História The Olimpians - The Other Side Of Time - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega, Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Afrodite, Annabeth Chase, Apollo, Ares, Artemis, Atena, Calipso, Chris Rodriguez, Clarisse La Rue, Connor Stoll, Cronos, Dionísio, Éolo, Eros (Cupid), Frank Zhang, Grover Underwood, Hades, Hazel Levesque, Hefesto, Hera (Juno), Hermes, Hylla Ramírez-Arellano, Íris, Jason Grace, Katie Gardner, Leo Valdez, Luke Castellan, Nico di Angelo, Paul Blofis, Percy Jackson, Perséfone, Personagens Originais, Piper McLean, Poseidon, Quíron, Rachel Elizabeth Dare, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Sally Jackson, Thalia Grace, Travis Stoll, Will Solace, Zeus, Zoë Nightshade
Visualizações 21
Palavras 2.841
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


TITULO COMPLETO DO CAPÍTULO:
Deuses! Grego Eu Sei Que Falo, Mas Chinês?! Será Que Alguém, Um Dia, Vai Me Ouvir?!

TALVEZ eu poste mais dois capítulos hoje, mas não é certeza.
Então por hora é isso.

Aliás, já falei que adoro a Hera?
Pois é, eu adoro.

Capítulo 34 - Deuses! Grego Eu Sei Que Falo, Mas Chinês?! Será Que ...


Hera

 

Meu dia estava tão bom pela manhã que eu pensei por um breve momento “Hoje será o melhor dia do milênio na minha vida”.

Ele terminou antes dás oito da manhã.

Isso por que acordo às seis.

A minha noite foi mágica. Divina. Perfeita.

Depois de meses sem uma briga ou traição eu e Zeus tivemos um momento só nosso. Algo que anda acontecendo uma vez a cada cem anos e por isso é digno de nota quando acontece duas vezes no mesmo século.

Mas como tudo que é bom dura pouco foi assim meu dia.

Acordamos muito bem.

Zeus estava carinhoso e eu pessoalmente adoro isso.

Tomamos nosso café da manhã, quase como recém-casados.

Então minha ninfa de companhia começou os anúncios:

-Lady Annabeth trouxe sua documentação diária de lady Teresa. –Até ai sem problemas. –Lady Ártemis solicitou que informasse que irá passar pelo norte do Tennessee, nas proximidades das terras dos Zelothya. –Normal. –Lady Atena teve uma discussão com lord Poseidon, os dois quase afundaram uma ilha no Pacifico. Ambos os relatórios já foram solicitados. –Incomum, mas dentro das expectativas. –Lord Apolo disse que se precisar esperar mais um dia vai faltar ao serviço amanhã vai causar um eclipse. –Nenhuma novidade. –Lord's Easley, Yue e Ryuu estarão aqui para o jantar. –Algo inesperado, mas bom. –Lord Hefésto solicitou uma reunião com lord Zeus no meio da tarde.

A taça de prata em minha mão foi esmagada.

Zeus me olhou de soslaio tentando entender enquanto eu tentava disfarçar meu mau-humor limpando a mão do conteúdo da taça.

-O que foi querida?

-Tenho um mau pressentimento sobre essa conversa que Hefésto quer. Não acho que isso vá prestar.

Zeus pareceu emburrado e depois levantou da mesa.

-Lamento que pense assim, nosso filho é um bom homem que às vezes se engana ou comete erros e isso não significa que precise julga-lo dessa forma sempre.

Olhei para ele ofendida e me levantei também.

-Não o julguei ainda. Só disse que estou com um mau pressentimento. Quem está julgando quem aqui agora?

Zeus não se importou em voltar para a mesa, ele nunca se importava e eu já havia corrido tanto atrás dele que apenas me sentei e terminei meu desjejum.

Assim que terminei segui até meu escritório no meu palácio.

Lá, para minha surpresa estava Annabeth.

-Bom dia. Em que ajudo? –Não gosto muito dela, mas pelo menos ela é uma deusa da qual eu ainda não posso reclamar.

-Teresa está estranha.

Respirei fundo e sentei na minha poltrona.

-Quão estranha?

-Ela se isolou no próprio quarto a dois dias e não sai de lá para nada. A única coisa que sei é que ela tem tomado muitos banhos. Fora isso na única vez que a vi mesmo a pele de imortal dela estava muito queimada.

Aquilo era estranho.

Os surtos de Teresa não eram de automutilação e sim sexo.

Normalmente Apolo ficava de três dias a uma semana desaparecido.

-Sabe de mais alguma coisa?

-Não. Na segunda vez que tentei arrombar o quarto ela ameaçou me expulsar do Hades por tempo indefinido e achei melhor não pagar para ver.

-Fez bem. –Consegui dizer enquanto pensava no que poderia ter acontecido.

-Espero que sim, eu ainda acho que poderia ter tentado mais.

-Não. Teresa teria feito o que falou e como você é uma deusa nova depende muito dela para se dar ao luxo de irrita-la além do limite.

-Obrigada. –Ela murmurou visivelmente contrariada.

-Foi um elogio. A maior parte dos deuses não teria parado e isso seria problemático.

-Entendi. –Dessa vez ela pareceu mais convencida.

Fiquei no meu escritório o dia inteiro pensando no que Annabeth havia me contado, mas nada parecia fazer sentido e como meu mensageiro não achou ninguém no palácio não conseguiria falar com Teresa tão cedo.

Estava tudo voltando à paz maçante de sempre no meu dia quando Íris apareceu na minha frente com a aparência que usa com Teresa.

-Mensagem de emergência. Todos os deuses e deusas compareçam à sala dos tronos em dez minutos.

Depois de uma mensagem tão absurda eu simplesmente entrei em pânico.

Claro que ninguém poderia notar, eu não deixaria.

Mas eu estava abalada com qualquer coisa que fizesse Íris falar daquele jeito ou envolver uma reunião geral dos deuses na sala dos tronos e isso sem mencionar a Teresa.

Eu não tinha imaginado metade da confusão até ver Apolo espancando Hefésto enquanto Zeus, Ares e Hades tentavam apartar a briga.

A poucos metros Dionísio, Hermes e Poseidon tinham o sangramento em seus narizes estancados por Deméter e Perséfone.

Alguns metros para o lado Ártemis e Atena faziam uma tarefa conjunta de realocação de ombros, um de cada uma.

Ainda esperando no próprio trono estava Afrodite que tinha aquela cara de quem vai matar alguém que eu odeio, por que normalmente ela tem razão e eu vou concordar.

Foi quando ouvi Apolo gritar:

-Não toque mais na minha mulher seu maldito! Nunca mais toque na Teresa! Nem que isso seja permitido!

Cada palavra de Apolo era um golpe certeiro contra Hefésto.

O susto de todos, incluindo meu filho era tanto que levou mais tempo que o normal para controlarmos Apolo.

Quando finalmente conseguiram segurar Apolo foi necessário três deuses para mantê-lo longe de Hefésto.

Fui até meu filho ainda jogado no canto da sala, mas fulminando Apolo com uma fúria palpável e sussurrei:

-Se você se mover contra ele antes de tudo ser apurado eu juro que sua punição será milhões de vezes pior que a dele. –Hefésto tentou discutir, mas fui mais eficiente. –Se Apolo merecer será punido da forma mais severa, mas isso é decisão do conselho, não sua. Fui clara?

Hefésto apenas assentiu positivamente.

Os poucos minutos que levei para falar com meu filho, obter a resposta e chegar a meu trono foi o tempo que Apolo levou para diminuir a intensidade com que seu corpo brilhava de raiva como o Sol.

-Afinal, o que aconteceu Apolo, perdeu a cabeça? –Zeus estava irritado além do normal.

Ares, Hades e Poseidon pareciam tensos segurando Apolo que ainda tremia de raiva ao responder:

-Louco eu estaria se não tentasse pelo menos matar ele. –Apesar de ter falado as palavras sem gritar eu pude sentir que saíam de sua boca como um rugido enfurecido.

-Mas o que aconteceu? Apesar de tudo, você não age por puro impulso a esse ponto. –Questionei ao sentar em meu trono.

-Esse maldito, tentou abusar da Teresa.

Imediatamente encarei Hefésto ainda jogado no canto sendo tratado por Deméter e Perséfone que no mesmo instante pararam o que faziam e olharam para meu filho com a mesma cara que olhariam para um dos titãs ou gigantes. Raiva.

Ainda pude ver meio conselho olhar incrédulo para Apolo por cinco minutos antes de se voltar para Hefésto como o resto do grupo.

-Como é? –Ares soltou o braço de Apolo que segurava e pegou sua espada já com o corpo virado para o irmão.

Apolo soltou o outro braço das mãos de Poseidon e tirou as mãos de Hades do seu pescoço, mas não saiu de onde estava.

-Ele foi até o Hades e entrou sabe-se lá como, se disfarçou com magia tomando a minha forma e tentou dormir com Teresa. Quando ela notou tentou fugir e ele tentou agarrar ela a força, se não fosse que ela é o puro Hades em forma humana o lugar nunca teria expulsado ele sem palavras já que ele tampou a boca dela.

Meu coração foi à boca com aquilo e a minha raiva com Hefésto aumentou de uma forma que nunca senti nem pelas amantes de Zeus, todas juntas.

Trovões explodiram ao lado da sala do trono.

-Teresa ficou assustada. Muito pelo visto. Ela se sentiu mal com o que tinha acontecido e tentou tirar a impressão de toque dele, mas pelo que ela falou não deu certo. Então ela foi até meu palácio e eu... Não notei logo de cara quando ela me agarrou. Eu sabia que algo estava errado, mas queria tanto toca-la que só me preocupei com o porquê depois.

As palavras de Apolo fizeram tudo o que Annabeth me falou fazer sentido.

Os banhos deveriam estar fervendo, por isso parecia automutilação.

Ela estava desesperada.

Senti-me mal ao ouvir aquilo.

Foi o nosso pedido de dar prioridade ao trabalho que a fez parar de ver Apolo e deu a chance de Hefésto chegar tão longe.

O breve silêncio de Apolo começou a me preocupar, o que não melhorou quando ele voltou a falar:

-Eu só fui egoísta naquela hora, nada melhor que ele. O mais engraçado nisso tudo é que Teresa me pediu para não ficar bravo e eu disse sim. –A risada histérica de Apolo foi ainda mais preocupante.

A sala toda estava em silêncio.

Com o olhar fixo em Hefésto eu podia ver que ele só respirava o suficiente para tentar aliviar a dor da surra que havia recebido.

Então respirei fundo e tomei a frente:

-Onde Teresa está agora?

Apolo passou as mãos pelo cabelo desesperado.

-Presa no meu palácio. –Aquelas palavras me acalmaram um pouco e me preocuparam mais.

-Presa? –Ártemis pareceu em dúvida.

-Eu a deixei lá. Falei que ela não iria sair até eu voltar. Mandei Filien levar roupas para ela e lacrei o lugar todo com o meu poder. Não queria ela aqui tentando interferir, não queria que ela visse o que eu iria fazer e não queria correr o risco de acabar machucando ela mais ainda. –Apolo parecia à beira de um ataque de choro ou histérico.

Qualquer dos dois que fosse eu não gostaria que acontecesse.

-Machucar ela mais? -Dessa vez a voz fria de Hades preencheu todo o ambiente.

-Eu não a machuquei. Mas não fiz nada de bom também. Dormi com ela a maior parte do dia. Fiquei furioso com Hefésto e impus minha vontade a ela ao prendê-la no palácio, sozinha. Acho que já fiz coisa pior que Hefésto nos últimos minutos com ela. –Novamente havia uma dor que não era normal da personalidade de Apolo naquelas palavras

Suspiros de alivio, raiva, compreensão e até mesmo concordância correram a sala.

Ainda estática no meu trono tentando não ir à direção de Hefésto e terminar o serviço de Apolo vi Ártemis e Atena seguirem até o irmão curvado e caído no chão de forma calma, provavelmente mais do que estavam de verdade.

As duas seguraram nos ombros de Apolo sorrindo, ele encarou ambas que o ergueram do chão frio.

Então Atena tomou a frente como normalmente fazia:

-Você não fez nada errado, apenas foi impulsivo e até ai eu consigo entender. Agora vai até a Teresa e peça desculpas por tudo, tudo que está te machucando agora. –A imagem legitima de uma irmã mais velha quase me fez esquecer sua birra com Poseidon.

Do nada Apolo a abraçou.

E tão rápido quanto o fez ele a soltou.

-Dessa vez passa. –Atena respondeu com um meio sorriso.

Então foi a vez de Ártemis encarar o irmão e sorrir.

-Seja o idiota de sempre. Foi assim que ela começou a te amar e como você disse ela estava com medo, provavelmente ainda está, mas é de você rejeita-la. Não esqueça que ela ainda é uma criança em muitos momentos. Então volta logo, em caso de votação já seu qual é o seu. –Ártemis deu um sorriso torto e um brilho macabro escapou de seu olhar por menos de um segundo.

Aquilo seria interessante.

Apolo abraçou a irmã com força e saiu da sala dos tronos correndo.

Nem Zeus ou os outros deuses discutiram aquilo.

Naquele momento havia algo mais importante em nossas vistas.

A cabeça de Hefésto em uma bandeja de ouro era a minha.

 

==========X==========

 

Todos estavam sentados e Hefésto largado no chão em frente ao braseiro.

Ninguém fez questão de terminar de cuidar das feridas dele tão cedo e duvido que uma das deusas vá se dispor a fazê-lo.

Zeus me encarou por um segundo e eu o fulminei por um instante, irritada.

Se ele tinha alguma dúvida do meu sentimento naquele momento não ficou nenhuma com a clara mensagem que transmiti: “Eu falei que não tinha um bom pressentimento dessa reunião”.

Meu marido apenas suspirou e encarou nosso filho visivelmente decepcionado.

-Depois de tudo você não consegue nem mesmo aceitar a decisão dela sobre ficar com Apolo? –Zeus pareceu ainda mais decepcionado ao falar. –Mesmo comigo apoiando você quando os outros deuses diziam que sua atitude traria problemas. Que era melhor ficar de olho em você para evitar que Teresa sofresse. Eu acreditei que você, Hefésto, era um deus melhor do que os outros viam. Melhor do que eu sou com relação a esse tipo de situação.

Certo, ouvir aquilo foi esquisito.

Muito esquisito.

Mas foi a reação de Hefésto que me fez reagir.

-Aceitar? Ela é minha. Me pertence desde que vocês a exilaram na minha casa. Se eu a quero de volta, Apolo que se retire e ela que me aceite. Nenhum deus ou deusa deveria interferir nisso e definitivamente eu não aceito que ela fique com Apolo.

Tudo bem.

Aquilo já deveria ser esperado, mas digamos que eu estou farta de tudo que Hefésto diz e faz.

Principalmente como ele age com Teresa, como se ela fosso seu brinquedo. Um autômato que ele pode bater, xingar, montar e desmontar da forma que quiser e quando quiser.

Então quando ele falou, eu simplesmente reagir sem pensar e bati nele.

Sim, eu sei.

Não se deve agredir pessoas já surradas, mas aquilo foi mais forte que eu.

Então eu comecei a distribuir socos e chutes em Hefésto até que Atena e Ártemis me seguraram me colocando novamente sentada no meu trono.

Demorei cerca de cinco minutos para registrar a cara de satisfação de Afrodite, o que me levou a acreditar que acabei agindo antes dela. Também pude ver Ares com a espada na garganta de Hefésto, que parecia querer agarrar meu pescoço e me bater. Assim como Zeus que mantinha o olhar alternando entre o meu trono e Hefésto no chão.

Ártemis e Atena permaneciam uma de cada lado do meu trono, provavelmente esperando que eu tentasse bater em Hefésto novamente.

Embora eu não estivesse com a ideia de voltar a bater nele achei aquela medida inteligente, afinal não estava nos meus planos o primeiro ataque há poucos minutos.

Por fim foi Deméter quem voltou à reunião ao seu foco.

-Afinal, alguém tem alguma ideia para resolver essa questão?

Enquanto os homens olhavam para ela, as mulheres suspiraram e respondemos todas juntas:

-Casar Apolo e Teresa de uma vez.

Deméter, claro, sorriu feliz com aquelas palavras.

Casar Apolo não o faria deixar de ficar com mortais e Teresa era provavelmente uma das únicas deusas que não ligava para as traições além de Afrodite, mas essa nem conta.

-Isso é sério? –Ouvi Poseidon e me virei para ele que tinha um largo sorriso no rosto.

-Bom, Teresa já teve essa ideia umas duas vezes e Apolo também. Os dois só não falam disso entre si. Mas a festa e o casamento em si já estão planejados há uns cem anos por nós. –Respondi e todas as deusas assentiram.

-Fora isso, podemos fazer Hefésto jurar pelo Estige nunca mais chegar perto de Teresa, caso ele faça isso podemos puni-lo com a perda do posto de um dos grandes olimpianos. –A proposta de Hades me pareceu razoável e muito bem ameaçadora.

-Seria melhor modificar essa ideia para que ele não possa se aproximar dela quando ambos estiverem desacompanhados. –Atena sugeriu a alteração e a olhei intrigada. –Afinal para os conselhos os dois vão precisar ficar no mesmo recinto. –Ela respondeu me olhado e eu tive que concordar.

-Vocês estão loucos?! Casar ela com Apolo?! Eu não vou deixar isso acontecer?! –Hefésto gritou com a pouca força que tinha e dessa vez quem bateu nele foi Zeus.

-Não vai fazer nada. Está proibido de tentar interferir na vida dela ou eu te destituirei da sua posição de Olimpiano. Se tentar usar Easley para atingi-la irei te punir. Se tentar usar Apolo, irei puni-lo. Se tentar usar os outros filhos dela ou os outros deuses por quem ela tem afeição ou mesmo os semideuses para machuca-la, ainda se tentar machucar um semideus para deixa-la triste, vai ser punido. -Zeus olhava para Hefésto que parecia em pânico com o que ouvia. –No que diz relação com Teresa nenhum deus vai fazer vista grossa para o que faz a partir de agora e eu muito menos.

-Então estamos decididos oficialmente sobre essa questão? –Perguntei ainda em dúvida se os outros estavam sérios naquela decisão e todos assentiram. –Então vou até o palácio de Apolo para informa-los.

-Iremos com você. –Ouvi todo o conselho dizer.

Suspirei diante daquilo.

-As deusas, Zeus, Hades e Ares podem vir. Os outros usem seus meio de espionagem ou façam um acordo com Héstia.

Héstia me olhou um tanto contrariada, mas acabou dando um breve sorriso.

Ela iria se divertir.

Já eu, iria começar o casamento daqueles dois.

Isso sim seria a minha diversão.

-

-

-

Continua...


Notas Finais


CURIOSIDADES DOS CAPÍTULOS: Eu, Realmente, Não Acho Que Sei o Que É Ter Medo Do Perigo. / E Quem Não Sabia Do Óbvio, Agora, Certamente, Sabe.

-Tio Faísca!!!
Certo, eu adoro colocar a Teresa falando isso.
Acho que por que eu adoro chamar Zeus de tio Faísca na minha mente.
Se um dia descobrirem que os deuses existem ou existiram eu vou estar muito ferrada com isso.
=X=
-Hiperatividade.
Bom, eu realmente queria evidenciar esse lado mortal da Teresa e a sua ligação com características com os semideuses.
Acho que as citadas nesse cap são as principais.
Mas ela não tem dislexia.
Só hiperatividade...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...