História The One Ever - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Baekhyun, Byun Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Chen, Chenxi, Exo, Fanfic Exo, Hunhan, Jongdae, Jongin, Kai, Kaisoo, Kim Jongdae, Kim Minseok, Luhan, Lumin, Menção Jongkey, Minseok, Oh Sehun, Park Chanyeol, Sehun, Suho, Sulay, Taemin, Xiuchen, Xiuhan, Xiumin, Yaoi
Visualizações 56
Palavras 2.588
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 17 - Filhotinhos à Caminho


 (...) Horas depois

Xiumin's POV

Eu havia completado a missão: "Deixar JongDae em casa, sem que ele se preocupasse comigo". Agora, apertava a campainha da casa de Kyung, mas estava demorando um pouco mais que o necessário. Bufei baixinho e quando resolvi que me encostar na porta era uma boa ideia, eis que JongIn abriu a porta e meu corpo foi para trás.

- Desculpa!! - Ouvi JongIn falar enquanto me segurava e me ajudava a ficar em pé. - Eu acabei cochilando depois que Soo saiu.

- Tudo bem... - Concordei e ri, entrando enfim na casa deles. - Hoje o tempo tá muito bom pra ficar na cama.

- Sim... - Ele parou um pouco pensativo depois de fechar a porta. - Quer estudar embaixo das cobertas hoje, Minnie?

Pisquei algumas vezes, se não fosse JongIn me pedindo, eu realmente pensaria em outra coisa, mas sorri, concordando, porém parei quando chegamos perto da escada.

- Você já tomou café da manhã? - Ele se virou pra mim e negou.

- Soo saiu e eu não comi nada... - O modo como ele agia era realmente fofo.

- Okay, vamos comer antes e depois estudamos!! - Deixei minha mochila sobre o sofá e fui até a cozinha com JongIn atrás como se fosse uma criança.

Peguei o leite e o coloquei na xícara, o amornando no micro-ondas. JongIn pegou um pote com rosquinhas de leite e se sentou na mesa, esperando por seu leite quente.

- Deu tudo certo ontem, JongIn? - Perguntei, o vendo concordar, mas deixar seu sorriso gracioso morrer por um instante.

- Só não era o que queríamos, né?

- O plano do Sehun não deu certo? - Questionei, ouvindo logo o micro-ondas chamando.

- Não, tivemos que usar o plano B... - Ele encarava o pote de bolachas enquanto falava comigo.

- Tomara que ele consiga, né? - Pus o copo de leite na frente dele, me sentando. - Tome e coma, tem que se alimentar direitinho.

- Obrigado, Minnie!! - JongIn só tinha tamanho mesmo, aishh... - Ri enquanto o via mergulhar a rosquinha no leite e comer.

Eu não tinha coragem de perguntar mais nada sobre a festa de ontem, apenas queria me esquecer de tudo o que havia acontecido. Principalmente, por estar tão bem agora. Estava bem com Chenny, Baekhyun havia passado a me dar mais atenção, minhas notas haviam melhorado, o que eu menos precisava era de um estorvo na minha vida agora.

Eu estava mergulhado nos meus pensamentos quando a campainha soou aos meus ouvidos. Percebi que JongIn parecia tão imerso quanto eu, então me levantei e fui atender a porta.

- Já vai~ - Falei um pouco alto, destrancando a porta e a abrindo.

Senti que o ar faltou naquele exato segundo que meus olhos se depararam com os de meu pai. O que ele fazia ali?

Pisquei algumas vezes antes de dar dois passos pra trás. Ouvi JongIn falar alguma coisa, mas ignorei completamente, estava em choque.

- Quem... Ohh, Lay! - JongIn parou ao meu lado. Eu podia sentir que meu pai também havia ficado paralisado por um momento.

- Tudo bem, JongIn? - Aquela voz trazia tantos sentimentos à tona.

- Entre, Lay... - Senti meu estômago embrulhar, talvez pelo nervoso, não sei.

Só sei que JongIn fechou a porta e me puxou para a cozinha. Ele se sentou e voltou a comer, oferecendo para Lay. Uni minhas mãos, as observando cuidadosamente.

- Querem que eu faça um almoço pra vocês? - Ouvi-o comentar e fechei meus olhos, eu tinha que me manter calmo.

- Acho que podemos nos dar bem na cozinha, né, Minnie? - Ignorei a pergunta de JongIn e senti gotas caindo sobre minhas mãos.

Meu estômago voltara a doer, apertei os olhos. Dei um pulo ao sentir duas mãos massageando cuidadosamente o local. Abri meus olhos e vi JongIn me dar um copo de água, enquanto Lay continuava a massagem.

- Obrigado. - Agradeci à água e fiz menção de levantar, vendo meu pai se afastar.

- Tudo bem, Minnie? Algo dói? - JongIn perguntou, me olhando um pouco assustado.

- Tá tudo bem, JongIn. - Consegui falar depois de um tempo e olhei para Lay. - Obrigado.

- Tudo bem, eu sempre fazia isso quando você tinha cólicas quando era bebê.

Ele sorriu e eu não queria me lembrar da época que ele vivia conosco. Eu não queria... Mas era inevitável.

- Certo. Então, vou preparar as coisas pra estudarmos, Minnie!! - JongIn falou e correu escadaria acima.

- Okay, eu vou lavar isso aqui. - Me predispus à deixar tudo arrumado, enquanto via Lay mexer nos armários.

- Você come macarrão, Minseok? - Ele perguntou e eu quase deixei a xícara cair na pia.

Por que ele ainda tentava falar comigo? Ele não percebia que me fazia mal?

- Sim. - Respondi, o vendo se aproximar de mim.

Voltei meus olhos para ele e o vi sorrir.

- Você ficou tão bonito!! - Eu não sabia como reagir à ele, então neguei com a cabeça. - Ficou sim, uma gracinha!!

- Para... - Comentei sem elevar a voz e o senti mexer nos meus cabelos.

- Não podia esperar menos, você era muito fofo quando criança.

- Já disse pra parar!!

- "Já disse pra parar!!" - Ele estava brincando com a minha cara??

- Aigoo!! Para!! - Falei, suspirando.

- "Aigoo!! Para!!” - Ele não fez isso? Fez?

- Aishh!! - O olhei incrédulo e ele fazia a mesma careta que eu, só que do jeito dele.

Eu poderia estar magoado, mas acabei achando graça daquilo, dando um breve riso sem realmente querer isso.

- Okay, eu como macarrão, apenas faça isso, okay?

- Me desculpa, Min, eu nunca deixei de amar você ou a sua irmã!! - Okay, eu segurei minhas lágrimas e abaixei minha cabeça.

- Minnie, já arrumei as coisas!! - Ouvimos a voz de JongIn do alto da escada e eu sorri, falando que já ia.

- Minseok... - Me virei para meu pai novamente quando o ouvi me chamar.

Meu peito doía só de imaginar o que havia acontecido ontem, era tudo tão recente, esse reencontro sem nenhum prévio aviso!! Eu nem quero imaginar o que aconteceria se minha mãe soubesse que meu pai estava procurando por mim.

- Eu vou estudar com JongIn. - Tentei falar calmamente, mas estava ácido.

- Okay... - Ele apenas concordou, me deixando ir secar as mãos antes de subir ao quarto.

Eu não me sentia confortável com ele ali, mas não podia fazer nada quando ele era o tio de Kyung e não havia como o tirar do lugar.

Para poupar sofrimentos, peguei minha mochila e subi a escada, entrando no quarto de Kyung e JongIn, notando como era grande e havia poucos móveis. Havia uma grande janela que dava pra varanda, e perto dela só havia um tapete, parecia que eles tinham mobiliado somente metade do quarto, mas tudo tinha o jeitinho simples.

- Ele é seu pai, Minnie? - JongIn perguntou enquanto pegava os cadernos de anotações dele.

- Infelizmente sim. - Concordei, me acomodando na cama enquanto tirava meu material da bolsa.

- O que ele fez de errado? - JongIn perguntou, se sentando ao meu lado.

Eu suspirei e desvio meu olhar pros curtos raios de sol que entravam pela entrada da varanda deles. Eu não queria expor minha vida dessa forma e nem sabia como fazê-lo.

- Ele e minha mãe se separaram quando eu era menor. - Tentei encurtar o assunto enquanto me cobria e deixava o caderno em meu colo.

- Entendi. - Ouvi-o falar e se ajeitar ao meu lado. - Meus pais também são separados, mas convivem bem.

- São situações diferentes, JongIn. - Tentei explicar, mas acabei desistindo quando vi que era muita coisa pra contar pra alguém.

Suho's POV

Tudo ainda rodava na minha cabeça, desde o momento que eu pisei naquele saguão senti que Kyung estava me escondendo algo, mas não pensei ouvir da boca do meu próprio filho que era tudo um plano para me apresentar alguém.

Eu sabia que ele estava enroscado com alguém, mas ele tinha que ser intolerante a álcool? Sério mesmo? E eu ainda estava o ajudando...

Ainda sentia o cheiro da bebida em minhas narinas quando rolei na cama. Forcei minha mente a esquecer, mas a voz daquele garoto ainda rondava minha mente.

Eu o havia o ajudado a subir as escadas da pequena casa que morava, notei que o lugar era arrumadinho, mesmo sendo simples. Ele tropeçou nos próprios pés enquanto me dizia que não era um bom genro, que ele e Sehun deviam ficar longe.

Consegui abrir a porta do quarto com ele apoiado em meus braços e quando ele pisou dentro, se jogou na cama, os olhos semiabertos e a voz enrolada.

"- Eu preciso pagar minhas contas... Estudar... Dar um jeito na minha vida..."

Ele falava coisas que eu não sabia onde Sehun havia se metido. Rolei na cama novamente, sentindo Lay me abraçar cuidadoso, eu devia ter uma conversa com Sehun hoje e sem demora.

- Não se mexa tanto, amor... Tô tentando dormir. - Lay sussurrou, me virei pra ele e podia ver que nem aberto os olhos ele tinha.

Lembrei que eu iria levá-lo para ver o filho. E tudo o que estivesse ao meu alcance pro Lay ver seu filho, eu iria ajudar.

- Lay? Vamos acordar? - Toquei em seu rosto, o vendo sorrir e mostrar as covinhas tão bem desenhadas em seu rosto.

- Preciso mesmo? - Abriu lentamente os olhos, me olhando um pouco perdido.

- Vai dar tudo certo!! Eu confio em você! - Falei e lhe dei um selinho demorado, o sentindo apertar meu corpo entre seus braços.

- Okay, eu vou! - Se afastou de mim devagar e se sentou na cama antes de levantar.

Olhei para o quarto e respirei fundo antes de levantar e ir pegar as chaves do carro.

- Preciso resolver as coisas com Sehun, você consegue chegar lá sozinho? - Perguntei e o vi concordar prontamente, pegando as chaves das minhas mãos.

Fui ao banheiro e bati uma água no rosto, pensando em como abordar esse assunto com meu filho. Mas ele já estava pré-avisado, certo?

Caminhei até seu quarto e abri a porta, o vendo inerte no celular, apenas se assustando quando chamei sua atenção.

- Sehun? Podemos conversar agora?

- Sim... - Concordou, mas não fez grande menção em se levantar.

Suspirei e me aproximei, sentando nos pés de sua cama, notando o quão perdido ele estava.

Sehun's POV

Assim que acordei, notei que meu celular vibrava mais que o comum, e quando vi era Luhan me mandando mensagens, peguei o celular e digitei um "Calma, respira".

Ele precisava se acalmar antes de qualquer coisa. Falou que não lembrava de muita coisa, e eu não sabia o que tinha acontecido dentro da casa. E nem queria saber se fosse grande coisa...

Nem coragem pra sair do quarto eu ia ter tão cedo, então, continuei a falar com ele por mensagens, tentando em vão o consolar, ele sempre mandava emojis de choro. Até que me mandou uma foto e disse que não sairia de casa nem por decreto. Pensei que como eu não havia dormido grandemente, minha cara estava um caco também.

- Sehun? - Me assustei com a voz do meu pai me chamando. Ele já tinha vindo conversar??

Olhei para o celular e digitei que ia falar com meu pai, Luhan pediu desculpas por qualquer coisa que ele tenha falado no dia anterior e notei meu pai se aproximar.

- Podemos conversar agora?

- Sim... - Comentei, engolindo em seco. Por um momento eu queria que Baekhyun estivesse aqui pra me ajudar.

- Então, como conheceu o Luhan? - Ele começou...

- Numa festinha, pai. - Respondi automático, sem o encarar.

- Festinha? Quando? - O olhei dessa vez e senti meu estômago embrulhar um pouquinho.

- Faz um tempo, pai... Na última festa do Baek que você me deixou ir...

- Ahh, desde àquela época?? - Concordei com a cabeça. - Por que nunca me falou?

- Porque você não ia aceitar, eu acho... - Respondi sem grandes expectativas.

- Não ia mesmo... - Fechei meus olhos e respirei fundo. - E você tá junto com aquele menino desde àquele tempo?

- Sim...

- Okay, mas você o conhece bem pra ter até me feito mudar você de escola?

- Eu amo ele, pai. - Olhei nos olhos de meu pai e ele suspirou cansado.

Mordi meu lábio inferior de nervoso e o vi se ajeitar na cama.

- Eu não quero que você se machuque, filho.

- Eu não v-

- Por que ele diz que é melhor que vocês fiquem longe um do outro.

Luhan sempre dizia isso... Eu já havia me acostumado.

- Ele diz isso porque acha que o senhor não vai aceitá-lo.

Meu pai pareceu pensativo e cruzou os braços, suspirando vagamente. Tentei olhar em seus olhos, mas ele não me encarava.

- Pai?

- Luhan, né? - Ele me olhou finalmente. - Qual a diferença de idade entre vocês?

- Pai... - Aquele era o ponto que tanto incomodava Luhan. - Por favor...

- Você sabe que eu e Lay também temos uma diferença de idade mental. - Ele sorriu, me deixando menos nervoso, ou diria mais?

- O que quer dizer com isso, pai? - O olhei confuso, enquanto piscava.

- Quero conhecer e conversar com Luhan, mas diga pra ele estar sóbrio!

Baekhyun's POV

Entrei naquele lugar todo com paredes brancas e placas coloridas, o balcão já estava ali e Kyung parecia feliz. Estranho~

Fui caminhando pelo local, não era gigante, mas era perfeito pra nós dois!! Dei uma volta com um sorriso nos lábios e Kyung notou isso.

- Gostou? - Parei de girar quando o ouvi falar comigo e sorri mais.

- AMEI!! - Dei ênfase de tamanha alegria que rondava meu ser naquele momento. - É nosso?

- É todo nosso!! - Ele sorriu mais uma vez e passou por mim, me pegando pela mão. - Venha ver aqui.

Ele me levou para o fundo e meus olhos brilharam com o local. Cheio de bichinhos de pelúcia, caminhas fofinhas e de formatos variados, brinquedinhos, mordedores e o que dizer das mini mamadeiras???

Soltei um grito mudo ao ver que era tudo real e voltei para KyungSoo, o abraçando de felicidade.

- Baekhyun!! - Ele riu e me abraçou de volta.

- Obrigado, Kyung!! Eu vou ter um lugar pra trabalhar!! - Ele sorriu, mas eu sorria mais, eu sabia disso!!

Me soltei e mordi os lábios. Eu tava tão feliz que não cabia em mim!!

- Um petshop, Kyung!! Um petshop só nosso!! - Falei pulando com a energia incontida dentro de mim.

- Sim. Valeu investir minhas economias... - Ele falou e se encostou na parede.

- Eu vou ser um ótimo empregado, não se preocupe!! - Falei rapidamente, lembrando que não o havia ajudado em nada a não ser escolher onde e como decorar.

- Empregado? - Ele me olhou torto e riu. - Que eu saiba você era meu sócio, Byun Baekhyun!!

- Eu sei, mas... Ahhh, Kyung!! - Fui abraçá-lo novamente. - Eu tô tão feliz, Kyung!!

- Dá pra perceber! - Ri com ele e me encostei na parede.

Agora poderia bancar meus gastos e ainda de quebra, ver bichinhos de estimação fofinhos o dia todo aaaaaaaaaaa.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...