História The opposite love - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Tags Amor Doce, Colegial, Docete, Garçonete, Lysandre, Nerd, Popular, Sweet Amoris
Visualizações 17
Palavras 2.117
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Deixem seu comentário ♡

Capítulo 5 - Friends ?


O turno acabou mais tarde, na verdade eu fiquei ate mais tarde para compensar o atraso de hoje mais cedo.
   O epsódio com Lysandre se repetia na minha cabeça a todo momento.
    Alguém para esse replay por favor.
Eu estava atordoada demais com isso.
  Eu via as casas e as pessoas passando como vultos pela janela do ônibus, estava a caminho da escola.
Eu podia ir andando, mas estou cansada demais.
         Será que hoje ele vai me levar para a casa dele de novo ?
Droga Docete pare de pensar nesse menino.
       Meu estômago roncava de fome, vou comer algo na hora do Recreio.
 Quando cheguei na escola os alunos ja me olhavam por causa de antes.
Ambre estava na entrada radiante com seu cabelo loiro refletindo contra o sol,sobre um salto 15.
    Seu olhar cheio de maquiagem seguiu até mim.
   Poxa ela não pode fingir que eu não existo.
Ela vem rebolando até mim.
Cada batida que aquele salto fazia contra o chão me deixava mais nervosa.
    Tentei passar reto mais ela impediu com suas seguidoras estúpidas.
  Não posso deixar isso barato.
Ambre: tá afim de limpar chão de novo ?
Eu: me deixa em paz Ambre!
Ambre: fique longe do Lysandre sua vaca, ele deve ter nojo de você!
  Essa cretina precisa se tocar que ele não a quer!
Eu: você se da de bandeja a ele, se ele quisesse estaria com você! Sua ficha não caiu que ele não a quer.
Ambre me olhou furiosa.
Ambre: quem você pensa que é pra falar isso! Ele me quer so não reconhece ainda
Eu: a por favor cale a boca! Você não sabe levar não Ambre.
   A nossa discussão estava atraindo alunos ate nós, aos poucos havia uma rodinha.
Ambre: sua garçonete nojenta, olhe para você eu sinto apenas pena
Eu: vocâ está me humilhando apenas para alimentar seu ego e se sentir melhor!
     Ambre ficou vermelha de raiva e voou para cima de mim me derrubando no chão, eu não tinha muitas forças por que eu não dormi.
Eu consegui dar um soco na cara daquela vaca. Estou até orgulhosa de mim mesma.
Estávamos lá se matando literalmente.
Quando mãos me seguraram pela cintura me afastando dali contra minha vontade.
Eu me batia para me soltar.
  X: ei garota se toca, estou ajudando você pare de se bater!
Parei e olhei quem era.
Castiel.
Eu: por que esta me ajudando?
Estava chocada por ser ele.
Castiel: o soco que você deu nela fez um estrago, gostei de você. (Castiel sendo castiel rsrs)
Eu apenas revirei os olhos
Eu: Estou orgulhosa de mim também.
Castiel: você está bem ?
Eu: Estou sim, Ambre so me arranhou um pouco.
Castiel: cachorra que late não morde.
 Não aguentei e comecei a rir.
Eu: hahahahaha desculpa hahahaha.
Castiel me olhou serio
Castiel: pare com isso menina !
Eu: calma calma parei.
Me rendi
Castiel: já salvei a lutadora de morrer, até meganzinha.
Castiel saiu rindo.
 meganzinha ?! Sério isso ?
Sai em direção às salas.
Castiel falar comigo foi estranho,será que Lysandre tem aver com isso?.
     Cheguei na sala de aula, no caminho alguns alunos olhavam para mim por conta da briguinha com Ambre, sorte que nenhum diretor me pegou.
  Na sala Lysandre estava sentado ao lado de castiel que por um milagre compareceu a uma aula.
      Castiel lançou um sorrisinho a mim muito suspeito, Lysandre apenas batia sua caneta contra a mesa olhando para a frente.
 A aula foi normal, o professor perguntava sobre os trabalhos.
    Bom o nosso não ta nem na metade.
Quando o sinal tocou eu esperei todos saírem, Lysandre saiu e castiel logo em seguida.
   Eu Sai lentamente, não tinha ninguém me esperando.
    Suspirei em frustação, achei que ele falaria comigo de novo.
  Segui para as outras aulas que eu não tinha com ele, elas passaram lentamente, o relógio não é meu amigo mesmo.
    Sai em direção ao Recreio, eu fui a cantina pegar algo para comer, mas fui puxada para dentro de uma sala.
    Eu:Que porra é essa ?!!?!?!
Lysandre: calada quer que alguém nos descubra?
Olhei para ele indignada, por que agora ? Justo na hroa da comida.
Eu: o que você quer?
Lysandre me olhou de cima a baixo.
Lysandre: conferi se estar bem , soube da sua ceninha com Ambre.
 Ceninha ? Aquela vaca me afronta e é apenas uma ceninha?

Eu revirei os olhos 

Eu: ela mereceu, mas fui retirada de la por castiel.
Lysandre deu uma risadinha.
Lysandre: Belo Guarda costas eim
Eu: você tem algo a ver com isso ?
Lysandre : capaz rs
  Senti uma pontada de ironia na voz dele,acho que ele tinha sim algo a ver.
Eu: me puxou aqui so para isso ?
Lysandre : minha casa depois da aula
Eu: isso está autoritário demais, eu vou só se eu quiser!
  Quem ele pensa que É?
A ele é tão bonito... me olhando assim...aaa
focoooo! Docete foco!
Lysandre se aproximou me empurrando contra a parede fria, ele colocou seus braços apoiados na parede me prendendo ali.
Lysandre: Não sou autoritário Docete.
Eu: N-não é o que esta parecendo.
Lysandre: nervosa ?
   Ele passou a ponta do nariz em minha bochecha.
Poxa por que tão perto ?!
Eu: Não.
Tentei soar firme.
Lysandre: Não é o que esta parecendo.
Ele repetiu minha frase antes de se afastar sorrindo.
Lysandre:te espero na saída.
Eu: espera! Pare de me deixar confusa,tenho perguntas a você!
Lysandre: na minha casa eu respondo todas docinho.
Lysandre saiu sumindo no corredor logo em seguida.
Eu vou perguntar o que esta acontecendo hoje na casa dele.
  Sai e o sinal bateu, poxa e a minha fome ?
Não parecia ter passado tanto tempo.
Ken: doceteeee!
Olhei para Ken que vinha até mim com uma cara preocupada.
Eu: o que houve ?
Ken: Nathaniel está atrás de você!
 Droga!  Ambre deve ter contado a ele sobre a briga, eles são irmãos e ele é representante da turma.
Eu: obrigada por avisar Ken, me deseje sorte quando ele aparecer.
Ken: Boa sorte Docete, bom vou indo se cuide.
Eu: se cuide também.
   Eu estava chegando na próxima aula mas na porta adivinha quem me esperava? Nathaniel
   Nathaniel acompanhou meus passos até ele.
Nath: então você brigou com Ambre.
Eu: eu não, ela vive me importunado com coisas ruins, eu apenas não suportava mais ela fazendo isso comigo.
Nath : Ambre disse que você avançou sobre ela.
Eu: isso é mentira, pergunte a castiel ele viu que não foi isso que aconteceu!
Nathaniel apenas riu em ironia
Nathaniel : castiel? Que Belo exemplo .
Eu: está bem, qual meu castigo ?
Nathaniel: vou deixar passar dessa vez, mas se você tiver problemas com Ambre fale comigo antes.
Eu: ta bom, posso entrar agora?
Eu ja estava impaciênte como ele pode defender ela ?
Segui o resto das aulas,foi tudo tranquilo.
Logo seria a hora de ir até a casa de  Lysandre, eu vou demorar sair, vai que eu espero ele como uma otária e ele passa reto,af
   Faltava pouco para bater, nunca esperei tanto por isso.
Quando tocou o som ecou em minha cabeça como um alerta.
Esperei as pessoas saírem, e fui saindo lentamente.
   Quando cheguei na saída, Lysandre estava encostado em seu carro ao lado de castiel, castiel foi o primeiro a me notar chegar.
Castiel: seu docinho chegou.
Lysandre olhou em minha direção.
Lysandre: cale a boca castiel.
Eu não era o docinho dele ?
Eu: então o trabalho ?
Lysandre: vamos, entra ai .
Castiel: flw agora é a hora que eu saio fora.
Lysandre entrou no carro e dessa vez não ligou o rádio.
Estava um silêncio mortal e constrangedor.
Lysandre: ainda tem perguntas ?
Eu: sim
Lysandre: sou todo ouvidos.
Eu: por que está fazendo isso?
Lysandre: fazendo o que ? Estou fazendo nada
Eu: você está me fazendo de idiota ! Está me deixando confusa, não entendo se quer ser meu amigo ou apenas depois do trabalho vai ignorar minha existência,  você é meu oposto por que está me tratando normal? Todos aqui me tratam com desdém.
Lysandre: você não devia me comparar tanto aos outros. E se eu quiser ser seu amigo ?
Eu: eu sei que você não quer.
Lysandre: querer eu não quero, eu não sei porque estou assim.  Você está me deixando assim, não é só você que esta confusa, eu também, eu não sei o que sinto por você, estou tentando entender e espero que você ajude.
Escutei tudo que ele falava com atenção.
Ele não sabe o que sente por mim? Então tem chances de ele gostar de mim ?
    Eu: eu não sei como ajudar.
Lysandre: apenas não seja tão negativa.
Eu: Não sou negativa.
Lysandre: o que somos?
Eu: o que somos ? Não somos nem amigos Lysandre me olhou como se eu estivesse falando algo muito errado.

Eu: quer dizer, você estuda comigo a anos nessa escola e nunca falou comigo, apenas uma vez na aula de artes que me pediu uma caneta. Você nem ao menos sabe quantos anos tenho ou aonde morro ou meu número.

Lysandre esticou seu celular a mim .
Eu: o que?
Lysandre: me passa seu número.
Eu: para que você quer meu número? 

Ele me encarou como se você óbvio.

Marquei meu número em seu celular.  Agora somos amigos ok ?

Amiga dele ? Isso soa um pouco estanho para mim.

Mas por que não ?
Eu: ok.
Lysandre: Ok? Sem nenhuma negação?
Eu: você me acha tão negativa assim?
Lysandre não respondeu.
Logo chegamos em sua casa.
  Segui ele até seu quarto, no caminho passamos pela cozinha, havia uma mulher que deduzi fazer a comida a eles. Em cima da mesa havia um bolo de morango chamando minha atenção,eu não havia comido e Lysandre atrapalhou meu lanche.
 Queria muito pedir para comer.
Quando chegamos ao quarto dele Lysandre despencou em sua cama.
Lysandre: agora você sendo minha amiga não precisa ser uma estátua esperando que eu fale sua próxima ação.
Eu: desculpe.
Eu segui até a ponta da cama me sentando ali,encarei os pôster de banda colados na parede em frente a cama.
Eu: a quanto tempo você toca?
Lysandre: desde sempre.
Eu: você canta muito bem.
Lysandre: já viu uma apresentação minha?
Eu: sim, na escola.
Lysandre: que bom que gostou. Se quiser eu faço um show em particular pra você.
Olhei para ele petrificada, show para mim ?
Eu: sério isso?
Lysandre sorriu.
Lysandre: tem interesse então?
Eu: cale a boca Lysandre!
Eu devia estar super vermelha, um show particular não seria mal ideia rsrs
 Será que ele fala isso para todas?
Lysandre: ok trabalho, vamos começar fazer resumos, espero terminar hoje.
Eu: já está querendo se livrar de mim?
  Lysandre me olhou serio e não falou mais nada apenas,conseguimos terminar o trabalho depois de umas 2 horas.
Eu: bom acabamos. Vou para casa agora...
Lysandre: espera, ta com fome ?
Eu: a não muito.
Lysandre: sua barriga está roncando.
Eu devia estar roxa de vergonha.
Lysandre foi  saindo do quarto me chamando, segui ele até.
Ele me levou ate a cozinha onde estava aquela belezura com cobertura de morangos lindos me chamando.
Lysandre: Dóris essa é Docete.
Dóris: olá querida, sua nova namorada ?
Nova?  Imagino quantas ele deve ter trazido até aqui.
Eu: Não somos um casal.
Tentei soar gentil.
Lysandre: somos amigos Dóris.
Lysandre pediu a ela que servisse o bolo.
Eu: hummm está maravilhoso!
Lysandre apenas sorriu.
Dóris: que bom! Volte mais vezes e conhecerá meus outros bolos.
Lysandre: ela vai vir.
Ele disse isso olhando para mim
Será que eu iria?
Continuamos comendo e conversando.
A gente conversava sobre assuntos aleatórios escola e o que gostaríamos de fazer quando a escola acabasse.
Lysandre gostaria de ser músico.
Contei a eles meu gosto por arquitetura.
 Vi as horas eram quase 19:00 meu pai ja havia chegado a tempo .
Levantei rápido.
Eu: desculpa mas preciso ir,estou bem atrasada.
Lysandre: eu levo você.
Eu: Nao não precisa eu vou!
Lysandre me ignorou subindo as escadas correndo pegando minha bolsa e as chaves.
Eu me despedi de Dóris e segui ele até o carro.
A viagem para casa era tranquila.
Tocava músicas aleatórias na rádio.
Quando chegamos vi Lysandre analisar minha casa.
Era uma realidade bem diferente da dele com toda a certeza.
Lysandre: bom até mais Docete.
Eu: sim até mais.
Lysandre: mais alguma pergunta?
Eu: sim
Lysandre: qual ?
Eu: vai fingir que não existo como antes ?
Lysandre: como se eu fosse capaz de fazer isso.
Eu olhei para ele, ele apenas me olhava sem expressão, uma estátua perfeita.
A estátua foi se movendo e criando um sorriso em seu rosto, sorri de volta e Sai do carro.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...