1. Spirit Fanfics >
  2. The Perfect Babysitter. (Ruggarol) >
  3. I Wish You In Every Way...

História The Perfect Babysitter. (Ruggarol) - Capítulo 37


Escrita por:


Notas do Autor


Oooiie 💗💗💗💗 Espero que vocês estejam bem ❤
Antes de tudo, me desculpem por ter desaparecido de novo. Talvez venha se tornando um hábito, mas estou sendo sincera ao dizer.
Em meio a toda a essa crise que estamos enfrentando no país, consegui um emprego 💕. Então tô estudando e trabalhando, tá meio tenso o negócio agr ksksksksksks mas tô me esforçando pra conseguir um tempo pra escrever, escrevendo todo dia um pouquinho.
Mas acho que vocês vão gostar desse capítulo, espero 💕💕
Se houver erros corrijo depois certo?

Boa Leitura 💕

Capítulo 37 - I Wish You In Every Way...


Fanfic / Fanfiction The Perfect Babysitter. (Ruggarol) - Capítulo 37 - I Wish You In Every Way...

Você é a primeira coisa que meus olhos desejam no despertar de todas as manhãs. - Wandréia Carneiro.


Ruggero Pasquarelli.

Desde o momento em que aconteceu o acidente tenho basicamente a certeza que nasci de novo. Sinto como se eu tivesse uma nova chance de viver e recomeçar do zero com as pessoas que realmente me amam e  me querem bem. Talvez esteja na hora de aproveitar cada segundo da vida sem se preocupar com o que vem amanhã, e se vir é um novo instante que deve ser vivido intensamente.

Karol tem sido meu suporte e o meu chão nesses últimos meses, nunca me senti tão amado e tão cuidado. Ela é uma mulher incrivelmente perfeita, seus surtos são as bordas da sua perfeição e seu sorriso é o motivo da minha respiração, viu como rimou? Pois é, a minha baixinha é a rima perfeita que faz meu coração bater consecutivamente. Aah como eu amo essa mulher!

Ela e Megan são a coisa mais linda do mundo juntas, vocês precisam de ver. As duas são demais, me pego pensando se mereço tudo isso sabe?

Minha filha é meu maior bem, agora há outro bem que está vindo por aí, ah como eu amo meus filhos eles são meus maiores presentes. Minha família tem se tornado minha maior prioridade desde então, tudo vêm depois dela e não há nada maior que isso.

Se passaram dois meses desde o meu acidente, Karol está com 17 semanas ou 4 meses se preferirem. A barriguinha dela já é notável, ela tá tão perfeita! Suas bochechas rosadinhas, suas coxas torneadas e seus cabelos cada vez mais lindos, acho que ela nunca esteve mais linda como tem estado agora. Digo isso, mas ela acredita vê se pode?

Call Answered:

- Você tá zombando de mim isso sim! - ela diz durante a ligação enquanto eu saía do trabalho - Só porque vou virar uma rinoceronte agora. - seu tom de voz era tristonho, arriscaria dizer que ela fazia bico nesse momento.

- Ah não fala assim meu amor, eu te amo de todas as formas e jeitos. Mas quando eu disse que você tá linda é porque você realmente tá, confia em mim. - digo calmamente para tranquiliza-lá - Vou levar um pizza pra gente jantar, o que você acha? Eu deixo você escolher...

- Aí tá vendo? Você quer me ver uma bolota. Depois não vai querer nem me tocar, menos ainda me ver. - ela disse chorosa e eu começo a rir - Você tá rindo Ruggero? Ah não tô acreditando nisso! - ela bufou de raiva.

- Não amor, eu não tô rindo de você. É o Agustín fazendo palhaçada aqui no elevador. - digo empurrando Agustín que me cutucava.

- Karol se chegarmos um pouco tarde não estranhe viu, temos um negócios a resolver... - Agustín diz na malícia e eu lhe belisco.

- Amor não acredita nesse... - ela desliga na minha cara - Karol?? Amor??

Call Ended.

- Olha aí seu desgraçado o que você fez! Agora ela tá puta comigo! - lhe dei um soco no ombro enquanto suspirava fundo.

- Para com isso, ela nem deve ter acreditado. - ele diz tentando contornar a situação.

- Ela não, mas os hormônios sim. Agora quando eu chegar em casa vou ter meu couro arrancado por sua culpa! - digo irritado - Você não sabe como os hormônios destroem um momento íntimo, poxa velho logo hoje...

- Eita cara me desculpa mesmo... - ele diz arrependido - Vou conversar com ela e explicar que foi brincadeira.

- Nem adianta que ela não vai ouvir. - digo assim que o elevador abre - Vou dar meu jeito quando chegar lá.

- Boa sorte meu brother vou torcer por você! - ele me abraçou e seguiu por outro caminho assim que saímos para o estacionamento.

Entrei no carro e parti em direção a pizzaria que Karol mais gostava. Agora eu teria que dar meu jeito de amansar a onça, só sei que não vai ser nada fácil. Comprei dois tipos de pizzas salgadas e uma doce, tenho que tentar todas as táticas possíveis.

Durante o caminho pra casa fui tranquilo ouvindo uma música qualquer no som só pra descontrair o momento. O dia havia sido cansativo, mas eu poderia aproveitar meu fim de semana em casa tranquilamente, ou em qualquer lugar que minha baixinha e minha princesinha quiser.

Entrei em casa estava tudo silencioso até demais, estranhei é claro já que antes de eu chegar na porta, Megan se pendura em mim como um carrapatinho. Fui até a cozinha e deixei as pizzas no balcão, Suzi parece ter saído já que tudo estava no seu devido lugar.

A partir do primeiro degrau da escada puxei e soltei o ar de forma prolongada, eu já esperava o pior assim que abrisse aquela porta do quarto. Hesitei antes de tocar a maçaneta, coisas terríveis poderia acontecer quando eu abrisse, mas eu precisava encarar.

- Seja o que Deus quiser! - sussurrei comigo mesmo olhando para o teto.

Abri a porta e entrei. O local estava leve e perfumado, eu até arriscaria dizer que tudo estava nos eixos mesmo que sabendo que não estava. O quarto estava vazio, a cama estava arrumada apenas com um pijama largo em cima dela. Minha mente deduziu aonde Karol poderia estar e eu fui direto ao encontro dela.

Entrei devagar na suíte sentindo o aroma perfumado cada vez mais forte, Karol estava na banheira tomando um banho relaxante enquanto acariciava sua barriga de olhos fechados.

- Sabe bebê, eu acho que nunca amei alguém assim como amo você. - ela diz enquanto me aproximo sem fazer nenhum tipo de barulho - A mamãe não sabe nem explicar o tamanho desse amor, você e a sua irmã são as melhores coisas que seu papai me deu, pelo menos pra isso aquele imprestável serviu! - a fofura acabou assim que a sua voz mudou o tom e o cenho franziu - Seu papai deve estar agora com alguma piriguete por aí. - ela tapou a boca rapidamente - Desculpa meu anjo você não merece ouvir isso. Aquele idiota do seu pai... Ah eu vou arrancar o couro dele... - sua voz embargou assim que terminou a frase - Sei que de agora pra frente vou virar um baú e ele não vai me querer mais... Mas todo o sacrifício vai valer para te ter em meus braços meu amorzinho. A mamãe suporta tudo por você, só por você e a sua irmãzinha.

Me aproximo de seus lábios e os tomo num selar demorado e molhado causando aquele gosto de quero mais. Puxo seus lábios com os dentes deixando a leve sensação de que é necessário mais que só aquilo.

- Tá vendo isso? - perguntei assim que separei meus lábios dos dela - Esse gosto e essa intensidade? É só você que sente e mais ninguém. Eu sou seu Karol, todo seu! Você pode me usar, abusar de mim, me maltratar, me machucar que estarei disponível pra tudo o que desejar. Poxa amor eu te amo, quantas vezes é necessário eu dizer isso??? Eu quero só você e mais ninguém, eu amo você mais que a mim mesmo, te demonstro isso todos os dias... Quero que você entenda que não há ninguém.. - toquei levemente sua bochecha enquanto ela me olhava atentamente - Por favor confia em mim... O Agustín estava brincando, sabe como ele é fresco...

Toquei com carinho o meu nariz no dela enquanto acariciava os seus cabelos macios.

- Eu odeio isso você sabe... - ela diz depois de um tempo - Me desculpa por agir assim eu só tenho medo de você não...

- Amor tira isso da sua cabeça. - a interrompi - Eu te amo de todos os jeitos ainda mais agora com um bebê meu aí dentro, não tem como eu amar ainda mais.

- Você jura? - ela perguntou insegura.

- Claro que siim! Você está perfeita aff, espero que você não esteja saindo de casa, não quero que ninguém deseje o que é meu. - digo sério a encarando.

- Agora só o que faltava mesmo! Eu tô saindo e vou continuar a sair, tá achando o que hein? - ela diz com o cenho franzido.

- Não tô gostando, vou falar com Agustín pra diminuir o meu trabalho para que eu vá a empresa uma vez na semana só. - digo sério - Melhor eu sempre estar por perto.

- Você nem se atreva... - ela diz e eu me levanto indo para o lado do box onde estava o chuveiro - Volta aqui que tô falando com você... - dei de ombro e fechei o box ouvindo ela bufar de raiva.

Tirei todas as minhas roupas e joguei por cima do box já que se eu saísse lá fora a onça me devorava. Liguei o chuveiro na água morna e entrei debaixo dele, deixando a água escorrer sobre todo o meu corpo tirando todo o cansaço do dia. Me esfreguei tranquilamente enquanto cantarolava uma música qualquer, deixando o banho ainda mais leve, até sentir mãos pequenas tocando o meu peitoral enquanto o apertava. Eu sabia de quem era aquelas mãos, e aquilo deixou meu membro totalmente desperto.

Há mais de uma semana não tínhamos feito sexo e a minha necessidade era grande, mas me controlava a maioria das vezes esperando o momento certo em que ela me pedisse para prosseguir. Tenho sido muito respeitador não deixando minhas vontades ultrapassarem o limite do querer de Karol, pois é tudo novidade pra ela e essa fase é incontrolável nas emoções, por isso tento fazer sempre as vontades dela para dar todo o suporte necessário.

- Amor você sabe que é perigoso isso... - digo passando a calmaria sendo que não era nada disso o que se passava por dentro de mim, eu me segurava ao máximo para não perder o controle.

- Eu sei, por isso que quero... - ela disse num sussurro em meu ouvido enquanto descia suas mãos para o meu abdômen onde ela o arranhou fazendo meu corpo ferver - Por favor Daddy me faz gemer seu nome até que eu perca a sua voz... - falou em um tom de gemido mordiscando minha orelha - Me fode vai! - ela pegou em meu membro que estava duro como pedra que já soltava o pré-gozo - Aaaaah como ele está necessitado - ela gemeu me virando fazendo meu membro se chocar contra a sua barriguinha notável.

Ela se abaixou e se ajoelhou ficando na altura da minha cintura, segurou meu membro em sua mãos.

- Amor você não precis... - ia dizendo ela abocanhou meu membro de uma só vez, pela sensibilidade do local soltei um gemido sôfrego e arrastado, parecia que há meses que não era tocado ali.

Sua boca sabia fazer os movimentos adequados para o ápice de prazer, ela não engasgava em nenhum minuto se quer, seus lábios tinha a total noção do que era necessário ali. Peguei em seus cabelos e os puxei a cada mordiscada que ela dava no falo, não demorou muito e senti o líquido prestes a vir, puxei os cabelos dela para afastá-la dali mas foi em vão já que ela sugou até a última gota, limpando com a língua até os últimos resquícios que haviam sobrado no canto de seu lábios, era cena mais erótica que poderia haver, fora o sorriso de satisfação seguido.

- Putz Karol... - digo com certa dificuldade pela respiração acelerada - Vai devagar poh, eu não estava preparado.

- Você quer que eu pare então? - ela perguntou assim que se levantou deixando a água cair sobre os seus cabelos - Mesmo que você queira, hoje eu não vou parar. - ela se aninhou em meu peitoral e eu segurei em sua cintura enquanto beijava o topo da sua cabeça.

- Você é surpreendente! - abracei seu corpo firmemente sentindo uma leve tremida da sua barriga encostada na minha - Olha até nosso bebê concordou! - acariciei com uma mão ali deixando a outra na cintura.

- Hoje o papai e a mamãe vai brincar um pouquinho amorzinho, estão seja obediente e fique quietinho aí, tá bem? - Karol diz cuidadosamente enquanto colocava sua mão por cima da minha e sinto novamente uma tremidinha.

- Nossa ele parece entender tudo o que a gente fala! - digo com um sorriso e ela também sorri - Amor você tem certeza que se sente confortável pra isso? Eu não quero que faça isso só pra me satisfazer, quero que você sinta desejo também.

- Amor tá tudo bem. - ela tocou meu rosto e sorriu novamente - Eu quero você dentro mim, quero muito do jeito que só você sabe como fazer!.

- Seu desejo é uma ordem minha rainha! - firmei minhas mãos em sua cintura recebendo um leve gemido aprovativo.

- Ahn amor... - ela firmou seus dedos em meus ombros enquanto eu pressionava seu corpo embaixo do chuveiro logo o desligando - Por que você desligou?

- Aqui é arriscado pra fazermos isso ainda mais você estando grávida, eu não me perdoaria se algo acontecesse. - digo pegando a toalha e lhe cobrindo ajudando ela a se enxugar.

Assim que terminei de secar os meus cabelos enquanto ela me secava ao olhar em cada canto do meu corpo, eu puxei seu corpo pra mais perto do meu.

- Espero que não tenha mudado de ideia... - sussurrei em seu ouvido descendo beijos em seu pescoço.

- Nem se eu fosse louca... - ela disse apertando meus braços - Ainda mais depois que de ter essa visão dos deuses... Putz que homem gostoso eu tenho viu... - ela passou a mão em meu peitoral encarando ali.

- E eu a mulher mais gostosa do mundo, nossa você não sabe como o seu corpo me enfeitiça. - digo descendo minhas mãos para as suas nádegas e as apertando lhe arrancando um gemido arrastado - A gravidez te deixou tão sexy, você não sabe como estou ansioso pra te foder... - aperto ainda mais seu bumbum - Aonde Megan está... - digo já com a voz entre cortada pela tensão.

- Mandei Suzi deixar ela na casa da Malena... Ah casa é só nossa... - ela disse sussurrando.

- A melhor notícia que eu poderia ouvir. - a peguei rapidamente no colo e a levei para o quarto a colocando na cama ainda nua. Aliás quem precisa de roupa nesse momento?

Peguei em uma das suas pernas e beijei seu pé subindo até a coxa dando vários beijos acompanhados de mordidas até parar em sua cintura. Agarrei nas suas coxas e abri a suas pernas deixando uma melhor visão de sua intimidade. Minha boca salivou como nunca antes, arriscaria dizer que escorria pelo canto dos meus lábios, que visão meu caros! 

- Acho que alguém se preparou pra mim... - digo mordendo os lábios - Tão bem cuidada, tem que ser bem aproveitada... Deve estar deliciosa.

- Não enrola amor, me chupa logo de uma vez... Quero sentir seus lábios em mim... Seja bonzinho com a sua mulher.

- Eu serei meu amor, não precisa se preocupar. - me abaixei entre as suas pernas e devorei os lábios da sua intimidade.

- Aaaaaahn Ruggero, não para... - ela gemeu alto enquanto afundava as suas unhas em meus ombros.


Notas Finais


Eitaaaa pegou fogoooooo!🔥
Saudades de um hotzinho Ruggarol né minha filha? 😂💥

Para o Hot ou continua?? (Comentem) ^^
Tô dando a oportunidade de vocês escolherem...
Depende de vocês 😊😘

Até o próximo, bjos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...