1. Spirit Fanfics >
  2. The Nocturals (jikook, sope, namjin, vkook) >
  3. Vila do Norte parte 1

História The Nocturals (jikook, sope, namjin, vkook) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oi gente tudo bem? Espero que SS, a cada capítulo vai ter uma foto dos meninos pra vcs saberem como eles estão ou como ele são nessa fic .

Capítulo 1 - Vila do Norte parte 1


Fanfic / Fanfiction The Nocturals (jikook, sope, namjin, vkook) - Capítulo 1 - Vila do Norte parte 1


Me chamo Jeon Jungkook mais sou chamado por aí de cavaleiro das trevas, sou um assassino e um grande vingador, minha família foi brutalmente assassinada por um bando de filho da puta que serve o governador que por algum motivo pega as pessoas inocentes e leva para uma torre a onde eles são torturados até a morte.

Eu ando sempre só, a única companhia que eu tenho é do meu fiel cavalo, nunca precisei de um companheiro ou de um amigo, depois que minha família foi morta eu sempre ando só.

Eu não fico em só um lugar, eu sempre estou me mudando de vila e matando tudo que há pela frente, me dá um prazer enorme em matar as pessoas acho que eu nasci pra fazer isso.

(...)

Eu estava indo para um vilarejo nas montanhas do norte onde vivem pessoas que adoram esse governador e apóiam tudo que ele faz, então esses tipos de pessoas me enoja e me faz querer matar mais ainda um por um.

Estava nevando e a estrada estava toda coberta de neve, faltava pouco para anoitecer  e a vila já estava perto faltava pouco para que eu pudesse chegar lá.

Tinha um ponto da estrada que ela estava toda coberta pela neve que estava bem grossa e seria complicado para que eu e meu cavalo pudéssemos passar. Então eu desço do mesmo e o puxo ele por uma corda que estava amarrada em sua boca.

Estava ventando muito forte e eu não estava conseguindo enxergar quase nada apenas uma luz que supostamente seria uma luz de uma casa, então eu descido ir a onde essa casa, chego lá e bato na porta uma e duas vezes mais ninguém atende, achei que a casa estava abandonada mais quando eu já estava indo embora um garoto loiro aparece na porta.

- eii oque você quer? 

- oi.- digo indo em sua direção com o meu cavalo.

- você está perdido amigo? - o garoto loiro diz.

- ham não, eu só queria saber se você pode me ajudar.

- assim. Pode entrar.- ele fala dando um espaço para que eu pudesse passar pela porta.

- obrigado vou só amarrar meu cavalo na sua varanda tá bom?

- tá.

Então eu levo meu cavalo na varanda e o amarro na madeira assim ele não vai sair. Então eu entro na casa desse menino e assim sou vem recebido por ele, o menino loiro era bem baixinho percebi isso quando passai por ele.

- então.. oq vc faz por aqui? - diz me dando um copo de chocolate quente.

- é... Eu sou um viajante.

- nossa que legal. - ele dá um sorriso. Seus olhos eram claros, seus cabelos loiros e bem bonitos, sua boca era tão bonita.

- é.. cadê sua família.

- ela foi assassinada pelo governador.- o mesmo diz abaixando sua cabeça.

- desculpa por perguntar isso pra você.

- não tudo bem.

Eu então começo a beber um pouco o chocolate quente, eu estava observando a casa e a ele também, ela era tão simples mais tão gentil. Poucas pessoas foram assim comigo, afinal eu sou um grande assassino e acho que o pessoal da montanha do norte não me conhece, isso é bom porque assim eu posso andar pela vila tranquilo e assim poder tacar fogo em tudo.

- você não me disse seu nome.- o garoto loiro me olhou com uma cara de curioso.

- me chamo Jeon Jungkook, mais pode me chamar de Jungkook.

- huuu Jungkook. Me chamo Park Jimin, mais pode me chamar de Jimin. - ele fala estendendo a sua mão para mim.

- prazer Jimin.

- o prazer é todo meu.- o mesmo da um sorriso encantador.- você vai dormir aqui ?

- eu não quero incomodar.

- não. Você não incomoda, afinal está uma tempestade de neve horrível lá fora.

- verdade.

- eu faço questão que você durma aqui hoje.

- ok.

Esse menino que mal de conhece foi bem educado em me convidar para mim dormir em sua casa, eu não queria incomodar ele nem nada mais já que ele quer não posso recusar um pedido.

- aqui. - ele traz um cobertor e um travesseiro para mim dormir.

- obrigado Jimin.

- de nada. 

Pego o cobertor e o travesseiro e assim me ajeito no caixão que havia num canto da sala. A casa do Jimin era bem simples típico de vilarejo, ela era feita de madeira e bem aconchegante.

Eu não vou ficar aqui por muito tempo só até que eu consiga queimar aquela vila toda, pra vê se assim eu me livro de todos que gostam desse governador filho da puta.

(......)


O dia já amanheceu e eu me levanto e vou ver se meu cavalo ainda estava a onde eu tinha o deixado, depois que eu vi que ele ainda estava na varanda eu entro na casa do Jimin pra pegar minhas coisas para ir embora mais o mesmo aparece.

- você não vai tomar café?

- é.... Não precisa.

- toma café pra você ficar mais forte.

- eu não preciso tomar café pra ficar forte.

- mais precisa pra não ficar com fome depois.

- ham..- eu então olho pro mesmo que faz uma cara de cachorro pidão.- tudo bem então.

Jimin pega o café e um pão e me dá, eu então pego e como, o café estava bom e o pão tbm.

- você vai ficar por aqui até quando Jungkook?

- não tenho previsão de ir embora.

- assim. Mais vc tem um lugar pra ficar na vila?

- não.

- se você quiser pode ficar aqui.

- obrigado.

- de nada

Quando eu termino de tomar o café eu logo saio e me despeço do Jimin, uma coisa que eu não entendi o pq que ele estava agindo assim comigo sendo que ele nem me conhece direito, ele foi gentil e bem amigável mais espero que ele não esteja na vila quando ela estiver pegando fogo, não quero que ele se machuque.

Então pego meu cavalo e assim saímos e formos até a vila. Chagando lá formos até o centro da vila onde havia um monte de comerciante, lá havia uma barraca com umas bandeira com o símbolo e com a imagem do governador essas pessoas adoram ele e isso é bem nojento adorar uma pessoa que tortura e mata outros seres humanos.

Eu estava passando enfrente a um bordel e uma moça muito bonita aparece e se joga pra cima de mim, a mesma começa a me alizar e passar a mão na minha barriga e no meu membro, eu rapidamente tiro sua mão e me afasto dela.

- oh vem cá. Eu quero que você me coma.

- que nojo. - falo e saio de perto dela.

Essa vila merece mesmo ser queimada, as pessoas daqui são tão nojentas, há lojas que vendem mulheres ,crianças e escravos que tbm são pessoas.Eu ando a vila toda e a cada vez que ando pela vila mais cinto raiva desse povo. 

Já estava anoitecendo e as pessoas estavam voltando para casa e alguns estavam indo para os bares e bordel e outros ficavam jogados bêbados no chão, era tão nojento ficar lá pois as pessoas eram mais nojentas ainda.

- meu pai, vocês não vão passar de hoje, aproveitem podem aproveitar pois vocês não vieram mais o dia amanhecer. - falo e começo a ver se há soltadaos pela vila, eu começo a procurar um lugar estratégico para mim atacar os soldados sem eles me verem ou perceberem quem os atacou.

Quando eu estava passeando pela vila eu percebi que havia poucos soldados vigiando a vila, eles trocavam de turno e assim saiam, na vila só andavam 4 soldados pela vila toda. Então vai ser mais fácil para mim matar todos eles com a minha flecha.

A pois que eu já tinha andado e procurando um lugar perfeito para mim atacar os soldados eu achei um lugar perfeito que  era encima de uma casa que dava pra mim ver os soldados perfeitamente. 

Então eu desço do cavalo e o escondo atrás de um estábulo que havia perto do local, procuro alguma coisa para subir em cima da casa e eu acho uma escada, eu pego a mesma e coloco na parede e assim subo e fico em cima da casa e logo  me escondo atrás de uns tijolos que estavam encima da casa.

Quando um soldado apareceu eu peguei a minha lança e a fecha e mirei bem na cabeça do desgraçado e assim quando não havia ninguém na rua eu desparei a fecha e assim acertei no soldado que logo caiu no chão. 

- foi um falta 3. 

Eu ia sair mais aí dois dos soldados apareceu e eu logo me escondi, eles viram o corpo de seu colega no chão, eles logo pegaram suas espadas e ficaram procurando se havia alguém por perto e por acaso um cara bêbado aparece e eles partem pra cima dele e assim o mataram sem piedade, eles mataram uma pessoa inocente com tanta brutalidade como se ele fosse um animal, mais nem um animal merece ser morto do mesmo jeito que esse homem foi.

Eu peguei a flecha e mirei em um soldado e assim atirei no mesmo cai no chão, seu companheiro procura quem foi que tinha desparado a fecha, eu me escondi atrás dos tijolos para que ele não me veja, ele então corre pra chamar seus companheiros e eu logo desparo outra flecha e o mesmo cai no chão.

- falta um. - digo e saio de cima da casa e pego meu cavalo e saio de lá.

Quando eu estava saindo de lá um soldado apareceu e me viu, eu pego somente a flecha e vou em direção ao soldado bem rápido com o meu cavalo e assim cravo a flecha em seu peito.

- pronto.

Agora já não havia nenhum soltado na vila então eu começo a entrar nas casas e boto fogo em tudo que há dentro dela. As casas da vila já estavam pegando fogo, eu ouvia pessoas gritando e isso me lembrava a minha infância quando os soldados tinham acabado de matar a minha família e a família de todos que moravam na minha cidade pequena.

 Continua.....


Notas Finais


Gostaram?
¯\_(ツ)_/¯


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...