História The Other Side of The Joker - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida, Gigi Hadid, Jared Leto, Justin Bieber, Lily Collins, Margot Robbie
Personagens Coringa (Jack Napier), Jared Leto, Justin Bieber, Lily Collins, Personagens Originais, Selina Kyle (Mulher-Gato), Zayn Malik
Tags Amor, Arlequina, Batman, Coringa, Drama, Ficção, Harley Quinn, Incesto, Jared Leto, Joker, Justin Bieber, Lily Collins, Ódio, Psicopata, Revelaçoes, Romance, Sexo, Suspense, Terror, Violencia
Visualizações 298
Palavras 2.783
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oii...
Boa leituraa caralhuu

Capítulo 19 - Sensações Químicas


Fanfic / Fanfiction The Other Side of The Joker - Capítulo 19 - Sensações Químicas

★ANGELINADALLAS


Depois daquele pesadelo terrível com mamãe e aquele ser desprezível que se faz de palhaço,havia prometido pra mim mesmo que deixarJogosZdo o que envolveu Joker para trás...mas talvez seja impossível, porque minha consciência sabe que ele sempre esteve em minha vida,de um jeito ou de outro. E isso me faz querer cometer suicídio ou matar o próprio.

- Quer falar sobre isso? - perguntou Mariah,enquanto me fitava preocupada.

- Falar sobre o que? - devolvi a pergunta,mexendo com a colher o bolo de chocolate que a mesma acabou de fazer.

- Do sonho Angelina...seu pai me contou,ele ficou assustado... - a senhorinha respondeu,sentando na cadeira branca do balcão de madeira da cozinha de frente para mim.

- Foi apenas um pesadelo...- disse entediada,cortando um pedaço médio do bolo.

- Que tipo de pesadelo,Estrelinha?

- Daqueles que você não consegue mais dormir sem pensar neles durante a noite. - respondi Mariah,mastigando um pedaço do bolo.

Eu não olhava nos olhos de Mariah enquanto conversavamos sobre o assunto que para mim,era bem recente. 

- Você está estranha menina Angie.- afirmou. A olhei finalmente sem entender.

- Estou bem..só cansada. - menti,piscando várias vezes solteira um ar pela boca.

- Eu te conheço Angie. - retrucou.

- Mariah está tudo bem. - forcei um sorriso. - Tá bem.

- Okay...-balançou a cabeça enquanto falou,parecia querer chorar. Mas ignorei essa hipótese. - O aniversario do seu pai esta chegando,lembra? - Mariah mudou de assuntom

- É...daqui a quatro dias. - me levatei da cadeira e levei o prato de vidro ate a grande pia atrás de mim. 

- Ele estava pensando em fazer um jantar, como foi o seu.- Mariah explicou animada.

- Seria uma boa. 

- Fique tranquila,ele só convidara amigos e parentes mais próximos. 

- ..Okay,eu vou ir ao shopping. - â avisei. - Justin e eu precisamos de um tempo juntos,já que hoje é sábado.

- Hum. Aproveite Angel. - Mariah sorriu daquele jeito protetor. Sorri também.

- Prometo que trarei algo para você. - depositei um beijo em sua bochecha,e sai da cozinha me direcionando para o andar de cima.

Chegando no meu quarto fitei o mesmo. Parada no meio do cômodo olhei meu criado mudo e encarei o meu celular,peguei ele e vi uma chamada não atendida,na verdade duas chamadas não atendidas. Era da Emily,que milagre. Liguei para ela de volta e então a mesma atendeu no terceiro toque. Sorriu com isso.

-Oi! Desculpe estava no andar de baixo. E ai seu irmãozinho Charlie melhorou? - perguntei animada. Mas não obtive nenhuma resposta da minha amiga. - Emily,está me ouvindo? - perguntei preocupada. Aquilo me fez ficar arrepiada.

- ...Angel...me ajuda! - falou Emily chorando do outro lado da linha. - Me ajuda...!

- Emily,o que foi,o que aconteceu? - franzia o cenho ficando nervosa.

- Só me ajuda...- a loira chorava muito. - Eu precis...- um barulho estridente ecoou do outro lado,fazendo assim eu não ouvir o resto da frase. Arregalei os olhos com aflição. Parecia um filme daqueles de terror.

-Emily! Emily...! - gritava seu nome,tendo as mãos bem tremulas.

- Sua amiga será morta se não aparecer daqui a meia hora na rua Ultimatt Gotham! - uma voz totalmente grossa,daquelas de filmes de terror como a do Jogos Mortais surgiu na ligação.

- Quem é você?! O que fez com a Emily?! - gritei chorando,já imaginando o pior.

- Nada ainda. Só farei se não aparecer. - desligou,me deixando totalmente perdida.

Onde Emily se meteu? Quem era aquele homem? Se for coisa de Joker ele me paga!

[•••]

Descia correndo as escadas vestindo minha jaqueta preta com a face toda molhada ao mesmo tempo,as seco com ambas as mãos rapidamente para não ser parada por Mariah com suas perguntas de sempre. Ela não poderia saber,terei que resolver sozinha. 

Então abri a porta para sair, quando então sou parada por Mariah.

- Já vai Angie? - perguntou sorrindo.

- Hã...sim. - respondi apressada. - Tchau. - fechei a porta e sai em busca de um maldito táxi. Papai tinha razão sobre eu ter logo um carro,é muito útil nessas horas.

Até que vi um táxi vindo em minha direção, faço sinal para parar e ele obedece. Entrei dentro do carro amarelo  feito louca

- Onde...senhorita? - perguntou um homem negro que usava óculos.

- Ultimatt Gotham,por favor. - respondi suspirando.

- Okay! - afirmou simples, arrancando com o automóvel.

Após quinze minutos eu tinha chegado ao meu destino. Paguei o taxista e fui andando na calçada, procurando algum sinal de Emily ou qualquer outra coisa. Já estava escurecendo e aquilo estava se tornando cada vez mais estranho. Lembrei dos momentos de aflição que tive com a própria Emily e Zayn nas mãos de Joker aqui,afinal essa rua era o território principal dele onde tudo aconteceu.

Passavam poucos carros na estrada, e pessoas quase que nenhuma enfeitavam as várias esquinas.

Um carro me acompanhava enquanto eu acelerava o passo na calçada,mas não adiantou,ele continuou há me seguir. Até que parei com meus braços cruzados e assim o carro preto totalmente fechado com vidros fumês também. Franzi o cenho pensando " O que esta acontecendo?! "

Olhei para o lado e percebi que o vidro do carro estava sendo aberto lentamente,virei o meu rosto para frente outra vez com medo.

- Entra!! - disse uma voz masculina. 

Fiz menção de continuar andando, até ouvir um barulho estranho.

- É melhor entrar,senhorita Dallas.  - olhei para a janela do carro e vi um homem de barba,vestido de terno preto formal,todo engomadinho. Ele também apontando uma arma preta para mim. Parecia tranquilo e ao mesmo tempo impaciente comigo.

Engoli em seco andando devagar outras vez, cheguei mais perto do carro e percebi outro alguém abrir a porta do banco de trás. Entrei sem hesitar, olhando para os lados em busca de ajuda. Mas não havia ninguém naquela maldita rua até aquele momento.

- Quem é você? - perguntei em um sussurro,fitando o homem de semblante sério,que havia falado comigo pelo espelho retrovisor.

Ele não respondeu.Portanto encarei um outro cara,que estava comigo sentado no banco de trás,tendo uma arma e grand porte em punho,com o nariz empinado e um óculos escuro de marca.

- Você que sequestrou Emily, minha amiga? Responde! - disse firme.

- O que você acha. - o homem de terno olhou me pelo retrovisor. Recuei,olhando pra janela com medo. - Foi o que pensei.

Depois dessas suas últimas palavras pecorremos o caminho todo em silêncio,causando um desconforto por não saber onde estava sendo levada.

- Onde estou? - perguntei,após sairmos do carro preto brilhante. Ele passou por mim em passos largos,junto com o outro cara de óculos.

- Só me segue garota. - o de terno me informou.

Segui eles,e entramos parainha infelicidade uma espécie de usina, uma usina desativada já há anos. Tinha um aviso enorme dizendo "Cuidado" e "Não Entre",tendo várias cercas elétricas com correntes gigantescas nos muros. Mesmo com o aviso nós entramos,o seguia sem reclamar,mas na realidade queria correr dali. O homem de terno abriu uma janela e mandou eu entrar,o olhei desconfiada mas entrei de uma vez com frio na barriga. Ele e o outro cats fizeram o mesmo.

Quando me virei para assim olhar para baixo na passarela, vi tanques de ácidos e químicos enormes com tubos por suas laterias do alto dela. Ai que lembrei que aqui foi uma usina Química, ou seja, no final da decada de 80 faziam produdos químicos que eram processados aqui,desde óleos até veneno. Os tanques ficavam abaixo da enorme passarela,já a passarela ficava em volta deles. Tudo era de metal e ferro,o lugar cheirava a gazolina com cebola picada.

Estava totalmente destraida com a estrutura do lugar abandonado, até  sentir uma pancada forte atrás da minha cabeça,escurecendo minha visão e me fazendo cair no chão desmaiada pra variar. 

[•••]

Abri meus olhos com dificuldade,minha visão se encontrava turva mas melhorou com o passar do tempo. "Que porra se aconteceu?" Me perguntava. Logo percebi Emily na minha frente,ela estava amarrada com as mãos para o alto, e percebi que eu também. Estávamos amarradas em uma espécie de barra grossa de ferro.

- Emily! Acorda! - gritei,depois de olhar para baixo,vendo que abaixo da gente tinha um dois tanques Químicos na direção de nossos corpos,ou seja,se caissimos iríamos cair dentro deles e morrer. - Emily! - gritei outra vez. Ela ainda estava desacordada com a cabeça baixa,fazendo seu cabelo tampar quase toda sua face.

- Porra,para de gritar! - aquele homem de óculos escuro gritou do alto da passarela para mim,formando um eco pela usina bem irritante.

- Me tira daqui! - gritei chorando.

- Desculpa,mas não será possível. - falou sarcástico.

- Por favor...- eu sussurrei,ainda choramingando ao fechar meus olhos.

Meus braços estavam doendo muito por estarem presos ao alto por mais de uma hora. Já havia chorado  tudo o que havia que chorar. Emily ainda não tinha acordado e isso me fez ficar preocupada e bem nervosa. Um furmigamento atingiu minhas pernas, após uma fumaça do enorme tanque abaixo das minhas pernas começar a subir sobre mim e Emily. O cheiro era insurpotavel,o que me fez tossir muito.

-Ei...sua amiguinha gostosa não acordou? - dessa vez foi o homem de terno que me trouxe aqui horas atrás perguntando.

- ...por que fez isso? Nos tire daqui! - gritei.

- Você é bem mau educada. Cadê o "por favor"? - perguntou,com um sorriso sarcástico nos lábios.

O olhei com raiva e suspirei.

- Por favor,nos tire daqui! 

- Você é engraçada. Não esta gostando da nossa brincadeira? 

- Vai a merda! - gritei sem paciência.

Depois desse mine diálogo ele não apareceu mais lá no alto ds passarela,deixando à mim e Emily ali ainda amarradas para talvez morrer.

•••

Mais um tempo se passou e minha dormência nas pernas aumentou e a dor nos braços também. Emily já tinha despertado com o cheiro insuportável que marejava no local.

- Temos que sair daqui. - Emily falou baixinho.

- Como,me diz? - perguntei sussurrando.

- ...é... não sei.- falou tristonha.

- Vejo que acordou loira...- era o homem de terno preto outra vez. Sinceramente,esse cara está me irritando.

- Meu nome é Emily,imbecil! - retrucou a loira raivosa.

- Uau,calma ai. Se ficar com essa grosseria igual sua amiga,não solterei vocês. - explicou sorrindo.

- Então solta a gente logo,e para com essa palhaçada! - falei indignada. Ele me olhou e sorriu.

- Tá bem. - disse simples. O que eu estranhei de fato.

Ele caminhou até as cordas que amarravam nos duas pelos pulsos,e com uma faca bem afiada começou a cortar a corda,ainda estando na passarela... Mas espera ai,se ele cortar a corda nos iremos cair no tanque e poderemos morrer...pensei enquanto o olhava cortar.

- Ei!! Espera! - gritei para o homem que nem sabia o nome. - Se cortar as cordas cairenos no tanque,idiota! - expliquei sendo obvia,enquanto encarava ele com raiva.

- ...essa é a ideia,gracinha. - falou uma voz rouca que eu conhecia bem,bem até demais.

- Joker. - falou Emily o olhando aparecer na passarela,ao lado do idiota que cortava as cordas.

Joker se encontrava atrás de seu capanga que começou a cortar as cordas novamente sem se importar. Mas que droga!

- Você...- disse, pensando em um bilhões de maneiras em como matar esse palhaço estabdo amarrada e quase à cair em um tanque químico.

Joker me olhava sorrindo sem mostrar seus dentes reluzentes. Sintia meu estomago se remexer ao ver seu sorriso um tanto sarcástico.

- Eu sabia quê iria fujir daquele inferno! - falei firme.

- Você não cansa não é palhaço. - Emily disse.

- Deixa eu pensar...- Joker pegou a faca da mão do homem de treno rapidamente,e começou a cortar as cordas,fazendo eu e Emily gritar de pavor quando sentíamos que iriamos cair. - Não! - ele começou a gargalhar,quando as cordas se rasgaram por inteiras. Emily caiu primeiro no tanque gritando,logo depois eu cai também no outro tanque morrendo de medo de morrer lá. Só se ouvia as risadas do maldito depois dos baques dos nossos corpos no líqüido químico.

Ao entrar em contato com esse  líquido estranho que estava dentro do tanque,afundei de imediato sem tempo de prender a respiração,ele começou a formigas minha pele,como se corroesse ela. Ai então senti uma mão grande me puxar pelo braço com força levando o meu corpo até a superfície depois de minutos afundando. A minha visão ficava preta e mais uma vez desmaiei, com uma tal figura borrada com as cores verde e branco. Sem saber onde podia estar Emily, sem saber onde eu mesma estava.



     ★JOKER



Roberts tinha feito o que eu havia mandado,ele pregou uma pequena peça com Angie. Só que não resisti e tive que comparecer a "trama". Não era para ela e sua amiga caírem na porra tanque,porém,não consegui me controlar e cortei as cordas por impulso em ver pelo menos a filha de Dallas sentir o que eu senti caindo lá. Encarando os olhinhos de ambas garotas pedirem ajuda me fez ficar feliz. Assim que cheguei mais proximo do tanque - ainda estando na passarela. - ,onde Angelina havia caido,o corpo dela não tinha subido ainda na superfície... O que me deixou nevorso.

- Peguei a loira,Mr. J. - Roberts me avisou vindo com a namoradinha de Zayn em seus braços.

- Cadê a Angelina? - rosnei chegando perto daquele idiota. Ele me olhou sem saber o que falar.

Saco minha arma dourada do blazer,e aponto para a cabeça dele.

- Eu devia estourar seu miolos por não fazer as coisas direito. Eu não quero essa dai...- apontei a arma para a loira desacordada e molhada. - Eu quero a Angel!! - guardei a arma, andando até a beirada da passarela,pronto pra me jogar sem pensar duas vezes no tanque,onde a filha do Dallas havia caido por minha culpa.

Assim que cai no líquido aquela mesma sensação de morte da primeira vez corroeu a mimha mente. Puxei a garota com toda a força para a superfície,e a tirei rapidamente de dentro do tanque. Ela já se encontrava desacordada,com a roupa toda molhada como sua amiga. Observo o seu rosto todo sujo e limpei com as mãos rapidamente. A peguei no colo e levei ela para a minha Ferrari,que estsva estacionada no portal da usina,junto com Roberts segurando sua amiga.  Meu braço direito assumia a direção do carro, com a loira no banco do carona desmaida,já eu estava com Angelina no banco de traseiro.

A morena estava com a cabeça deitada em meu colo. Suspirava enquanto a via desacordada, quase matei a garota antes da hora,nunca me perduaria por isso... Nunca.

- Ai Joker...o que vamos fazer com elas? - Roberts pergunto,me  tirando de meus pensamentos sobre a garota. - Chefe...- ele me chama mais uma vez,virei meu olhar para a janela da Ferrari e percebi que ele havia parado ela.

Volei o meu olhar para baixo olhando ela,Angie,então tirei alguns fios de cabelo em sua face.

- Chefe...? - Roberts mais uma vez me chamou,só que agora deu um pequeno assovio pro meu lado. O olhei sério.

- ...por ai. - falei rouco.

- O que?- perguntou em dúvida.

Sai do carro bufando logo depois pegando com cuidado a morena desacordada. Andei com Angel em meus braços fui para um beco escuro qualquer e sem saída. Ouvi as passos vindo atras de mim,e então Roberts colocou a loira que carregava do lado da morena que pus deitada lá.Ambas desacordadas,sorri de nervoso vendo o que fiz sem pensar nas consequências com Angeljna.

- Não vai ser agora que levarei você Anjinha para minha casa brincar. - me virei voltando pra minha Ferrari roxa deixando as duas garotas sozinhas há "Deus dará". Andentrei o carro dando logo a partida,logo depois que Roberts entrou nele também.

- Calma chefe...só faltam quatro dias. - falou Roberts.

- Esse é o problema,até lá já dei um tiro na minha cabeça. - sorri sarcástico.

- É...sem a Harley para te manter desconectado por instantes,será difícil mesmo.

- Aquela vadia irá se arrepender...mas terei que esperar para começar seu castigo. Agora o foca é todo para a anjinha do Dallas. - falei, pensando em como vou me divertir com ela.

- Essa garota é a cara da Evangelina...acho que por isso você está tão inquieto...tenho que adimitir,a garota é gostosinha... - Roberts falou,e quando ouvi a última parti da sua frase meu sangue ferveu,me fazendo rosnei enquanto apertava o volante e o acerelador para não bater nesse otário.

- Vê se cala a tua boca! - gritei irritado. Ele me olhou.

- Sabia que gostava da garota! -exclamou,logo começou a rir também.

- Quer levar um tiro agora,ou depois,seu merda? - perguntei sarcástico,sacando a minha arma outra vez apontadata para Roberts. Olhava para o mesmo e às vezes voltava meu olhar para a estrada.

- Qual é Joker,só estava brincado. - indaga,com o semblante sério e preocupado. Gargalhei com seu nervosismo evidente.

- Eu não vou te matar, idiota...infelizmente preciso de você...- guardei minha arma dizendo sério.

- Ah tá...- o homem suspirou pesado.

- Mas você tem razão,a garota é gostosa... até mais que a mãe. - rimos com minha sinceridade maliciosa.

Mas Roberts tinha razão, essa garota me faz senti sensações químicas,igual como senti assim que cai pela primeira vez naquele tanque de ácido como ela caiu.




Notas Finais


😸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...