em choque fez exatamente o que mandaram já esperando o pior.

Lola: O que!? Não, não, não, soltem meu filho, ele estava se protegendo, aquele homem é um monstro, não foi culpa dele, solte meu filho.- Pediu chorando tentando parar os policiais que apenas ignoram arrastando Hyunjin até a viatura.

Hyunjin: Mãe me desculpa.- Disse chorando entrando no carro.- Diga a S/n que eu a amo.

Lola: Você mesmo vai dizer isso a ela quando for solto, eu vou te soltar, vou dar um jeito.- Falou determinada vendo o filho partir.

Lola sentou no chão frio olhando tudo a sua volta, a tamanha bagunça que logo começava a se organizar, as pessoas seguiam seus caminhos indo embora, o resto dos policiais esvaziaram a área deixando os peritos terminarem de examinar tudo enquanto a ambulância ia embora com o falecido.

A mãe não sabia o que fazer além de chorar, um erro tão grava como esse não deveria ser perdoado, mas era seu filho, seu pequeno, o garoto que sempre sorria, e agora o garoto que tinha matado seu próprio pai. Que Deus tenha misericórdia da alma do pequeno Hyunjin, o puro que foi corrompido.

No hospital

Pov's Chan

Quando recebi a ligação de Layla pedindo para que eu os encontrasse não achei que seria daquela forma, nunca imaginei ver um dos meus melhores amigos como assassino, foi realmente confuso, nada fazia sentido, algo não se encaixava, mas eu descobriria o porque disso tudo, porém, agora eu teria que contar a verdade a S/n, não tive coragem antes porque achei que era mentira, mas pelo jeito não.

Caminhei até o quarto de S/n e logo entrei.

A garota estava deitada com cobertores até a cabeça, estava concentrada no filme que passava na TV que nem me viu entrando, parecia tão calma, mesmo depois de tudo, era tão bom poder vê-la assim.

Chan: Pequena? Tudo bem aí?

S/n: Ah oi, não vi você entrar.- Sorriu fofa abaixando o som da TV.- Eu tô bem, mas e então, acharam ele?

Chan: Olha eu não sei como dizer isso então tenha paciência e não surte.- Disse meio aflito enquanto "bagunçava" meu cabelo.

S/n: Chan você tá me assustando, acharam ou não ele?

Chan: Digamos que sim, nós achamos ele num beco ao lado de uma cafeteira.

S/n: Em um beco? Porque ele estaria em um beco? A não ser que ele tenha sido levado até lá, Chan pelo amor de Deus fala que ele tá bem.

Chan: Depende do ponto de vista.- Forcei um sorriso tentando não parecer nervoso.

S/n: Chan desenrola, fala tudo antes que eu infarte.

Chan: Tá, tá, mas não surto.- Suspiro tentando achar um jeito de começar.- Okay é o seguinte, Layla e Felix acharam o Hyunjin, mas o Yong tava com ele, tava ameaçando ele, aí digamos que talvez pra se proteger o Hyunjin acabou atirando no Yong.

S/n: Pera como assim? Atirando? Atirando tipo arma e tals.

Chan: É, é e talvez nessa de proteger o Hyunjin acabou matando o pai dele.

S/n: O Yong tá morto?

Chan: Tá, ele tá morto, S/a ele não vai mais machucar você, nem ameaçar nem nada.

S/n: Ele tá morto, aí meu Deus ele tá morto.- Um sorriso surgiu no rosto da menor que pulou em mim me dando um abraço.

Chan: Calma criatura, já já a gente cai.- Sorri dando um beijo na testa de S/n enquanto retribuia o abraço.- Mas assim tem um detalhe.

S/n: Que detalhe?- Perguntou ainda com um sorriso no rosto se soltando do abraço.

Chan: Ele tá preso por assassinato.- Desmanchou o sorriso confusa tentando entender.- Os policiais levaram ele pra delegacia, S/a não sabemos quando ele vai sair, nem se vai sair.

S/n: Espera ele o que!?

Chan: Ele tá preso princesa.

S/n: O que? Não, não, não, não...- Ficava repentindo isso pra si mesma enquanto chorava abraçada ao meu corpo.

Chan: Ei não chora pequena vai dar tudo certo calma.- Falava fazendo cafuné na garota que de repente desmaiou.- S/n? S/n está acorda, pequena acorda, não faz isso comigo, S/a por favor levanta. Socorro, alguém me ajuda, socorro, enfermeira!- Gritava chorando tentando pedir ajuda.

Segundos depois os médicos apareceram...

Médico: Ela está tendo uma parada cardíaca, desfribilador!

Enfermeira: Aqui!- Disse entregando um aparelho ao médico.

Médico: 1, 2, 3 afasta!- O médico dava choques na garota tentando reanimar seu coração.

Médico 2: Não tá funcionando.- O médico falava pro outro enquanto uma telinha mostrava uma linha continua nos batimentos cardíacos da S/n.

Chan: S/a por favor acorda!- Tentei chegar até a cama dela, mas não deixaram.

Médico: Tirem ele daqui!- Os enfermeiros me arrastaram da sala.

Chan: Me fala que ela vai ficar bem.- Pedi chorando a enfermeira que me arrastou para fora.

Enfermeira: Eu não sei...





    Continua?


Notas Finais


Por hoje é só meus piticos, até semana que veeeeeem😂❤️😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...