História The Night We Met - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Amor, Arte, Festa, Izzy&seth, Jogador, Melhoresamigos, Newyork
Visualizações 12
Palavras 1.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Imagem: Isabelle Scott
Boa leitura ❣

Capítulo 5 - Body Shot


Fanfic / Fanfiction The Night We Met - Capítulo 5 - Body Shot

"As estrelas que brilham mais fortes, são as que queimam mais rápido."(Gossip Girl)




Algumas semanas depois...

Já fazia dias que todos estávamos morando juntos, dias eram melhores e mais fáceis e outros eu tinha vontade de agredir o Jordan.

- Meninos? - disse assim que entrei - Eu comprei pizza e cerveja. Cadê vocês?

Ninguém me respondeu.

Aproximei para bater no quarto do Seth, mas parei assim que ouvi, vindo do quarto do Jordan, a voz dele e de mais alguém.

- Pai...

- O que, Jordan? Eu te criei para ser um homem responsável e não um moleque babaca e sem noção.

- Eu sou sem noção?

- Você é! - o pai do Jordan disse alto - Eu tive que deixar o escritório e viajar até New York, para ver com os meus próprios olhos que meu filho faz tudo, menos estudar!

- São festas de fraternidade, pai. Todos vão

- Você não é todos, Jordan. Deixe de ser irresponsável e parar de agir como moleque.

- Só porque bebi e estava em uma festa com alguns colegas, eu sou irresponsável?

- E egoísta. Só pensa em si mesmo! Eu não quero deixar tudo o que construí durante a minha vida inteira nas mãos de um moleque que nunca pensa no amanhã.

- Por causa de uma festa?

- Não, Jordan. Você foi preso em Seattle por racha e tive que fazer mil e uma ligações para você não ter ficha suja, bateu seu carro semanas depois e agora se muda para New York e vai para festas ficar se embebedando.

- Eu já te expliquei mil vezes que não era racha, eu estava ajudando um amigo.

- Ajudando em que, Jordan?

- Isso não importa.

- Isso é mais uma das suas mentiras. Sua mãe cai nas suas, mas eu não! Então por um minuto na sua vida deixe de pensar só em si mesmo.

- Sou egoísta? Sou mesmo? Eu só faço o que o senhor quer! Eu não fui para Londres porque o senhor não quis, eu continuei na droga do Lacrosse porque o senhor quis, eu larguei minha vida em Seattle porque o senhor quis e disse que a universidade de New York tinha um curso excelente de direito, porque tenho que cuidar dos negócios da família. Sabe quem quer isso, pai? A Arya quer isso! Não qualquer pessoa, a sua filha quer cuidar dos negócios da família. E porque ela não pode? Por que é mulher? Pelo amor de Deus, pai! Olha o mundo em que vivemos. Eu estou cansado de fazer o que o senhor quer, o que o senhor espera. Ainda sou obrigado a ouvir que sou egoísta e só penso em mim mesmo, pobre Aaron James, com seu filho mal agradecido e revoltado. Então pode voltar para Califórnia, porque estou bem em New York.

- Você só me decepciona, garoto.

Jordan abriu a porta, me olhou e ainda me olhando disse ao seu pai:

- Bem vindo ao que é ter Jordan James em sua vida. Agora o senhor pode ir!

O Jordan estava com os olhos vermelhos, estava segurando o choro.

O senhor James passou por mim e antes de ir embora, virou e disse:

- Espero que melhore, Jordan - disse e bateu a porta.

Eu voltei a olhar para o Jordan e ele me olhava sem dizer nada.

Ele fechou os olhos e respirou fundo.

- Você trouxe pizza e cerveja? - perguntou - Eu ouvi você dizer quando chegou.

Balancei a cabeça de forma positiva.

- O Seth saiu com uma garota, disse que vai chegar tarde. Infelizmente, você só me tem essa noite!

- É... - eu não sabia o que dizer - Quer ir em uma boate?

- O quê?

- É! Tem uma super legal... Pelo menos é o que a galera da universidade, diz!

- Você não precisa me chamar para sair porque está com pena. Sei que você me odeia!

- Eu não te odeio. Não odeio ninguém! Eu estou te chamando porque vai ser legal e não porque estou com pena.

- Beleza.

- Beleza?

- Beleza! Vamos.

- Mas antes eu quero comer uma pizza - eu disse - Ela parece ótima!

Coloquei uma blusa curta tomara que caia na cor vermelhas, uma calça preta mais larguinha e um tênis cano médio com pequenos detalhes vermelhos. Os cabelos, peguei uma parte e fiz um coque, deixando o resto solto.

- Oi, estou pronta - disse ao Jordan.

- Vamos? - ele se levantou no sofá

- Sim!

Ele estava usando calça jeans de lavagem cinza, um coturno preto simples e bonito e uma camisa branca com detalhes pretos.

- Vamos de táxi é melhor - eu disse.

Quando pegamos o táxi chegamos em menos de quinze minutos.

- Isso está cheio - eu disse mais alto por conta do som.

- Relaxa. Vamos ao bar?

Assenti.

- Cara, me vê duas cervejas por favor!

- Duas cervejas não - eu empurrei o Jordan e fiquei em sua frente - Dois shots de tequila por favor!

O barman colocou os pequenos copos e despejou o líquido.

- Saúde!

- Você é metade mexicana?

- Ui - fiz careta - Diz isso para minha mãe. Eu sou metade colombiana, tenho minhas misturas.

- Entendi! Gosta de lá?

- Da Colombia? Oh, sim! Eu vou lá ver meus parentes quando posso.

- Queria ter parentes em outro país.

- Sinto muito - disse sendo sincera.

- Não sinta.

Bebemos mais uns quatro shots e vários outros drinks.

Já estávamos alterados.

- Hora do body shot - alguém gritou.

- Uhuuuu - eu e Jordan gritamos de volta.

- Vamos fazer um body shot, baby - disse Jordan.

- Só se eu fizer nesse seu tanquinho.

Jordan riu.

- Todo seu.

Eu sorri e puxei ele até o bar.

- Somos os primeiros.

- Temos nosso primeiro casal - o cara gritou.

- Deita aí, baby - eu disse.

Ele se ajeitou para ficar em cima do balcão.

- Hum-hum - ri - Vamos tirar a camisa!

Jordan desabotoou a camisa e as mulheres que estavam em volta, assoviaram.

- Eu vou balançar seu mundo - ri e ele também.

Ele colocou a fatia de limão entre os lábios, eu peguei o potinho de sal e fiz uma linha curta com o mesmo em seu tanquinho.

- Seu shot - disse o barman.

- Lá vamos nós, Jordan James.

Lambi devagar o sal de seu tanquinho, depois bebi o líquido que já não descia mais queimando e por último peguei a fatia de limão de sua boca.

Todos que estavam em volta, gritaram, bateram palmas e assoviaram.

- Seu body shot foi melhor que alguns se...

- Shiu - tapei a sua boca como a minha mão - Você tá bebado. Eu tô bebada - dei risada - Isso está muito legal para eu te achar um idiota.

- Tudo bem! E que tal você me deixar fazer um body shot em você agora?

- Boa tentativa, James!

- Eu tinha que tentar - ele riu - Eu vou beber mais, Izzy!

Acordei com a claridade invadindo a janela do quarto.

Porém, percebi que não era o meu quarto e sim o do Jordan. Ele estava deitado ao meu lado, levantei o cobertor e percebi que estava somente de calcinha e uma camiseta dele.

- James - cutuquei seu braço.

- Hm...

- Acorda - sentei-me na cama - Vai logo!

Ele abriu os olhos e me encarou.

- Está fazendo o que aqui? - sentou-se na cama - Dormiu aqui?

- Dormi - eu disse - Você não lembra?

- Eu... não...

- Como assim você dorme comigo e finge que não lembra?

- Eu... não... desculpa?!

Fez cara de desespero.

Levantei e comecei a rir.

- Você tinha que ver a sua cara, Jordan.

- Porra - ele levou a mão ao peito - Já estava me sentindo um lixo.

- Jordan James se sentindo um lixo - me joguei na cama - Você não lembra?

- Não.

- Eu sempre quis ter amnésia de bebedeira. Mas eu sempre lembro, só chegamos bêbados e dormimos.

- Não estou me sentindo um lixo, obrigado Isabelle Scott.

- Não por isso, Jordan James.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...