História The Path We Have Chosen: The Paradise Edition - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias As Provações de Apolo (The Trials of Apollo), Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Nico di Angelo, Will Solace
Tags Heróis Do Olimpo, Nico, Olimpo, Percy, Roamnce, Solangelo, will, Willco, Yaoi
Visualizações 69
Palavras 1.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Lemon, LGBT, Luta, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Noite, gatinho e gatinhas!!!! Como de costume a sua fada madrinha das fanfics chegou para adoçar a suas noites de domingo com mais um capítulo de TPWHC. Espero que estejam ansiosos para o que está por vim... ah sim. Vocês devem estar se perguntando por que este capítulo não tem capa... Bom, eu percebi agora que não tinha salvo a capa deste capítulo e o meu celular, aonde armazeno todos os meus segredinhos ehehuheuheuh está descarregado, mas prometo postar a capa assim que estiver disponível.

Bom agora vamos para a parte interessante. \o/ Meus beijos, abraços, agradecimentos e tudo o que há de bom para geofilhadeatena, DandaraDiAngelo, Leandrinha_, Tessa88 e 50TonsDeEuzinha. Um beijão para vocês meus bbs, amo receber os comentários de vocês e espero vê-las sempre.

Agora sem mais delongas........ Aproveitem mais uma aventura de Nico e Will, um beijão e até a próxima o/

Capítulo 17 - Crise no Acampamento Meio-Sangue


Fanfic / Fanfiction The Path We Have Chosen: The Paradise Edition - Capítulo 17 - Crise no Acampamento Meio-Sangue

 Após o Captura à Bandeira os campistas começaram a desaparecer. Todos tentaram de tudo para localizar os desaparecidos, mas independente dos esforços sempre era em vão, na melhor das hipóteses alguns ainda retornavam. Quíron e Argos faziam diversas buscas com o mesmo resultado. O medo se instalara no Acampamento Meio-Sangue.

A única coisa em consenso era que ninguém poderia andar sozinho e sim acompanhado por um colega ou irmão de chalé, e para casos de ataque todos tinham um apito para soar quando fosse necessário.

O filho de Hades não estava muito preocupado com isso, sempre se virou sozinho e saberia caso acontecesse algo, mas temia pelo Will. Agora com algo nascendo entre os dois o moreno não tirava o namorado da cabeça. E não só porque estava apaixonado, mas também pelo medo de que algo acontecesse, por isso sempre arrumava um jeito de ver como o garoto estava sem chamar muita atenção, desde o primeiro beijo deixara claro que não queria que os outros soubesse, Nico precisava de um tempo para se acostumar com a ideia.

A noite caíra, Nico passou o dia cheio de tarefas, organizou o Estabulo e eu comida aos pegasus, depois limpou o Lago de canoagem e finalizou o dia revisando o estoque de suprimentos da Casa Grande, ou seja, o garoto estava moído, sujo e morto de cansaço. Todos estavam cheios de atividades devido aos desaparecimentos, o que causou a redução significativa dos campistas.

Após um bom banho o moreno se jogou na cama e pegou o sanduiche que trouxera do Refeitório. Alguém batera na sua janela, o que chamou a atenção do semideus.

— Oi, Nico! — Will disse quando Nico abriu a janela.

— Will? O que você está fazendo aqui? Olha a hora.

— Eu sei, mas é que com esses desaparecimentos é perigoso ficar sozinho. E como você é o único filho de Hades, pensei em te fazer companhia.

— Muito fofo. Mas eu sei me cuidar, vai para o seu chalé. — Mas antes que o moreno pensasse em fechar a janela, o loiro já estava com metade do corpo para dentro.

— Will!

— Querido, é para o seu próprio... — Will deu um impulso se jogando para dentro e caindo com tudo no chão. Num surto de preocupação, Nico correu para ajudá-lo a se levantar. — Valeu, eu tô bem.

— Mas você é o conselheiro-chefe do seu chalé, acho que isso é contra as regras.

— Vantagens de Ser o Conselheiro-chefe! Vantagem número um: Eu posso convencer os outros campistas a fazer o que eu quero.

Nico se impressionou com tamanha presunção.

— Você não presta. — E dizendo isso deu as costas.

Por fora Nico não demostrava o quanto estava feliz por ter o namorado ali. Os dois passaram algumas horas rindo de piadas e histórias engraçadas enquanto assistiam a pequena TV que o loiro havia comprado na semana anterior, não demorou muito para caírem no sono profundo.

...

— ...Então foi assim que conseguimos arrancar aquele ciclope do bosque. — Will contava para Nico enquanto organizava os materiais da Enfermaria.

— Nossa, isso é uma história e tanto.

— Né? Foi uma loucura.

O dia passara bem rápido, mas desde que começara uma sensação perturbava o filho de Hades, como se algo ruim fosse acontecer ou já estivesse acontecendo nesse exato momento. Obvio que ele se manteve alerta, andava com a sua espada para todos os lugares. Will parecia tenso e preocupado, porém era ótimo em disfarçar. Como nada acontecera, a única coisa era se convencer de que era só uma sensação. Até aquele momento.

— Will! Will! — Um garoto rompeu para dentro, exausto pela corrida.

— O que foi? Meus deuses! Aconteceu algo?!?! — Will correu para atender o campista.

—Sim... Achamos um garoto... Ele diz ser Apolo — Demorou um tempo até ele recuperar o folego. — Mas ele parece ter sido atacado e agora está desacordado.

Will congelou só pela menção do nome. Nico sabia que ser pai de Apolo não deveria ser tão fácil, ainda mais que o deus grego estava desaparecido desde a guerra contra Gaia.

— Aonde ele está? — O loiro disse voltando para realidade.

— Estão trazendo para cá.

— Não, não. Temos que levar ele para o chalé... dele. Me leve até lá.

Assim os três correram em direção a saída do Acampamento. Nico não sabia o que esperar, o grande deus Apolo, fora atacado e está inconsciente, só podia esperar uma luta divina e um oponente realmente perigoso. O que poderia significar que o Acampamento estaria correndo um grande perigo e por isso os campistas estão desaparecendo.

Quando se aproximaram do grupo que vinha correndo, viu que nem sequer se aproximava do que imaginava. Alguns campistas carregavam um garoto, mas ele não parecia ser Apolo, nem de longe. E também havia uma garota com eles, pelo estilo excêntrico dela percebeu que não era uma campista.

Will gritou os comandos para levarem o garoto até o seu chalé. E enquanto isso a garota contava a história de como chegara no Acampamento. Ela encontrou o deus em um beco e o salvou de alguns delinquentes, depois foram ver o Percy Jackson, alguns dias antes dos desaparecimentos começarem o semideus tinha voltado para Nova Iorque. Assim os três vieram para o Acampamento e que enquanto atravessaram o bosque, o deus do sol começou a agir de maneira estranha e depois desmaiou quando saíram dele.

Quando chegamos na portado chalé 7, Will dispensou a todos. Somente os filhos de Apolo entrarem já que era o chalé deles.

O filho de Hades se sentiu meio inútil naquele momento, percebendo que de fato não poderia fazer muita coisa. Assim decidiu ir até o Refeitório comer um lanche rápido, no caminho se deparou com Miles, que se aproximou de Nico.

— E ai, Nico! Como você tá cara?

— Oi, Miles. Está tudo bem.

— Você ficou sabendo sobre esse lance do Apolo? Está tudo um alvoroço aqui.

— Sim, sim. Eu levei para o Chalé 7.

— Gente, que loucura. — Miles passou a mão pelos cabelos.

— Hum, pouco. Já vi coisas bem piores. — Nico riu e pegou um sanduiche. — E como foi o seu dia?

O rosto do Miles corou no mesmo instante. Nico achou engraçado e fofo.

—Há... foi bem tranquilo. Consegui montar um pequeno encanamento no Banker 6, ela pega água da Baía, e mais um sistema de filtração a torna potável. Tinha tudo em algumas anotações deixadas por um tal de Leo Valdez, as plantas deles são bem detalhadas, mas faltavam alguma coisa, como se ele não tivesse tempo de terminado.

— Sério? — Só a menção do nome fez Nico se sentir desconfortável, mas não deixou transparecer, não queria começar uma conversa sobre o semideus. — É, aconteceu bastante coisa na guerra contra Gaia. Longa história.

— Hum, entendo. — Miles pegou uma caneca e encheu de café. — Bom, preciso ir já está quase anoitecendo. Até mais, Nico.

Nico se despediu do garoto, pegou um lanche e voltou para o chalé de Apolo. Chagando lá viu os irmãos de Will, Kayla e Austin. Os dois pareciam nervosos com o fato do pai deles estar nesse momento desacordado e mortal. Will saiu logo em seguida para falar com eles.

— Ei, Will. — Nico se aproximou. — E aí? Alguma novidade?

— Parece que de fato ele é Apolo, mas há algo de errado. Tentei curar ele com néctar, mas a poção começou a queimar a pele dele. É uma loucura atrás da outra, ele já está dando sinal de vida. Tem como você me encontrar na Casa Grande daqui alguns minutos?

— Claro, vou no meu chalé tomar um banho e trocar de roupa. Te vejo lá. — O semideus tocou no ombro do outro. Nico não sabia muito sobre relacionamentos e como confortar as pessoas, aquilo foi tudo que pode pensar.

— Obrigado, amor. — Com um beijo rápido na bochecha, Will voltou para o chalé.

Nico ainda ficou travado no lugar, aquele gesto rápido e espontâneo. O toque do loiro ainda queimava a pele, o moreno voltou para o chalé se perguntando se era normal se sentir assim. Por que tudo era tão intenso e excitante com Will. Logo a imagem dos dois dormindo juntos veio à cabeça, a sensação que nada de ruim pudesse atrapalhar aquilo.

Chegando no chalé, tomou um banho rápido e pôs uma roupa básica. E foi para a Casa Grande como prometido.

...

— Eu me lembro de você. — Foi a primeira coisa que o deus do sol dissera quando se viram. — É, Nicholas, filho de Hades?

Nico pode sentir a aura de morte circulando o garoto. Nunca vira algo assim. Será que um deus poderia ficar naquela situação?

— É Nico. Nico di Angelo... Você está completamente mortal. Há uma aura de morte a sua volta, grandes possibilidades de morte.

— Parece uma previsão do tempo. — A garota que veio com o deus riu como se fosse uma piada interna. Meg, era esse o nome dela.

O loiro pôs a mão no ombro do namorado.

— Engraçado, Nico. Muito engraçado. — Will disse constrangido. — Precisamos conversar sobre a interação com as pessoas.

— Por que? Eu só falei o obvio. Se este for Apolo e ele morrer, estamos ferrados.

— Peço desculpas, pelo meu namorado.

— Will! — Nico disse gritando entre os dentes. — A gente combinou...

— Você prefere pessoa especial? Alma gêmea?

— Alma geniosa, no seu caso. Realmente vamos ter aquela conversa.

— Vocês brigam demais. Achei que íamos ver um centauro. — Meg cortou a conversa dos dois.

E no mesmo instante, Quíron saiu para a varanda chamando todos para dentro. Agora parecia bem impressionada com o fato de ele ser um centauro, Nico se lembrou quando veio para o Acampamento pela primeira vez, tudo era inacreditável e mágico. E ainda mais tinha o Percy. O filho de Hades agradeceu por aquela fase já ter passado.

— Will, Nico. — Quíron chamou os garotos. — Vocês podem dizer para os outros que vamos nos reunir no jantar em uma hora? Vou atualizar todo mundo dos últimos acontecimentos. Enquanto isso, vamos mantar o sistema de duplas, não quero ninguém andando sozinho.

— Entendido. — Will se virou para Nico. — Me concederia a honra de me acompanhar?

— Como eu já não fosse, né. — Nico revirou os olhos e abriu um sorriso debochado. — Bobo.

Assim os dois saíram para avisar os outros campistas sobre a reunião que aconteceria. Nico se perguntava o que a chegada de um deus que foi transformado em mortal poderia significar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...