1. Spirit Fanfics >
  2. The Only Exception >
  3. Capítulo 4

História The Only Exception - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Capítulo 4


KEITH 

Se vocês pensam que eu estou ainda mais apaixonado, vocês estão certos. Lance me contou quase toda sua vida, ele é um cara bem aberto. 

Falou sobre sua enorme família, suas irmãs e irmãos, seus vários sobrinhos e tios. Me contou histórias da sua infância e das várias confusões que arranjou na sua infância em Cuba. 

— E então tivemos que vir para os Estados Unidos. Era uma ótima oportunidade de emprego para minha mãe, não pensamos duas vezes. E aqui estamos. — ele conclui e eu sorrio. Ficar perto dele agora é mais fácil, mais leve. 

— Lance McClain, eu não sou um aventureiro como você. Na verdade, sempre fui uma criança tranquila. — começo a contar sobre minha infância no Texas. Conto sobre meus pais, de uma maneira superficial e não tão detalhada. Conto sobre Shiro, meu cachorro Kosmo, as várias brigas que arranjei…. O assunto é fluído e pessoal de uma maneira confortável. 

— Então o Shiro é um tipo de tutor seu ou algo assim? Vocês moram juntos? 

— Ele é mais como um irmão mais velho que eu nunca tive. Eu ainda moro com a minha mãe, mas passo grande parte do tempo com ele. 

— E o seu pai? — ele pergunta e eu me mexo desconfortável. 

— Definitivamente não falaremos sobre isso. — digo e ele balança a cabeça em concordância. 

— Acho melhor ensaiarmos. Preciso te levar para casa daqui a uma hora e meia. — ele diz e se levanta, deixando algumas notas na mesa. 

— Lance, deixa eu te ajudar a pagar. — me viro para pegar a carteira e ele segura minha mão. 

— Cortesia do McClain. — ele diz e dá uma piscadela. Droga, meu rosto fica vermelho de novo. 

Eu sou ótimo em agir como se não ligasse, mas meu corpo faz questão de me trair e demonstrar como Lance McClain me afeta. 

Lance achou melhor me poupar da família dele. 

— Eles te comeria vivo. — em vez disso, ele me trouxe para um parque. Decidimos ensaiar ali mesmo. 

O céu começava a alaranjar e o vento soprava um pouco mais forte. Era quase outono, o parque já tinha várias folhas voando. 

Decidimos sentar em uma das mesas da área de alimentação. Lance tirou seu violão e me pediu para cantar um pouco, assim conseguiria afina-lo. 

— Bom, eu pensei em dividir a música da seguinte maneira. — Lance diz e tira uma folha de sua mochila. — Eu canto o primeiro verso e você o segundo, fazemos o refrão juntos e a ponte é sua. 

Analiso o papel e depois olho para ele. 

— Cantamos juntos a conclusão, as últimas repetições do refrão? — sugiro e ele concorda com a cabeça, então eu sorrio para ele. — Amei sua divisão, vamos fazer do seu jeito. 

Lance sorri como resposta e ajeita o violão. Ele suspira, fecha os olhos e começa a tocar. 

Observo a maneira como seus dedos se movem pelas cordas e agradeço por ele estar de olhos fechados, senão me veria quase babando por ele. Quando ele finalmente canta, sua voz é rouca e suave. Soa como um beijo. Ele canta baixo e mantém os olhos fechados. Já o ouvi cantar antes, mas dessa vez parece diferente. Ele parece mais… vulnerável. 

Me preparo para a chegada do refrão e tento harmonizar nossas vozes, de primeira parece não haver nenhuma harmonia, mas logo estamos cantando no mesmo tom. Minha voz talvez não seja uma maravilha, mas em conjunto a dele fica perfeita. Okay, talvez eu comece a chorar. 

Lance repentinamente abre os olhos enquanto canto e nossos olhares se encontram. Nossas vozes se juntam novamente e logo a canção continua fluindo. Lance não fechou mais os olhos e nem desviou o olhar, e decidi que deveria sustentar o olhar dele. O olhar dele era confortante, encorajador, tinha ternura. 

Repassamos a música mais algumas vezes antes de escurecer. Quando vimos a hora, decidimos ir, senão Shiro reclamaria. 

Quase dezenove anos e ele ainda me trata igual criança, eu te odeio Takashi. 

Quando a caminhonete de Lance estaciona em frente à minha casa, ele se mexe em seu assento e me encara. Nenhum dos dois diz nada, simplesmente saímos e caminhamos juntos até a porta. 

— Eu me diverti, Lance. Você não é assim tão pé no saco! — digo e ambos rimos. Continuo sem me mover, nenhum dos dois faz ou diz nada. 

— Keith. — Lance diz meu nome e se aproxima, colocando uma mão em meu ombro. Meu coração bate mais rápido e a expectativa se espalha pelo ar entre nós. 

— Lance? — eu o chamo e trago seu olhar até o meu rosto. 

— Quer ensaiar na sexta? Você poderia ir lá pra casa. Talvez seja um pouco cedo já que você teria que conhecer minha família, e eles poderiam pensar besteira e eu não quero que você fique desconfor-  — coloco a mão sobre a boca dele para parar o falatório. 

— Você está nervoso, McClain? — sorrio de canto e Lance desvia os olhos. — Eu adoraria. — tiro a mão de sua boca e logo ambos estamos sorrindo. 

— Me dá a sua mão, Mullet. — ele diz enquanto tira uma caneta do bolso, como aquela caneta foi parar ali? Contracorrente, é você?? 

Lance escreve seu número em minha mão, fazendo cócegas com o jeito demorado de escrever. 

— Me manda mensagem, Kogane. — ele diz e beija o local onde escreveu. Logo, Lance dá as costas e me deixa na porta com um coração batendo rápido e um rosto em chamas. 

Você está acabando comigo, filho de Afrodite. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...