1. Spirit Fanfics >
  2. The Party >
  3. A Festa

História The Party - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiiiie, essa é minha primeira fanfic, ou melhor, one shot, que eu escrevo, espero não ter erros e é isso. BYE•♡•
Se puderem deixar um comentário falando o que acharam, eu agradeceria ♡

Capítulo 1 - A Festa


E nesse momento estou eu Park Jimin, num carro com meus amigos Min Yoongi e Kim Taehyung prestes a chegar em uma festa que eles me obrigaram - lê-se ameaçaram - a vir, e aqui estou eu.

     -Eu tinha que estar aqui mesmo? Acho que eu posso me contentar com uma pipoca e netflix na minha casa, sabe. - eu disse meio desanimado

     Não me entenda mal, não sou nenhum nerd ou coisa do tipo que só fica em casa estudando ou fazendo algo que não é relevante no momento, nem nada, mas eu realmente não estou com vontade de ir à uma festa, porém o que eu nao faço por meus bebês não é mesmo?

     Mentira galera, polícia eles me ameaçaram aqui viu, de bebê só tem a cara...ou talvez não.

     Mas voltando, eu espero que apareça um Deus Grego na minha frente me chamando pra dançar porque cara, eu não vim aqui pra não beijar nenhuma boca viu.

     -Sim, você tinha que estar aqui, prometo que vai ser mais divertido do que sua noite de pipoca e netflix - O Tae disse olhando pra mim com aquele sorriso que mata qualquer um né mores.

     Enfim, a gente chegou na festa e o que não faltava eram pessoas loucas pra terem uma noite incrível, e eu não estou falando da festa.


     Nós fomos direto pedir uma bebida porque sem bebida, sem divertimento, certo? Errado, crianças não bebam!
    
     Entretanto eu sou do tipo de pessoa que não segue os próprios avisos e conselhos, portanto aqui estou eu, no balcão pra pedir nossa solução dos problemas, vulgo bebida.


     -Eu quero a sua melhor bebida... - eu disse olhando pro barman esperando que ele falasse seu nome.
    
     -Jungkook.


     -Obrigado jungkook - disse após ele me entregar o copo com o líquido meio rosado.


     Eu fiquei sentado nesse banquinho durante um certo tempo, esperando a bebida fazer algum efeito pra eu poder sair rebolando por aí em busca de uma boca.


     Por incrível que pareça, eu olhei pros lados esperando achar algum dos meus amigos pra eu poder ir dançar com ele, ou até mesmo conversar porém o que eu encontro são pessoas e mais pessoas se jogando uma nas outras, umas se beijando, outras conversando e enfim, já estava acabando a bebida e daqui a pouco eu poderei estar no lugar delas, beijando todo mundo que eu ver pela frente, quer dizer, vai que eu encontro o amor da minha vida aqui, não posso perder a oportunidade né.


     Tomo o último gole e deixo o copo vaziu no balcão e vou pra pista, estava tocando Party all the time do Black eyed peas e no meio de muitas pessoas comecei a mexer meu corpo no ritmo da batida, deixei meu corpo seguir a música, as vezes esbarrando em uns homens e algumas mulheres mas nada que um "ai, perdão" não resolva.


     Virei pra trás quando senti duas mãos segurarem na minha cintura, e vi um cara um pouco mais alto que eu, que na verdade a maioria são mais altos que eu, eu que lute. Ele tinha um rosto tão bonito e suas covinhas me fizeram sorrir no mesmo instante que ele o fez.


     -Você dança bem - diz ele com um sorriso sedutor.


     -Obrigada, eu acho. Posso saber seu nome, homem da covinha?


     - Eu sou o Kim Namjoon, prazer. E o seu é?


     -Park Jimin ou talvez amor da sua vida - quis descontrair um pouco e fazer ele mostrar aquelas covinhas pelo qual eu gostei tanto.


     -Gostei de você, Jimin. - Ele diz, e nossos corpos ainda grudados e dançando um de frente pro outro enquanto minhas mãos estão no seu ombro e as dele continuam na minha cintura, ficamos mexendo de um lado pro outro, até ele resolver descer um pouco mais suas mãos e olhar fixamente pra mim, pela minha experiência - O que não é muita- eu diria que ele quer me beijar, e aproveitando que a gente está nesse clima meio...sei lá, eu resolvi tomar atitude e colei nossos lábios.


     A gente ficou assim por alguns segundos até que nossas bocas se abriram no mesmo tempo, e,  consequentemente nossas línguas se encontram, inclinei a cabeça levemente para o lado e demos o início a um beijo não muito lento mas também não muito eufórico.


     A música tocava, e várias pessoas a nossa volta pareciam nem sequer nos notar ali. Uma das minhas mãos foi em direção a sua nuca fazendo um leve carinho ali, aproveitando esse ósculo que eu achei que poderia ser melhor.


     Ao nos separarmos, ele me encarou e deu um leve sorriso sem mostrar os dentes, e novamente aquelas covinhas apareceram e por um momento achei me apaixonar por elas.


     E foi ao me perder nelas que eu percebi que o tal Namjoon, não estava com sua atenção em mim, e sim em algo - ou alguém - atrás de mim. Eu senti ele ficar meio tenso e se afastar um pouco.


     - Eu...preciso ir em um lugar falar com uma pessoa...me desculpe. - e assim ele saiu me deixando parado tentando entender ainda o que aconteceu.


     Ok...deve ser algum ex ou algo assim, esse foi só o primeiro Jimin, relaxa.


     Dei uma olhada em volta a fim de achar o moço das covinhas mas não achei, entretanto, ao olhar para o bar, encontrei o Yoongi com uma garrafa de vidro, provavelmente cerveja, olhando ao redor, decidi ir até lá contar meu incrível fracasso. Eu tô exagerando? Talvez, eu nem conheço o cara mas eu gostaria de bater um papo com ele, talvez ele poderia se tornar meu namor....tá! Chega eu tô criando expectativa demais, eu não sou assim...


     Talvez eu seja, porém depende.


     Sentei do lado dele e pedi um copo com sex on the beach


     - E aí cara, pegou alguém por aí? Eu tentei te procurar ou procurar o Tae mas não achei vocês. - Perguntei e esperei ele me responder.


     - Ah então, eu e o Tae fomos lá pra fora, tava rolando body shot e tals, mas não peguei ninguém não, sou fiel ao meu crush que nem sabe que é meu crush, sacou?


     Pois é gente, Yoongi meio que gosta do Tae mas fica com frescura e não fala pra ele, porque ele acha que vai ser rejeitado porém eu tenho minhas dúvidas, tenho quase certeza que o Tae quer pegar o Yoon, maasss isso não é problema meu, já tenho demais da conta.


     - Eu já disse Yoon, como você vai ficar com ele se você não chega e fala o que quer?


     - Não vamos falar disso. Jungsoo me dá mais uma cerveja, por favor.


     - É jungkook e...aqui está.


     Eu nem tinha percebido que ele estava bem atrás da gente, e agora que eu prestei atenção...gente, tô chocado, olha que pecado de ser humano, quero um pra mim.


     Estava com meu copo na mão, as vezes tomando um gole, e dando umas olhadelas pra ele disfarçadamente
     - Sabe Jimin, eu vou falar com ele agora mesmo! Se não der certo a culpa é sua, viu. - Yoon disse já se levantando e provavelmente indo falar com o Tae.


     - Eu posso te fazer companhia...sabe, não é fácil a rejeição e nem ser conselheiro de amigo - Jungkook diz atrás do balcão.


     Eu percebo que ele fala em um tom brincalhão mas não é isso que me chama atenção, é no fato que ele sabe...


     - Espera, você estava me observando? E saiba que eu não fui rejeitado, ele só provavelmente encontrou alguém que ele queira mais do que eu. E sobre o conselheiro, concordo, não é fácil. - disse num tom meio cansado mas não estava nem um pouco bravo ou algo do tipo, na verdade eu fiquei mais interessado ainda, porque vamos combinar que não é todo dia que temos um cara gostoso te observando.


     - Ah sabe com é né, se ele não te quis tem quem queira - ok, não sei como eu estou vivo ainda. - Meu horário aqui já está acabando, não faz mal eu sair um pouco antes, o que acha? Quer dançar?


     Não tinha percebido que eu estava que nem um idiota apaixonado, olhando fixamente pra ele com um sorrisinho no rosto e as sobrancelhas erguidas com uma cara de tipo, isso é sério? Até que eu saio do meu transe e resolvo falar alguma coisa pra não parecer que eu sou louco.


     - ahn? Ah sim, claro, vamos dançar.


     Nós fomos até a pista que estava tocando The hills do The Weeknd se eu não me engano, e como estava um clima mais sensual devido à música, começamos a nos mover devagar, com ele atrás de mim segurando meu quadril, me guiando a qualquer movimento que eu fizesse, ele veio mais perto, colocando seu peito nas minhas costas.


     Eu não sei o motivo pelo qual eu parecia me entregar cada vez mais, eu já não me importava com as pessoas esbarrando na gente, eu queria mais, queria saber o gosto da sua boca, e ele parecia saber muito bem o que eu desejava pois colocou sua cabeça na curva de meu pescoço, passando seu nariz de baixo pra cima, deixando um simples beijo em meu maxilar.


     Ele me virou e automaticamente passei meus braços sobre seu pescoço e fui em direção à sua boca, num beijo profundo e transbordando desejo, onde nossas línguas se encontravam e nossas cabeças se inclinavam a fim de nossas bocas se encaixarem de um jeito inexplicável. Sua mão passava desenhando em minhas costas e ia descendo cada vez mais e eu já estava ficando louco.


     O beijo foi interrompido, o ar se fez necessário, enquanto nos recuperávamos, ele foi depositando beijos no canto da minha boca enquanto eu passava minhas mãos sobre suas costas e cintura.


     - Minha casa ou na sua? - Perguntei, já não queria esperar mais pra ter ele na cama, enquanto eu sinto o mais incrível prazer que alguém pode ter.


     - A minha é aqui do lado, dá pra irmos a pé - não esperei mais que isso e puxei sua mão pra sairmos daquele lugar que não me importava mais.


     Ok, eu posso estar agindo por impulso e na verdade ele pode ser um sequestrador? Sim, porém eu não estou com tanta cabeça pra pensar sobre isso, então eu quero acreditar que ele seja um anjo que vai me mostrar o céu e me deixar ver estrelinhas.


     Como se ele lê-se meus pensamentos ele acabou por dizer:
     - Não se preocupe, eu estou aqui pelo mesmo motivo que você, atrás de uma noite de sexo, não ache que eu vou te fazer algum mal. - me deu um alívio ouvir isso apesar de que ele possa estar mentindo porém o desejo fala mais alto e continuamos seguindo a estrada.


     Prefiro não falar nada e de repente ele vira à direita, onde era provável ser sua casa. No momento que ele destranca a porta ele me prende na parede logo ao lado. Já que o clima tinha esfriado, começamos com um beijo lento com minhas mãos em seu rosto alternando entre suas bochechas e pescoço, enquanto ele colocava suas mãos na parte de trás da minha coxa, indicando que era pra eu subir em seu colo, e assim o fiz, enlacei minhas pernas ao seu redor enquanto aquele ósculo ia ficando cada vez mais quente, mais afoito, despertando os mais deliciosos desejos.


     Nossas bocas se separaram apenas para nossos olhos se encontrarem, eu cheguei mais perto de sua boca e mordisquei seu lábio inferior ainda com os olhares conectados cheio de desejo.


     Aquilo foi o ápice pra ele poder me levar ao seu quarto, onde me deitou na cama e ficou por cima de mim. O prazer pareceu se intensificar quando eu umideci meus lábios como um convite para que me beijasse novamente, e asism foi feito. Ele passava a mão por debaixo da camisa que eu usava, ousando tocar em cada parte de meu corpo. Minhas mãos estavam em suas costas, porém aquelas roupas estavam me irritando e atrapalhando, então, peguei na barra de sua camisa e puxei pra cima e pude ver o que ele escondia atrás daquela peça.


     - Uau...Por que eu não te encontrei antes? - Eu disse admirando seu tronco enquanto deslizava meus dedos pelos gominhos definidos.


     Como resposta ele me deu um sorriso sedutor e me puxou pra sentar em seu colo.


     Ele tirou minha camisa e segurou minha cintura, resolvi provocar dando reboladas em seu colo, trazendo uma mistura de sensações que eram tão incríveis e boas.
     Das nossas bocas saíam arfares, prendi meu lábio inferior, segurando alguns sons que insistiam sair como prova do quão bom aquilo era.


     E como se fosse um imã, voltamos a colar nossas bocas em um beijo intenso que emanava desejo e luxúria, nossas línguas se entrelaçavam com urgência, quentes, molhadas, e isso era pouco pra saciar os nossos desejos.


     Mais! Era o que minha mente gritava, eu queria ter aquele prazer imenso. Era o que eu mais queria.


     Nos separamos e fui descendo com beijos por seu peito, dando leves mordiscadas por onde passava enquanto ele segurava meu cabelo fracamente. Desabotoei sua calça e fui abaixando, dando visão à sua boxer com um volume aparente. E meus amigos, que visão!


     Por cima daquela última roupa, eu lambi sua extensão, e pressionei meu dedo contra a ponta de seu pau.
     Ele soltou um gemido arrastado, e pelo que pude ouvir ele estava gostando tanto quanto eu.


     Retirei totalmente aquela última peça e me levantei um pouco pra poder tirar minha calça. Ao terminar, voltei aonde estava e percebi ele estar se masturbando olhando diretamente pra mim, substituí sua mão pela minha, subindo e descendo num ritmo mediano e fui descendo minha cabeça, nossos olhares ainda conectados, era difícil desviar meu olhar do dele, foi quando quando chupei a ponta rosada e ele estremeceu, desci os movimento por todo comprimento, abrigando boa parte dele e o que eu não conseguia, minha mão fazia o trabalho.


     Ele puxava meu cabelo como uma forma de descontar seu prazer, suas pernas se dobravam e seus pés firmavam contra a cama.


     Eu descia lentamente e voltava, ora sugando sua glande ora bombeando com a minha mão.
     Ele aproveitava cada segundo, deixando sair sons tão agradáveis de sua boca, me fazendo ter certeza de que eu estou fazendo certo e bom.


     Ele me puxou pra cima e inverteu nossa posição, ficando por cima novamente, simulou uma estocada e eu pude quase ver estrelinhas, engoliu meu gemido com um beijo fervoso, onde nós não tínhamos noção se estávamos fazendo certo. Sua mão segurou uma de minhas pernas e colocou em seu ombro, terminamos aquele ósculo com um selinho e ele começou a distribuir beijinhos no meu tornozelo, subindo pela minha canela e chegando na minha coxa onde sua mão desceu e apertou minha bunda com força. Seus toques queimavam sobre minha pele.


     Foi tirando lentamente minha boxer, até estar no chão e me virou pra ficar de bruços, colocando dois travesseiros embaixo de mim pra deixar meu quadril um pouco mais alto.


     Ele dava ora beijos ora mordidas da minha nuca até o final das minhas costas. As pontas de seus dedos passearam no meu pescoço, fazendo desenhos em minhas costas, passando levemente sua unha, me fazendo ter uma sensação estranhamente boa.


     Senti um beijo sendo deixado no lado esquerdo de minha nádega, enquanto usava suas mãos para separá-las, e que logo senti sua língua tão molhada ir de encontro com um lugar tão vergonhoso mas que ao mesmo tempo se torna tão explícito e incrivelmente bom. Ele fazia aquilo com tanta maestria, que eu só podia revirar os olhos de prazer e soltar gemidos arrastados, e tudo piorou (ou melhorou) quando ao mesmo começou a me masturbar em um ritmo lento, e eu estava implorando dentro de mim mesmo para que aquela sensação demorasse a acabar, que eu aproveitasse ao máximo aqueles atos tão pecaminosos mas que eram tão deliciosos.


     - Anjo...Eu não estou aguentando mais, preciso entrar em você... - eu acho que entendi o que ele quis dizer, talvez ele não quisesse esperar pra me preparar.


     Pode ser um pouco mais doloroso? Sim, porém eu estou na mesma situação e se demorar mais um pouco talvez eu não aguente muito até chegar o meu ápice.
   
     Ele se inclinou sobre mim, colando seu peito em minhas costas e se apoiando sobre seus braços na cama. Ele distribuía beijos em meu pescoço enquanto entrava cada vez mais dentro de mim, deslizava sua mão em minhas costas a fim de me distrair da dor que sentia. Quando entrou por completo, ficou ali por uns segundos pra eu poder me acostumar com a invasão.


     Ele parecia estar se controlando ao colocar sua mão em minha cintura e dar alguns apertos enquanto mordia meu ombro.
     Eu impulsionei meu corpo pra cima como se estivesse dizendo pra continuar, e sem querer com aquele impulso, ele conseguiu acertar em um lugar que eu só soube apertar minhas mãos no lençol e gemer, jungkook começou com um vai-e-vem lento demais, eu queria o melhor dele.


     - Jung..kook, vai..mais rápido - Eu disse em meio aos gemidos que saiam de ambas as bocas. Ele acatou meu pedido e foi acelerando aos poucos, dando lugar a estocadas fortes e rápidas e meu corpo sendo impulsionado pra frente enquanto nós nos perdíamos em meio aos gemidos e arfares.


     Eu quis continuar isso olhando em seus olhos, podendo ver o que estou causando nele, ver o quão necessitado ele parece estar, portanto, me virei e coloquei minhas pernas em sua volta e como se precisasse demais daquilo, entrou em mim de uma forma nada carinhosa o que me fez soltar um grito, o chamando pelo nome, pra deixá-lo ciente do causa em mim. E com ele não foi diferente, seus gemidos eram roucos e um pouco arrastados, eles me enlouqueciam.


     Eu o olhei e para minha surpresa ele já estava olhando pra mim, e como se fosse automático, angatamos em um beijo meio sem jeito mas que esbanjava excitação, lhe dando e recebendo o ponto alto de nosso prazer.


     Colamos nossas testas, minha mão arranhando suas costas enquanto um som alto saía de minha boca, e ele apertando cada vez mais ora minhas coxas ora minha bunda, e foi nesse momento que ao sentir espasmos por meu corpo, chegamos juntos, gozamos juntos, com um som de alivio saindo pela minha boca, ele se deita do meu lado, passando suas mãos pela minha cintura, me trazendo para mais perto.


     Não ligava se estávamos sujos, só sei que eu estava cansado e ele provavelmente estava também. Com nossos olhos quase se fechando e dando lugar sono, eu disse:


     -É...Eu acho que encontrei o amor da minha vida.


    ◇ Flashback off ◇


     ...E foi assim que eu conheci o meu, hoje, marido, Jeon Jungkook.


     - Amor, a comida já está pronta - Ele diz chegando perto de mim e deixando um beijo em minha cabeça. - De novo lendo nossa fanfic, anjo?


     Eu viro a cabeça em sua direção e o vejo com um sorriso, que faz com que o meu apareça também.


     - Nunca vou cansar da nossa história, meu amor.


•♡•♡•  





    



Notas Finais


●♡●


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...