História The One Ever - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Chen, Chenxi, Exo, Fanfic Exo, Hunhan, Jongdae, Jongin, Kai, Kaisoo, Kim Jongdae, Kim Minseok, Luhan, Lumin, Menção Jongkey, Minseok, Oh Sehun, Park Chanyeol, Sehun, Suho, Sulay, Taemin, Xiuchen, Xiuhan, Xiumin, Yaoi
Visualizações 40
Palavras 2.865
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


É, resolvi que não vai haver capinha pelos próximos até quando eu quiser -q

Capítulo 15 - O Passado de Minseok Pt.02


Baekhyun's POV

Eu não queria nem saber se era o tio Suho que estava perguntando, não daria quaisquer informações de graça, porém, nesse meio tempo, ouvi a voz de Chen e me liguei que Minseok não estava bem e não podia ficar nervoso.

Nem me importei com qualquer que fosse a minha situação, eu só precisava ter certeza que Minseok ficaria bem!

Assim que saí, procurei por ambos, mas só vi o topo da cabeça de Chen.

Corri até eles e me assustei com os olhos de Chen cobertos de lágrimas, enquanto tentava acordar Minseok.

- Minnie... - Me aproximei e vi JongDae se dar por vencido e chorar alto. - Se controla, Chen!!

Bati levemente no rosto de Minseok, mas ele estava realmente frio e suando. Sua respiração fraca demais, seu corpo mole.

- Okay... - Segurei seu rosto e uni nossos lábios, talvez tirando uma cara de surpresa de Chen, mas tava nem aí.

Aspirei e expirei para dentro da boca dele, o sentindo retrair e quebrar o contato e quase cair para trás se eu não o houvesse segurado pelos braços.

- Minseok? Tudo bem? - Perguntei, o vendo olhar em volta começar a respirar com dificuldade.

- Se acalma, bebê!! - Chen se aproximou e tocou em sua barriga. - Seu estômago ainda dói?

Minseok negou, porém, me olhando, eu sabia que ele precisava de mim. Abri meus braços e o recebi num abraço, sentindo como ele havia passado mal em pouco tempo.

- Bebê, o que aconteceu? - O senti me apertar entre os braços.

- O pai dele é o padrasto do Sehun. - Chen contou, me deixando surpreso.

Muito surpreso, bota surpresa nisso, fiquei mais chocado que Ovo de páscoa com surpresa dentro!!

- Como assim? - Segurei Minseok pelos ombros, mas ele estava imerso nos pensamentos novamente. - Chen, chama o Chanyeol que eu vou com vocês pra casa do Minseok!

- Certo. - Chen saiu correndo de volta ao saguão.

- Eu estou chocado. Não imaginava...

- Por que ele voltou assim? Ele me abandonou! Abandonou minha irmã!! Ela era só um bebê!!

- Não foi como se eu não amasse vocês. - Ouvimos aquela voz calma e Minseok se virou rapidamente que eu até me assustei.

- Ahh, não? Nos abandonar pra ficar no seu trabalho?? Não me zoa!!

Nunca havia visto Minseok assim, mas podia sentir que ele estava muito irritado.

- Não estou zoando, só que foi melhor eu me afastar... - O tal Lay continuava. - E como você cresceu, ficou um jovem muito bonito.

Ele tentou tocar no rosto de Minseok, mas Minnie se retraiu, não o deixando tocar.

- Não pense que palavras bonitas vão trazer de volta a sua imagem de pai! - Ele não parecia com meu bebê Minseok, sou fofinho!! Eu estava bem assustado com aquilo.

Lay's POV

Mesmo que eu quisesse dizer a Suho que a preocupação com seu filho já estava demais, eu não poderia, mesmo sendo padrasto de Sehun, algo dentro de mim não havia se tornado adulto o suficiente pra isso.

- Ele já vem... - O apertei em meus braços, deixando minha cabeça em seu ombro, enquanto víamos os convidados bem acomodados nos seus lugares.

- Cheguei! - Vi Sehun chegando e me afastei um pouco quando Suho lhe chamava a atenção.

Era sempre assim até mesmo se eu chegasse atrasado em casa. Ri do modo deles antes de ir até a mesa com Suho e me apresentar.

- Olá!! Eu sou Lay! - Fui cumprimentar um garoto de sorriso bonito, que também foi muito educado.

- Qual o seu nome? - Perguntei ao garoto do lado dele, mas notei que ele demorava seu olhar em mim.

- CHEGUEI COM AS BEBIDAS~ - Desviei minha atenção para o menino Byun, que brincava de ser garçom.

Porém a voz não conhecida se fez presente e eu senti como se precisasse me preocupar com ele.

- Você está bem? - Perguntei, porém os meninos não paravam de falar e quando dei por mim, o garoto já ia em direção à saída.

- Minseok...

Pisquei algumas vezes assimilando aquele nome. Eu que havia escolhido aquele nome... E pela situação, seria possível eu rever meu filho nessas condições?

Não seria possível, seria?

(...)

Sim, eu havia descoberto que era possível quando ouvi de sua própria boca dizendo que não tinha mais a mim como um pai.

De alguma forma, aquilo me atingia e mesmo que eu quisesse voltar e refazer tudo, eu não poderia. Iria me sentir preso à um casamento que não me deixava investir na minha carreira.

Eu amava meus filhos, mas não eram pra ser usados como desculpa. Ainda queria vê-los, mas minha agenda se tornou tão cheia que só consegui descansar fazia quase um ano e quatro meses. Era muito trabalho até mesmo pra agora, em que eu já não era tão jovem.

- Tudo bem. - Concordei, notando que até Baekhyun estava assustado.

Talvez, meu filho não fosse daquele jeito, porém, eu o fiz se sentir assim? O olhei por um breve tempo, ele realmente tinha se tornado um belo rapaz. Queria poder ter aproveitado meu tempo ao lado das crianças, minha filha deve estar grande e linda também.

- Volte pra dentro, tio. - Baekhyun cortou o silêncio. - Diga ao tio Suho que eu não vou poder ficar até o final.

- Vai sim. - Minseok falou, o olhando. - Eu vou bem pra casa.

- De jeito nenhum!! Eu vou junto, mocinho! - Sem querer, sorri.

Mesmo sem juízo, Baekhyun parecia cuidar do meu filho. Os vi me olhar por um instante e fui pra dentro, voltando a me sentar ao lado de Suho, o ouvindo sussurrar que tudo ia ficar bem... Não tinha plena certeza disso mais.

Mas eu queria saber mais dos meus filhos, como eles estavam após todos esses anos.

 

Antes que esse pudesse sair, segurei em seu pulso, lhe olhando pra ter certeza que estava tudo em ordem.

- Tá tudo bem? - Perguntei, vendo Chen respirar profundamente, seus olhos estavam levemente inchados.

- Vai ficar. - Ele disse num fio de voz e saiu com Chanyeol.

- Sehun, não acha melhor...? - O olhei por um tempo e ele negou, acho que até ele não estava no clima.

- Melhor o quê? - Suho perguntou e Sehun deu um leve pulo, atestando que não era nada demais.

Suspirei, toda aquela situação estava complicada demais...

Baekhyun's POV

Não importava como se olhava para a situação, não havia uma saída ou palavras bonitas que fariam com que Minseok se sentisse melhor.

Agora, estávamos perto do carro do mozão, esperando que ele e Chen chegassem. Mantive meus braços rodeando a cintura de Minnie, enquanto vagava meus olhos por aquele estacionamento.

- Channie, venha logo.- Comentei apenas porque queria ter certeza que meu amigo estaria seguro em casa logo.

- Não vai dar problema mesmo se você for embora? - Minseok me fez voltar a atenção pra ele quando voltou a falar.

- Com tio Suho, eu me resolvo depois! - Sorri, alegando que tudo estava bem.

- Chegamos!! - Ouvi a voz de Chanyeol, esperando apenas que ele abrisse a porta do carro e pudéssemos entrar.

Chen foi com Xiumin atrás e eu sentei ao lado de Chanyeol, afrouxando a camisa que vestia e tirando o tal avental, o jogando pelo carro.

- Está dando graças por isso, né? - Channie comentou, me fazendo revirar os olhos. Não é como se eu não quisesse trabalhar.

- Não. Mas Minseok vem antes de qualquer trabalho!

- Pare de dar essas desculpas, Baek... - Torci meus lábios, aquele não era o momento!

- Não estou me desculpando, mas eu percebi que a faculdade não era o que eu realmente queria!

- Não briguem, okay? - Chen pediu e nos calamos, levando-os até a casa de Minseok.

(...)

Desci do carro juntamente com meus dois amigos, se Chanyeol achava mesmo que iria conseguir algo depois de ter tocado naquele assunto tão de repente, ahh, mas só iria ficar achando mesmo!!

Eu tinha entrado na faculdade, mas só aprendido os primeiros socorros necessários, o resto era tão longe do que eu realmente queria que acabei por deixar a faculdade trancada até algo que me interessar surgir.

Apertei o botão para subir enquanto via o semblante triste no rostinho de Minnie, me fazendo aproximar e erguer seu rosto pra mim.

- Vai ficar tudo bem, okay? - Ele desviou o olhar e se encostou na parede oposta enquanto íamos para seu andar.

- Não diga nada, Baek... - JongDae comentou, me fazendo suspirar pesado.

- Eu fico aqui... - Quando foi que me distraí??

Notei que a porta se fechava assim que havíamos chegado ao andar de Minseok e ele havia saído, porém nós não havíamos notado até ele falar algo e a porta se fechar na nossa frente.

- Perae!! - Chamei, apertando os botões pra subir. - Mas o que ele tá pensando? Ele não pode ficar sozinho!!

- Eu não sei, Baek... - Chen se encostou, triste. - Eu já tive tanto medo de perdê-lo que... Hoje foi o pior dia.

- É por isso que temos que subir e invadir a casa dele, ele querendo ou não!!

Falei agitado, mas senti que o elevador subia novamente e sorri instantâneo. Talvez Minseok houvesse se arrependido ou os botões haviam funcionado.

Quando abriu não vimos ninguém, então saímos antes que fôssemos jogados pra fora novamente. Seguimos pro apartamento de Minseok e achamos a porta aberta bem pouco, mas ainda assim destrancada. Entramos e fechamos a porta, indo até o quarto de Minnie.

- Minseok? - Chen foi na frente, não achando ninguém.

Suspirei profundamente.

- NÃO BRINCA COM A NOSSA CARA MINSEOK!! - Gritei enquanto começava a procurar pelos cantos do quarto.

- Não estou. - Minseok apareceu na porta, segurando sua camisa com certa força. - Só tive que correr pro banheiro...

- Seu estômago de novo, aishh... - Me aproximei e o puxei quarto adentro.

- Não acha melhor tomar um banho? - Chen perguntou assim que o viu sentar na cama. - Toma um banho e dorme.

- Sim, isso mesmo!! - Concordei, me abaixando na sua altura. - Vamos, tomar bainho, depois nanar~

Ele sorriu dessa vez, me ajudando a desabotoar sua camisa enquanto Chen pegava uma roupa confortável pra ele. Normalmente, eu que pediria por colo e seria mimado, mas dessa vez, Minnie precisava de mim e não estava na minha lista negar um pedido mudo de ajuda.

- Isso, agora vamos tomar banho!! - Falei, o levando para o banheiro.

O deixamos tomar um banho tranquilamente, enquanto isso, JongDae ficou o atendendo de longe com a porta do banheiro semiaberta.

Eu havia pegado uma roupa sua emprestada e trocado, deixando o uniforme dobrado sobre a cadeira do computador.

Subi na sua cama e puxei as cobertas, me levantando apenas para me juntar a Chen, o segurando pelos ombros.

- Vá se trocar também, eu o atendo agora... - Bati em seus ombros, o vendo assentir.

Normalmente, JongDae gostava de falar tanto quanto eu, mas desde que saímos da festa, ele emudeceu. Seria a preocupação sua pior inimiga? Ele se mostrava sério como nunca o havia visto e agora, eu me perguntava se Chanyeol também se preocupava comigo daquela forma...

Sehun's POV

 E lá estávamos nós, comendo bem os lanchinhos que eram servidos pelos outros garçons, já que nosso representante havia ido embora sem nem avisar e eu podia ver meu pai levemente irritado com a situação toda.

Tanto que quando Kyung tocou no assunto, neguei. Não era o momento. E quanto mais tempo eu passava naquela mesa, mais eu queria dizer o real motivo pra tudo aquilo.

Mas respirei fundo e decidi que era melhor deixar tudo como estava. Partiríamos pro plano B!

- JongIn? - Chamei-o, vendo balançar a cabeça.

- Bem... - Com a feição envergonhada, JongIn pegou meu primo pela mão e ambos se levantaram.

- Não é o que eu estou pensando, é? - Por um momento, eu gostaria que aquela felicidade de meu pai fosse demonstrada pra mim e Luhan.

- Sim. - JongIn concordou, meu pai se levantou e chamou a atenção de todos.

Com a feição séria, Kyung me olhou uma última vez. Eu sabia que aquilo poderia me custar alguma coisa...

- Do KyungSoo... Você aceita casar comigo? - JongIn pediu, porém, meus pensamentos se perderam totalmente ao imaginar Luhannie ali comigo.

Como eu queria poder mostrar pra meu pai como Luhan era maravilhoso e seria um ótimo genro pra ele!!

Suspirei tristonho, sendo acompanhado por Lay, que parecia mais perdido que o normal. O olhei de soslaio e toquei seu braço.

- Você tá bem? - Perguntei sem saber se era o melhor a fazer.

- Sim. - Ele concordou. - Só espero que Minseok esteja melhor... - Ele suspirou cansado.

Não sabia que ele podia ser um pai tão preocupado... Porque nossa relação era como de irmãos, sempre meu pai era quem nos colocava nos trilhos, independente da diferença de idade.

Diferença de idade... Quem seria meu pai pra contestar isso em Luhan?

- Sehun? - Ouvi meu pai chamar-me e me coloquei em pé, vendo os agora pré-noivos brindarem com as taças.

Eu gostaria de estar feliz, mas não era esse o plano final do jantar.

Luhan's POV

Eu podia estar ao longe, mas notei a movimentação na mesa de Sehun, não sabia o que estava havendo, mas me preocupei com Minnie... Meu coração chegou a apertar levemente com ele. Queria-o muito bem, mesmo que tenhamos afogado as magoas aquele dia, nossa relação se tornou mais "madura", já não tocávamos mais nesse assunto, apenas brincávamos por mensagens e ele me contava tudo o que estava acontecendo...

Porém o ver sair daquele jeito, me fez querer ir atrás, porém, JongDae já havia feito a sua parte e talvez eu só fosse estragar tudo. Por isso, me contive em voltar minha atenção pra mesa, ou melhor, pra Sehun, que não parava quieto.

Eu podia sentir o incômodo dele ao querer revelar e me pedir em namoro oficialmente na frente de seus pais, mas ele não parecia ter a força suficiente pra isso agora.

Me forcei a preencher todo o vazio que senti na hora que JongIn e Kyung afirmavam um voto pré-oficial com uma dose de champanhe, sem nem sequer esperar pelo brinde.

- Ahh... - Me mantive seguro de permanecer calmo até o fim, porém, quando me vi livre de tudo aquilo, saí o mais rápido possível daquele lugar, mesmo que eu já tivesse tomado cerca de seis taças de champanhe e tudo começasse a ofuscar.

JongIn's POV

Quando vi o olhar de Sehun pesar sobre nós, eu posso dizer que uma alegria preencheu brevemente meu coração? Sim, não era o momento, meu irmão ainda me enrolava acerca das alianças, então, eu não tinha nada pra oficializar um noivado, mas era o plano B.

- Bem... - Aspirei profundamente, respirando de volta e estendendo a mão para Soo, ele se levantou comigo.

Forçou um sorriso como se aquela não fosse realmente a hora.

- Não é o que estou pensando, é? - Ouvimos Suho perguntar, sorrimos de volta, concordando brevemente, mas negando internamente.

Queríamos tudo simples pra uma cerimônia, tanto que Kyung já havia escolhido o local e tudo mais, iria ser privado e simples. Bem campestre como Soo queria.

Mas era para o bem de... Como Baekhyun chamava mesmo? Shipp?  Se era pro bem dele, nós iríamos ajudar.

E com a coragem finita de um gatinho enjaulado, abri meus lábios, olhando para Kyung, que me encarava tentando manter a calma.

- Do KyungSoo... - Aspirei todo o ar ali presente e apertei suas mãos nas minhas. - Você aceita casar comigo?

- Claro. - Ele concordou e sorriu calmo.

- Onde estão? - Suho perguntou animado, e eu acho que sabia do que ele estava falando.

- Estão sendo preparadas ainda. - Ouvi um "ahh" meio decepcionado vindo dele, mas demos de ombros e pegamos as taças.

- Um brinde? - Kyung se pronunciou e sorriu mínimo, eu havia escolhido a pessoa certa!

- Um brinde!! - Bati a taça contra a dele e recebemos uma salva de palmas, porém, não me sentia como se fosse meu momento, porque não era.

(...)

Assim que conseguimos nos desvencilhar de todos da festa, pois tivemos que cumprimentar um por um, sorrimos tranquilos por colocar os pés em casa.

- Livres! - Soo falou enquanto ajeitava os sapatos e ia de encontro à cozinha.

- Desculpa, Soo... - Fui atrás dele, o vendo me olhar desentendido.

- Não precisa pedir desculpas, a culpa é do Sehun. - Ele comentou enquanto se servia de um copo de leite.

- Mesmo assim... - Tentei reatar a conversa, mas ele se aproximou e tocou meus lábios, me beijando.

- Não se culpe por algo que você não fez... - Comentou, voltando sua atenção ao leite. - Apenas tenha certeza de que não deixaremos Sehun dormir pelos próximos dias.

Aquele sorriso era perigoso até pra quem conhecia, porém não seria nenhum esforço satisfazer as vontades do meu pequeno KyungSoo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...