1. Spirit Fanfics >
  2. The Park Chanyeol Case >
  3. Uma voz conhecida

História The Park Chanyeol Case - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - Uma voz conhecida


Fanfic / Fanfiction The Park Chanyeol Case - Capítulo 14 - Uma voz conhecida

"[S/n]- Você está correndo um risco enorme desde que vestiu esse terno, Im Jaebum. Mas não se faça de vítima! Foi o senhor que começou..."

[...]

29 de novembro de 2019.

Delegacia de Yongsan

7:50

[Bang Chan]- S/n sunbaenim...

[S/n]- Não precisa colocar sunbaenim depois do meu nome, Chan- disse sem encará-lo nos olhos. Tamborilava uma caneta na mesa, inquieta.

[Bang Chan]- Certo, S/n. Já me contou que a noite passada não foi muito decisiva, mas ver você ansiosa desse jeito está me atormentando também!

[S/n]- Seo Hani não chega...

[Bang Chan]- Ela disse que chegaria às oito hoje. Já deve estar a caminho.

[S/n]- Eu pensei em algo vindo para cá. Não consigo te dizer agora porque parece... surreal. Mas conto se for confirmado, está bem?

[Bang Chan]- Tá... 

Seo Hani entrou sem bater na porta, deu bom dia e se sentou.

S/n foi tomada por certeza.

A voz feminina que ouvira na noite anterior enquanto procurava por Byun Baekhyun não pertencia à uma atriz ou cantora. O perfume que havia impregnado em suas narinas agora pairava no ar novamente e preenchia a sala, inconfundível. Seo Hani comparecera no evento.

"Não há possibilidade dela ter estado lá como promotora. Seu convite era VIP, tinha um quarto só para si..." lembrou-se do que ela havia falado dentro do banheiro em uma ligação. "...serei como uma sombra... não vão descobrir nossa relação tão cedo..."

Era isso. A promotora mantinha uma relação com algum dos suspeitos. O único que não estava na reta era Byun Baekhyun.

[S/n]- Eu não tomei café da manhã hoje. Vou pegar algumas coisas na cafeteria, vocês querem?

[Seo Hani]- Não, obrigada.

[Bang Chan]- Eu também não, obrigado.

[S/n]- Volto em alguns minutos.

A detetive saiu da sala e foi para a cafeteria do outro lado da rua. Ligou para o promotor Jung.

[S/n]- Atende, Jaehyun! Atende!- implorava enquanto esperava o café, que na verdade havia sido um pretexto para tomar um ar.

[Ligação On]

[Prom. Jung]- Alô? S/n? Como foi ontem à noite?

- Jaehyun... talvez eu esteja ferrada agora.

[Prom. Jung]- Estou ouvindo.

- Seo Hani está envolvida com o caso. Ela estava ontem no hotel... e tem um relacionamento com algum dos suspeitos. A pior parte é que ela provavelmente está ciente de que eu estava lá.

[Prom. Jung]- Você tem certeza, absoluta?

- Sim. Eu não cometeria um erro nessa situação.

[Prom. Jung]- Isso é sério... o que pretende fazer?

- Preciso saber quem está ao lado dela, mas não sei como seguir ainda. Se devo encerrar a investigação por falta de provas ou mantê-la estagnada.

[Prom. Jung]- Eu a deixaria em segundo plano. Desmancharia a equipe, voltaria a pegar novos casos e passaria a investigar sem ela.

- É. Farei isso. Quero mandá-la para longe da delegacia o quanto antes, mesmo sabendo que ela é o caminho para pegar o culpado real.

[Prom. Jung]- Eu estou com você. Posso investigá-la quando ela vier para a promotoria... quem sabe grampear o celular dela?

- Provavelmente será preciso. Mas não podemos ficar assim, conversando por ligação. Eu tenho uma ideia, topa participar de uma equipe extra-oficial?

[Prom. Jung]- Não precisa nem perguntar. Eu só preciso de detalhes para tentar me adaptar ao horário.

- Eu quero liberar a cena do crime, mas mantê-la sob supervisão. Gostaria que lá se tornasse nossa base.

[Prom. Jung]- É inteligente.

- Tenho que fazer isso agora. Vou voltar pra lá e aviso quando tiver resolvido. Obrigada por me ouvir, promotor Jung.

[Ligação Off]

Ela voltou com seu café para a sala da investigação e se sentou.

[Seo Hani]- E então, S/n? Já temos informações sobre o evento de ontem?

[S/n]- O jornalista não analisou nenhum comportamento suspeito.

[Seo Hani]- Droga... talvez se olharmos as fotos do evento captamos algo?

"Não, não, não. Tiraram uma foto minha com JB ontem", lembrou.

[S/n]- Vai ser um esforço desnecessário.

[Bang Chan]- Ah, pediram pra avisar que o velório de Chanyeol será hoje a tarde.

[Seo Hani]- Pensei que o corpo já tivesse sido liberado há mais tempo...

[S/n]- Essas coisas demoram.- sem querer, deu uma cotovelada no copo de café que havia comprado. O líquido caiu no chão, respingando em seu braço.

[S/n]- Aish!

Christopher rapidamente veio para o lado dela com papéis. Arregaçou as mangas, revelando as veias pulsantes dos antebraços.

[Bang Chan]- Deixa que eu limpo. Te queimou?

[S/n]- Foram só alguns respingos... pode deixar comigo- ela tirou delicadamente os papéis da mão dele e se ajoelhou para limpar o piso- obrigada, Chan.

Ele sorriu e se levantou.

[Bang Chan]- Não chegou até você, não é, promotora Seo?

[Seo Hani]- Estou longe o suficiente- sorriu de forma cínica.

Enquanto secava o café derramado embaixo da mesa, S/n viu o salto stiletto nude nos pés da promotora. Os mesmos que vira ao pé da cama ontem. Respirou fundo e se pôs de pé.

[S/n]- Perante a falta de provas que nós temos, a melhor opção agora é dissolver a equipe. Amanhã completaria uma semana de investigação, mas não há motivos para que isso aconteça. Nós temos cinco suspeitos, poucas inconsistências no que dizem e nada de provas. O que aconteceu nas câmeras de segurança não indica nenhum culpado, então quero comunicar ao delegado que esse caso não está mais em primeiro plano. Irá para a pilha de casos não solucionados ou será dado como encerrado. Há muitas outras coisas para resolver, prioritárias.

Christopher Bang a olhou com descrença, mas não ousou falar. Havia algo no comportamento da detetive que o deixava seguro de que ela não estava desistindo do caso.

[Prom. Seo]- Isso parece ser o mais prudente a se fazer no momento... embora eu não quisesse deixar um assassino solto... mas seria perda de tempo passarmos dias e dias sentados aqui preenchendo relatórios que não levam a lugar algum.

[S/n]- E você Christopher, concorda?

[Bang Chan]- Claro. Ficar no ócio não vai resolver.

[S/n]- Sendo assim, vou agora mesmo falar com o delegado, levar os relatórios inconclusivos para que ele providencie a justificativa para sua volta para a promotoria, senhorita Seo-ela assentiu.

[...]

[Seo Hani]- As coisas foram rápidas. Bom... Não há mais nada para fazer nessa delegacia, devo voltar para a promotoria agora.

[S/n]- Obrigada pela ajuda, promotora Seo.

[Seo Hani]- Eu é que agradeço. Se houver novas informações, podem entrar em contato.

[Bang Chan]- Faremos isso.

Seo Hani pegou suas coisas e partiu, quase de forma esnobe. Bang Chan e S/n também arrumavam suas coisas, em silêncio.

[Bang Chan]- Me encontra na porta do laboratório.- se retirou.

[...]

S/n chegou ao corredor do laboratório, tomado pela escuridão. As luzes de emergência no teto davam um tom verde ao local, quase como um necrotério que fica ainda mais mórbido de noite. Chan estava encostado nos armários de mochilas.

[S/n]- Por que está tudo escuro? Estão mexendo com fluorescência lá dentro?

[Bang Chan]- Sim... mas então... isso quer dizer algo?- perguntou, em menção ao fim da investigação.

[S/n]- Sim. Minhas hipóteses se confirmaram. Seo Hani estava ontem no evento. Eu ouvi uma conversa dela com alguém no telefone. Ela tem um relacionamento com algum dos suspeitos. Lay, Chen ou Suho.

[Bang Chan]- E o Baekhyun?

[S/n]- Ele não namora. Os demais mantêm a relação em sigilo. A questão é que vamos continuar com o caso. Jaehyun está disposto a ajudar da promotoria.

[Bang Chan]- E o delegado?

[S/n]- Sabe de tudo, mas quer que cumpramos pelo menos meio expediente aqui na delegacia, trabalhando em outros casos. Ele tem sido realmente compreensivo e me dado muita confiança, então depois disso estamos liberados para irmos até a base, a casa de Park Chanyeol. Precisa ser lá, já que agora formamos uma equipe extra-oficial.

[Bang Chan]- Okay... e quanto a ela? Sabe que você esteve lá?

[S/n]- Pode ter certeza! Eu fiz a proeza de cumprimentar todos os integrantes do projeto, todos sabiam que eu estava lá, mesmo que não como detetive. Grande ideia, não acha? A única coisa que espero é que Seo Hani tenha acreditado que eu não a vi por lá. Tudo depende disso. Do contrário, ela já deve ter sacado meu plano e está redobrando as atenções.

[Bang Chan]- Não vamos pensar dessa forma...

[S/n]- Às vezes eu admiro seu otimismo, Chan.

[Bang Chan]- Digamos que seja automático quando... há essas situações- Não era possível distinguir direito suas expressões devido ao escuro, mas ele sabia o que estava sentindo.

[Bang Chan]- Tá. E quando a gente começa?- perguntou, voltando ao foco.

[S/n]- Amanhã.

[Bang Chan]- Ótimo... é... eu tenho que terminar uma análise agora, preciso entrar...

[S/n]- Claro. Eu vou voltar para a divisão. Até mais, Christopher.

[...]

21:30

[Jaebum]- Então quer dizer que no final das contas, você conseguiu descobrir algo ontem?

[S/n]- Sim. Mudamos de estratégia... e de equipe.

[Jaebum]- De equipe?

[S/n]- Não posso te falar dos detalhes, mas a nova equipe é formada por mim, Bang Chan e o promotor Jung Jaehyun.

[Jaebum]- Aah... legal, esse cara de novo. Ele não era suspeito?

[S/n]- Era. Não é mais.- ele arqueou a sobrancelha e franziu os lábios, concordando com a cabeça.

[Jaebum]- E o Bang Chan? É detetive também? Nunca o vi...

[S/n]- E provavelmente não verá. Ele é perito, cuida do laboratório da divisão e no geral não tem muito contato direto com os crimes, mesmo que ele goste muito... mas por que o interesse?- ela sorriu.

[Jaebum]- Por nada. Ele também sabe o que você gosta de beber? Igual ao promotor?

[S/n]- De novo essa história, Im Jaebum?- riu- eu nunca te vi tão ciumento assim...- ele suspirou e olhou para os pés.

[Jaebum]- Desculpa, tá? Eu realmente quero confiar nos seus parceiros como você confia... aliás, eu sei que não tenho nada a ver com isso, mas estou preocupado com uma coisa desde hoje de manhã que me deixou fora do eixo.

[S/n]- E o que é?

[Jaebum]- Lembra que quando a gente chegou arrancando as roupas ontem à noite e meu celular tocou e nós não nos importamos?

[S/n]- Lembro, fomos pro quarto terminar o que havíamos começado no carro- ela pensou com euforia na noite de amor que tivera, mas a voz alarmada de JB agora a deixava preocupada.

[Jaebum]- Pois então. Fui ver hoje cedo a ligação. Era minha mãe. Eu retornei pra ela e...

[S/n]- Fala logo, sem rodeios, JB!

[Jaebum]- Moon Jisung fugiu da cadeia.

S/n sentiu o corpo liberar adrenalina suficiente para suas pernas ficarem bambas, suas mãos tremerem e ela querer correr pra longe.

[S/n]- Como assim... fugiu?

[Jaebum]- Minha mãe manteve contato com a família dele depois que ele foi preso. Ele fugiu ontem e ninguém sabe o paradeiro ainda...

O terror que raramente a tomava viera como uma surra. "Não podemos estar em perigo de novo."



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...