1. Spirit Fanfics >
  2. The other half of it. >
  3. Perfeita

História The other half of it. - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


LEIAM DEVAGAR! KKK



- Quer dormir comigo hoje? – Ela sussurrou no meu ouvido.
Engoli seco.

Capítulo 7 - Perfeita


Fanfic / Fanfiction The other half of it. - Capítulo 7 - Perfeita

Ela me olhou com um sorriso lindo, mesmo sem mostrar os dentes. Parecia meio tímida, mas decidida.

- Seu pai não vai reclamar? – Perguntei baixinho.

- Eu já falei pra ele, só falta você aceitar. – Ela disse enquanto saia de perto para abraçar o pessoal.

Enquanto eu a observava se despedir, fiquei pensando que não vim preparada para ficar e se eu negasse, poderia estar perdendo a nossa grande oportunidade. Precisava escolher...

- Então...? – Ela falou voltando para perto.

- Eu preciso buscar minhas coisas em casa. – Falei.

- Hm, eu tenho toalhas, roupas, escova de dentes nova, travesseiros, lençóis... – Ela falou ainda olhando pros amigos da igreja, acenando. – Mas se quiser ir, eu te levo.

- Bom... Então tá.

Subimos depois de nos despedimos dos seus pais na sala. Fiquei com a frase do Senhor Flores na cabeça: “É bom saber que você é amiga da minha filha, Ellie!”. Espero que ele não se importe que eu seja mais que uma amiga da filha dele.

Fizemos nossa rotina de higiene noturna, uma de cada vez, enquanto passava um filme na TV do quarto. A Aster foi a última, então, eu fiquei assistindo o filme à medida que ela usava o banheiro. Fiquei tranquila de saber que a mãe ou o pai da Aster poderiam entrar a qualquer momento e eles não iriam ver nada além de duas amigas passando tempo juntas. Estava sentada numa poltrona muito confortável. O filme começou a ficar interessante, então me concentrei na TV.

As luzes se apagaram e eu forcei a vista em direção ao filme. De repente senti duas mãos me abraçarem por trás. Sorri. Olhei pra cima e avistei minha bela amada sorrir de volta e me deixar um beijo na testa. Ela soltou o abraço e sentou nas minhas pernas de sorriso aberto.

- Qual a do filme? – Ela perguntou, puxando assunto.

- Bom... Pelo o que eu entendi a galera nasce aos montes, igual cachorro, cinco, seis de uma só vez! – Falei, tentando resumir o filme. Ela se assustou rindo. – Aí as protagonistas são sete e elas têm que fingir ser uma só.

Ela articulou a palavra “Caralho!” sem deixar sair voz, de um jeito muito engraçado. Eu dei uma risada com aquilo. Ela riu também. Ficamos nos olhando. Eu já não estava mais interessada em filme algum. Ela levantou, foi em direção ao seu som, parecia estar escolhendo uma música. Eu desliguei a TV, o quarto ficou numa escuridão muito atrativa, no teto brilhavam estrelas de decoração, as luzes da rua iluminavam pela janela, dava pra ver tudo muito bonitinho.
A música “If you leave me now – Chicago” começou a tocar baixinho. Ela se virou e estendeu a mão direita. Eu peguei e ela me puxou para uma dança lenta. Sorrimos ao som da música enquanto dávamos passos curtos para um lado e para o outro.

- Eu também tô apaixonada por você. – Falei, lembrando da sua declaração mais cedo.

Ela me olhou dizer aquilo e me surpreendeu com um beijo indispensável. Eu a segurei pelo seu rosto, beijando seus lábios com muita vontade, enquanto ela me puxava para mais perto pela minha cintura. Com as duas mãos, ela subiu meus óculos, sem parar de tocar minha boca com a sua. A música foi acabando e foi começando outra que eu não prestei mais atenção. O beijo foi se aprofundando e eu senti Aster fazendo força para eu andar de costas, ainda estávamos nos beijando quando ela chegou onde queria, na cama. Caí de costas e ela, sem demora, veio por cima para continuar o beijo. Ali eu já estava experimentando algumas emoções pela primeira vez, como por exemplo, meu corpo arder em chamas e eu começar a ficar lubrificada. Parei o beijo e arregalei os olhos para ela, - estávamos ofegantes - que me olhou confusa.

- Tudo bem? – Falou entre respirações rápidas.

- Sim! – Falei rápido. Puxei para mais um beijo.

Não queria estragar aquele momento com comentários, então ignorei meus pensamentos para conseguir agir pela emoção. Empurrei Aster pela cintura para trocar de lugar, fiquei por cima sentindo um calor surreal e ela se sentou, fazendo com que eu ficasse sentada em suas coxas.
Começou a puxar minha camisa para cima, eu deixei, levantando meus braços. Ela me olhou com uma feição emocionada, o que me deixou alegre.

- Uau! – Disse me olhando da cabeça até... Até onde conseguia olhar. Eu sorri, tímida. – Seu corpo é escultural. Perfeito...

Ela passou as mãos do meu pescoço até minhas coxas, descendo devagar. Eu tremi. Ela beijou meu pescoço, trocando de lado. Eu também queria vê-la despida, então desci por suas costas e tirei sua camisa. Iniciamos mais um beijo enquanto ela me jogava de volta por baixo dela, mas dessa vez minhas pernas a abraçaram, tentando fazer ela e eu sermos só uma. Ela desceu novamente para o meu pescoço e dessa vez foi mais a fundo, segurou minhas duas mãos na dela e sugou meu seio com muito carinho, lambeu meu mamilo com a ponta da língua e eu soltei um gemido abafado e ofegante. Eu estava entregue e já sentia meu sexo pulsar, pedindo um encontro quente e molhado. Ela beijou minha barriga enquanto tirava meu short com calma. Ela soltou minhas mãos, eu levantei e puxei seu rosto que se direcionava para o seu destino, trazendo para um beijo quente, cheio de desejo, coloquei minha língua no espaço do nosso beijo e ela sugou para dar passagem para a dela, soltamos gemidos juntas. Meu coração palpitava com tanta ânsia. Enquanto me beijava, ela me deitou para descer novamente. Uma mão foi em direção aos seus cabelos e a outra segurava seu braço para trazer seus dedos até minha boca. Afundei na cama quando sua língua se encontrou sem pressa com meu clitóris, ela lambeu devagar, me degustando, sentindo meu gosto. Minha mão fazia carícias em sua cabeça, além de ditar o ritmo que ela deveria manter. Ela me beijou por toda região íntima e começou a aumentar a velocidade, me fazendo revirar os olhos e morrer de amor. Eu chupei seus dedos e senti seu rosto chegando perto, fazendo menção de trocar, tirou sua mão da minha boca e me beijou, penetrando cuidadosamente seus dois dedos em mim. Eu mal consegui beijá-la, suspirei alto e me abracei a ela com força. Ela desceu novamente ao meu comando, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo, com uma velocidade perfeita que fez meu espírito sair do corpo e gritar o mais alto que eu pude. Atingi meu clímax fechando minhas pernas em seu rosto. Ela deu uma risada. Subiu, ficando ao meu lado, se sustentando pelo braço para me olhar. Eu estava de olhos fechados e sorriso aberto, ainda puxando o ar com dificuldade.

- Olha pra mim. – Disse com uma voz alegre, mesmo sussurrando. Abri meus olhos para ver a dona do meu prazer. Ela expandiu seus olhos em surpresa. – Nossa, sua pupila está tão dilatada!

- Sério?! Não é pra menos... – Falei enquanto ríamos.

Ela me beijou na testa. Ficamos ali por um tempo, recuperando nossos fôlegos.

- Você é perfeita. – Ela disse me encarando feliz com uma mão no rosto.

Eu fiquei fazendo carinho em seus cabelos. Sorrindo igual uma boba.

- Eu estou em êxtase. Perfeitamente plena... – Disse contemplando sua beleza.

- É? – Ela falou mordendo os lábios.

- Sim, e eu quero te agradecer. – Falei abrindo uma feição sensual.

Parti para a minha vez de fazê-la sentir sensações únicas de estar fazendo amor.

Aquela noite certamente foi uma pincelada ousada que demos em direção à construção de um quadro espetacular.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...