História The Perfect Man - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekhyun, Chanbaek, Chanyeol, Exo
Visualizações 55
Palavras 1.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOI gente eu finalmente voltei!
Eu não sei exatamente quem acompanha essa fanfic mas quem acompanha me perdoa por toda essa demora. É difícil conciliar duas histórias com escola e problemas emocionais.
Mas agora eu estou de férias e pretendo voltar a todo vapor com The Perfect Man.
E é isto espero que gostem do capítulo!

Capítulo 7 - Brasil


- Eu não gosto de ficar te pedindo dinheiro emprestado, fica parecendo que eu sou um namorado interesseiro.

- Relaxa amor, eu não ligo de ajudar você e o seu irmão.

- Tem certeza?

- Sim! E eu não vou ficar achando que você é interesseiro senhor Youngjae, logo nós vamos nos casar e tudo o que é meu será seu também. – Eu disse dando um beijo em sua cabeça.

- Você é o melhor noivo do mundo Chanyeol.

E duas semanas depois eu tinha sido trocado por outro e tinha perdido duzentos milhões de wons. Youngjae me usou para tirar seu irmão das dívidas que ele tinha se metido e bem foi só isso que eu fui pra ele, uma forma de ele ganhar dinheiro fácil.

Não foi fácil superá-lo, talvez eu ainda não tenha. Eu o amava. O dia que ele aceitou meu pedido de casamento foi um dos mais felizes da minha vida mas agora todas essas lembranças doíam.

Quando ele terminou comigo, fazia duas semanas que meu pai havia morrido e a junção das duas situações me afundou em depressão e se não fosse por Jongin e Kyungsoo talvez eu não estivesse aqui mais.

Mas ainda haviam dias em que eu me lembrava de tudo e as lágrimas sempre vinham. Houve um tempo em que a dor no meu coração era tamanha que a única coisa que aliviava era quando eu fazia o meu corpo sentir dor, foi então que eu comecei um longo processo de automutilação.

Havia muito tempo que eu não fazia aquilo mas ver aquele porta retrato me trouxe muitas lembranças e eu estava um pouco frágil depois da breve discussão que tive com meus amigos, eu olhei para os cacos no chão e os imaginei cortando minha pele, imaginei a dor que faria me esquecer do que eu estava sentindo. Então peguei um dos cacos e coloquei sobre a minha pele e fiquei esperando a coragem necessária para deslizar o vidro pelo meu braço.

- Chanyeol, meu deus que demora pra achar um jogo! – Jongin disse abrindo a porta.

- PARK CHANYEOL O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO? – Jongin entrou desengonçadamente naquela bagunça e pegou minha mão, tirando o caco de vidro dela.

Ele olhou para a foto que estava jogada no chão e então percebeu o que havia acontecido.

- Chan... vem cá, vamos sair dessa bagunça. – Ele disse estendendo a mão pra mim.

Ele me conduziu até a sala e rapidamente Kyungsoo chegou.

- O que aconteceu Jongin?

- O Chan achou uma foto do Youngjae... e... ele não está muito bem com isso. – Ele omitiu a parte na qual eu estava tentando me cortar.

- Chan, tem alguma coisa dele aqui ainda? – Kyungsoo perguntou.

- É uma caixa com algumas coisas velhas que ele esqueceu aqui e eu acabei esquecendo de jogar fora.

- O Jongin pode jogar fora?

Eu aceno positivamente com a cabeça.

- Leva as coisas pro carro, depois a gente vê o que faz com elas. – Kyungsoo pediu a Jongin

- Você quer me ajudar a terminar de preparar o jantar?

Sigo Kyungsoo até a cozinha, onde ele estava fazendo uma sopa de macarrão que estava com um aroma maravilhoso. Os dotes culinários do meu amigo eram impressionantes.

- Eu fiz ovos cozidos, você pode descascar eles pra mim?

Sigo em silêncio até a pia e começo a atividade monótona, focando na casca branca dos ovos.

- Você quer conversar sobre o que aconteceu? – Kyungsoo pergunta.

Eu aceno com a cabeça que não. Eu só queria esquecer tudo o que aconteceu e tentar continuar com uma noite agradável com os meus amigos.

- Tudo bem então. Quando terminar de descascar os ovos pode jogá-los em cima do macarrão, ok?

Kyungsoo falava com uma voz calma e serena, ele tinha essa capacidade que eu admirava muito. Nos momentos em que era preciso, um modo calmante se ativava dentro dele e era como se nada de ruim tivesse acontecido.

Jongin voltou do carro e me levou para a sala, ele quis conversar sobre o que aconteceu mas eu também pedi a ele para não mencionar o assunto. Ficamos jogando videogame até a sopa ficar pronta.

- Ok, se sentem na mesa, não queremos sujar o sofá não é mesmo? – Agora Kyungsoo estava no modo mãe.

A sopa estava deliciosa, como tudo que o Do cozinhava e a tensão que havia se apoderado de nós há alguns minutos atrás aos poucos se esvaia.

- Sabe, nós formamos uma família bem bonita. Eu sou o pai, o Soo é a mãe e o Chan é o nosso filho. – Jongin soltou uma de suas pérolas de sempre.

Kyungsoo revirou os olhos diante do comentário do marido.

- Pois é papai mas eu ainda sou mais alto que você. – Eu disse bagunçando seus cabelos.

- Você vai deixar ele falar assim comigo? – Jongin se virou para o esposo que somente deu de ombros.

E assim foi aquela noite, nós ficamos brincando e implicando uns com os outros até que nós três adormecemos ali mesmo, no tapete da sala.

 

- Mas eu pensei que as divulgações já haviam acabado. – Eu estava no telefone com o chefe da editora.

- Sim Chanyeol mas esse é um grande evento que acontece no Brasil, a Bienal do Livro de São Paulo, e é comum que alguns autores vão no evento para fazer uma sessão de autógrafos, seria muito importante se você fosse, os fãs vão adorar.

- Tudo bem, eu vou, já que você não me deixa outra escolha.

- Sabia que eu podia contar com você Park, nos vemos no aeroporto!

Eu sempre adorei escrever, a escrita era a forma que eu encontrei de desabafar todos os meus problemas, de viajar e de expressar tudo o que eu sentia. E eu sou eternamente grato a Kim Junmyeon, o meu editor, sem ele eu não teria alcançado todo esse sucesso e me tornado o primeiro escritor milionário da Coreia. Só que as vezes a fama não combinava muito comigo, toda essa exposição não me agrada. Eu acho muito legal o fato das pessoas admirarem a minha obra e quererem conhecê-la melhor mas as vezes fãs podem ser um pouco obsessivos demais.

Uma vez eu estava em uma conferência e um garoto doido veio querendo me agredir porque o personagem favorito dele morreu no livro, o que eu podia fazer? Eu não conheço a vontade de todos os meus leitores, afinal.

Eu já havia ouvido falar da Bienal do Livro na cidade brasileira de São Paulo, tenho alguns colegas escritores que já foram no evento e me disseram que é maravilhoso. Talvez eu devesse pensar positivo, afinal não pode ser tão ruim assim.

Ou pode.

- Ah sim... eu entendo, ossos do ofício certo. Vou sentir saudades suas Park Chanyeol. – Eu conseguia notar o tom de tristeza na voz e no rosto de Baekhyun através da vídeo chamada que estávamos fazendo.

- Vai ser só uma semana, relaxa, prometo que eu te levo pra conhecer melhor Seul assim que eu voltar.

- Tudo bem. Mas traga um presente do Brasil pro seu amigo aqui, ok? Não se esqueça de mim! – Ele disse dando aquela risada fofa que eu tanto adoro.

- Jamais. – Eu respondi a ele com outro sorriso.

- Ok, agora eu tenho que ir, meu irmão disse que tem uma notícia muito empolgante pra me contar e ele está quase batendo em mim porque eu estou demorando no telefone.

- Ta bom, vai lá, não quero deixar Jongdae irritado.

- Beijos pra você gatinho. – Ele mandou um beijo e deu uma piscadinha pra mim e encerrou a sua ligação.

Sintomas de paixão aqui;

Fazia exatamente vinte minutos que eu e Baekhyun estavámos conversando por vídeo chamada quando recebo uma ligação dele novamente, será que havia acontecido alguma coisa?

- Oi Baek. – Disse atendendo o telefone.

- VOCÊ NÃO VAI ACREDITAR NO QUE ACONTECEU! – Ele disse extremamente empolgado.

- Jongdae acabou de me falar que ele resolveu tirar férias e que ele comprou passagem pra família toda ir sabe pra onde?

- Pra onde? Fala logo Baek!

- PRO BRASIL!

- SÉRIO? – Ok, agora eu estava extremamente empolgado.

- Sim! E vai ser logo quando você está indo, e eu já conversei com ele pra nós irmos no mesmo avião. Ou seja, o senhor não conseguiu se livrar de mim tão fácil assim!

 

- Você está se lembrando de levar protetor solar, certo? Lá é muito quente! – Kyungsoo me perguntou isso pela décima vez enquanto estávamos esperando a família de Baekhyun chegar ao aeroporto.

- Sim Soo! Eu estou levando tudo o que você me mandou naquele link de: tudo o que você precisa levar numa viagem para o Brasil!

- Ai eu estou sendo chato ne?

- Só um pouquinho amor. – Jongin disse dando um beijo na cabeça do esposo.

- Chan eu sei que você vai ficar bem e caso você e o Baekhyun transem, não se esqueça de usar camisinha!

- JONGIN! – Eu e Kyungsoo gritamos ao mesmo tempo.

- Ai o que foi? Não me volta pra casa com doença venérea não tá bom?

Revirei os olhos diante daquilo e olhei pro lado na hora exata em que vi Baekhyun e toda sua família chegando junto com ele. Ele veio correndo e me abraçou.

- Eu estou tão empolgado pra essa viagem, você não tem ideia!

- Eu também estou baixinho. – Disse apertando ele no abraço.

Nos soltamos e depois de devidamente apresentar a família de Baekhyun a minha família, nós estávamos indo em direção ao avião.

- CUIDA BEM DO NOSSO BEBÊ BAEK! – Jongin disse gritando enquanto nos via indo embora. Jongin era realmente um pai pra mim, só me fazia passar vergonha. Todos dão uma risada atrás de mim e eu sigo meu caminho com o rosto vermelho e com Baekhyun segurando minha mão.

E lá estava eu indo em direção ao Brasil com Baekhyun, estou ansioso pra saber o que essa viagem nos reserva.

No fundinho da minha bolsa estava aquele velho diário, no qual ontem eu havia escrito mais uma vez.

“Espero que eu consiga passar o maior tempo possível com Byun Baekhyun nessa viagem”

 


Notas Finais


Então voltei aqui editando o cap pra divulgar meu twitter 😂
Eu tenho foguinho no rabo e troquei o user agora é: @bngtanboyxs quem quiser amigar lá pode ir
E quem quiser fazer perguntinhas no Curious Cat o meu é: @bangtanbomba


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...