História The other side of life (Imagine JungKook) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom
Tags Bts, Got7, Jungkook, Sobrenatural, Vida, Você
Visualizações 20
Palavras 1.049
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Haha, acho que demorei um pouco... Não tenho um dia fixado para essa história, mas em breve vou pensar em um.


Boa leitura!

Capítulo 2 - Prólogo: II


Ajudei-o a sair do carro e adentramos na grande casa, passando por uma bela sala de estar e subindo as escadas, entrando no último cômodo do corredor, vulgo seu quarto.

- Tem uma caixa de primeiros socorros no banheiro. - Pronunciou sôfrego enquanto o sentava na beirada da cama. - Fica ali! - Apontou para uma porta que havia dentro de seu quarto.

Fui ao banheiro e peguei a caixa, voltei me ajoelhando na frente do castanho e começo a cuidar dos seus ferimentos. Ora ou outra, ele soltava grunhidos e gemidos de dor. Terminei com um curativo no canto da sobrancelha.

- O-Obrigada... - Deu um sorriso sincero sem mostrar os dentes.

- Não foi nada. - Dei um sorriso meigo, porém envergonhado. - Agora eu... Eu já vou indo, você vai ficar bem? - Ele acentiu e deu um sorriso.

Virei para a porta, mas antes de sair, senti mãos no meu ombro direito. Jeongguk estava envergonhado, suas bochechas estavam em um vermelho fofo.

- Você quer uma carona até sua casa?... Claro, como forma de agradecimento. - Coçou a nuca.

Por que não?

- Claro, se não for incômodo... - Olhei para os lados envergonhada. Eu não me envergonhada tão fácil assim.

- Não é, vamos! - Sorri largamente, assim como ele. 

Saímos de sua casa e entramos no carro que estava estacionado à frente da mesma. 

- Você consegue dirigir? - Indaguei preocupada.

- Sim, já estou bem melhor... - Sorriu e deu partida no veículo.

O caminho foi agradável, conversamos sobre nós, o que me fez descobrir um pouco mais sobre ele. Descobri que seus pais faleceram em um acidente de carro quando tinha 5 anos, quem o criou foi a tia, e quando se tornou maior de idade, recebeu a casa como herança. Descobri também que ele gosta de cantar. Pedi que cantarolace algo para mim, mas o castanho não quis, ficou com vergonha, o que tirou um biquinho dos meus lábios.

- Yah, não faça bico! - Tirou a atenção do trânsito - até que estava calmo - para mim.

- Ok... Mas algum dia você vai cantar para mim, certo? - Franzi o cenho com um sorriso mínimo.

- Ok... - Voltou a atenção para as ruas.

Do nada, comecei a sentir um frio, o que fez meus braços envolverem meu corpo.

- Está com frio? - Olhou para minha situação.

- Sim... - Bati o queixo e direcionei minha mão até o botão do aquecedor, num ato rápido ele também fez isso, fazendo nossa mãos se tocarem por míseros segundos. Afastei minha mão com as bochechas vermelhas.

(...)

Jeon já havia me deixado em casa. Nos despedimos com um abraço desajeitado, rio toda vez que lembro-me da cena.

Mas agora, a única coisa que importa, é meu filme, minha pipoca e meu enorme copo de refrigerante. Assisti por altas horas, e algo que não parava de pensar, era a cena do carro.

Apenas um toque, suas mãos geladas e macias, aquilo me deixou um tanto constrangida, mas ao mesmo tempo, me fez sorrir feito boba.

- Aish, eu devo estar doida... - Murmurei a mim mesma. Voltei a encarar a TV.

(...)

Acordei com um raio solar em minha face, vindo diretamente do vão da janela. Olhei ao redor e ainda estava na sala; televisão ligada, pipoca para todo o lado - inclusive em cima de mim.

Olhei para o relógio de parede e me assustei ao ver a hora, tinha 15 minutos para estar no trabalho. Corri para meu quarto, tomei um rápido banho, vesti meu uniforme, peguei minha bolsa e sai às pressas da casa.

(...)

- O que você tem? Está com uma cara péssima! - Mark sentou-se na cadeira a frente a minha. - Não dormiu bem? - Acariciou minha bochechas, ele é muito carinhoso comigo.

- Fiquei até tarde assistindo... - Bocejei - Como foi com o Namjoon? - Lembrei da cena no boteco, não sei de onde tirei coragem para dar um soco nele.

- Nós tiramos ele de lá após sermos expulsos. - Rimos.

- Obrigada! - Sorri com carinha de sono.

- Pelo o quê? - Continuou com o carinho, o que me dava mais sono.

- Por me fazer compania... - Bocejei novamente é fechei os olhos sentindo o carinho dele.

- Ah, somos amigos, sempre vou estar com você, huh? - Abri os olhos e observei o sorriso que era presente em seus lábios. Mark era muito bonito.

- Aish, estou com sono, quero dormir! - Resmunguei fazendo um bico.

- Durma, eu vou cobrir você... - Acenti e senti minhas bochechas esquentaram após ele ter beijado uma delas.

Mark saiu da sala e coloquei meus braços sob a mesa, escondendo meu rosto neles. Dormi com um sorriso no rosto - feliz por poder dormir -, mas que logo se desfez ao ouvir meu celular tocar.

- Mas que merda! - Praguejei ao tirar o celular da bolsa.

Ligação On

- Alô?

- ___? - Uma voz desconhecida pronunciou meu nome.

- Sim, quem é?

- Jeongguk... - Sorri.

- Ah, olá! Como conseguiu meu número? - Indaguei.

- Err... O Jin me deu, tem algum problema? - Ele parecia estar envergonhado.

- Não. - Sorri ao me lembrar novamente da cena do carro.

- Então, hoje a noite, eu, Jin, Junior e outro amigo nosso, vamos fazer uma noite da pizza, você... - Ele respirou fundo. - Você quer ir? Olha, se não quiser tudo bem, eu entendo e-

- Claro, eu aceito ir. - Sorri, algo que fiz durante toda a conversa.

- Ah, então... Pera, sim?! - Ele parecia... Surpreso e feliz.

- Sim! - Rimos. - Mas, não vai ter bebidas, né? - A última coisa que quero é ter que aturar bêbados novamente.

- Não! Na minha casa não entra bebida!

- Então vai ser na sua casa?

- Sim, te espero aqui às 7:00, pode ser? Ou quer que eu vá te buscar? Claro, só se você quiser e-

- Sim, você pode ir me buscar! - Ouvi o mesmo suspirar aliviado, ele parece ser uma pessoa insegura.

- Ah, então... Tchau!

- Até Gukkie! 

- Gukkie? Eu gostei! Até! - Finalizou a chamada, e novamente eu sorri feito boba.

Ligação Off

- Aish, o que está acontecendo comigo?! - Murmurei indignada, mas com um sorriso no rosto.

Será que...? Não! Aish! Que confuso!

Vi a porta da minha sala ser aberta e Mark entrar novamente. Andou até mim rapidamente, suas orbes estavam mais escuras.

- Desculpa por isso! - Pronunciou antes de me levantar pelos braços e tomar meus lábios para si. 

Continua...



Notas Finais


🙊🙈


Até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...